O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. OK
13 min para ler 431 Compartilhado 181 Comentários

Redmi 2 Pro vs. Quantum GO: detalhes fazem toda a diferença!

Atualizado: Saiba onde comprar o dispositivo

O mercado de smartphones intermediários foi contemplado com algumas novidades interessante em 2015, como os próprios dispositivos deste comparativo. Confira a seguir um comparativo completo entre o Quantum GO e o Redmi 2 Pro e descubra qual deles se sai melhor.

Destacar mudanças recentes

Redmi 2 Pro vs. Quantum GO: Design e acabamento

Design é algo muito subjetivo, assim como o tipo do material utilizado por cada fabricante. Ambos os dispositivos seguem diretrizes visuais distintas, mas, de modo geral, são bens construídos e elegantes. O Redmi 2 Pro possui dimensões menores em comparação com o Quantum GO, tornando o modelo mais compacto e fácil de ser manuseado com apenas uma das mãos.

A Xiaomi apostou no policarbonato para compor seu dispositivo que, por sinal, não apresenta nenhum tipo de emendas ou imprecisões em suas arestas, superfícies e extremidades.

Ambos os dispositivos possuem linhas retas e cantos levemente arredondados, com excesso de espaço na parte superior e inferior frontal. No entanto, o espaço no rodapé frontal do Redmi 2 Pro é preenchido por botões capacitivos e um flash de LED para notificações, enquanto no Quantum GO os botões de navegação do sistema foram colocados dentro da tela.

O Quantum GO, por sua vez, segue uma linha de design mais elegante, com vidro anti-risco em sua composição e uma moldura feita em policarbonato que imita alumínio.

backbackquantumredmi
Redmi 2 Pro (frente) é amis compacto do que o Quantum GO (atrás). / © ANDROIDPIT

Particularmente, o visual e a pegada do Quantum GO me agradam mais, principalmente pelo fato do vidro utilizado em seu acabamento não propagar o calor interno do dispositivo ao ponto de tornar o manuseio desagradável. Além disso, sua construção sólida em peça única (unibody) passa a sensação de robustez apesar do uso de vidro em todas as suas superfícies. 

backquantumredmi
Acabamento traseiro do Redmi 2 Pro (esquerda) e Quantum GO (direita). / © ANDROIDPIT

A parte traseira do Quantum GO não pode ser removida pelo usuário, enquanto no Redmi 2 Pro esse acesso é liberado assim como a remoção da bateria. A moldura que envolve ambas as câmeras traseiras também são diferentes, visto que no Redmi 2 Pro existe uma leve proeminência em relação à superfície do dispositivo. 

Os botões físicos e a entrada para fones de ouvido estão posicionadas no mesmo lugar em ambos os dispositivos, exceto a porta micro USB que, no caso do Quantum GO, está posicionada na parte superior do dispositivo. 

frontquantumredmi
Acabamento frontal do Redmi 2 Pro (esquerda) e Quantum GO (direita).  © ANDROIDPIT

Existem mais diferenças do que semelhanças entre esses dois dispositivos, mas, de modo geral, ambos os fabricantes desenvolveram aparelhos com boas construções e utilizaram materiais de ótima qualidade. Você pode consultar mais detalhes sobre a estética de cada dispositivo em seus respectivos reviews.

Em uma comparação simples e direta, o Quantum GO agrada mais, embora o Redmi 2 Pro seja um pouco mais anatômico e compacto.

Redmi 2 Pro vs. Quantum GO: Tela

A resolução HD (720 x 1.280) se tornou um padrão no segmento intermediário desde 2013, quando a Motorola lançou o primeiro Moto G. Desde então, o que diferencia uma tela da outra é a tecnologia e o tamanho escolhido por cada fabricante. No caso do Redmi 2 Pro temos um painel LCD de 4,7 polegadas, com 312 ppi e tecnologia IPS para reforçar as cores e o contraste. O Quantum GO, por sua vez, possui uma tela de 5 polegadas AMOLED com 293 ppi.

Ambos os dispositivos possuem cores ótimas, nitidez satisfatória e contraste equilibrado. Com o brilho no máximo as coisas mudam um pouco, principalmente no caso do Redmi 2 Pro, visto que em ambientes abertos ou com iluminação mais forte o conteúdo fica pouco legível no display LCD. Além disso, com o brilho em 100% o branco é exibido de maneira mais fiel no Quantum GO do que no Redmi 2 Pro, como podemos observar na imagem abaixo:

quantumredmidisplay
Tela HD do Quantum GO (esquerda) e Redmi 2 Pro (direita). / © ANDROIDPIT

O Quantum GO não sai ileso no quesito tela, visto que o sensor de luminosidade do dispositivo demora muito para adaptar o brilho às condições de luz do ambiente. Além disso, a nitidez e a pronuncia de cores não são tão equilibradas como no Redmi 2 e isso se deve ao fato do tamanho da tela e também à tecnologia AMOLED.

