Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

8 min para ler 31 Comentários

Facebook anuncia Termos e Política de dados mais claros e restrições de acesso

Lá vem o cão arrependido. Depois de quase duas semanas sofrendo com a repercussão mais negativa de sua história, o Facebook anunciou Termos e Políticas de dados mais claros e novas restrições de acesso. Tudo para tentar se redimir do caso Cambridge Analytica, que roubou dados de 87 milhões de usuários – e não 50 milhões como dito inicialmente. Eles estão tentando tanto que até um gráfico de qual país foi afetado está rolando na web – veja logo abaixo.

ca country list
Pessoas que tiveram suas informações roubadas por país / © Facebook/Divulgação

Foram duas as novidades. A primeira delas uma atualização nos planos para restringir acesso aos dados no Facebook, e a segunda um trabalho de tornar os Termos e Política de dados mais claros, sem solicitar novos dados no Facebook.

Então, vamos por partes.

Atualização nos planos para restringir acesso aos dados no Facebook

O Facebook disse que ia revisitar as informações que aplicativos podem utilizar quando o usuário os conecta ao Facebook e o fez. Agora, a empresa está detalhando nove das mudanças feitas para, segundo eles, "proteger ainda mais suas informações no Facebook". São elas – nas palavras do próprio Facebook, mas com grifos meus.

  1. API para Eventos: até hoje, as pessoas podiam permitir que aplicativos obtivessem informações sobre eventos que elas organizavam, incluindo eventos privados. Isso tornou mais fácil a inclusão de Eventos do Facebook em calendários, ingressos e outros aplicativos. Mas os Eventos do Facebook têm informações sobre a presença de outras pessoas, bem como postagens no mural do evento. Por isso é importante garantir que os aplicativos usem o acesso de maneira apropriada. A partir de hoje, os aplicativos que usam a API não poderão mais acessar a lista de convidados ou as postagens no mural de eventos. E, no futuro, somente aplicativos que aprovarmos e concordarem com requisitos rigorosos poderão usar a API de eventos.
  2. API para Grupos: até hoje, os aplicativos precisavam da permissão de um administrador ou de um membro do grupo para ter acesso ao conteúdo de grupos públicos ou fechados, e a permissão de um administrador para grupos secretos. Esses aplicativos ajudaram os administradores a publicar e responder facilmente ao conteúdo em seus grupos. No entanto, existem informações sobre pessoas e conversas nos grupos que queremos ter certeza de que estão protegidas. No futuro, todos os apps que usarem a API de Grupos precisarão ser aprovados pelo Facebook e por um administrador para garantir que eles beneficiem o grupo. Os aplicativos não poderão mais acessar a lista de membros de um grupo e também removeremos informações pessoais, como nomes e fotos de perfil, anexadas a postagens ou em comentários que os aplicativos aprovados podem acessar.
  3. API para Páginas: até hoje, qualquer aplicativo poderia usar a API para Páginas para ler publicações ou comentários de qualquer página. Isso permitia que os desenvolvedores criassem ferramentas para ajudar os donos de páginas a fazer coisas como agendar publicações e responder comentários ou mensagens. Mas também permitia que os aplicativos acessassem mais dados do que o necessário. Queremos garantir que as informações das Páginas sejam disponibilizadas apenas para aplicativos que tragam serviços úteis à nossa comunidade. Portanto, a partir de hoje, todo acesso futuro ao API para Páginas deverá ser aprovado pelo Facebook.
  4. Facebook Login: há duas semanas, anunciamos mudanças importantes no Facebook Login. A partir de hoje, o Facebook precisará aprovar todos os aplicativos que solicitem acesso a informações como check-ins, curtidas, fotos, publicações, vídeos, eventos e grupos. Começamos a aprovar essas permissões em 2014, mas agora estamos tornando o nosso processo de análise mais rigoroso, solicitando que esses aplicativos concordem com rígidos requisitos antes que possam acessar os dados. As pessoas não poderão mais conceder aos apps acesso a informações pessoais, incluindo crenças religiosas ou políticas, status e detalhes de relacionamento, listas personalizadas de amigos, histórico escolar e profissional, atividades físicas, de leitura e musicais, leitura de notícias, hábitos de assistir a vídeos e de acesso a jogos. Na próxima semana, removeremos a capacidade dos desenvolvedores de solicitar dados que as pessoas compartilham com eles caso o aplicativo não tenha sido usado nos últimos três meses.
  5. Plataforma de API para o Instagram: A partir de hoje estamos diminuindo a efetividade da Plataforma de API para o Instagram, como anunciamos recentemente. 
  6. Busca e Recuperação de Conta: até hoje as pessoas podiam inserir o número de telefone ou endereço de e-mail de outra pessoa na pesquisa do Facebook para ajudar a encontrá-la. Isso foi importante para encontrar amigos em idiomas que exigem mais esforço para digitar um nome completo, ou em casos onde muitas pessoas têm o mesmo nome. Em Bangladesh, por exemplo, esse recurso representa 7% de todas as pesquisas. No entanto, agentes maliciosos também abusaram desses recursos para coletar informações de perfis públicos ao enviar números de telefone ou endereços de e-mail que já possuíam por meio de pesquisa e recuperação de conta. Dada a escala e a sofisticação da atividade que vimos, acreditamos que a maioria das pessoas no Facebook poderia ter tido seu perfil público afetado. Então agora desativamos esse recurso. Também estamos fazendo alterações na recuperação da conta para reduzir riscos futuros.
  7. Histórico de chamadas e texto: o histórico de chamadas e de texto é parte de um recurso opt-in para pessoas que usam o Messenger ou o Facebook Lite no Android. Isso nos permite classificar melhor as listas de contatos no Messenger e no Facebook Lite. No entanto, não precisamos manter o histórico completo de chamadas e de textos das pessoas para fazer isso. Por isso, estamos alterando esse recurso para enviar menos dados para o servidor e reter esses dados por apenas 12 meses.
  8. Provedores de Dados e Categorias de Parceiros: na semana passada, anunciamos nossos planos de encerrar as Categorias de Parceiros, um produto que permitia que provedores de dados terceiros oferecessem sua segmentação diretamente no Facebook.
  9. Controles de aplicativo: Por fim, a partir de segunda-feira, 9 de abril, mostraremos às pessoas um link na parte superior de seu Feed de Notícias para que elas possam ver quais aplicativos elas usam e as informações que compartilharam com esses aplicativos. As pessoas também poderão remover aplicativos que não desejam mais. Como parte desse processo, também informaremos às pessoas se suas informações podem ter sido compartilhadas de maneira inadequada com a Cambridge Analytica.

Termos e Política de dados mais claros

Todo mundo sabe que os Termos e Política de dados é aquele documento que todo mundo concorda, mas não lê. E um dos motivos pelos quais as pessoas não leem é porque ele é difícil de entender. Agora o Facebook diz que vai explicar os serviços que oferece em uma linguagem mais simples de compreender e atualizar sua Política de dados para detalhar melhor quais dados coletam, e como os usam no Facebook, Instagram, Messenger e outros produtos.

Segundo a empresa, eles não estão pedindo novos direitos para coletar, usar ou compartilhar seus dados no Facebook. Nem mudando nenhuma das opções de privacidade que as pessoas possam ter feito. Aqui estão seis exemplos de pontos que devem ficar mais claro no novo Termo e Política de dados.

Os grifos, de novo, são meus, e as palavras do Facebook.

  1. Novos recursos e ferramentas: estamos fornecendo informações sobre recursos introduzidos recentemente. Diferente da última atualização de nossos Termos e da Política de dados há três anos, agora é possível comprar e vender itens no Marketplace, iniciar uma arrecadação para uma causa que você defende, compartilhar vídeos nos formatos Live e 360, e também adicionar efeitos criativos em suas fotos.
  2. Experiência personalizada: a experiência de todos no Facebook é única e estamos detalhando como isso funciona. Explicamos como usamos os dados para personalizar as publicações e os anúncios que você vê, bem como os Grupos, amigos e páginas que sugerimos.
  3. O que compartilhamos: nunca venderemos suas informações para ninguém. Temos a responsabilidade de manter as informações das pessoas seguras e protegidas, impondo restrições rigorosas sobre como nossos parceiros podem usar e divulgar dados. Explicamos todas as circunstâncias em que compartilhamos informações e tornamos mais claros os nossos compromissos com as pessoas.
  4. Publicidade: você tem controle sobre os anúncios que você vê e nós não compartilhamos suas informações com os anunciantes. Nossa política de dados explica mais sobre como decidimos quais anúncios mostrar para você.
  5. Uma única empresa: o Facebook faz parte da mesma empresa como WhatsApp e Oculus, e explicamos como compartilhamos serviços, infraestrutura e informações. Também deixamos claro que o Facebook é a entidade corporativa que fornece os serviços do Messenger e do Instagram, que agora usam a mesma Política de Dados. Sua experiência não está mudando com nenhum desses produtos.
  6. Informações do dispositivo: as pessoas pediram para ver todas as informações que coletamos dos dispositivos que elas usam, e perguntaram se respeitamos as configurações no seu aparelho (a resposta é: sim). Também adicionamos mais detalhes sobre as informações que coletamos quando você sincroniza seus contatos com alguns de nossos produtos, incluindo o Histórico de chamadas e SMS.
  7. Identificando comportamentos prejudiciais: explicamos melhor como combatemos abuso e investigamos atividades suspeitas, inclusive ao analisar o conteúdo que as pessoas compartilham. Por exemplo, no ano passado, anunciamos grandes investimentos em inteligência artificial e aprendizado de máquina para encontrar e remover com mais rapidez conteúdos que violam nossas políticas.

Vai ler o Termo dessa vez? Ele está aqui.

E aí, vai dar uma chance para o Facebook?

33 Compartilhado

Os comentários favoritos dos leitores

  • Phelipe B. há 4 meses

    Agora que as ações do Facebook começaram a se desvalorizarem, ela vai tentar se mostrar uma empresa santa, só que não é.

  • Sidney há 4 meses

    Bla bla, blablabla, blabla, blablabla blabla.... e nós vamos continuar vendendo seus dados para anunciantes porque isso dá um dinheiro que vocês nem imaginam.

  • David CD há 4 meses

    Facebook comete muitas mancadas. Uma delas, é a dificuldade para excluir a conta permanentemente, é uma dificuldade absurda para achar essa opção. Deveriam rever isso, pois desativar a conta não é o mesmo que excluir, seria bom ter essa opção com fácil acesso.

  • Bruno Monin há 4 meses

    Todos sabem que o preço pra usarmos ferramentas gratuitas na internet são os nossos dados, meio que não tem como fugir disso mesmo deletando todas as redes, sempre vai ter alguma coisa com nossos dados. E por isso, não me importo. Eu só queria que o app do FB no Android fosse mais fluido. kkkkkkkkk...

  • Sidney há 4 meses

    Vinicius, 75% da população brasileira nunca comprou um livro. Dos que compraram, não sabemos quantos realmente leram, e dos que leram, quantos será que entenderam? O que esperar disso tudo? Somente postagens de gente fazendo biquinho e mostrando o que está comendo ou bebendo. Nada mais.

31 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Mostrar todos os comentários

Recommended articles