Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.
Ainda precisamos importar smartphones?
Opinião 3 min para ler 41 Comentários

Ainda precisamos importar smartphones?

 

Cada vez mais, temos visto surgir no mercado brasileiro mais e mais marcas chinesas, seja de forma oficial ou nem tanto. A importação ainda é uma opção muito considerada pelos usuários mais ativos de tecnologia, e está chegando a pessoas mais leigas no assunto. Mas ainda está valendo a pena importar?

Eu nunca importei um aparelho para uso próprio, apenas para testes. Ainda assim, não foram muitos. É possível dizer que em dois terços das vezes, correu tudo sem problemas, mas ainda assim o imposto foi pago e a demora para chegar foi razoável. É difícil tachar para 100% das pessoas a escolha de importar ou não.

Para meu uso no dia a dia, importaria sem problemas um aparelho, mas é algo que exige um planejamento com antecedência e também um plano B, sempre. Eu já usei muitos aparelhos que não vendem oficialmente aqui, e sempre comprei usado ou de amigos que importaram para revender.

xiaomi mi 8 lite 02
Você já encontra o Mi 8 Lite por um bom preço, direto no Brasil / © AndroidPIT

Atualmente, essa última tem sido uma opção bem aceitável, um bom meio termo entre pagar o alto preço dos aparelhos oficiais vendidos no Brasil e os mais baratos, demorados e incertos importados. A cada dia mais as opções melhoram no mercado intermediário.

Em sites como o Mercado Livre ou OLX, por exemplo, tomados os devidos cuidados, você já encontra smartphones de boas marcas como Xiaomi a preços muito próximos daqueles que pagaria caso importasse. Muitos deles já no Brasil, chegando em alguns dias a sua casa. Por um pouco mais, você encontra os mesmos aparelhos em marketplaces como Amazon, Americanas e outros.

Há também a opção de recorrer a lojas que estão importando oficialmente os aparelhos para o Brasil, sem a representação oficial da marca. Lojas como a mistore ou Honor Store já fazem isso com as marcas que anunciam. Há garantia, os preços são aceitáveis e os produtos já estão no país.

Por opções menos vantajosas financeiramente falando, temos a Huawei chegando em breve, mais uma vez, de forma oficial por aqui. Trazendo em primeiro lugar alguns de seus melhores aparelhos, já sabemos que não devem vir nada baratos, mas ainda pode ser uma opção para quem não quer esperar o barquinho dos importados chegar no Brasil. A DL também trouxe alguns aparelhos oficialmente, porém caros.

AndroidPIT huawei mate 20 pro pattern
O Mate 20 Pro será oficial. E caro. / © AndroidPIT

Porém, essas opções estão ficando cada vez mais disponíveis graças à popularização da importação. Hoje eu já vejo pessoas de fora do meu círculo de conhecidos interessados por tecnologia, como grupos do colégio do WhatsApp, falando em importação, em economizar dinheiro com a compra.

Quando um comportamento começa a se popularizar, mais empreendedores começam a buscar soluções alternativas para suprir a demanda. E quem quer comprar um Xiaomi mas não sabe lidar com os sites de e-commerce chineses? E quem não quer esperar? Daí aparecem pessoas, formais ou informais, que preenchem essa lacuna.

Por isso, atualmente, importar um smartphone está virando uma coisa para quem procura um aparelho específico, que não está entre os mais populares. É para os que pesquisam, precisam de algo de nicho, gosta de uma marca menos conhecida. Porque para economizar dinheiro e também tempo, já começamos a ter ótimas opções aqui mesmo.

E você? Já contou com a compra em locais intermediários? Ou prefere marcas oficiais? Ou ainda a importação?

41 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Dependendo da situação não compensa importar, hoje no ML existem muitos aparelhos chineses a preços justos (por exemplo os Xiaomi). Porém há situações em que ainda compense, na Black Friday consegui comprar um Redmi Note 5 4/64 que o preço final ficou em R$337,00 (incluindo frete e taxas), mas são situações específicas (no caso de marcas não tão conhecidas como LeEco, Vernee, China Mobile, etc). Citei essas pois são aparelhos que já comprei para revenda, e em sua maioria não foram taxados, ou havia seguro para taxas pela loja, se não me engano a Light In The Box ainda tem.


