O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. OK
106 Compartilhado 35 Comentários

Review Meizu MX4, a estação de trabalho da VI que custa caro

A Meizu é uma das maiores fabricantes de smartphones da China, mas, até pouco tempo, não tinha um revendedor oficial no Brasil. Mas a empresa brasileira VI, através de uma parceria com a própria Meizu, começou a comercializar seus smartphones no Brasil, todos homologados pela Anatel. Um deles é o Meizu MX4, o qual descrevemos nossas impressões abaixo.

Antes de tudo, é necessário entender como a VI comercializa seus produtos. Ao invés de simplesmente vender apenas o smartphone, a empresa tentou inovar e oferece somente um pacote de produtos, chamados por eles de uma completa estação de trabalho. No caso do Meizu MX4, é a Phonestation Meizu MX4 composta do smartphone, o Vi Center, Vi Cast e o Vi Drive. Na seção acessórios iremos detalhar cada um deles.

Eu acho a versão flat do Galaxy S7 melhor do que o Galaxy S8 de bordas curvas.
O que você acha?
50
50
2435 participantes

Avaliação

Prós

  • Excelente construção
  • Boa câmera
  • Boa tela

Contras

  • Preço extremamente alto
  • Acessórios dispensáveis
  • Software confuso

Meizu MX4 – Data de lançamento e preço

O Meizu MX4 começou a ser vendido no fim do ano passado. Segundo a VI, o primeiro lote foi um sucesso e se esgotou rapidamente. Agora, já é possível comprá-lo novamente, mas repetindo: somente é possível vender o kit completo, não é possível comprar somente o smartphone. O preço é salgado: R$ 2.899,00. A justificativa deste alto valor é o pacote de acessórios.

Meizu MX4 – Desenho & Qualidade de Construção

SAM 1610
Meizu MX4 tem aro de alumínio e excelente acabamento  © ANDROIDPIT

Como a maioria dos grandes fabricantes chineses, a Meizu procura dar um acabamento especial a seus aparelhos, o que de fato acontece com o Meizu MX4. Primeiro que ele é muito bonito, mesmo tendo um visual inspirado no iPhone 6. Toda sua moldura é de alumínio, inclusive as bordas. A tampa traseira é de plástico, porém um plástico de excelente qualidade e agradável ao toque. A pintura, no caso do dourado que testei, é muito bem feita e facilmente se confunde com o alumínio das bordas.

SAM 1612
Traseira é feita de plástico, mas com excelente qualidade / © ANDROIDPIT

Na parte frontal, temos um excelente aproveitamento de tela. As bordas laterais do display são muito finas e as superior e inferior idem. Na parte de cima, temos a câmera frontal e o sensor de presença. Na parte inferior, há apenas um botão capacitivo em forma de círculo. Atrás, há um LED que ilumina esse circulo, tornando um detalhe interessante no design. 

SAM 1619
Detalhe no aro que lembra o iPad e iPod Touch / © ANDROIDPIT

No geral, é um aparelho muito bonito. Gostei principalmente do aro de metal que é levemente chanfrado, exatamente como acontece nos iPads e iPods touch.

Meizu MX4 – Tela

O MX4 possui uma tela de 5,36 polegadas, com resolução Full HD. É uma das melhores telas que já tive oportunidade de usar. Sua sensibilidade é semelhante a dos smartphones da Samsung topos de linha. Quem já usou, sabe a diferença.

SAM 1618
Excelente tela de IPS com brilho e contraste equilibrados.  / © ANDROIDPIT

Seu brilho também é excelente, não devendo em nada para os aparelhos mais avançados atuais. Porém, o que mais me chamou a atenção na tela foi seu desempenho em áreas abertas, mesmo sob a luz do sol. A tela reflete muito pouco a luz. Comparando com o Moto X Style, meu smartphone atual, ele se saiu bem melhor nesse quesito.

