Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

5 min para ler 23 Comentários

Carros elétricos vão pegar no Brasil?

Na semana passada, visitei o Salão do Automóvel de São Paulo a convite da Chevrolet. Na ocasião, pude dar uma volta no carro elétrico da marca que está chegando no Brasil em 2019. A feira contava com diversos outros modelos de carros elétricos, mas já vimos modelos assim em outros anos. Será que eles realmente vão pegar no Brasil?

Eu já visitei o Salão do Automóvel de São Paulo em outros anos, e nessas edições passadas vi muitos modelos elétricos. Carros elétricos são aqueles que, apesar de possuírem um motor, não dependem de combustível para fazer esse motor funcionar, e sim baterias, como um smartphone.

Não eram muitos, mas já são diversos

Nas outras edições, os carros elétricos eram os mais diferentes entre todos, era perceptível. Ou se tratavam de protótipos das montadoras, ou eram exemplares que ainda não seriam vendidos no Brasil ou muito diferentes do que os automóveis que vemos circulando em nossas ruas. Muito distantes da nossa realidade.

sla 9
Chevrolet Bolt / © AndroidPIT por Stella Dauer

Esse ano foi diferente. Além do modelo da Chevrolet que eu fui conhecer, o Bolt, vi diversos outros modelos de montadoras com uma cara muito mais comum. Não eram dezenas, provavelmente não chegavam a vinte, mas já se misturavam entre os modelos a combustível.

Ainda são caros

Porém, estarem sendo exibidos não significa que são acessíveis. São acessíveis no sentido de que em breve poderão ser comprados oficialmente no Brasil, mas o preço ainda é para os que são early adopters, ou seja, pessoas que pagam mais caro para experimentar antes uma nova tecnologia.

No Japão, muitos carros já são elétricos, e lá há mais postos de carregamento para carros elétricos, do que postos de gasolina. Então a tecnologia é uma novidade aqui, mas ainda assim vem a um alto custo. Os modelos são simples, nada muito luxuosos, e chegarão por mais de R$ 140 mil, fora da realidade.

sla 3
Renault Zoe: o mais barato ainda é super caro / © AndroidPIT por Stella Dauer

É como no mercado de smartphones. Novas tecnologias chegam caras para pagar sua pesquisa e desenvolvimento e patrocinar as próximas novas tecnologias. Além disso, chegam a preços elevados porque geralmente são importadas, não possuem produção no país e precisam primeiro se provar viáveis por aqui.

Porém, estão cada vez melhores

O que mais surpreendeu na feira foi ver que, além de estarem mais misturados aos carros a combustível no visual (geralmente, o diferencial era algum detalhe em azul na carroceria, comum para representar carros elétricos), eles também já têm "máquina" para segurar o tranco comparado a modelos comuns.

O carro que testei, o Chevrolet Bolt EV, se parece com um SUV pequeno que está na moda no país, lembrando um Honda Fit, ou até o próprio Tracker da marca. Ele é extremamente silencioso, e dirigir um desses é como dirigir um carro automático comum. Ele vai de 0 a 100 km/h em 6,5 segundos, um bom tempo para um elétrico, e tem 230 cv. 

sla 1
Ford Fusion Energi / © AndroidPIT por Stella Dauer

É um carro como outro qualquer, não é fraco e nem te deixa na mão. A autonomia impressionou, já que com uma carga completa ele é capaz de fazer quase 400 quilômetros, e a distância pode ser ainda maior dependendo do caminho, já que os freios, quando acionados, geram energia para a bateria. Isso poderia ser implementado de alguma forma em smartphones.

Outros modelos que já estariam prontos para o nosso mercado são o Nissan Leaf, VW e-Golf, Renault Zoe, BMW i3, Mitsubishi Outlander PHEV, Kia Soul (que até já existe a combustível) e outros estranhinhos como o Renault Twizzy e marcas mais caras.

sla 8
O painel é grande e tem muita informação / © AndroidPIT por Stella Dauer

Esses carros no geral são dotados de muitas tecnologias internas. Geralmente, possuem painel de toque com acesso a diversas informações sobre o carro, sobre a carga, câmeras na carroceria, Android Auto e Car Play. Alguns até oferecem Wi-Fi dentro do veículo.

Como carrega isso?

Para carregar um desses, você pode usar a tomada da sua casa. Os modelos já vêm com o capo "na caixa", e você pluga na garagem e deixa ele lá. Assim como em smartphones, o carregador que acompanha os carros são os mais lerdinhos, levam horas e horas, e você pode adquirir um mais rápido ou usar os super rápidos disponíveis em estabelecimentos.

sla 10
Dá pra recarregar em casa / © AndroidPIT por Stella Dauer

Para não sobrecarregar a energia da sua casa, você pode programar o carro para iniciar a recarga a partir de um certo horário, como meia noite, e pode indicar qual o horário em que pretende sair com ele, assim o carro fica pronto próximo desse tempo.