Existe um assistente da MediaTek, o MiraVision, que realiza a calibragem das cores, contraste dinâmico e nitidez do Quantum GO, no entanto, esse assistente deixa as imagens mais saturadas e amareladas quando não usado corretamente.

O Redmi 2 Pro também possui perfis de cores pré-determinados para a tela que funcionam melhor em comparação com o assistente MiraVision, entregando cores mais vívidas sem muita saturação. Para comparar melhor essa questão, observe na imagem acima os botões de compartilhamento em redes sociais do nosso site exibido na tela de ambos os modelos. Com relação a tela meu voto fica para o Redmi 2 Pro.

Redmi 2 Pro vs. Quantum GO: Performance

O Quantum GO enviado para testes é o modelo com conectividade 4G, embalado pelo processador MT6753, octa-core a 1,3 GHz, com 2 GB de memória RAM. A GPU presente no modelo é a Mali-T720P3, capaz de rodar o jogo Aspalth 8 com os detalhes gráficos no máximo e sem engasgos. O sistema opera de forma excepcional, principalmente pelo fato da Quantum ter optado em não modificar o SO com alguma interface ou recurso duvidoso.

O Quantum GO roda com o Android Lollipop 5.1 de fábrica já com garantia de atualização para o Android 6.0 Marshmallow pela Quantum.

O Redmi 2 Pro é embalado pelo processador Snapdragon 410, quad-core a 1,2GHz, com 2 GB de memória RAM. A GPU presente no modelo é a Adreno 306, capaz de rodar títulos como Asphalt 8: Airbone e Vainglory sem quedas de frames ou engasgos. O Redmi 2 Pro roda com a MIUI 7 baseada no Android KitKat 4.4.4, com experiência de software diferenciada e muitos recursos.

O sistema da Xiaomi é desenvolvido em parceria com uma comunidade de desenvolvedores e usuários ativos, que testam as versões betas a cada 15 dias e enviam relatórios de bugs e feedbacks de melhorias em geral para a equipe interna da Mi.

multitaskquantumredmi
Multitarefa do Quantum GO (esquerda) e do Redmi 2 Pro (direita). / © ANDROIDPIT

Basicamente, a MIUI é um OS que possui interfaces e um modo de usabilidade parecido com o iOS, da Apple, embora o sistema da Xiaomi seja mais abrangente e aberto aos usuários. Uma comparação direta entre a versão do Android presente no Quantum GO com a MIUI 7 é um tanto injusta. Todos nós sabemos que o Lollipop 5.1 sem modificações roda de forma excepcional, enquanto a MIUI 7 é desenvolvida especificamente para os dispositivos da Mi.

Podemos comparar a experiência com o software do Quantum GO com o Moto X Play, visto que temos uma interface muito próxima do puro. Com a MIUI 7 temos o triplo de recursos e uma usabilidade idêntica ao OS da Apple. Entretanto, com relação ao desempenho, o sistema do Redmi 2 Pro não é tão fluido e intuitivo em comparação com o trabalho realizado pela Quantum para o Quantum GO. Os números do AnTuTu ilustram um pouco isso:

antuturedmiproequantumgo
Redmi 2 Pro (esquerda) e Quantum GO (direita). / © ANDROIDPIT

A MIUI 7 está mais instável e otimizada, no entanto, ajustes na velocidade das transições e animações do sistema são quase obrigatórios para tornar a experiência com o software mais satisfatória. Além disso, o Quantum GO possui 32 GB de armazenamento interno em sua versão equiparável com o Redmi 2 Pro, garantindo acesso mais rápido as informações de aplicativos e influenciando diretamente na operação do sistema. O Redmi 2 Pro vem com 16 GB de memória interna, onde 12,02 GB estão disponíveis para o usuário.

De modo geral, ambos os dispositivos executam títulos de jogos e aplicativos semelhantes com a mesma qualidade gráfica, embora a experiência com o software seja melhor no Quantum GO. A MIUI 7 exige uma curva de aprendizagem até que o usuário se acostume, mas, em compensação, o OS vem com mais recursos e funcionalidades. Particularmente, abro mão das funções extras e a interface da MIUI 7 em prol de uma versão do Android mais rápida e menos customizada.