SAM 1620
Meizu MX4 dá para usar sob luz forte, reflete pouco quase no mesmo nível do Galaxy S7. / © ANDROIDPIT

Para fechar ela conta ainda com a proteção Corning Gorilla 3

Meizu MX4 – Características Especiais

A grande justificativa do alto preço cobrado pelo Meizu MX4 por parte da VI, é justamente seus acessórios, que o tornam uma estação de trabalho móvel. Porém, não concordo com essa política. Em primeiro lugar, com o preço cobrado pelo conjunto dá para comprar smartphones bem superiores. Em segundo, os acessórios não são exatamente uma coisa de outro mundo e carregar tudo junto não ajuda na mobilidade. Vamos analisar cada um dos componentes que compõem o conjunto.

Vi Drive

SAM 1630
Vi Drive que acompanha o Meizu MX4 / © ANDROIDPIT

Ele se parece com um pendrive, onde é inserido um cartão de memória micro SD (no conjunto vem um de 32 GB). Ele tem a função de ser um hotspot Wi-Fi para que usuários da rede possam acessar os arquivos que estão no cartão micro SD. O dispositivo necessita estar ligado a uma fonte de energia que pode vir de uma porta USB.

Vi Cast

SAM 1632
Vi Cast faz streaming e repete a tela do smartphone para qualquer TV. / © ANDROIDPIT

O Vi Cast é uma tentativa de ser um streaming de mídia digital nos moldes de um Chromecast. Mas ela falha. Em primeiro lugar, existem milhares desses produtos sendo vendidos em lojas como o Alixpress e semelhantes, e são extremamente baratos, raramente passando de 20 dólares. 

SAM 1633
Meizu MX4 conectado a TV através do Vi Cast. / © ANDROIDPIT

Mas até ai tudo bem, desde que tenha um desempenho parecido com um Chromecast, mas não é isso o que vemos. Para começo de conversa não existe um aplicativo dedicado para gerenciar o dispositivo, o que é uma falha grande. Depois de conectado a ele, via Wi-Fi direct, você acessa um endereço IP para configurá-lo. A interface é simples ao extremo e muito lenta. Há duas opções de conexão: Manter via Wi-Fi direct, sendo desse modo você fica sem internet, já que o Wi-Fi está sendo usado. A segunda e conectar ele diretamente ao roteador, daí através da rede, onde você acessa o Vi Cast, mantendo sua internet.

Via Wi-Fi direct ele funciona relativamente bem, mas em streaming de vídeos full HD ou 2K, há claras engasgadas e lentidão, o que não acontecesse no Chromecast.

A melhor opção seria através do roteador, mas há um problema. No meu roteador, um Powerbox da GVT, não funcionou. Tentei um outro roteador que tinha em casa e nada. Tentei na minha sogra e consegui conectar, porém até no streaming do app do Youtube ele ficou lento. Mas nem tudo é ruim: se a função não for reproduzir vídeos pesados, ele é uma boa opção para usar como monitor do seu celular.

Vi Center

SAM 1628
Vi Center é powerbank e teclado laser! / © ANDROIDPIT

Certamente o mais interessante dos itens, já que ele agrega duas funções: ser um powerbank (bateria externa) e a função mais futurista: um teclado laser que é projetado em sua mesa ou outra superfície plana. Ele se conecta via Bluetooth ao celular.

SAM 1625
Teclado é futurista, porém não funciona tão bem. / © ANDROIDPIT

Porém, mais uma vez, acho desnecessário. Primeiro que o Powerbank não tem muita capacidade diante de opções como da Xiaomi (fora de estoque) ou da Asus, que custam bem menos. E o teclado, embora futurista (ainda que já experimentado um desses 10 anos atrás), tem o funcionamento questionável. Há muitas falhas no reconhecimento das teclas,logo, pensando em um texto grande, seria muito mais fácil digitar no próprio celular. 

Acharia muito mais útil comprar um teclado bluetooth dobrável, que seria pouca coisa maior e não precisaria de uma superfície plana para usar.

Repito: Se a Vi vendesse somente o smartphone, por um preço justo, acho que a empresa conseguiria fazer mais sucesso, pois é um belo smartphone.

Meizu MX4 – Software

O MX4 vem rodando o Android 5.0.1. Porém, assim como a Xiaomi, a Meizu dá um grande destaque a sua própria interface, chamada de Flyme OS. Se trata de uma grande mudança em todo o sistema Android, desde ao visual, passando pelos ícones, menus e tudo mais.

