Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.
O fim da linha Galaxy J não era apenas esperado, era óbvio
Hardware Samsung Opinião 3 min para ler 28 Comentários

O fim da linha Galaxy J não era apenas esperado, era óbvio

Prestes a lançar a nova e enorme linha Galaxy A 2019, a Samsung anuncia que a icônica linha Galaxy J deixará de existir, sendo mesclada com essa que chega amanhã, com uma série de aparelhos. A possibilidade de extinguir sua linha mais básica era comentada há anos pela imprensa especializada, e ao surgir com a novidade hoje, a Samsung mostra muitas coisas.

O fim da linha J era esperado, todos nós sabíamos. Há diversos fatores para essa extinção, e um deles é o estigma que a linha popular da empresa, que contém aparelhos extremamente simples e básicos como o Galaxy J1, carregava. A linha J não era um bom exemplo de reputação para Samsung, e sua morte era certa frente a uma nova era na empresa.

Nos últimos meses, vimos algumas "aberrações" como os novos J8 e J6, que chegaram a preços pouco condizentes com a linha. Ao mesmo tempo, vimos o A6 e o Galaxy A6+ aparecendo, levando a linha mais premium da Samsung a patamares mais baixos. Era um enorme sinal de que a Samsung estava fazendo seus últimos ajustes para concluir uma fusão.

Outro fator gritante contribuiu para isso, e você sabe qual é. Basta pegar os preços de aparelhos de um concorrente que incomoda a empresa, como a Xiaomi. Seus maiores sucessos têm ótimo custo/benefício, fazendo a linha Galaxy J parecer desconectada do mercado como um todo. Os tempos são outros, as chinesas avançam em alta velocidade e a Samsung não pode ficar parada.

Por isso, a jogada foi bem acertada. No mercado mundial, a linha Galaxy A tem melhor fama, mais reconhecimento e melhor percepção de valor por parte do público. Começar a trazer aparelhos que antes eram da linha J sob essa bandeira mais "chique" faz com que o consumidor também perceba o produto como mais premium, mais valioso e o deseje mais.

No Brasil o consumidor já está mais maduro em relação às suas escolhas de aparelhos, que geralmente já não é mais o primeiro. Na Ásia essa maturidade está maior ainda, e o usuário já está em seu terceiro ou quarto aparelho, já sabe escolher melhor e já sabe que quer melhores produtos para si. Sob essa ótica, o fim da linha J era não apenas esperado, mas óbvio.

AndroidPIT Samsung Galaxy A6 8756
Galaxy A6: linha A ou linha J? / © AndroidPIT by Irina Efremova

Por aqui, deve causar algum estranhamento de início, mas com os rios de dinheiro que a sul-coreana tem para gastar em marketing, comerciais de TV e divulgação, logo irá direcionar o público para essa renovada linha, e continuará fazendo o sucesso de sempre.

E você, acha acertado o fim da linha J e a reformulação da linha A?

Os comentários favoritos dos leitores

  • Stella Dauer há 2 meses

    Eu não sei bem o que vai ser da linha M. Acredito que fique apenas na Ásia, apesar de terem homologado alguns no Brasil.

  • Rafael Nunes há 2 meses

    A Samsung fez uma mistureba tão grande que até hoje não consigo ver vantagem de um modelo para o outro. E Depois que ela fez o A6, não tinha por que ter um modelo da linha J, que com certeza já era uma transição para a linha A. Mas ainda sim, na minha opinião a samsung deveria manter uma linha básica, intermediária e premium, ao invés de fazer várias derivações de modelos.

28 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • A boa notícia é que aquelas pessoas que não saem de uma marca só (geralmente pq a última aposta deu certo) vão ter um upgrade mais decente com a nova linha A.


  • Demorou pra morrer essa linha. Não sei se teve relação, mas considerando o conjunto da obra que o Moto G tinha lá no início, pode explicar a falta de inovação nos últimos anos, já que a Samsung não era concorrente a altura com aparelhos dessa linha J.


  • A mesma coisa vai acontecer com a linha A.. Já já a Samsung inventar uma outra linha e encerrará do nada a linha A... Anotem aí.. Kkkkkk


  • Mudam o nome a linha J para A e usam isso como justificativa do preço mais alto.
    Parabéns dona Samsung...


