O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. OK
294 Compartilhado 103 Comentários

Review do Samsung Galaxy A9 (2016): uma bateria que roda com Android

A linha Galaxy A, da Samsung, é destinada ao público que busca por modelos intermediários que contem, sobretudo, com uma boa construção. O Galaxy A9, conhecido lá fora como Galaxy A9 Pro, preenche bem esses requisitos, e traz consigo um grande diferencial - grande literalmente -, que é sua bateria de 5.000 mAh. Saiba como foram meus dias testando o dispositivo a seguir.

Avaliação

Prós

  • Acabamento
  • Tela
  • Duração da bateria

Contras

  • Áudio mono
  • Câmera
  • Ausência do Samsung Pay

Samsung Galaxy A9 (2016) – Data de lançamento e preço

O Galaxy A9 foi disponibilizado no site da Samsung em novembro, custando R$ 2.799,00. O aparelho está disponível nas cores dourada e preto. A empresa está comercializando no país uma única variante dual-SIM com 32gB de armazenamento.

 

Samsung Galaxy A9 (2016) – Desenho & Qualidade de Construção

O Galaxy A9 é um dispositivo que, felizmente, conta com muitos pontos positivos.Um deles é o seu design que, obviamente, possui dimensões exageradas, visto que temos aqui um painel de seis polegadas. Você pode esperar do A9 a mesma qualidade de construção que pode ser encontrada nos demais aparelhos da linha Galaxy A.

Feito em vidro na parte traseira, o dispositivo conta com a moldura lateral em alumínio, que juntos passam uma sensação sólida durante o manuseio. O modelo dourado disfarça mais as marcas de dedos, mas, de modo geral, pelo fato do acabamento ser feito em vidro, não é muito fácil fugir delas. As bordas direita e esquerda possuem uma espécie de chanfrado, onde estão localizados os botões físicos do A9.

galaxy a9 review box back
O Galaxy A9 e sua embalagem / © AndroidPIT

Como mencionado, o Galaxy A9 não é um aparelho compacto, e tampouco leve. O modelo pesa 210 gramas, o que se torna um peso agradável levando em consideração suas dimensões. Caso contrário, a sensação de manuseio seria outra, de mais fragilidade. Parte desse pese está ligado a bateria também, e não apenas aos materiais que compõem o dispositivo. Logo, estou falando aqui de um peso que é confortável e viável também.

Felizmente, a Samsung trouxe nesse dispositivo um slot para o microSD e outro separado para os chips da operadora. Nada de slot híbrido por aqui, diga-se de passagem. Afinal, a marca dificilmente teria alguma justificativa para usar um compartimento dividido, já que espaço interno é algo que o Galaxy A9, aparentemente, tem de sobra.

slot galaxy a9
Slots múltiplos do Galaxy A9 / © AndroidPIT

Confesso que andar com esse aparelho no bolso está longe de ser algo confortável. Aliás, qualquer smartphone que tenha seis polegadas de tela acaba comprometendo essa usabilidade. O bolso da calça fica marcado, e por muitas vezes, sacar o A9 do bolso é algo um pouco complicado. Sentar com ele no bolso é outra coisa que me deixou um pouco preocupado, pois eu tinha a sensação que ele iria partir ao meio.

galaxy a9 biometria review
Sensor biométrico do A9 / © AndroidPIT

Nesse tempo em que estive com o dispositivo devo admitir que levei ele comigo em lugares que eu estava usando mochila ou bolsa. É claro que esse tipo de cuidado ou preocupação é algo subjetivo, mas, acredito que na prática todos podem encontrar certa dificuldade para transportar um aparelho tão grande.

Ainda sobre o design, temos o conjunto padrão dos Galaxy A mais avançados, como leitor biométrico junto ao botão home, entrada para fones de ouvido e saída de áudio padrão.

Samsung Galaxy A9 (2016) – Tela

A tela do Galaxy A9 é quase um pequeno monitor. Pessoalmente, me importo bastante com a questão da definição em telas maiores. Se tivéssemos aqui uma resolução HD, certamente estaria decepcionado, mas, com 1920×1080 pixels as coisas ficam um pouco mais interessante. É claro que um padrão Quad-HD aqui seria o melhor dos mundos, mas acredito que essa não é a proposta desse aparelho.

galaxy a9 review teaser
Tela brilhosa do Galaxy A9 / © AndroidPIT

O painel AMOLED tem um brilho forte, que acredito ser o mais alto entre os modelos da Samsung. A luminosidade ajuda na leitura do painel em ambientes abertos, assim como confere mais detalhes às imagens e vídeos. É um painel de boa qualidade, surpreende pelo brilho e o contraste, que é característico desse tipo de tecnologia de tela.

