O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. OK

Será 2012 o ano da Google TV?

 

As TVs inteligentes têm sido tudo menos um sucesso para os fabricantes. Embora seja verdade que a Apple TV teve um número de vendas considerável apesar das indicações iniciais, os diretores da Apple encaram a Apple TV como um passatempo e não parecem interessados em fazer um compromisso sério a nível de financiamento do projeto. Ao mesmo tempo, a Logitech, parceira da Google, interrompeu todo o trabalho feito no projeto Google TV depois de terem gasto mais de $100 milhões no espaço de seis meses. Todavia, os fabricantes de hardware não estão dispostos a desistir das TVs Android e há esperança de que o público Americano faça de 2012 o ano da Google TV.

 

 

 

Mas será que as TVs inteligentes virão a ter sucesso?

A tentativa da Google de dar funcionalidade ao mundo do entretenimento em casa parece ser natural. O público foi rápido a aceitar a funcionalidade acrescida, as possibilidades que os smartphones oferecem e para muitos seria impossível imaginar um mundo sem os seus queridos telefones Android. Enquanto o público transita do push media tradicional (TV, radio, jornais) para plataformas de pull media (internet, multimédia, cria-se um mercado para TVs inteligentes. Mas parece que por enquanto ainda falta alguma coisa para o desenvolvimento desta tecnologia se torne uma realidade.

Mas porquê? Porque é que as pessoas não abraçaram a nova tecnologia que a Google tentou levar para o mundo do entretenimento em casa? As vantagens técnicas são óbvias quando em comparação com as TV tradicionais. David Pogue, jornalista do New York Times’s, disse quando chegou à conclusão que o principal problema da Google TV “Isto é bastante claro: a Google TV poderá ser um aparelho altamente atraente para tecnófilos mas não para a população em geral.” Mas 2012 em princípio será um ano bastante diferente, isto porque a comunidade Android está a experienciar a ativação de setecentos mil novos aparelhos por dia. É também o ano em que se espera assistir ao crescimento exponencial de utilizadores dos já conhecidos Netflix e Hulu.
Pode-se resumir o que aconteceu: a Google TV foi lançada antes do publico em geral ter começado a abraçar a ideia dos aparelhos inteligentes e antes de ter adoptado e a utilizar o conceito de média em demanda.
 

 

No mês passado, Eric Schmidt da Google, prevê que a maioria de todas as TVs vendidas até ao Verão de 2012 serão Google TVs. Temos de admitir que achámos um bocado improvável na altura, mas depois do CES deste ano e depois das previsões da companhia de DVR, TiVo, há razões para acreditar no optimismo de Eric Schmidt.

Analisemos os fatos: o crescimento do ecossistema Android tem sido exponencial, com milhões de novos membros a aderir à comunidade Android todas as semanas, a Google tem agora uma base imensa de clientes familiarizados com a sua tecnologia e dispostos a adquirir novos dispositivos Android. Combinando as realidades acima mencionadas com os avanços na usabilidade e no design que a transição para o Android 4.0 nos oferece, resta-nos referir que o lançamento da Google TV será um passo óbvio. Acrescentamos que o verdadeiro futuro sucesso da Google TV será devido a mudança dos nosso hábitos de consumo dos média.

A TV como tradicionalmente conhecida, tem sido um meio de informação em que o publico era “forçadamente alimentado”, isto é, se uma pessoa quisesse ver TV, teria de o fazer seguindo a programação do canal de TV. Mas as pessoas estão agora a mudar os seus hábitos, estamos a começar a ver a TV que queremos, quando queremos e como queremos. As últimas estatísticas da TiVo mostram-nos que apenas 27% das pessoas que vêm TV nos EUA vêm TV em direto. Isto significa que mais de 70% das audiências vêm TV que foi gravada previamente ou fazem streaming dos programas que desejam assistir.

Netflix, Hulu, Google Movies e até mesmo o iTunes são aplicações que enquadram bastante bem nesta nova dinâmica da industria do entretenimento e que é suficientemente boa para as exigências do publico que quer consumir entretenimento nos seus termos. Enquanto muitos ainda optam por usar serviços de streaming nos seus computadores, tablets ou consulas de jogos como por exemplo a Xbox 360 da Microsoft, há decerto uma abertura óbvia no mercado para o lançamento de um novo produto que ofereca os benefícios de streaming de programas sem o valor acrescentado de uma consola de jogos ou de um computador. Isto é onde a Google TV pode triunfar.

Todos os grandes fabricantes parecem que já apuraram esta nova tendência do publico. A Sony, a Vizio, a LG e a Samsung todas apresentaram uma Google TV na CES deste ano e tudo indica que o preço de uma TV inteligente não será superior ao do de uma TV topo de gama, e será difícil a Google não conseguir atrair uma base de consumidores bastante grande.

Também achámos que Eric Schmidt estava a ser demasiado optimista, mas é impossível não encarar o futuro sucesso das TV inteligentes como um acontecimento realista. Se a Google continuar com o crescimento que teve em 2011, 2012 poderá decerto ser o ano em que a Google se assumirá como líder do mercado de TVs.
 

Sem comentários

Escreva um comentário:

O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. Mais informações

Entendi