  • Muitas vezes sai mais barato que importar. Comprei meu A2 de um cara que trás do Paraguai, ele me cobrou mil reais sendo que importando tava entre 700 e 750 fora as taxas, moro no Sul então tem ICMS, normalmente a taxa dá entre 250 e 350. Meu amigo pagou 930 no A1 dele, na época tava 650 fora as taxas. Claro, podem não haver taxas, mas até hoje eu sempre paguei taxa e meus amigos também, exceto em aparelhos menores. Está sendo sim melhor comprar já no Brasil do que importar, o risco de perder o produto é muito menor.


  • meu atual aparelho é importado, o quê me levou a decisão de importar e considerar todos os riscos disso, foi as pouquíssimas opções de aparelhos top de linha Android quê a interface tivesse apenas o visual o mais próximo possível do puro, e não queira mais Motorola, ouvi, assisti e li especialistas e quem mais tivesse experiência em importados, fui taxado, más mesmo assim saiu muito mais barato do que comprar de um importador fora a demora e não ter garantia e/ou suporte no Brasil, estou satisfeito com meu aparelho importado


  • Enquanto existir porcaria sendo vendida a preço de coisa boa, continuará valendo a pena importar. E se não fosse tão burocrática e rigorosa a importação de veículos até isso eu também estaria importando, porque os veículos nacionais, assim como 98% de tudo que é vendido nesse país, não passam de porcarias que são vendidas a preço de coisa boa.


  • Amazon despejando dinheiro no Androidpit.


  • acho melhor recorrer ao mercado livre, pelo menos o produto já está no Brasil, e o tempo de espera é bem menor.


  • Stella, eu lembro que você escreveu aqui que tinha importado um One Plus 5T e ele nunca chegou.


    • Sim, esse OP5T faz parte do 1/3 que deu xabu, rs. Nunca chegou mesmo, foram meses de espera, pra quando chegou, me taxaram num valor absurdo porque o site chinês mentiu no preço, mesmo eu tendo pedido pra não fazer isso.


  • moto g's da vida responde essa pergunta


  • Não acho que compense importar mais. Alguns aparelhos vendidos na minha região estão o preço do aparelho + taxa (caso fosse taxado). Quando importei meu MI A1, paguei 680,00 + 200,00 de taxa e era vendido por aqui por 1200,00. Hoje, com os aparelhos atuais, a diferença é ainda menor, não compensando o tempo de entrega vindo de fora.


  • Pois bem muitos que recorrem ao processo de importação, o fazem creio que por dois motivos, falta de opções e preço, sei que a muitos aparelhos bons sendo comercializados aqui, mas as vezes nos vemos sem saída, e as opções começam a se centralizar/Apple/Samsung/etc.

    Na minha opinião isso pode contribuir para uma espécie de sufocamento do usuário, já me senti assim como se não houvesse uma opção que me atendesse, outra questão a ser destacada é referente aos valores praticados por aqui muita das vezes mais caro que um importado, reconheço que precisamos de investimentos por aqui, precisamos rever nossas politicas afim de formar praticas mais justas.


    Mais e ai precisa importar?


    Creio que depende do caso, hoje em dia está cada vez mais fácil encontrar modelos de marcas famosas (Xiaomi/Huawei) por preços bem competitivos, podemos citar como forte exemplo modelos como Huawei Honor/ P20 Lite /Redmi Note 6 Pro/Xiaomi Mi A2.

    Ambos aparelhos já comercializados aqui e com preços abaixo dos 1.500, então acredito que essa historia de importação já não se faz tão necessária, dependendo do tipo de smartphone que o usuário procura, mas é claro cada caso é um caso.


  • "Ainda precisamos importar smartphones?"
    Meus queridos, infelizmente a única forma de pagar um preço justo é importando, tendo em vista que nosso país não dá condições nenhuma para o desenvolvimento das empresas nacionais. Consequentemente não temos nenhum produto 100% nacional que bata de frente com os produtos vindos de fora.