Redmi 2 Pro vs. Quantum GO: Especificações técnicas

  QUANTUM GO XIAOMI REDMI 2 PRO
Sistema operacional Android 5.1 Lollipop Android KitKat 4.4.4 + MIUI7
Tela 5 polegadas AMOLED 4,7polegadas LCD IPS
Resolução HD (720 x 1280 pixels) HD (720 x 1280 pixels)
Processador MediaTek MT6753
MediaTek MT6592M  (3G)
Qualcomm MSM8916 Snapdragon 410
Núcleos 8 4
Velocidade máxima 1,3 GHz 1,2 GHz
Memória RAM 2 GB DDR3 2 GB DDR3
GPU Mali-450 a 700MHz
Mali-T720 a 450 MHz (4G)
Adreno 306
Memória interna 16 GB/ 32GB 
32 GB (4G)
16 GB
MicroSD até 32 GB até 64 GB
Dual-SIM 2G/3G - 3G/4G 2G/3G - 4G/4G
USB On-the-Go (USB OTG) On-the-Go (USB OTG)
Rádio FM FM
TV Digital 1Seg (320×240 pixels) Não possui
Bateria 2.300 mAh 2.200 mAh
Dimensões 14,5 x 7,15 x 0,65cm 134 x 67.2 x 9.4 mm
Peso 115g 133g
Conectividade Bluetooth 4.0 + LE, GPS e A-GPS,  Wi-Fi 802.11b/g/n, FFD LTE,WCDMA e GSM Bluetooth 4.0 + LE, GPS e A-GPS, Wi-Fi 802.11b/g/n, FFD LTE,WCDMA e GSM

Redmi 2 Pro vs. Quantum GO: Câmera

A câmera principal do Xiaomi Redmi 2 possui 8 megapixels e abertura de f/2.2, e um flash de LED único vem integrado. Entre suas funções está o autofoco inteligente e modos como o Panorama e o HDR estão obviamente presentes. Este último, como era de se imaginar, é um tanto quanto lento, mas funciona bem no final. 

O sensor frontal do dispositivo conta com 2 megapixels. O curioso é que quando a câmera frontal está ativada, o aparelho faz uma estimativa da idade do usuário em tempo real e aplica filtros de embelezamento de acordo com a faixa etária através do modo conhecido como "Beautify".

A câmera do Quantum GO possui 13 MP e abertura f/ 2.0. O sensor do dispositivo é o ISOCELL fabricado pela Samsung, com tecnologia BSI (Backside Illumination), que aumenta a sensibilidade da luz em ambientes com iluminação baixa.

O software de câmera da Quantum é básico, com comandos e modos essenciais, como panorâmico, multi-ângulo, faixa em movimento, manual e HDR. Existem opção de efeitos que aprimoram imagens, como filtros de cor e um recurso de beleza facial que também pode ser utilizado na câmera frontal de 5 MP.

Confira abaixo duas imagens capturadas com as câmeras de ambos os dispositivos qualidade máxima. Outras fotos podem ser conferidas em seus respectivos reviews individuais.

IMG 20151103 121748
Quantum GO: Imagem capturada sem HD em ambiente aberto (modo automático). / © ANDROIDPIT
IMG 20151103 121833
Redmi 2 Pro: Imagem capturada sem HD em ambiente aberto (modo automático)./ © ANDROIDPIT
IMG 20151103 122032
Quantum GO: Imagem capturada em ambiente interno com pouca iluminação e sem HDR. / © ANDROIDPIT
IMG 20151103 122054
Redmi 2 Pro: Imagem capturada em ambiente interno com pouca iluminação e sem HDR. © ANDROIDPIT

A câmera do Redmi 2 Pro, assim como o Redmi 2, é a melhor no segmento intermediário. O sensor do dispositivo consegue administrar melhor condições de baixa luminosidade e entrega cores mais equilibradas, mantendo o equilíbrio do contraste e da exposição. O pós-processamento do Redmi 2 Pro é rápido e eficiente, além de seu HDR ser um dos melhores do mercado.

Redmi 2 Pro vs. Quantum GO: Conclusão

Ambos os dispositivos são ótimas opções e apresentam uma boa relação custo/benefício e, além disso, me arrisco a dizer que esses são os melhores intermediários do ano abaixo dos mil reais. Ambos oferecem conectividade dual-SIM 4G, embora exista uma variante do Quantum GO apenas com 3G, além de expansão da memória interna via cartão microSD e 2 GB de memória RAM por padrão. A única desvantagem para alguns usuários com relação ao Redmi 2 Pro pode ser a MIUI 7, que exige uma curva de aprendizado e alguns truques para funcionar de maneira mais fluida.

Os fãs de selfies e fotografias encontraram no Redmi 2 Pro um excelente aparelho, enquanto Quantum GO se destacada por seu design, especificações acima da média e software quase puro. Por menos de 900 reais ambos os dispositivos são totalmente recomendados e devem agradar a todos os usuários. Contudo, minha escolha desse comparativo é o Quantum GO, pela experiência com software e acabamento.

