Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

3 min para ler 106 Comentários

Quero um novo smartphone: com que frequência devo trocá-lo?

Assim como existem pessoas com gostos gastronômicos diversos, também existem diferentes tipos de usuários de dispositivos móveis. Portanto, responder à pergunta sobre quantas vezes você precisa trocar de celular depende do seu gosto e do tipo de usuário que você é. Embora não haja receita mágica ou fórmula secreta nesta seção, compartilharemos alguns pontos que você deve ter em mente ao pensar em renovar seu celular.

Claro, todos nós queremos ter em nossas mãos um celular topo de linha como o Samsung Galaxy S9, e trocá-lo no ano seguinte por sua nova versão, mas nem todos têm o poder de compra para fazê-lo e, também, como mencionei um algumas linhas acima, isso depende dos requisitos que temos com o nosso smartphone.

1. Está mais lento que um jogo de xadrez

Que pesadelo é ligar o celular e ter que esperar eternamente para começar. Ou o que me dizem de quando, depois de receber uma chamada, o telefone leva muito tempo para responder aos nossos comando? Se você for do WhatsApp para o Facebook e tiver que esperar que o sol se ponha a fazê-lo, não pense duas vezes e troque de celular imediatamente.

2. Sua versão do Android está desatualizada

Quando o fabricante do seu dispositivo se recusa a lançar uma nova atualização do sistema, é um sinal claro de que você deve trocar o smartphone. Um celular desatualizado é mais vulnerável a ataques, pois você perderá a compatibilidade com as atualizações de segurança e com os aplicativos mais usados.

3. A bateria se esgota em um piscar de olhos

uso bateria
Pior pesadelo/ © AndroidPIT

As baterias de qualquer dispositivo eletrônico têm uma certa vida. Quanto mais a usamos, mais tempo ela será consumida ao longo do tempo. Este é um processo "natural". O desgaste da bateria não só fará com que você mantenha o seu smartphone preso à parede, mas é um sinal claro de que você deve trocar a bateria... embora, se você chegou a esse ponto, não perca tempo fazendo isso, mas sim compre um novo celular.

4. Você ficou sem armazenamento

Isso realmente não é um caso tão dramático a ponto de correr para o shopping e comprar um novo celular. A falta de armazenamento para salvar fotos, vídeos ou instalar mais aplicativos pode ser resolvida expandindo a memória interna do dispositivo ou simplesmente limpando e excluindo arquivos ou aplicativos que você não usa ou precisa.

5. Suas fotos estão ficando mais feias do que a noiva do Chucky

imagem camera
Ah, o amor! / © AndroidPIT

Um aspecto muito narcisista, sim, mas que para muitos parecerá motivo o suficiente para comprar um novo smartphone. Não é à toa que os smartphones enviaram as câmera digitais ao último círculo do inferno. Além disso, com o tempo, a lente do seu celular pode ser arranhada ou atingida, o que afetará a qualidade das imagens ou dos vídeos que você faz.

E você, com que frequência você troca seu smartphone?

Os comentários favoritos dos leitores

  • Veronica Roses há 10 meses

    Enquanto o novo celular tá pra chegar, usar um galaxy com 512 MB de RAM é um verdadeiro aprendizado de paciência na vida :-)

  •   62
    Conta desativada há 10 meses

    Vamos lá, para se comprar um novo smartphone, vamos aos vetores os quais considero importantes:

    Pesquise o que você deseja num aparelho, se é custo benefício, potência, câmera, bateria, enfim, seja prudente, opte por conhecer primeiro o aparelho numa loja física, veja reviews, não seja afoito, como grande parte das pessoas são, faça uma escolha assertiva, sensata, equilibrada, não rasgue dinheiro, coloque os prós e contras.

    Vamos a algumas observações:

    Aparelho de entrada; Certamente é uma boa opção se você quiser pagar pouco, utiliza muito pouco os recursos do aparelho, se encaixa melhor para pessoas que praticamente não baixam aplicativos, ou muito poucos. Pessoal da velha guarda, usa mais celular.

    Aparelho intermediário: Uma escolha interessante, onde geralmente se encontram aparelhos mais potentes que a categoria de entrada, possui configurações mais robustas, como processador mais potente, mais armazenamento, memória e até bateria. Costuma ser a opção mais acertada, se você deseja um ótimo aparelho sem ser muito caro, possa entregar recursos interessantes, consegue na medida do possível, dependendo do modelo e preço, satisfazer a grande maioria das pessoas.