  • Deem seu dinheiro aos chineses...pelo menos lá eles prosperam já aqui.


  • Eu penso assim Stella, que a melhor forma de nós deixarmos de comprar da china e não somente dela, é o país deixar de ser tão dependendo de outros países. Se pararmos para pensar, tudo que temos aqui é tecnologia desenvolvida lá fora. Mesmo aquelas que desenvolvemos aqui, grande parte já é existente lá fora.

    Vou apresentar algumas questões. Primeiramente, o Brasil não está preparado para receber novas tecnologias, digo isso no âmbito econômico e de desenvolvimento e relação a outros países. Segundo, Muitas empresa já existentes aqui, muitas vezes não comercializam aparelhos no mesmo nível dos de fora justamente pelo valor cobrado aqui, que no final acabamos ficando com modelos inferiores a muitos outros lá fora. O terceiro é diversas burocracias que temos, que impedem boas práticas de preços e principalmente de desenvolvimento de produtos. Não temos incentivo do governos para o crescimento de áreas tecnológicas, muitos podem até dizer que sim. Porém não é suficiente para que isso melhore o avanço do país nisso. Não vemos nosso governo investindo pesado em pesquisas, que é isso que faz o desenvolvimento do país. O quarto é que, diante desses fatores, não vemos o país criando uma grande empresa de nome que nos sirva produtos a nível do que queremos lá fora. E o pouco que se inicia aqui, acaba sendo sufocado por empresas internacionais que tem grande poder para desenvolver diversas coisa. Devido a todas essas coisas, nosso mercado interno acaba encarecendo, pois estamos rodeados por diversos produtos que hoje leva mais dinheiro para fora do que aqui dentro, e no final o que fica são os impostos que deveria ser direcionado para o desenvolvimento dessas questões.

    A cada dia que passa, querer novas tecnologias se torna algo caro. E se queremos acompanhar esse avanço, em nossa situação ainda pagaremos caro. Se não mudarmos esse ciclo, ainda precisaremos comprar tudo o que vem de fora.


    • Ótimo texto, Rafael. No final, tudo se resume a dinheiro mal empregado. Pagamos imposto pra caramba, nosso país é cheio de protecionismos que impedem que empresas de fora se estabeleçam aqui para produzir e não apenas importar.

      Se o alto dinheiro em impostos que pagamos fosse direcionado ao fomento de pesquisas, a incentivos no setor, realmente seria diferente. Mas caímos no mesmo poço que outros países "em desenvolvimento". A China soube sair disso, mas também pagou seus preços. É difícil dizer.


      • Sim Stella. São vários fatores que dificultam tudo isso, se fossemos discutir aqui daria pra ir longe. Dá até pra montar um artigo sobre esse assunto, rsrs.


  • Perfeito Stella! Alguns procuram opções mais em conta na China, outros aparelhos que talvez nunca cheguem por aqui de forma oficial, mas fato é que devagar as pessoas estão se arriscando e entendo melhor os processos de importação.


  • Eu pesquiso e analiso a situação. Vejo se compensa importar ou pagar um pouco mais no mercado nacional... Também tenho a opção de ir ao Paraguai comprar.


  • Alguns dias atrás, fui conhecer o ParkShopping de Canoas e vi algumas lojas vendendo aparelhos da Xiaomi e da Huawei. Pedi pra ver alguns aparelhos, como o Mi 8 e um modelo da Honor (agora não vou lembrar o nome). Achei muito bonito os aparelhos, principalmente os reflexos na traseira.

    Perguntei pra esse vendedor se ele tinha algum aparelho da OnePlus. Não tinha a venda naquele momento, mas o dono me mostrou o celular dele (se não me engano, era o 6) e gostei do aparelho. Ele perguntou se eu queria comprar o aparelho dele, mas já tinha comprado alguns dias atrás.

    Não cheguei a perguntar sobre a questão da garantia e da assistência, mas acredito que se está vendendo esses aparelhos, deve ter também algumas peças para consertar em caso de necessidade.


