Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

3 min para ler 106 Comentários

Quero um novo smartphone: com que frequência devo trocá-lo?

Assim como existem pessoas com gostos gastronômicos diversos, também existem diferentes tipos de usuários de dispositivos móveis. Portanto, responder à pergunta sobre quantas vezes você precisa trocar de celular depende do seu gosto e do tipo de usuário que você é. Embora não haja receita mágica ou fórmula secreta nesta seção, compartilharemos alguns pontos que você deve ter em mente ao pensar em renovar seu celular.

Claro, todos nós queremos ter em nossas mãos um celular topo de linha como o Samsung Galaxy S9, e trocá-lo no ano seguinte por sua nova versão, mas nem todos têm o poder de compra para fazê-lo e, também, como mencionei um algumas linhas acima, isso depende dos requisitos que temos com o nosso smartphone.

1. Está mais lento que um jogo de xadrez

Que pesadelo é ligar o celular e ter que esperar eternamente para começar. Ou o que me dizem de quando, depois de receber uma chamada, o telefone leva muito tempo para responder aos nossos comando? Se você for do WhatsApp para o Facebook e tiver que esperar que o sol se ponha a fazê-lo, não pense duas vezes e troque de celular imediatamente.

2. Sua versão do Android está desatualizada

Quando o fabricante do seu dispositivo se recusa a lançar uma nova atualização do sistema, é um sinal claro de que você deve trocar o smartphone. Um celular desatualizado é mais vulnerável a ataques, pois você perderá a compatibilidade com as atualizações de segurança e com os aplicativos mais usados.

3. A bateria se esgota em um piscar de olhos

uso bateria
Pior pesadelo/ © AndroidPIT

As baterias de qualquer dispositivo eletrônico têm uma certa vida. Quanto mais a usamos, mais tempo ela será consumida ao longo do tempo. Este é um processo "natural". O desgaste da bateria não só fará com que você mantenha o seu smartphone preso à parede, mas é um sinal claro de que você deve trocar a bateria... embora, se você chegou a esse ponto, não perca tempo fazendo isso, mas sim compre um novo celular.

4. Você ficou sem armazenamento

Isso realmente não é um caso tão dramático a ponto de correr para o shopping e comprar um novo celular. A falta de armazenamento para salvar fotos, vídeos ou instalar mais aplicativos pode ser resolvida expandindo a memória interna do dispositivo ou simplesmente limpando e excluindo arquivos ou aplicativos que você não usa ou precisa.

5. Suas fotos estão ficando mais feias do que a noiva do Chucky

imagem camera
Ah, o amor! / © AndroidPIT

Um aspecto muito narcisista, sim, mas que para muitos parecerá motivo o suficiente para comprar um novo smartphone. Não é à toa que os smartphones enviaram as câmera digitais ao último círculo do inferno. Além disso, com o tempo, a lente do seu celular pode ser arranhada ou atingida, o que afetará a qualidade das imagens ou dos vídeos que você faz.

E você, com que frequência você troca seu smartphone?

64 Compartilhado

Os comentários favoritos dos leitores

  • Veronica Roses há 2 meses

    Enquanto o novo celular tá pra chegar, usar um galaxy com 512 MB de RAM é um verdadeiro aprendizado de paciência na vida :-)

  •   63
    Conta desativada há 2 meses

    Vamos lá, para se comprar um novo smartphone, vamos aos vetores os quais considero importantes:

    Pesquise o que você deseja num aparelho, se é custo benefício, potência, câmera, bateria, enfim, seja prudente, opte por conhecer primeiro o aparelho numa loja física, veja reviews, não seja afoito, como grande parte das pessoas são, faça uma escolha assertiva, sensata, equilibrada, não rasgue dinheiro, coloque os prós e contras.

    Vamos a algumas observações:

    Aparelho de entrada; Certamente é uma boa opção se você quiser pagar pouco, utiliza muito pouco os recursos do aparelho, se encaixa melhor para pessoas que praticamente não baixam aplicativos, ou muito poucos. Pessoal da velha guarda, usa mais celular.

