Escrito por:

Swiftkey vira "4" e oferece recurso Swype - Chora iOS!

Escrito por: Camila Rinaldi — 20/fev/2013

Desde que baixei o Swiftkey meus dias de digitação mobile mudaram e, hoje, foram otimizados com a atualização do aplicativo. Agora, com o Swiftkey 4 é possível escorregar os dedos sobre as letras do teclado para que o app reconheça as palavras. A melhoria deixou mais rápida a digitação, bem como agregou um efeito interessante ao ato de enviar mensagens, não é a toa que o logo da desenvolvedora virou “Type Less. Say More.”.

Confira as novas funções adicionadas à versão 4.0.0.106 do SwiftKey:

  • SwiftKey Flow - mistura a predição da próxima palavra e a auto-correção com a velocidade de digitação gestual;
  • Flow Through Space - permite aos usuários escrever frases inteiras em um movimento sem ter que levantar o dedo para adicionar um espaço;
  • Suporte para previsão contextual em 60 línguas - com novo suporte para Albanês, Bósnio, Javanês, Sundanês, Tailandês e Vietnamita, todos com previsão da próxima palavra e dinâmica de auto-correção;
  • Correções fáceis - Toque em uma palavra e SwiftKey irá mover o cursor para o final da palavra e oferecem duas alternativas;
  • Estilo de escrita personalizado - se você escrever de forma errada usando os dois polegares ou cuidadosamente usando apenas um único dedo, o SwiftKey 4 agora se adapta automaticamente à forma como os usuários digitam para fornecer correções mais perspicazes e previsíveis.

O usuário Android possui total vantagem sobre o iOS quando o assunto é teclado personalizável, por um único motivo: a Apple não oferece a possibilidade de flertar com diferentes aplicativos para teclado. Abaixo, você confere um vídeo que ilustra a experiência do usuário com o Swiftkey 4:

Link para o vídeo no YouTube.

Caso você esteja interessado neste teclado, acesse o App Center do Android e faça o download do Swiftkey nas versões Gratuita e/ou Paga (1,74€ ou R$4,55):


Baixar a versão Gratuita do Swiftkey


Baixar a versão Paga do Swiftkey

( Imagem: AndroidPIT)

Fonte: The Next Web

Jornalista nascida no Brasil, italiana por parte de pai, alemã por parte de mãe e cidadã do mundo por convicção. Mora em Berlim desde 2011 e vive em constante descoberta. Quer um Google Glass (que funcione) a todo o custo e espera que o problema da bateria dos smartphones seja solucionado por alguma fabricante asiática.

1 comentário

Escreva um comentário: