Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.
5 dicas essenciais para comprar uma Smart TV 4K sem gastar muito
6 min para ler 29 Comentários

5 dicas essenciais para comprar uma Smart TV 4K sem gastar muito

A hora de migrar para as TVs 4K chegará para todos. Eu mesmo estou passando por esse processo de transição de um modelo FullHD para outro com resolução maior e, a partir de dilemas que passei para encontrar o modelo ideal, resolvi criar esse apanhado de dicas que podem te ajudar a escolher uma Smart 4K gastando pouco.

Se você usa um smartphone Android

Basicamente, uma Smart TV é um televisor que conta com um sistema operacional capaz de rodar aplicativos conectados com a internet. Isso abre margem para que inúmeros modelos possam ser vendidos como Smart, independentemente da complexidade do sistema, da variedade de aplicativos e de tecnologias embarcadas. Logo, quem usa um smartphone acaba se beneficiando da conectividade entre o aparelho e a TV.

O Android é um sistema que pode ser usado em conjunto com inúmeras TVs, independente do sistema ou da quantidade de tecnologias embarcadas. Você pode, por exemplo, usar seu smartphone com sensor infravermelho para controlar a TV, espelhar a tela de aplicativos pelo Wi-Fi, transferir arquivos sem fio ou através de cabos e até mesmo criar um set-top box completo a partir de um smartphone Android que você tenha aposentado.

AndroidPIT honor view 10 0025
Usando seu Android como controle de TVs e outros acessórios / © AndroidPIT by Irina Efremova

Portanto, engana-se quem acha que smartphone Android e Smart TVs não são temas que andam de mãos dadas. A própria Apple está tentando criar essa ponte entre iPhones e outras Smart TVs que não contam com a Apple TV, adicionando o suporte ao AirPlay 2 e também à iTunes Store a modelos da Samsung, da Sony e da LG para que usuários de iOS também possam espelhar seus smartphones nessas TVs.

O sistema operacional é importante

Sim, o sistema operacional de uma Smart TV é importante para uma experiência de uso melhor. É claro que você pode espelhar aplicativos através do celular, mas usar um sistema operacional completo também tem suas comodidades.

O Android TV pode ser a opção mais indicada pela integração com a plataforma da Google, principalmente por contar com um ecossistema completo de aplicativos e recursos. Acontece que este sistema não é o mais avançado disponível hoje em dia, e nem mesmo o mais funcional. Tudo dependerá do hardware da sua Smart TV.

O WebOS, usado nas TVs da LG, é de longe a melhor plataforma para quem quer se aventurar no mundo das Smart TVs. A série UK6310, por exemplo,  tem opções a partir de 43 polegadas e conta com a versão mais recente e completa do WebOS, a 4.0, e você pode adquirir separadamente um controle remoto com microfone para controlar a TV com comandos de voz em português. Mesmo sem o controle, essa série pode ser uma opção interessante de baixo custo para quem quer entrar no mundo das Smart TVs 4K.

mastvsam
Tizen será o único sistema com a iTunes Store / © Samsung

Outro sistema igualmente popular e que estaria em um segundo lugar entre o WebOS e o Android TV é o Tizen, da Samsung. A série NU7, especificamente o modelo NU7100, roda a versão mais recente do Tizen e proporciona uma integração diferenciada com aparelhos Samsung a partir do Android Nougat. O investimento é o mesmo da TV LG acima, mas há diferenças consideráveis entre cada SO. O Tizen OS, diga-se de passagem, será o único a ganhar acesso à iTunes Store neste ano.

Modelos 4K de entrada

É claro que, além das opções de entrada com bom custo/benefício que mencionei acima, você encontrará outras marcas que oferecem Smart TVs 4K com sistemas diferentes. A TCL é um exemplo de marca que tem se posicionado bem nesse segmento, assim como a Philips e a Panasonic. Uma opção da TCL semelhante aos exemplos que dei acima da Samsung e da LG é a P6US, que custa um pouco mais que as outras duas mas traz tela maior.

Toda marca vende um modelo mais simples que carrega um sistema proprietário, mas que roda os principais aplicativos do momento, como Netflix ou Globoplay. A Philco, por exemplo, tem opções de TVs com a loja Aptoide pré-instalada de fábrica, que tem apps compatíveis com o Android, enquanto a Sony e a própria TCL têm opções com e sem Android TV. Essas TVs mais básicas também entregam controles remotos especiais, com teclas dedicadas ao Netflix, por exemplo.

Sony android tv 15
Modelos de entrada já contam com controle diferenciado  / © AndroidPIT

Conexões e tecnologias de tela

Alem dos sistemas, que também influenciam no preço, existem algumas tecnologias e padrões básicos que você precisa observar na hora de levar uma Smart TV 4K para casa. O nível de brilho do painel é importante, assim como o alcance do contraste e das cores (RGB é melhor que RGBW por entregar mais fidelidade de cor e menos distorção em tons brancos).

A taxa de atualização também é outro ponto a se observar, sendo 60Hz o ponto base. Telas LCD IPS contam com melhor ângulo de visão, enquanto que a tecnologia VA (Vertical Alignment) exibe constraste e cores mais intensas.

No básico, é importante que a TV traga um processador dual-core, no mínimo duas portas HDMI (HDMI 2 em modelos mais básicos e 3 em modelos mais avançados), Wi-Fi, ao menos três portas USB 2, porta Ethernet para conexão à internet via cabo e sistemas dedicados para processamento de som e imagem que consigam otimizar a qualidade do que é reproduzido, como melhorar a exibição de conteúdo em HD ou FullHD na tela 4K (processo chamado Upscaling). O HDR é essencial em qualquer modelo básico de Smart TVs 4K, não abra mão dele.

IMG 7491
Além de um controle avançado, exija o HDR e outras tecnologias essenciais / © AndroidPIT

Alternativas econômicas

Hoje em dia, existem Smart TVs com resolução FullHD e tecnologia HDR, por exemplo, mas que são menos atraentes que modelos 4K de entrada. Outra dica interessante aqui é apostar numa TV 4K com apenas o essencial e investir em uma set-top box que traga hardware mais potente, armazenamento interno maior e ecossistema melhor. 

O Chromecast, por exemplo, não é um set-top box, mas pode ser uma opção mais simples e funcional para quem não faz questão de usar controle remoto e prefere controlar a TV pelo celular. O Amazon Fire Stick é uma alternativa ao Chromecast, com controle remoto e ecossistema da Amazon. O mais interessante aqui é que o Chromecast de primeira geração faz um trabalho tão bom quanto o de terceira, o que acaba gerando economia pois o primeiro modelo é mais barato.

chromecast firetv 04
Chromecast 3 e Amazon Fire Stick  / © AndroidPIT por Stella Dauer

Uma set-top box com Android TV ou sistema semelhante pode custar menos de R$ 300 no mercado nacional ou até mesmo via importação. O Chromecast e a Amazon Fire também custam aproximadamente o preço de um Set-top. A conta aqui pode ficar mais interessante dependendo do seu orçamento.

E aí, você já usa uma TV 4K? Qual modelo ou configuração você escolheria?

Facebook Twitter 74 Compartilhado

29 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Mostrar todos os comentários