Vai pegar no Brasil?

Eu chuto, pelo meu conhecimento em tecnologia, que ainda devem levar uns cinco anos para que carros elétricos comecem a se popularizar por aqui. Já temos híbridos como o Toyota Prius, e ele tem vendas inexpressivas aqui, custando mais de R$ 100 mil também, embora tenha isenção de rodízio e outros benefícios de impostos.

sla 4
VW e-Golf / © AndroidPIT por Stella Dauer

Outro ponto são os pontos de recarga. Como falei, é possível recarregar em casa o seu carro, de forma muito fácil. Ainda assim, você não poderá sempre voltar para sua casa para recarregar seu carro, e para isso são necessários mais pontos pelo país, para que o comprador possa se sentir seguro ao andar por aí.

Quem compra um carro híbrido hoje tem autonomia sem problemas, mas um carro elétrico tem suporte limitado. Daqui a 5 anos acredito que os pontos aumentem, mas não em grande número, uma vez que as vendas dos carros existirão, mas ainda serão inexpressivas. Para algo acontecer de verdade, eu imagino um mínimo de 15 anos. Infelizmente.

Você está animado para os carros elétricos?

Os comentários favoritos dos leitores

  • Jairo rios há 2 semanas

    Teria um carro elétrico sem problemas, diria até com prazer , a rapidez da popularização destes veículos depende do governo federal em desonerar do ponto de vista fiscal , tal como foi feito com o veículo movido a álcool no final da década de 70 com o Proálcool , óbvio que haverá forte lobby contra por parte da indústria sucroalcooleira e das distribuidoras de combustível , mas seria formidável para o Brasil finalmente acompanhar o restante do mundo neste segmento , óbvio que terá um forte impacto inicial em diversos setores como auto peças/ serviços ( não haverá troca de
    óleo , filtros , escapamento, limpeza/regulagem de injeção ,.problemas com combustive adulterado etc, etc mas terá que ser efetuado investimento em.pontos de recarregamento destes veículos , troca das baterias ........muitos serviços morrerão e outros nascerão, e isto é ótimo.

23 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Ainda está engatinhando, visto que a energia Solar está sendo muito mal aproveitada, imagine carro elétrico, com problemas que já se tem na distribuição da corrente por parte das concessionárias de serviços elétricos.


  • 140 no carro, mas lembre-se voce é livre de alguns impostos e esquece um pouco a gaoslina, um carro simples aqui sai na faixa de 50 mil por ai, se voce contar com os impostos, oq gasta de gasolina etc, em um ano só voce ja pode pegar esse carro ai sem duvidas.


  • O Brasil é um país que vai na contramão de todo e qualquer avanço.

    Somos um país tropical e não aproveitamos a energia solar.
    Temos a maior reserva de água doce do mundo e desperdiçamos cada vez mais.
    Nosso governo não dão qualquer tipo de incentivo para absolutamente nada.

    Então minha resposta para o título da matéria é:
    "Carros elétricos vão pegar no Brasil?"
    Daqui a 20 anos!


  • Quando chegar aqui veremos a energia triplicar, quadruplicar de preço.


  • Creio que isso obrigatoriamente será algo que o Brasil vai ter que aceitar, porém como sabemos como são as coisas no Brasil, o governo vai fazer o que esse tipo de automóvel seja caro aqui. Mas acho que esse nem seja o problema maior, que será as concessionárias de energia. A Volvo desenvolveu um dispositivo para você carregar seu carro em casa, dispensando a necessidade de carregar em postos, assim como ela a BMW, Toyota claro, Tesla. Porém este tipo de coisa creio que será algo muito, mas muito difícil de se instalar no Brasil. Na Europa e Japão é algo que está se tornando comum isso. No Brasil, enquanto tivermos uma administração que pensa na arrecadação de imposto como o melhor meio de administrar um país, e não o desenvolvimento dos setores para o bem do povo, isso será muito difícil.