    • Aqui onde moro muitas assistências estão comprando peças de reposição para aparelhos da Xiaomi, especialmente para os Redmi que vendem bem. Mesmo sem garantia já está se tornando possível achar alguém pra consertar o aparelho quebrado.

      Eu mesmo já troquei a tela de um Mi Mix de primeira geração, foi até mais fácil que muito Samsung diria eu.


  • Continuarei importando, pois aqui no Brasil os preços são muito alto e os importados que estão vindo pra cá acabam com o preço lá em cima também...


  • A resposta é sim. Vamos continuar importando.


  • Eu só importo mesmo. Infelizmente, tirando iPhone e a linha Galaxy S da Samsung, só sobra porcaria no mercado nacional. Não vou rasgar dinheiro com Motorola, LG e Asus. Prefiro mil vezes importar um Pixel ou OnePlus.


  • Ótimo texto. Realmente é tentador olhar aparelhos chineses em sites de fora, mas prefiro pagar 400/500 reais a mais em média no mercado livre e em 15 dias ter o celular na mão. Se durar 3 anos, já valeu a compra.


  • Ja importei 2 celulares, primeiro foi o XPERIA Z 2013 (que não foi vendido no Brasil) e depois um Nexus 6P, ambos tive problemas e sem assistência técnica viraram peso de papel. Agora nao caiu nessa. Celular agora só com assistência.


  • Acho que, dependendo do modelo a ser importado, já não vale tanto apena recorrer a importação. Os modelos tops de linha estão aumentando cada vez mais. Recentemente, um executivo da Xiaomi revelou que o preço dos smartphone tops da marca sofrerão reajustes e outras fatalmente seguirão o exemplo. Já importei dois, o Zuk Z2, que chegou rápido e paguei cerca de 10% do valor do dispositivo (cerca de 46 reais) e depois o ZTE Axon 7, paguei cerca de R$85,00 de imposto. Utilizei por um tempo e depois vendi. Nunca tive problemas. Mas, se fosse agora, não importaria. Os custos crescentes, preços sempre em alta, não compensa mais. Lógico, que cada caso é caso, me refiro a um smart da linha ato top.


  • consegui meu mi A2 por 1100 aqui em Brasília


  • Querida Stella, o problema não é a importação e sim a alta carga tributária existente no Brasil. Se excluirmos os aparelhos celulares das taxas de importação, teríamos muito mais produtos lançados no mercado brasileiro. Um grande abraço.


    • Aqui em Porto Alegre (RS) pagamos a taxa de importação (60%), o ICMS (30%), mais a taxa de R$ 15,00 para "agilizar" a entrega dos Correios (mas o que acontece é o contrário, pois a demora para o objeto ser entregue é muito maior) . Em função dos valores que pagamos aqui no Rio Grande do Sul (e em outros Estados) fica inviável a nível de valores fazermos importações legais nestes Estados, pois o preço final dos equipamentos, quase dobra !


      • Exatamente Antônio,
        Sou do norte do Estado e minha última importações só valeram pq eram aparelhos mais caros e alguns pra revenda.
        Mas Meu Mi 8 eu pedi pra trazerem do Paraguai, o cara me cobrou 20% do valor de lá, saiu mesma coisa que importar pagando frete e impostos. Sem falar que pedi na segunda e me entregou na quinta.
        Assim fica muito mais fácil pegar aqui mesmo


      • Valeu pelo retorno Jhonathan .
        Aqui em Poa, compro alguns produtos com um fornecedor que tras do Py e ele cobra 25% sobre o valor que a loja vende no PY . No meu caso, sempre é bem mais barato que comprar do exterior e pagar os impostos . Comprei um Lumia 950 de Cingapura, paguei os Impostos (naquela ocasião este modelo ainda não estava a venda no PY) e me dei mal, pois paguei os impostos e o celular estava com defeito . Tive a devolução do valor pago pelo Celular, mas os impostos, não consegui a devolução .


  • Não se vê muitos smartphones com mesmo desempenho por um preço bacana assim aqui sempre é muito caro


  • Aqui na minha cidade ta 1,200 mi 8 lite 64 giga 4 de ram azul que é o mais procurado

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.