    Aparelho topo de linha: O supra sumo da tecnologia, onde se encontra as melhores configurações de hardware, trazendo o que há de melhor em tecnologia, claro, custando um preço incrivelmente mais alto. Se você é um cliente exigente, deseja o '' melhor '', quer ter os melhores recursos de processamento, armazenamento e câmera, embora a bateria, infelizmente nem sempre acompanha essa categoria, esse é o modelo mais indicado para você.

    Observação final: Como se vê, as categorias são bem distintas e bastante interessantes em suas respectivas configurações, caso opte por um aparelho mais simples, não queira que o mesmo tenha uma performance de topo de linha, pois não é o foco central do aparelho. Cada um desses modelos, sabendo escolher, consegue-se um excelente uso, lembrando, cabe a cada um saber o que está realmente comprando.

    Dica adicional derradeira, geralmente, caso você não precise de muita potência e nem quer usufruir dos melhores recursos de um smartphone, opte por um intermediário, existem vários aparelhos interessantes no mercado ou escolha um topo de linha do ano anterior, pois o preço baixa com o tempo. Nunca compre por impulso, seja inteligente, compre por necessidade, avalie criteriosamente porque precisa trocar de smartphone, tenha um uso consciente, boa sorte caso opte por um novo aparelho.

  • Léo Walk há 10 meses

    Um dos motivos pra querer adquirir um novo smartphone agora em 2018 é a bateria. Só estou aguardando o momento certo pra fazer isso. Como estou mais experiente na escolha do tipo de hardware correto, já tenho em mente que ele deve ter um ótimo desempenho e uma duração de bateria de no minimo 2 dias em uso moderado e o principal: Carregamento turbo.

  • Jairo rios há 10 meses

    Não dá nem para usar a agenda telefônica com está quantidade de armazenamento-)

  • Sidney há 10 meses

    Você deve trocar de smartphone a cada 5 anos, mas se não tiver dinheiro vai trocar a cada 3 anos, se tiver um pouco de dinheiro vai trocar a cada 2 anos, se tiver bastante dinheiro vai trocar todo ano e se for milionário não vai trocar, porque você é milionário por ter aprendido a dar valor ao dinheiro.

106 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  •   7
    Conta desativada há 9 meses Link para o comentário

    Se n de pau, uns 3 anos é minha meta agora,enfim aprendi valorizar meu money...


  • fiquei 5 anos com um moto g 2013, agora estou com um s8, pretendo ficar com ele até 2035.


  •   86
    Conta desativada há 10 meses Link para o comentário

    Não tenho padrão kkkkkk, assim que tô com uma grana sobrando eu troco de celular. Ja teve ano em que tive 4 aparelhos diferentes, em outro só 1. Uso Android desde 2011, e hoje estou no 18° aparelho...


  • Troco a cada dois anos. É o tempo do meu aparelho parar de receber atualizações, começar a apresentar perda de desempenho e eu começar a sentir falta de algumas coisas como bateria e câmera melhores. Isso se tratando de aparelhos top de linha, que sempre prefiro. Dois anos é um prazo razoável. Fui feliz por dois anos com o Galaxy S3, depois um Moto X 2014, depois um Moto Z que deveria durar dois anos mas deu problema na tela com 9 meses e agora estou com o S8+. O pensamento é ele permanecer comigo por dois anos, no mínimo.


  • Você deve trocar de smartphone a cada 5 anos, mas se não tiver dinheiro vai trocar a cada 3 anos, se tiver um pouco de dinheiro vai trocar a cada 2 anos, se tiver bastante dinheiro vai trocar todo ano e se for milionário não vai trocar, porque você é milionário por ter aprendido a dar valor ao dinheiro.


    • Concordo em parte.

      Você está certo ao afirmar sobre não esbanjar dinheiro dessa forma.

      Mas dá para ter equilíbrio. Meu caso, por exemplo, tenho o aparelho e preservo a integridade física dele (sem exageros) para que na futura troca eu consiga recuperar boa parte do que foi gasto na compra.

      Tem gente que esmerilha o celular e depois reclama que gasta muito na troca por outro. Aí realmente fica difícil de defender.