Eu não sou seguidor de nenhuma interface e gosto de todas desde que sejam rápidas, intuitivas e facilitem a usabilidade. Um bom exemplo é a MIUI, que embora seja tão modificada como a Flyme OS, traz excelentes recursos e, depois do período de adaptação, se torna muito boa. Mas tenho que ser sincero: não gostei da Flyme OS.

screen 1
Sem gavetas de aplicativos e menu bem modificado. / © ANDROIDPIT

Seu design até que é bem bonito e lembra bastante o Material Design, com belos ícone, cores sóbrias e sem frescuras. Mas o problema fica por conta de suas funcionalidades. A primeira coisa que me incomodou foi a ausência de botões de navegação. Como disse anteriormente só há apenas um botão, e juntando isso a falta de uma gaveta de aplicativos, é tudo muito confuso.

Dentro dos aplicativos aparece um botão virtual de voltar e mais nada, o que estraga o visual, pois fica uma faixa branca ocupando toda a tela na parte inferior, com apenas um botão no extremo esquerdo. E essa faixa ainda atrapalha o design de qualquer outro launcher que o usuário instale nele.

screen mx 2
Faixa branca irritante e com apenas um ícone. Ao lado o menu de notificações que aglomera todas elas! / © ANDROIDPIT

Outra coisa é a não possibilidade de ir para o menu de configurações através de atalho. É necessário abrir através de um ícone como se fosse um aplicativo, já que não há um atalho na barra de notificações. Essa última, por sua vez, é um tanto inconveniente. Embora tenha um visual legal, ela aglomera todas as notificações uma em cada linha. Ou seja, se você receber 30 emails, aparecerão 30 linhas de notificações! Eu achei isso muito desorganizado.

screen mx 3
Multitarefa aparece no inferior da tela, em forma de icones. A barra de notificações não tem atalho para Configurações. / © ANDROIDPIT

Mas nem tudo é ruim. A multitarefa é facilmente acionada apenas com um gesto na tela de baixo sendo exibida logo acima da mesma. Há ainda há possibilidade de acordar ou desligar o display com dois toques. Outra função que sempre gosto é a possibilidade programar o celular para ligar e desligar, além do controle de temperatura da tela.

Meizu MX4 – Performance

O MX4 conta com um potente processador da Mediatek, o MTK MT6595, que conta com 4 núcleos ARM de 2,2 GHz(64 bits) e outros 4 de 1,7 GHz (32 bits). Para completar conta com 2GB de memória RAM e 32 GB de armazenamento interno não expansível por cartão microSD. A GPU também é potente, uma PowerVR Rogue G6200. No geral, ele é muito rápido, mesmo executando os mais pesados jogos para Android. A única coisa que notei é que ao executar esses games mais exigentes, ele esquenta bastante, algo cada vez mais comum em smartphones potentes, infelizmente. Obviamente a configuração não é de um top de linha e está mais para um intermediário premium.

screen mx 4
Pontuação do Meizu MX4 no Antutu é mediana. / © ANDROIDPIT
screen mx 5
Pontuação do MX4 no Geebench / © ANDROIDPIT
screen mx 6
Pontuação do MX4 no Vellamo. / © ANDROIDPIT

Nos meus testes, ele se mostrou bem fluído na execução das tarefas e jogos. Nos testes de benchmarks ele se saiu bem para um intermediário, e não para um top de linha que aponta seu alto seu preço. Abaixo as capturas de tela dos testes.

Meizu MX4 – Câmera

SAM 1616
Câmera do Meizu MX4 / © ANDROIDPIT

O desempenho é muito bom e, comparando com o Xperia Z3, as fotos são melhores no MX4. Isso é, em grande parte, graças ao seu software, exclusivo da Meizu, que é intuitivo e bem completo.