Não é possível notar os pixels saltando da tela de seis polegadas do Galaxy A9 (são 367ppi). Um ponto que me chamou atenção na tela do A9 foi a alta sensibilidade, que chegou a incomodar em alguns momentos. A tela doa aparelho pode ser ativada no bolso ou quando qualquer outro objeto é encostado no painel. Fora esse detalhe, nada a reclamar do painel do Galaxy A9 (2016).

Samsung Galaxy A9 (2016) – Software

O Galaxy A9 (2016) está confirmado para receber o Android 7.0 Nougat, segundo a Samsung, mas, atualmente, o aparelho está rodando com Android 6.0.1 Marshmallow. O software não traz muitas novidades, nenhum recurso que explora a tela grande ou algo semelhante, fora o modo para uso com uma mão.

Senti falta aqui do modo de tela compacto, que existe no Galaxy S7 com Marshmallow, por exemplo, que ajusta o layout da interface para um padrão mais espremido. Se disponível, seria possível tirar mais proveito dessa tela digna de tablet.

Com relação ao apps, temos a suíte Office da Microsoft com Skype e OneDrive, as opções do Google e alguns  aplicativos da Sammy, como a Galaxy Apps Store e um gerenciador de arquivos. Nada exagerado, diga-se passagem. A maioria dos apps podem ser desinstalados ou desabilitados pelo usuário.

galaxy a9 review screen
Galaxy A9 roda com Android 6.0 Marshmallow / © AndroidPIT

O dispositivo recebeu um update de quase 600MB nesse período de testes, onde o log do update apontava que novos recursos seriam implementados. Aparentemente, nada mudou e, inclusive, achei que esse update iria liberar o Samsung Pay ao dispositivo, o que não aconteceu. Embora o Galaxy A9 tenha os chips necessários para utilizar o serviço de pagamentos móveis, a Samsung ainda não adicionou o modelo ao serviço até o momento.

Samsung Galaxy A9 (2016) – Performance

Com 4GB de memória RAM e processador Snapdragon 652, o Galaxy A9 está habilitado para rodar qualquer aplicativo ou jogo que esteja disponível na Play Store. O processador de oito núcleos tem frequência máxima de 1,8 GHz, e sua placa gráfica é a Adreno 510.

Agora, isso não significa que o poder de processamento gráfico do aparelho apara jogos seja excepcional, até porque alguns jogos rodaram apenas "ok" no A9, como foi o caso dos títulos UNKILLED e Implosion. 

galaxy a9 camera
O Galaxy A9 dá conta de jogos pesados com gráficos regulares / © AndroidPIT

Jogos mais clássicos, como Asphalt 8, por exemplo, rodam com os gráficos no máximo. Atividades rotineiras, como e-maisl e redes sociais, também rodam numa boa. O multitarefa pode ficar lotado que a performance do aparelho não cai, tampouco esquenta ou algo assim. Com relação ao processador, posso dizer que temos um conjunto digno de intermediário realmente avançado, acima do Quantum Fly e Zenfone 3, mas abaixo do Galaxy S7, obviamente.

Samsung Galaxy A9 (2016) – Áudio

O Galaxy A9 (2016) conta com um sistema de áudio regular, com graves e agudo bem pronunciados em ligações e no modo viva-voz. Durante as ligações, notei que o bloqueio de ruído funciona dentro do esperado, assim como qualidade da chamada, que não foi afetada em nenhum momento. O áudio, contudo, é mono e não oferece uma experiência mais imersiva em jogos e conteúdos multimídia. 

galaxy a9 usb review
CAPTION – REPLACE ME! / © AndroidPIT

Samsung Galaxy A9 (2016) – Câmera

O Galaxy A9 conta com um sensor de 16MP na traseira e outro de 8MP na frontal. Em termos de preço e especificações, o Galaxy A9 é o único modelo que vem na sequência do Galaxy S7, embora seu conjunto de lentes não esteja a altura de seu irmão mais poderoso. Não temos aqui as melhores câmeras do mercado, até porque existe uma perda considerável de nitidez em qualquer condição de luminosidade.

galaxy a9 camera test
A câmera do A9 é mediana  / © AndroidPIT

O modo automático faz o foco rapidamente, mas peca na exposição, que geralmente sai estourada demais. O software, por sinal, é bem ágil e conta com os mesmos recursos do Galaxy S7, como modo HDR. Também notei que em ambientes com sombra, como partes internas de uma casa com iluminação mediana, o sensor tem certa dificuldade de trabalhar na composição da cena. O resultado nesses ambientes são fotos levemente escurecidas.

Com relação as selfies, o Galaxy A9 (2016) entrega bons resultados. O modo embelezar é bem exagerado, e deve ser usado com bastante moderação.