  • Olá Stella, desculpe, esqueci de comentar na minha postagem anterior.
    Eu sou capixaba, mas moro no Rio há 44 anos. Sempre que estou de férias, viajo para a roça com esposa e 3 crianças. De carro. No caminho, sempre pela BR101, vejo muita, mas muita mesmo área de pastagem sem uma única rês. Área ótima para biocombustíveis. Ainda que no caminho houvessem postos de abastecimento elétrico, ninguém iria ficar uma hora aguardando a recarga da bateria. Voltaria ao combustível.
    ---------


  • Vou colocar os motivos pelo qual eu aboli totalmente já fazem 3 anos a ídeia de possuir um automóvel no Brasil 1- Preço dos véículos 2- Valor do seguro 3 - Custo do Combustível 4 - Combustível adulterado 5 - Custo de manutenção 6 - Preço das peças originais 6 - Concessionárias e Oficinas PILANTRAS 7 - Multas 8 - Flanelinhas VAGABUNDOS 9 - Estacionamentos 10 - Zona Azul 11 - Despachantes e Policiais Corruptos e Ordinários 12 - Trânsito 13 - IPVA/Dpvat 14 - Rodizio 15 - Pedagios malditos o único lugar do mundo onde vale a pena ter um carro são os USA depois que adotei andar somente de Aplicativo nunca mais tive dor de cabeça com carro, meu custo não passa de 25% andando somente de APP no mês comparado quando tinha veículo
    Tomo minha cerverja na sussa vou e volto pro trabalho passeios etc...sem me preocupar com absolutamente nada, o que eu gasto de App por mês hoje pagava somente de combustível quando possuia veículo, quando vou viajar nos fins de semana ou viagens longas eu alugo um carro onde minha única preocupação e devolve-lo como peguei, limpo com tanque cheio e mais nada, só bater a chave e dirigir tranquilo com tudo segurado nas diárias é uma paz de espírito tremenda só alegria, possuir um carro no Brasil seja de qualquer marca ou modelo é aceitar um atestado de OTÁRIO com todas as letras o dinheiro que eu gastava antes por ano e todo o estresse que passava sentado num volante todo santo dia hoje gasto com restaurantes Lojas Hoteis praias viagens academia lazer e familia, chupa que é de uva governo montadoras e industria das multas, sei que existem muitas pessoas que obrigatoriamente precisam ter um veículo próprio são exceções, mas para grande maioria possuir um carro hoje é totalmente desnecessário, principalmente familas onde a esposa e o marido tem o seu próprio veículo e o custo e dor de cabeça é o dobro.
    Quando tinha carro eu viajava no máx umas 2 vezes por ano, só esse ano e ainda estamos em novembro eu já viajei 9 vezes não perdi um final de semana prolongado por incrível que pareça todo esse dinheiro são das economias que eu faço por ter abolido os dois carros que tinha em casa


    • Financeiramente falando, você está corretíssimo.
      Mas na prática, "viajando no molho rosè"
      (Viajar na maionese é cafona). Veja:
      1) todo mundo quer ter seu próprio carro.
      (As vendas sempre aumentam).
      2) qual a garantia que o motorista de aplicativo será seu condutor e não seu algoz ?
      3) já perdi 30 minutos aguardando um uber.
      4) já tive viagem recusada.


      • Então John....a pronuncia é mais sofisticada pois João é nome de crente...cada um da seu dinheiro pra quem quiser não é mesmo, eu a 3 anos estou dando pra mim mesmo e estou adorando, kkk... não sei porque não largo mais desse osso....kkk.. ( ou boquinha, esqueminha, jeitinho) no Brasil tem vários nomes, em Dezembro agora farei um tour por um lugar que sempre quis conhecer na vida chamado Marrocos seria os 2 IPVAs e Seguro que teria de dar pro governo e seguradoras em Janeiro já tudo comprado e pago a vista :)* continue comprando carro os bancos o governo as montadoras as seguradoras as oficinas os estacionamentos os flanelinhas a industria das multas e o seu vizinho zoiudo...esse é o pior kkk...precisam mais do seu dinheiro do que você ajude-os eles precisam...vi uma promoção agora de um super Gol 1.0 zero com incríveis maçanetas de ultima geração, vidros elétricos dianteiros, super desenvolvidas rodas de ferro aro 13 com lindas calotas por míseros 45 mil a vista, cor sólida tá metalica é 1500 a mais, e também não esqueça dos 2000 de IPVA 3000 da seguradora e 1000 reais de documentos e 250 pra encher o tanque....kkk...outra coisa se for parcelar chora pro vendedor pra ganhar tapetinho...mas se for bonzinho e pagar a vista ganha até radinho....kkk


  • acho que não vai ser tão rápido mas ano que vem vão realmente começar a vender carros elétricos no Brasil, 2020 provavelmente já comessem os incentivos impostos menores dai pra frente vão começar a vender um pouco menos caro, já vão ter muito mais opções acho que o maior problema seria como iriam produzir energia o suficiente para os carros quando eles se popularizarem, mas acho que não vai demorar tantos anos até uma solução definitiva...


