O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. OK
115 Compartilhado 130 Comentários

Como uma proposta da Apple pode encarecer o setor de streaming de música

Quem acompanha o mercado de streaming, sabe que a novela entre a Apple e o Spotify (e outros concorrentes por tabela) ganha um novo capítulo periodicamente. O mais recente envolve a elaboração de uma proposta que deve beneficiar o Apple Music e, de quebra, tornar mais caro os serviços de streaming de música. 

A idéia da Apple é simplificar o pagamento de royalties musicais. Para quem não sabe, os serviços de streaming repassam para a Copyright Royalty Board - órgão que cuida dos direitos autorais nos EUA - entre 10% e 12% da receita gerada no mês a partir dos planos que são oferecidos, sejam eles pagos ou gratuitos. Posteriormente, esses valores são repassados para as grandes gravadoras, que disponibilizam regularmente o acervo de seus artistas para empresas do setor, como o Spotify, o Google Play Music e o Deezer, além do próprio Apple Music.

A nova proposta da Apple propõe que os royalties musicais sejam pagos a partir de uma quantidade de vezes em que as músicas são executadas. Assim, os serviços devem pagar 9,1 centavos de dólar para cada 100 vezes que uma música é tocada.

AndroidPIT Apps spotify
Spotify pode ser o mais prejudicado com a nova proposta da Apple / © ANDROIDPIT

Olhando para o lado do usuário essa mudança não o impactaria de forma sensível. No entanto, a proposta, caso seja aprovada, poderia comprometer financeiramente os serviços de streaming. Isso porque alguns deles oferecem planos gratuitos que, por sua vez, geram lucro só com anúncios. E essa receita já é consideravelmente baixa se comparada ao que é gerado através da modalidade paga.

O Spotify é o maior expoente desse modelo grátis. Contudo, o Apple Music não possui uma modalidade gratuita, como é o caso da empresa sueca e a aprovação da proposta impactaria uma das fontes de receita da mesma, cuja margem de lucro já é apertada. E para contornar essa situação, os serviços que oferecem planos grátis podem ser obrigados a aumentar a assinatura dos planos pagos ou descontinuar o formato gratuito. 

A proposta da Apple simplifica e enquadra todos os serviços de streaming num processo mais prático. Contudo, prejudica aqueles que prestam conta a partir de planos gratuitos. E, consequentemente, comprometem também os usuários desse formato. Se aprovada pela comissão, a proposta da Apple pode ficar vigente entre 2018 e 2022. Até lá as demais empresas do ramo de streaming poderão enviar planos que podem inviabilizar a ideia da gigante de Cupertino.

Você paga por algum serviço de streaming?

Os comentários favoritos dos leitores

  • Andreu Vasconcelos há 6 meses

    Essa medida ñ me atinge, pois quase ñ ouço música hj em dia, já que tem mt lixo disfarçado de canção. A minha modalidade é mais ouvir pelo You Tube ou em algum canal da Oi Tv. Preferencialmente músicas dos anos 90 até no máximo 2005.

  • Steven Oliver há 6 meses

    Ontem eu vi uma multidão gritando e chorando por um adolescente youtuber que só sabe gritar e bater palma. A coisa tá triste. É o ápice da minha teoria da ervilhização de uma geração.

  •   45
    Moisés há 6 meses

    Andreu, o pior é saber que muitos dos "cantores" brasileiros de hoje estão com cachê mais caro que os internacionais.

  • Steven Oliver há 6 meses

    E também vi a mesma multidão gritando por uma que diz ter depressão e síndrome do pânico. Antes o ser humano se espelhava naquele que achava perfeito, hoje se espelha em quem tem mais problema que ele. É a ervilhização.

  • José Luís Silva há 6 meses

    Eu prefiro meu bom e novo cartão de memória para por todo meu acervo musical, e escuto na hora que quiser, sem precisar pagar nada nem utilizar pacote de dados.

130 Comentários

Escreva um comentário:
Mostrar todos os comentários

O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. Mais informações

Entendi