  • Opa,
    As opções dois e três não são motivos suficientes para troca de aparelho, desde que se possa conseguir além de uma ROM legal, ou seja, que a pessoa curta, uma bateria original, se o aparelho em questão for amado, e, mesmo com essas características, suprir suas necessidades.
    Diga não a Obsolescência Programada, e diga sim, a liberdade!
    Só para deixar um exemplo, estou a um ano com o Moto G 5 Plus, um aparelho criticado pela sua aparência, pela edição que veio para o Brasil, e que jamais me deixou na mão, pelo contrário! A propaganda que a Moto fez em seu site, a qualidade do aparelho, para mim, é um diferencial. Ambiciono o Android P para ele, caso não venha pela Moto, mais um motivo para dizer oi à liberdade :P


  • Fico com o celular por dois anos. Meu critério é simples: tenho a garantia de um ano da fabricante e mais um ano de garantia do cartão de crédito. No final desse período já procuro repassar o celular.


  • Sempre acho o ideal pular uma geração, ou seja, na prática 02 anos. Mas isso é valido principalmente para aparelhos topo de linha.

    Conta desativada


  • Em 2014 ganhei da operadora o Moto X segunda geração usei ele até o início de 2017 quando peguei na mesmo operadora um Moto G5 Plus e em janeiro de 2018 ganhei da minha esposa um Moto G5s Plus. Os três funcionam e bem até hoje. Dependendo vou pegar na operadora mais adiante um Moto G6 Plus.


  • Uso A9 desde o início do ano passado. Como sou extremamente cuidadoso com o aparelho ele ainda parece novo. Não tem nenhum risquinho sequer. Mas como o A9 não será mais atualizado pela Samsung pretendo comprar outro aparelho em dezembro. Vou comprar um S9 plus.


  •   42
    Conta desativada há 10 meses Link para o comentário

    Eu troco o celular de ano em ano, mas dessa vez será um pouco diferente com o Moto G5 Plus, somente quando o Moto G6 tiver 1 ano e meio de lançamento!


  •   41
    Conta desativada há 10 meses Link para o comentário

    Pego um top de linha Android de cada marca lançamento após lançamento para relatar a minha experiência. Me canso rápido demais de um smartphone.
    Porém, meu NOKIA 5310 XpressMusic está guardadinho na caixa, só pegando valor de colecionador.


  • O máximo que eu consegui ficar com um smartphone foi por 1 ano e 6 meses, mas olhando para onde estou agora na minha vida, o ideal seria me manter com um por mais tempo. Por isso, apesar de amar o Android, eu vou trocar pra um iPhone, por questão de updates e suporte. Que pena que a linha Pixel ainda não chegou aqui, pq seria o smartphone perfeito pra qualquer usuário Android.


  • Depende o quão aficionado por updates você é:

    1. Se quiser algo atualizado = iPhone ou Pixel (que não vende no Brasil);
    2. Se não se importa com update = iPhone ou Galaxy SX.

    Simples assim!


  • Eu acabei de adquirir um S7edge black piano, e embora seja um telefone de 2016, não penso em trocar tão cedo...


  • VOU SIMPLIFICAR:
    Gastou menos de 1mil em um nacional ? ano que vem já troca, se souber mexer no celular e fazer alguns macetes ainda dura 2

    Importou um que aqui custaria mais de 1500... 2 anos mais ou menos...

    Não liga muito pra celular e comprou um iphone 8 ou x, ou qualquer outro top.... só vai trocar quando quebrar kk

    As fabricantes estão fazendo so tops pra durarem até no max 3 anos... então lembre-se vá principalmente pro que mais te agrade


  • Meu muv pro tem 1 ano e 4 meses e agora quando eu desligo e quando ligo na tela mostra que o Android estar inicializando só que demora mais de 5 minutos para ele inicializar totalmente, Pois eu nem sei o que fazer.

    Eu estava pensando botar outra ROM stock mais desisti e ele estar com root


  • Antes, quando eu usava a linha X da motorola, trocava de celular uma vez por ano.
    Mesmo com bateria em dia, câmera ok, etc.
    Mas eu também sempre repassava o aparelho para alguém, então eu sempre tinha um retorno do investimento (fora que pegava promoções boas e nunca paguei mais do que R$1500 em um aparelho).

    Agora tenho um S8+ e estou me acondicionando com a possibilidade de ficar com esse aparelho pelo menos por dois anos. Eu estou muito interessado em adquirir um novo pois adoraria ter uma câmera dupla, por exemplo.... Mas vou ter que me segurar e ficar com esse aparelho (que é ótimo, diga-se de passagem).