Samsung Galaxy A9 (2016) – Bateria

O Galaxy A9 possui, hoje, a maior capacidade de bateria do mercado nacional. São 5.000mAh que não me decepcionaram durante o período que estive com o dispositivo, de quase um mês. Meus dias começavam às 8h, e meu uso não é muito avançado, com streaming no Spotify pelo 3G, Instagram com bastante frequência e e-mails. Mantenho a sincronização de contas desativada, mas gosto de manter o brilho sempre no automático.

Usando dados móveis, executando essas atividades e nessas condições, o Galaxy A9 rendeu dois dias completos de uso. Passando para o 4G, usando a câmera com mais frequência e rodando jogos casuais, é possível começar o primeiro dia às 8h com 100% de carga e chegar ao segundo dia com 25% próximo das 13h.

Confesso que não me preocupei em utilizar o modo de economia de bateria da Samsung, até porque o consumo de energia do A9 me tirou essa preocupação logo no primeiro dia de uso. É engraçado notar aqui como 10% de carga rende uma eternidade. Abaixo, por exemplo, com 34% de uso, o Galaxy A9 me dava uma estimativa de mais 17 horas de energia:

O processador do Galaxy A9 não é tão econômico quanto o do Moto Z Play, e também temos uma tela maior e mais brilhante. Contudo, o rendimento de bateria aqui pode ficar empatado, dependendo do tipo de uso que você faz, visto que o Z Play tem tela AMOLED menor e processador que gerencia melhor o consumo de energia, além do software ser pouco modificado. É claro que, em qualquer tipo de uso, a vantagem será sempre pro lado do A9 (2016) entre estes modelos.

O Zenfone Max é outro modelo que tem capacidade de bateria semelhante, contudo, como ainda não testamos este aparelho, não posso falar sobre a autonomia do Asus em comparação com o Samsung. Contudo, a Sammy tem se preocupado mais em polir o software, que é algo que a Asus não tem dado muita atenção. Não consigo nem imaginar, por exemplo, como seria o rendimento do A9 caso o mesmo viesse com uma versão da TouchWiz presente no Galaxy S4 ou S3.

O Galaxy A9 pode render entre um dia e meio e até três dias de uso completos, dependendo de como você irá usar o software

Por fim, devo falar sobre os aquecimentos, que sequer me incomodaram durante meu uso. Mesmo rodando o jogo Implosion, o A9 pouco aqueceu. O dispositivo aquecia mais durante o carregamento, que é turbo, portando, era possível sentir algumas partes da traseira mais aquecida. De modo geral, o Galaxy A9 pode render entre um dia e meio e até três dias de uso completos, dependendo de como você irá usar o software.

Samsung Galaxy A9 (2016) – Especificações Técnicas

Dimensões: 162 x 81 x 7,9 mm
Peso: 210 g
Tamanho da bateria: 5000 mAh
Tamanho da tela: 6 polegadas
Tecnologia da tela: AMOLED
Tela: 1920 x 1080 pixels (367 ppi)
Câmera frontal 8 megapixels
Câmera traseira 16 megapixels
Flash: LED
Versão do Android: 6.0.1 - Marshmallow
Interface: TouchWiz
RAM: 4 GB
Memória interna: 32 GB
Memória removível: microSD
Chipset: Qualcomm Snapdragon 652
Número de núcleos: 8
Velocidade máx. 1,8 GHz
Conectividade HSPA, LTE, Dual-SIM

Veredito Final

O Galaxy A9 é um dispositivo que entrega uma bateria que está acima da média entre as opções que temos no mercado. Contudo, para entregar um número expressivo de mAh, a Samsung precisou desenvolveu um modelo de grandes dimensões. O A9 (2016) não é um modelo indicado para quem tem aflição a phablets, pois temos aqui um "quase tablet".

A tela do modelo tem bom brilho e cores vívidas. O processamento não fica atrás dos seus principais concorrentes do mercado, mas fica a ressalva aqui: ele não substitui o Galaxy S7 em termos de hardware e potência. Mas, é um modelo mais rápido que o Moto Z Play, Zenfone 3 e Quantum Fly. Agora, se você está atras de câmeras, talvez seja melhor procurar por um um outro modelo, visto que este não é o ponto forte do A9, assim como a experiência com áudio. 

A bateria é grande, e garante uma durabilidade maior do que aquilo que estamos acostumados. Acredito fortemente que todos os usuários poderão passar de um dia e meio de uso com este dispositivo, mesmo abusando dos recursos e executando tarefas mais pesadas. 

O que você achou do Galaxy A9 (2016)?

294 Compartilhado

Os comentários favoritos dos leitores

103 Comentários

Escreva um comentário:
Mostrar todos os comentários

O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. Mais informações

Entendi