    Aparelho intermediário: Uma escolha interessante, onde geralmente se encontram aparelhos mais potentes que a categoria de entrada, possui configurações mais robustas, como processador mais potente, mais armazenamento, memória e até bateria. Costuma ser a opção mais acertada, se você deseja um ótimo aparelho sem ser muito caro, possa entregar recursos interessantes, consegue na medida do possível, dependendo do modelo e preço, satisfazer a grande maioria das pessoas.

    Aparelho topo de linha: O supra sumo da tecnologia, onde se encontra as melhores configurações de hardware, trazendo o que há de melhor em tecnologia, claro, custando um preço incrivelmente mais alto. Se você é um cliente exigente, deseja o '' melhor '', quer ter os melhores recursos de processamento, armazenamento e câmera, embora a bateria, infelizmente nem sempre acompanha essa categoria, esse é o modelo mais indicado para você.

    Observação final: Como se vê, as categorias são bem distintas e bastante interessantes em suas respectivas configurações, caso opte por um aparelho mais simples, não queira que o mesmo tenha uma performance de topo de linha, pois não é o foco central do aparelho. Cada um desses modelos, sabendo escolher, consegue-se um excelente uso, lembrando, cabe a cada um saber o que está realmente comprando.

    Dica adicional derradeira, geralmente, caso você não precise de muita potência e nem quer usufruir dos melhores recursos de um smartphone, opte por um intermediário, existem vários aparelhos interessantes no mercado ou escolha um topo de linha do ano anterior, pois o preço baixa com o tempo. Nunca compre por impulso, seja inteligente, compre por necessidade, avalie criteriosamente porque precisa trocar de smartphone, tenha um uso consciente, boa sorte caso opte por um novo aparelho.

  • Léo Walk há 2 meses

    Um dos motivos pra querer adquirir um novo smartphone agora em 2018 é a bateria. Só estou aguardando o momento certo pra fazer isso. Como estou mais experiente na escolha do tipo de hardware correto, já tenho em mente que ele deve ter um ótimo desempenho e uma duração de bateria de no minimo 2 dias em uso moderado e o principal: Carregamento turbo.

  • Jairo rios há 2 meses

    Não dá nem para usar a agenda telefônica com está quantidade de armazenamento-)

  • Sidney há 1 mês

    Você deve trocar de smartphone a cada 5 anos, mas se não tiver dinheiro vai trocar a cada 3 anos, se tiver um pouco de dinheiro vai trocar a cada 2 anos, se tiver bastante dinheiro vai trocar todo ano e se for milionário não vai trocar, porque você é milionário por ter aprendido a dar valor ao dinheiro.

106 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  •   7
    Conta desativada há 1 mês Link para o comentário

    Se n de pau, uns 3 anos é minha meta agora,enfim aprendi valorizar meu money...


  • fiquei 5 anos com um moto g 2013, agora estou com um s8, pretendo ficar com ele até 2035.


  • Não tenho padrão kkkkkk, assim que tô com uma grana sobrando eu troco de celular. Ja teve ano em que tive 4 aparelhos diferentes, em outro só 1. Uso Android desde 2011, e hoje estou no 18° aparelho...


  • Troco a cada dois anos. É o tempo do meu aparelho parar de receber atualizações, começar a apresentar perda de desempenho e eu começar a sentir falta de algumas coisas como bateria e câmera melhores. Isso se tratando de aparelhos top de linha, que sempre prefiro. Dois anos é um prazo razoável. Fui feliz por dois anos com o Galaxy S3, depois um Moto X 2014, depois um Moto Z que deveria durar dois anos mas deu problema na tela com 9 meses e agora estou com o S8+. O pensamento é ele permanecer comigo por dois anos, no mínimo.


  • Você deve trocar de smartphone a cada 5 anos, mas se não tiver dinheiro vai trocar a cada 3 anos, se tiver um pouco de dinheiro vai trocar a cada 2 anos, se tiver bastante dinheiro vai trocar todo ano e se for milionário não vai trocar, porque você é milionário por ter aprendido a dar valor ao dinheiro.