  • O meu primeiro troquei por causa de armazenamento insuficiente, o segundo porque foi furtado e o terceiro porque quebrou a tela. Nesse momento estou de volta no meu primeiro (Razr D3) de 8 anos atrás enquanto não chega o Redmi Note 5A, e até que pela idade acho bem bom, o Facebook Lite ajuda bastante a dar uma sobrevida nele (também não uso mais Snapchat) que eram os dois apps que mais comiam memória. Pena que ainda são poucas opções de apps reduzidos, o Maps GO, por exemplo, é ridículo.


  • Eu "troco" anualmente, mas não vendo, deixo guardado e acabo usando TODOS, pena que o samsung beat twist morreu...alguém tem um V3 pra vender aí?


  • eu troco de smartphone com muita frequência,estamos em abril e eu já tô no segundo smartphone indo pro terceiro parece vício.


  • Os meus dois últimos troquei com menos de um ano... G4+ usei por 7 meses, Zplay por dez meses e atualmente uso o Z2force.
    O mais correto seria esperar uns dois anos até a próxima troca mas nunca consigo.
    Os anteriores a eles eu até ficava mais tempo porém entendia menos sobre smartphones, qualquer um estava bom.
    Acho que quanto mais você entende mais vai querer algo melhor e consequentemente diminuir o tempo de uso.


  • Como mencionado logo no início, vai de gosto.
    Eu, particularmente, gosto de trocar de aparelho por algo realmente bom e mantê-lo por no máximo 5 anos - Têm sido assim com meu MotoMaxx, e o bichão ainda tem lenha pra queimar.

    O que levo em conta na hora da troca é sem dúvida o desempenho, e isso inclui fluidez, bateria e etc., Quando começa a derrapar em algo, e questão de tempo pros outroa acontecerem... Agora existe o burnin pra lidar, então e algo a se observar, o quanto isso incomoda.

    No novo, alem do desempenho, Desing precisa agradar, ja que tenho a intenção de passar meia década com o aparelho.

    Meio q viajei nos pensamentos... Não ha nada a venda no Brasil que me faça querer trocar meu Maxx.


  • A verdade é que pra acompanhar os lançamentos e a tecnologia dos Smartphones, é preciso ter muita grana!
    Eu mesmo se pudesse trocaria toda vez que lançava um novo!
    Mas como não tenho, vou me contentando com meu guerreiro Moto G3 aqui!

    Conta desativada


  •   85
    Conta desativada há 10 meses Link para o comentário

    Eu troco a cada 5 meses dependendo do aparelho ate menos , Lembro quando comprei meu 1 android puro nexus nao fiquei nem 2 meses com ele pq detestei interface pura sem recurso nenhum sem graça eu era obrigado a instala custom rom pra ter algo bom no aparelho ai resolvi passar a diante .

    Eu normalmente compro aparelhos intermediarios da faixa dos 1500 e tal uso ate enjoa e troco normalmente levo 5 meses e se tiver custom rom legal ate seguro por mais tempo


  • Fico com smartphone em média 1 ano e meio!!


  • Meu histórico com Smartphones:
    2012: Lumia 710
    2013: Lumia 820
    2014: Lumia 925 (2 anos e meio, esse foi o top na época)
    2016: Lumia 650
    2017: Redmi Note 4
    2018: Redmi Note 5 (aguardando os chineses me enviarem)