  • Stella, há mais de 10 anos, eu participei de um debate sobre isso. A minha opinião à sua pergunta "Você está animado para os carros elétricos?" é... NÃO.
    1) bandeira tarifária => Economize energia
    2) horário de verão => Economize energia
    3) carro elétrico => CONSUMA energia
    Ainda há muito espaço desperdiçado que pode-se utilizado para a plantação de cana-de-açúcar (que se transformará em álcool) e em mamona (que se transformará em biodiesel).
    Muitos falam de aproveitamento deste espaço para pastagem, mas poucos sabem que o gado come palha e bagaço de cana.
    Esta tecnologia de carros elétricos vêm de países sem área rural para aumentar a produção de cana, mamona, etc e com usinas nucleares. Outra realidade, diferente da nossa.


  • Pessoas acham normal pagar 150mil num elétrico e ficar pagando 1mil reais por mes em conta de Luz depois... melhor gastar 30mil num Kit energia solar em casa e depois financiar um eletrico.. sua conta de luz atual vai até zerar(se for até uns 600 reais) e custo do combustível elétrico por mes vai cair mais ainda por KM..

    Mas no brasil se paga fortuna em celular, carros e 2 anos depois vendem carro com 25% de perda de valor(carro de 60MIL vende por 45mil dois anos depois e compra outro zero similar ao antigo por 75mil) ou jogam fora celular de 5mil(e ai compra o novo de 6mil)...
    e esse povo fica chorando para pagar serviços ou produtos de 100 reais etc...
    (Sou da area de TI e sei oque estou falando)
    é cultura no brasil gastar muito dinheiro por bens para os outros verem e ser mão de vaca com oque é basico e melhor a sua vida


  • Teria um carro elétrico sem problemas, diria até com prazer , a rapidez da popularização destes veículos depende do governo federal em desonerar do ponto de vista fiscal , tal como foi feito com o veículo movido a álcool no final da década de 70 com o Proálcool , óbvio que haverá forte lobby contra por parte da indústria sucroalcooleira e das distribuidoras de combustível , mas seria formidável para o Brasil finalmente acompanhar o restante do mundo neste segmento , óbvio que terá um forte impacto inicial em diversos setores como auto peças/ serviços ( não haverá troca de
    óleo , filtros , escapamento, limpeza/regulagem de injeção ,.problemas com combustive adulterado etc, etc mas terá que ser efetuado investimento em.pontos de recarregamento destes veículos , troca das baterias ........muitos serviços morrerão e outros nascerão, e isto é ótimo.


  • Sabendo da realidade hoje 55% do valor de qualquer carro É Imposto fica fácil imaginar o Futuro dos eletricos. Mesmo sabendo do investimento dos drones para transporte aéreo elétrico.


    • Impostos totais chegam a 70% ou mais...
      tem que ter muitos impostos pq precisamos pagar auxílios moradia de 4mil a juizes, aposentadorias integrais de politicos e servidores elite, 100mil comissionados só no governo federal, exercito de politicos inuteis com seus assessores e planos de saude, combustível etc, 500mil funcionarios de estatais onde a metade delas da prejuízos de 16 bilhões por ano, e os 6 bilhões pelos aumento anunciado dos juizes do STF que vai ter efeito em cascata e muitas outras coisas


  • Se não fosse muito caro eu teria um carro hibrido, porém o carro elétrico ou hibrido só vai pegar no Brasil o dia em que o custo de aquisição for mais baixo que um carro popular e isso pode mudar daqui a 2 ou daqui a 10 ou a 20 anos, pois no Brasil a tecnologia raramente chega as massas somente quando o preço é extremamente baixo e enquanto houver carro popular mais barato que um elétrico ou híbrido, sem contar as limitações desses modelos, estes modelos nao vão "pegar" por aqui.


  • O Brasil sempre anda na contra mão da tecnologia, tudo aqui é caro e moroso, o Prius por exemplo, é um carro híbrido, custa R$125.450,00, sendo extremamente caro, aliás o governo brasileiro, deveria dar isenções de impostos, para que custasse muito mais barato, afinal polui muito menos, mas vamos ver se agora o Bolsonaro muda alguma coisa.

    Sou entusiasta de carros híbridos, acho muito bom também o carro elétrico, mas esse requer muito tempo para recarregar totalmente a bateria, fora a baixa autonomia em quilometragem.

    Talvez daqui a 10 anos ou mais, a gente possa ter mais veículos dessa natureza rodando por aqui a preços mais condizentes, como ainda é novidade, só quem tem boas condições pode comprar um Fusion Hybrid e um Toyota Prius, esse particularmente eu gosto, mas fica fora dos meus padrões, acho um absurdo carros custarem tanto assim, prefiro investir em terrenos, dependendo do valor claro, acaba sendo um baita negocio, pelo menos se ganha dinheiro a longo prazo, carros, procuro sempre um seminovo, por ser mais barato e vantajoso, a economia acaba sendo melhor e ainda possui garantia.

Mostrar todos os comentários

Artigos recomendados