O que mais gostei foi o modo Manual, tão completo quanto o utilizado no LG G4, o melhor que já usei até então. Você consegue alterar parâmetros como a abertura da lente, velocidade do obturador, o ISO, exposição, foco, além do modo HDR para fotos e vídeos. Para quem entende, as possibilidades de tirar lindas fotos, principalmente à noite, são grandes.

mx4 foto flores
Foto tirada na luz do dia, com HDR. / © ANDROIDPIT
mx4 foto macro
Foto tirada no modo macro. / © ANDROIDPIT
foto mx4 1
Foto durante um dia nublado. / © ANDROIDPIT

Já a lente frontal é de 2 MP e bem básica, mas, mesmo assim, tira boas selfies.

Meizu MX4 – Bateria

A bateria dele é generosa, de 3000 mAh. Porém, o software claramente não foi bem otimizado, que gerou em uma duração decepcionante. Em um dia de uso moderado, tirando fotos, acessando internet, 4G ligado direto e acessando redes sociais, é certo que no fim do dia ela vai pedir carga. 

Já no caso de uso intenso, jogando jogos pesados ou assistindo vídeos, a bateria foi drenada em poucas horas. Mas, há um detalhe que ajuda bastante: a bateria do MX4 conta com carregamento rápido.

Meizu MX4 – Especificações Técnicas

Dimensões: 144 x 75,2 x 8,9 mm
Peso: 147 g
Tamanho da bateria: 3100 mAh
Tamanho da tela: 5,36 polegadas
Tecnologia da tela: LCD
Tela: 1920 x 1152 pixels (304 ppi)
Câmera frontal 2 megapixels
Câmera traseira 20,7 megapixels
Flash: Dual-LED
Interface: Não disponível
RAM: 2 GB
Memória interna: 16 GB
32 GB
64 GB
Memória removível: Não disponível
Chipset: MediaTek MT
Número de núcleos: 8
Velocidade máx. 2,2 GHz
Conectividade HSPA, LTE, NFC

Veredito Final

Não há dúvidas que o Meizu MX4 é um excelente smartphone intermediário, embora o software incomode um pouco. Porém, no sistema que a Vi está vendendo o produto, custando R$ 2.899,00, fica difícil investir um valor tão alto.

Isso porque  a justificativa da presença dos acessórios não funciona. Eles podem ser adquiridos em lojas chinesas por preços bem inferiores e mesmo assim, alguns deles têm um desempenho bem aquém do esperado.  

Além disso, com esse preço, é possível comprar um Galaxy S7 que é um smartphone anos a frente do MX4. Outra opção seria kit com um smartphone mais barato e melhor, como o LG G4, mais um Chromecast, um Powerbank e um teclado Bluetooth. E ainda assim sobraria uma grana.

E o que você achou do Meixu MX4? Dê a sua opinião!

Meizu MX4 – Onde comprar

Oficialmente, só é vendido pela Vi no link abaixo.

 

Os comentários favoritos dos leitores

  • Felipe de Carvalho 14/mai/2016

    O Código de Defesa do Consumidor estabelece que:

    Art. 39. É vedado ao fornecedor de produtos ou serviços, dentre outras práticas abusivas:

    I - condicionar o fornecimento de produto ou de serviço ao fornecimento de outro produto ou serviço, bem como, sem justa causa, a limites quantitativos;

    Logo, o ato de vender apenas o kit de produtos configura venda casada, sendo expressamente proibido em nosso país.

    Quem quiser, pode comprar e depois exigir o reembolso do valor excedente, e uma indenização por danos morais (in res ipsa), isso em sede judicial nos Juizados Especiais, ou então, simplesmente buscar o Procon da sua cidade, fazer uma reclamação e requerer a venda apenas do aparelho.

35 Comentários

Escreva um comentário:
  • que legal esse vi center onde compro um cel desses não importa o preço eu querooooooo muuitoooooo

  • Lendo novamente o artigo, encontrei uma incoerência por parte do autor, em que ele faz comparativo do desempenho Meizu MX4 o qualificando como um smartphone "intermediário premium", mas devemos nos lembrar que este smartphone é de 2014, sendo assim necessário qualifica-lo como tal, ou seja um Top de 2014. É simplesmente muita maldade querer comparar o desempenho deste smartphone com os atuais top do mercado.