  • depende do aparelho... 2 em 2 ... 3 em 3


  • Eu troco de acordo com minha necessidade/oportunidade de compra e também conforme minha (falta de) paciência pra lidar com certas coisas. Estou apenas no meu terceiro smartphone, o segundo Android (do qual não pretendo mais sair). O primeiro foi um Galaxy S2 Lite, que enquanto era novidade, era "perfeito". Mas bastou receber o Android 4.1.2 oficial que a dor de cabeça começou, o que só consegui resolver com uma rom CM baseada no Lollipop.
    Fiquei com este aparelho por uns 2 anos, mas o baixo armazenamento, a redução do rendimento da bateria e a queda de desempenho me fizeram partir pra outra. Na época vinha acompanhando as promessas da Microsoft quanto às atualizações para o Window 10 Mobile para boa parte da linha Lumia, quando apareceu a oportunidade de comprar um Lumia 1020 por um preço muito bacana. Resolvi dar uma chance ao Windows Phone e, para minha surpresa e de muita gente, quando a versão final da atualização começou a ser liberada, o 1020 tinha ficado de fora da lista. A opção, então, seria ficar com uma versão beta do Windows 10 Mobile, ou voltar para o Windows Phone 8.1...
    Era a sacanagem que faltava pra eu voltar pra o Android, e aí comecei a monitorar os preços de alguns aparelhos intermediários atuais e tops de anos anteriores. No começo de 2017 apareceu uma promoção de Zenfone 3 5,5 64gb por pouco menos de 1,3k e dei adeus ao Lumia, que ao menos me rendeu uma grana bem razoável na venda (quase o mesmo preço que paguei quando comprei ele numa loja da Tim).
    O plano é ficar com este aparelho por mais um ano, no mínimo. É pouquíssimo provável que ele receba outra atualização de sistema operacional, mas se continuar recebendo os pacotes de segurança já será de muito bom tamanho. Embora não seja um top, o aparelho não dá qualquer sinal de que estaria próximo ao seu limite de desempenho, a duração da bateria é acima da média ao que eu estava acostumado (com meu padrão de uso, consigo mais de 30h com certa facilidade) e ainda tem muito espaço sobrando no armazenamento (com 95 aplicativos instalados - mais do que tudo que tinha disponível na loja do Windows Phone... rsrsrs).
    Quando chegar a hora de trocar, vamos ver quais serão as opções. Certezas, só duas: do Android não saio mais, e se possível vou passar longe do tal de "notch"...


  • O ideal pra mim é de 2 em 2 anos. É o tempo que começo a me incomodar com lentidão e a bateria não aguenta de forma satisfatória.


  • Eu troco conforme outro aparelho me interessa.


  • Bom, pra mim, celular deve ser trocado de 3 em 3 anos, a não ser que tu tenha o seu celular roubado ou sofre uma queda e para de funcionar. Próxima troca só em 2021


  •   42
    Conta desativada há 10 meses Link para o comentário

    Eu comprei o meu G5 Plus por causa dos itens 2, 3 e 4(meu Moto G3 16 GB antigo tinha esses problemas).


  • Eu não ligo muito para grandes atualizações. Na verdade elas sempre trazem mais bugs do que melhorias. Eu troco de telefone todo ano porque simplesmente chega uma hora que eles não me satisfazem mais. São bons em algumas coisas, mas pecam em outras. É como se tirassem de mim com uma mão, mas me dessem com a outra. Atualmente estou focando em multitasking levemente decente (6 aplicativos no máximo), bateria decente e câmera aceitável (com boa iluminação, foco esperto e boa estabilização em vídeos), sem gastar uma fortuna e sem ser muito defeituoso, é claro, mas tá cada dia mais difícil.


  • No mínimo de 2 em 2 anos , se for um top dá pra aguentar 3 de boa, ou se vc tiver dinheiro de sobra ignore todas as anteriores, e compre quando lhe der na telha.


  • Se eu tivesse escrito essa matéria, ela teria apenas uma linha.

    Quando trocar, de 3 em 3 anos.

    Obrigado. kkkkkkkkkkkkkkkk


  • Tenho o mesmo celular há dois anos, e ainda me atende bem, só a bateria que não dura tanto quanto antes, mas isso se resolve comprando uma nova


  • Tenho um Zenfone 5,só troco pelo novo 5,ou ele ficar lerdo, tirando o péssimo consumo de bateria,ele ainda é honesto quanto ao desempenho.


  • ano passado troquei 3x de aparelhos este ano estou sossegado com o S8+


  • CURIOSIDADE (e sugestão de matéria ou ENQUETE) para o Android Pit: quando o usuário "descarta" um smartphone isso significa o que exatamente? Ele joga fora, vende, esquece na gaveta, dá para um parente?


  • Suas fotos estão ficando mais feias do que a noiva do Chucky.... KKKKKKKKK rindo até agora. Gostei da linguagem do texto. Muito descontraída mais sem perder o caráter informativo do site.


  • Usar a atualização do Android como critério pra trocar de celular... aí ferrou. Teria que ser todo ano! Acho que devemos sempre comprar um aparelho com Android atualizado (hoje, o 7.1 já basta) e aguardar 2 anos. É praticamente impossível um aparelho intermediário tornar-se defasado antes de 2 anos.


  • para ser bem sincero, o meu anterior foi moto x1 e hoje desde janeiro é o moto x4


  • Um dos motivos pra querer adquirir um novo smartphone agora em 2018 é a bateria. Só estou aguardando o momento certo pra fazer isso. Como estou mais experiente na escolha do tipo de hardware correto, já tenho em mente que ele deve ter um ótimo desempenho e uma duração de bateria de no minimo 2 dias em uso moderado e o principal: Carregamento turbo.