    • Concordo em parte.

      Você está certo ao afirmar sobre não esbanjar dinheiro dessa forma.

      Mas dá para ter equilíbrio. Meu caso, por exemplo, tenho o aparelho e preservo a integridade física dele (sem exageros) para que na futura troca eu consiga recuperar boa parte do que foi gasto na compra.

      Tem gente que esmerilha o celular e depois reclama que gasta muito na troca por outro. Aí realmente fica difícil de defender.


  • Opa,
    As opções dois e três não são motivos suficientes para troca de aparelho, desde que se possa conseguir além de uma ROM legal, ou seja, que a pessoa curta, uma bateria original, se o aparelho em questão for amado, e, mesmo com essas características, suprir suas necessidades.
    Diga não a Obsolescência Programada, e diga sim, a liberdade!
    Só para deixar um exemplo, estou a um ano com o Moto G 5 Plus, um aparelho criticado pela sua aparência, pela edição que veio para o Brasil, e que jamais me deixou na mão, pelo contrário! A propaganda que a Moto fez em seu site, a qualidade do aparelho, para mim, é um diferencial. Ambiciono o Android P para ele, caso não venha pela Moto, mais um motivo para dizer oi à liberdade :P


  • Fico com o celular por dois anos. Meu critério é simples: tenho a garantia de um ano da fabricante e mais um ano de garantia do cartão de crédito. No final desse período já procuro repassar o celular.


  • Sempre acho o ideal pular uma geração, ou seja, na prática 02 anos. Mas isso é valido principalmente para aparelhos topo de linha.


  • Em 2014 ganhei da operadora o Moto X segunda geração usei ele até o início de 2017 quando peguei na mesmo operadora um Moto G5 Plus e em janeiro de 2018 ganhei da minha esposa um Moto G5s Plus. Os três funcionam e bem até hoje. Dependendo vou pegar na operadora mais adiante um Moto G6 Plus.


  • Uso A9 desde o início do ano passado. Como sou extremamente cuidadoso com o aparelho ele ainda parece novo. Não tem nenhum risquinho sequer. Mas como o A9 não será mais atualizado pela Samsung pretendo comprar outro aparelho em dezembro. Vou comprar um S9 plus.


  •   42
    Conta desativada há 2 meses Link para o comentário

    Eu troco o celular de ano em ano, mas dessa vez será um pouco diferente com o Moto G5 Plus, somente quando o Moto G6 tiver 1 ano e meio de lançamento!


  • Pego um top de linha Android de cada marca lançamento após lançamento para relatar a minha experiência. Me canso rápido demais de um smartphone.
    Porém, meu NOKIA 5310 XpressMusic está guardadinho na caixa, só pegando valor de colecionador.


  • O máximo que eu consegui ficar com um smartphone foi por 1 ano e 6 meses, mas olhando para onde estou agora na minha vida, o ideal seria me manter com um por mais tempo. Por isso, apesar de amar o Android, eu vou trocar pra um iPhone, por questão de updates e suporte. Que pena que a linha Pixel ainda não chegou aqui, pq seria o smartphone perfeito pra qualquer usuário Android.


    • Dá um pouco de trabalho Larissa,
      Mas comprei um Pixel 2 XL pela GoogleStore e enviei para um endereço de redirecionamento nos EUA (MyVipBox), e como n ia para os EUA tão cedo, fiz o envio por correio aqui p o Brasil. Fui taxado, mas chegou inteiro...Excelente aparelho.


    •   7
      Conta desativada há 1 mês Link para o comentário

      Updates ? só por isso ? att ultimamente n tem mudado nada..


  • Depende o quão aficionado por updates você é:

    1. Se quiser algo atualizado = iPhone ou Pixel (que não vende no Brasil);
    2. Se não se importa com update = iPhone ou Galaxy SX.

    Simples assim!


  • Eu acabei de adquirir um S7edge black piano, e embora seja um telefone de 2016, não penso em trocar tão cedo...

Mostrar todos os comentários