Redmi 2 Pro vs. Quantum GO: Onde comprar

Os preços do Quantum GO mudaram bastante desde o seu lançamento, quando o smartphone foi lançado por R$ 799 na versão com 16 GB de armazenamento. Atualmente, a mesma versão pode ser encontrada por R$ 899 em diversas lojas online, em lojas físicas da Riachuelo e no site do próprio fabricante, a Quantum. 

Os preços do Redmi 2 Pro, contudo, estão mais em conta atualmente. O dispositivo é vendido na loja da Xiaomi e em lojas online selecionadas. Confira a seguir as melhores ofertas para o Quantum GO e para o Redmi 2 Pro:

E aí, qual dispositivo do nosso comparativo é o seu favorito e porque?

Os comentários favoritos dos leitores

  • Leonidas 4/nov/2015

    Igual você

  • Pelizari 4/nov/2015

    Meu único medo com relação ao Quantum é acontecer o mesmo que com a Amazon PC há algum tempo: começou a 1000 por hora e de repente fechou as portas e deixou muitos usuários a "ver navios". Sinceramente imagino que não vá acontecer. O aparelho é ótimo pelo preço, mas será que a Positivo vai aguentar os trancos do pós venda e garantia? Espero que sim, pois uma empresa nacional com bons produtos, customizável (vc poder escolher entre 3G, 4G e capacidade de armazenamento exatamente dentro da sua necessidade e realidade financeira é excepcional) e com preços mais honestos conseguir competir com as gigantes do mercado, tirando uma boa fatia delas, é simplesmente espetacular. E que se deixem os "xing lings", coreanos, americanos e japoneses de lado. Eu vou de Quantum Go porque é brasileiro e honesto (coisa rara de se ver hoje em dia) e acho que mais brasileiros também deveriam ir. Temos que valorizar o que é nosso, e não entrar na corrida desvairada do "status", da ostentação, do luxo e do lucro exorbitante que as grandes fazem questão de explorar, e que os trouxas daqui fazem questão de se vangloriar, apesar de serem explorados. Esta reportagem me abriu os olhos quanto à minha próxima aquisição: Quantum Go na cabeça!

  • L. Franco 11/nov/2015

    Li várias análises e reviews sobre o Redmi 2 Pro e o Quantum go. Decidi pelo Redmi 2 Pro e tive a sorte de adquiri-lo durante a semana da promoção. Paguei R$ 609,00 com o frete e pra mim o preço foi decisivo na compra.
    Estou a cerca de 10 dias com o aparelho e estou achando excelente. Está muito acima das minhas expectativas. Não utilizo o aparelho de forma intensa. Basicamente é whatsapp, app do ticket, climatempo, google (keep, agenda, gmail) e de noite as vezes navego em websites.
    Em dois dias recebi a atualização para a MIUI 7. O que mais me impressionou na MIUI 7 é a possibilidade imensa de personalização do aparelho. Gostei de poder alterar toda a aparência do sistema com milhares de temas diferentes.
    A bateria tem chego ao fim do dia com cerca de 55% de carga, e ontem que utilizei pouco o aparelho (basicamente whatsapp) a bateria chegou às 23 hrs da noite com 74% de carga. Com o razr D1 q eu tinha anteriormente o aparelho chegava às 23 hrs com 35% a 40% de carga no android 4.2.4. Se ficava navegando na internet de noite a bateria esgotava antes das 23 hrs.
    Realmente a MIUI 7 tem características próprias, não dá para compará-la ao Android puro como nos nexus e motorola. Hoje não troco a MIUI 7 pelo android puro. Meu celular está muito melhor em desempenho e duração da bateria do que o cel moto E com o Lollipop 5.1 da minha esposa.
    Já tirei fotos, já fiz filmes da minha filha e estou maravilhado com o aparelho. O custo-benefício é excepcional, valeu cada centavo e cada segundo da angustiante espera para recebê-lo em casa. hehehe.
    Se alguém tem dúvida sobre a aquisição do Redmi 2 Pro eu posso assegurar que não irá se arrepender. Já para essa gurizada que não gosta de mulher, passa o dia em joguinhos de celular e só escrevendo asneira nos comentários do androidpit, então recomendo um aparelho top de linha (mas com dinheiro do próprio suor, do papai não vale). =DDDD

  • S4w_ 4/nov/2015

    Olá, meu nome é Gustavo Leite e ao invés de pagar 900 reais em um dispositivo novo, recente, com atualização garantida, 32GB de memória interna, processador octa core e design excepcional, irei pagar 900 em um LG G2, que é um aparelho esquecido, morto, ex top de linha, sem entrada para cartão SD e apenas 10GB de memória livres para o usuário.


    Realmente sou muito inteligente.

181 Comentários

Escreva um comentário:
Mostrar todos os comentários

O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. Mais informações

Entendi