Motorola Moto X — O que está por trás do "atraso" do Lollipop do Moto X 2013?

  • Respostas:0
  • AbertoNão stickySem resposta
  • Posts no fórum: 3.222

19/fev/2015 2:03:13 via App

A Motorola foi a primeira empresa a anunciar o update para o seu e para toda a sua linha de smartphones de Moto X  2013 e Moto X  2014, o que deixou os usuários da linha Mouto (incluindo E, G, X e Maxx) em êxtase com a informação e grata surpresa. Dos smartphones da linha, os Moto E e Maxx estão em soak test (teste de estabilidade com usuários), os Moto G de ambas as gerações já estão recebendo o novo Android e o Moto X (2014) também já teve o update liderado. Mas, e o Moto X 2013?

Nas redes sociais da empresa, essa é a questão que, até agora, não foi respondida completamente, e muitos entenderam um Tweet da conta de suporte da empresa como a culpa sendo da arquitetura proprietária da empresa, conhecida como X8. Mas não é. A Motorola tem todo o suporte da arquitetura, e poderia aplicá-la em qualquer tipo de processador, seja ele produzido pela Intel, NVIDIA, MediaTek ou qualquer outra fabricante. A resposta do suporte, que falava em “incompatibilidade” se referia ao Snapdragon S4 Pro, usado no X 2013, cujo kernel não é compatível com o Lollipop e cujo a empresa responsável – a Qualcomm – decidiu não atualizar, ficando a cargo da Motorola desenvolver e otimizá-lo para o smartphone.

Não é a primeira vez que isso acontece com um smartphone da Motorola. Em 2012, o Droid 3 (Milestone 3 no Brasil) passou por uma situação parecida. O kernel criado pela Texas Instrument para seu processador exigia que o dispositivo tivesse, no mínimo, 1GB de memória RAM, e o smartphone tinha apenas 512MB, e a Motorola decidiu cancelar o update deste modelo. No entanto, com o Moto X 2013, a Motorola decidiu criar e otimizar todo o sistema, ao invés de abandonar o aparelho.

Mas, e como a CyanogenMod 12 está disponível?

A CyanogenMod 12 está disponível sim, mas isso não quer dizer que devidamente otimizada. Os desenvolvedores da Custom ROM nem sempre usam os drives e o kernel mais recentes, o que explica, inclusive, as dezenas de bugs básicos na ROM e sua baixa estabilidade, mesmo quase três meses depois da liberação do código-fonte do Lollipop, repetindo novamente a situação do Milestone 3, que teve até a CyanogenMod cancelada pela ausência do kernel e pela falta de incentivo ao seu dessem desenvolvimento.

Mas e o update, vai demorar?

É impossível dizer se o update vai demorar. Desenvolver uma atualização desde o kernel até a otimização leva tempo, se assemelhando ao processo de estabilização de um protótipo antes do seu lançamento. O lado bom deste processo, no entanto, é a possibilidade de um ganho real de desempenho, já que todo o software será criado exclusivamente pela empresa.

Já existem Moto X 2013 com Lollipop customizado pela Motorola dentro da empresa, onde estão sendo realizados testes de estabilidade com o novo kernel em desenvolvimento. O update virá assim que o desenvolvimento e os testes forem concluídos. Só nos resta esperar.

Fonte: understech

— alterado em 19/fev/2015 2:03:49

º Smartphone: Galaxy Note 4
º ROM: DN5
º Android: 6.0.1
º Root: Sim
º Recovery: TWRP