  • Sei lá , gosto em conhecer interfaces de usuário novas , atualmente usando Núbia UI é gostando, troco o meu celular principal ( para trabalho)a cada 2 anos e o 2o que é exclusivamente para uso particular a cada 12 meses


  • Eu queria trocar de dois em dois anos, mas sempre faço besteira e acabo trocando de ano em ano. Saí de um, que já tinha mais de 15 meses de uso, que tinha tudo que precisava e com memória interna abundante, porém, passei para outro que, na pressa de comprar, não olhei a quantidade de memória Rom e tinha quase tudo, mas, vinha com menos da metade da memória interna do anterior. Resultado, já estou vendendo para comprar outro.


  • Troco de smartphones conforme a necessidade. Antes do meu atual, era um Galaxy Note4, antes dele um Moto X 2013 e antes, um S3. 2 anos e 5 meses, 1 ano e 3 meses, 1 ano, a exemplo, respectivamente. Com cada. Quanto maior qualidade, podendo-se ser associada a sua faixa de valor, maior tempo tendo a ficar com ele.


  • atualizacões de segurança só chega com mais frequencia nos tops, os demais só Deus na causa e as versões mais recentes do android celulares de entrada att 1 vez e pronto e os intermediarios talvez 2 depende da fabricante então haja dinheiro pra trocar de celular todo ano só assim pra ficar atualizado de vdd.


  • Eu troco o smartphone avaliando as oportunidades. Comprar um novo aparelho depende muito mais do meu financeiro do que do aparelho em si. Mas eu costumo ficar no máximo um ano e meio com um smartphone.


  •   62
    Conta desativada há 10 meses Link para o comentário

    Vamos lá, para se comprar um novo smartphone, vamos aos vetores os quais considero importantes:

    Pesquise o que você deseja num aparelho, se é custo benefício, potência, câmera, bateria, enfim, seja prudente, opte por conhecer primeiro o aparelho numa loja física, veja reviews, não seja afoito, como grande parte das pessoas são, faça uma escolha assertiva, sensata, equilibrada, não rasgue dinheiro, coloque os prós e contras.

    Vamos a algumas observações:

    Aparelho de entrada; Certamente é uma boa opção se você quiser pagar pouco, utiliza muito pouco os recursos do aparelho, se encaixa melhor para pessoas que praticamente não baixam aplicativos, ou muito poucos. Pessoal da velha guarda, usa mais celular.

    Aparelho intermediário: Uma escolha interessante, onde geralmente se encontram aparelhos mais potentes que a categoria de entrada, possui configurações mais robustas, como processador mais potente, mais armazenamento, memória e até bateria. Costuma ser a opção mais acertada, se você deseja um ótimo aparelho sem ser muito caro, possa entregar recursos interessantes, consegue na medida do possível, dependendo do modelo e preço, satisfazer a grande maioria das pessoas.

    Aparelho topo de linha: O supra sumo da tecnologia, onde se encontra as melhores configurações de hardware, trazendo o que há de melhor em tecnologia, claro, custando um preço incrivelmente mais alto. Se você é um cliente exigente, deseja o '' melhor '', quer ter os melhores recursos de processamento, armazenamento e câmera, embora a bateria, infelizmente nem sempre acompanha essa categoria, esse é o modelo mais indicado para você.

    Observação final: Como se vê, as categorias são bem distintas e bastante interessantes em suas respectivas configurações, caso opte por um aparelho mais simples, não queira que o mesmo tenha uma performance de topo de linha, pois não é o foco central do aparelho. Cada um desses modelos, sabendo escolher, consegue-se um excelente uso, lembrando, cabe a cada um saber o que está realmente comprando.

    Dica adicional derradeira, geralmente, caso você não precise de muita potência e nem quer usufruir dos melhores recursos de um smartphone, opte por um intermediário, existem vários aparelhos interessantes no mercado ou escolha um topo de linha do ano anterior, pois o preço baixa com o tempo. Nunca compre por impulso, seja inteligente, compre por necessidade, avalie criteriosamente porque precisa trocar de smartphone, tenha um uso consciente, boa sorte caso opte por um novo aparelho.


  • 1 e 2 me fizeram trocar recentemente, Moto X Force tava muito lerdo e não será atualizado para o Android 8.


  • Enquanto o novo celular tá pra chegar, usar um galaxy com 512 MB de RAM é um verdadeiro aprendizado de paciência na vida :-)