    • Desculpe, mas não vejo sentido no que você falou. Os smartphones precisam ser comparados com o que há agora, não com o passado, afinal quando vc vai comprar um aparelho vc compara com os rivais de 2014 ou com o que há ATUALMENTE no mercado? Ele poderia ser top em 2014, mas agora o desempenho é equivalente à um intermediário do ano passado, sendo assim tem que ser comparado com tais.

      • Idem André Luiz, também não vejo sentido algum em sua comparação.
        O ideal seria comparar o Meizu Mx4 com outros smartphones de sua linha temporal de lançamento, como o Moto X 2014 e LG G3, assim nivelando e tornando justa a comparação. Devemos lembrar que a Meizu já possui outros lançamentos, e o mercado ignora o fato de que tal smartphone tenha chegado tarde em nosso país. E repito:
        "É simplesmente muita maldade querer comparar o desempenho deste smartphone com os atuais top do mercado".

  • Se vendessem em dois pacotes, um só o aparelho, e por no máximo $1500, e o outro com kit completo, mas com um desconto, além de oferecer os acessórios vendidos separadamente, talvez ainda daria pra pensar.

  • Nossa, decepcionante e caro! Nem pensar!

  • Eu tinha grande expectativa nesse aparelho, aproveitamento de tela e espessura dele é Top. Mas por esse preço desanima qualquer um, não pensaria duas vezes em preferir um da linha S da Samsung.

  • Esse é o famoso Smartphone FFC!
    Fraco, Feio, Caro!

  • Devia ter vindo em 2015 com o preço de 1800 no máximo, agora temos G4 por esse preço ou menos, não que o aparelho seja ruim, mas não é um top de linha, fica na média dos high intermediários, temos linha A da Sammy que é melhor construída, e são mais baratos, até mil reais de diferenças.

  • A miui me conquistou pela simplicidade (facilidade de uso) e rapidez. Ah, e suas atualizações periódicas são imprescindíveis.

  • Passo... Esse software é muito estranho, sou mais a miui

  •   21

    Passo....

  • Preço extremamente alto, imagina um desses na sua mão e ele resolve dar pau...?
    Sem assistência por aqui a facada seria enorme...To fora.

  • Não compraria de jeito nenhum... Com esse preço teria outras possibilidades... Tô fora.

  • Câmera linda! Pelo menos... hahahah

  • Um bom conjunto, o que peca é a RAM e a câmera frontal. Acho que mesmo com empresas como a Samsung lançando aparelhos de entrada com câmeras frontais de 5mpx, uma câmera de 2mpx ainda é suficiente para o segmento(de entrada). No entanto, um aparelho com esse preço merecia uma frontal melhor e 3gb de RAM. Por esse preço prefiro comprar o Z3 que supostamente tem a câmera levemente inferior mas entrega ótimas imagens, um bom processador e memória, e pra melhorar dá pra achar por um preço bem mais acessível que esse.
    Uma pena, o celular é lindo e se fosse lançado com um preço de intermediário Premium talvez vingace :/

  • Fraco

  • não entendo, dar atenção para uma importadora que esta pouco se importando com o mercado brasileiro, ja foram lançados 4 aparelho sucessores deste, MX4 PRO, MX5, PRO 5 e PRO 6, e eles ainda tem cara de pau de vender a este preço por aqui, dando a justificativo dos acessórios que vem no kit, onde visivelmente não pesquisaram o publico deste aparelho, hora, porque conheço poucas pessoas que iriam carregar algo gigante no mochila só para usar um teclado no Smartphone(que custa bem caro), e no valor pedido da pra importa o PRO 6 a ainda pagar os 60% de imposto que ele fica mais barato que este aparelho velho com hardware intermediário.

    • Então estão usando a velha estratégia de desovar produtos que não tem mais saída lá fora , e a preços exorbitantes .
      Seria como se a Samsung colocasse o S3 agora no mercado brasileiro por 2800 reais , já tendo o S7 lá fora ...

  • Se eles vendessem esse belo aparelho sem esses "brindes" inúteis e com um preço aceitável, eu certamente compraria

Mostrar todos os comentários
106 Compartilhado

O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. Mais informações

Entendi