  • A grande questão é que, como já foi levantado abaixo, o mercado brasileiro, mesmo evoluindo ainda sofre um pouco com o que vem sendo praticado à anos, é fácil empurrar goela abaixo um aparelho básico por um preço maior, porque o varejo faz isso. Não são todos que possuem um cartão de crédito com limite de pelo menos 2 mil para comprar um celular online e parcelar por lá, e muito menos que dispõem desta quantia à vista pra comprar um melhor. Fica mais fácil ir naquela varejista famosa e sair com um carnê com 24 folhinhas grampeadas e pagar mensalmente um valor que encaixa no salário, mesmo que por conta disso o smartphone seja basicão com preço de top de linha.
    Essa "nova" linha A vai servir pra Samsung aumentar o preço médio de todas as categorias básicas e de quebra, aumentar a valorização das suas linhas mais caras, a S e a Note.


  • Aos desavisados de plantão os celulares vendidos aqui são caros por terem uma carga tributária alta "os nacionais" ( chinesada da gargalhadas á grande ) dificilmente sofrerão reduções de preços por ação do consumidor ,por que ? ora porque as parcelinhas falam.mais alto do que qualquer bláblablablá retórico ,importar requer conhecimento que o brasileiro médio não possui em sua maioria


    • Sim, a carga tributária no país é alta, os salários são baixos, as pessoas não tem dinheiro, falta conhecimento sobre importação, e elas não são obrigadas a importar também. Compram parcelados porque é a melhor forma que encontram para adquirir um produto sem prejudicar a renda. Enfim, não dá pra criticar o tal "brasileiro médio" por conta disso.


  • J5 pro eh um lixo. Linha J eh a fragilidade reconhecida no meio.


    • discordo frontalmente!!! o j5 pro e muito bom pro usuário básico e até bem construído pra sua categoria , o que de fato pesou neste modelo foi a tela que custava acima de 50% do valor do aparelho .mas pra usabilidade eu não reclamaria usei por uns 15 dias e sinceramente não tenho reclamações .


  • J8 chegou aqui por quase 2 mil reais, um absurdo. Eu comprei ele de presente para minha mãe por R$ 1100,00 na última Black Friday


  • É impressão minha ou esses aparelhos não seriam a linha "M"?? Aliás a linha A já existe há alguns anos, não vejo novidade, vejo apenas o cancelamento de uma linha. Se pensar bem a Samsung tem um monte de aparelhos, que por mais que sejam ruins, dão muito lucro à empresa, isso é visível quando temos 20 amigos com um "J" e apenas um amigo com um "S"......... Com certeza essa mescla das linhas irá reduzir custos e aprimorar a experiência das pessoas que falam a famosa frase: "Não dou mil reais em um celular nunca"...... kkkk


  • A Samsung fez uma mistureba tão grande que até hoje não consigo ver vantagem de um modelo para o outro. E Depois que ela fez o A6, não tinha por que ter um modelo da linha J, que com certeza já era uma transição para a linha A. Mas ainda sim, na minha opinião a samsung deveria manter uma linha básica, intermediária e premium, ao invés de fazer várias derivações de modelos.


  • Acho que depois do J5 pro/J7 pro, não vi um smartphone da linha J que valesse a pena comprar. Esse J's de 2018 foram uma decepção


    • Concordo, tinham um bom custo benefício.


    • O J4,J4+,J6+,J4 Core e o J8, não foram bem falados.

      CAV


      • O J4+ e J6+ foram lançamentos desnecessários, seguindo quase a mesma lógica do Moto G5s e Moto G5s Plus.
        O J4 Core tem praticamente o mesmo visual do J4+, mas é inferior ao J4 original.
        E o J8 acabou sendo um A6 Lite, quando era pra ser superior ao J7 2017 (que aqui chegou na edição Pro).

        O J4 é apenas um J7 Neo levemente piorado.
        O J2 Core é um J2 Pro piorado em quase todos os aspectos: visual, hardware e UX "capada", remetendo ao passado (a TouchWiz Essence UX). E ainda prejudicou o J2 Pro, que não recebeu o Oreo por causa dele (que ironicamente receberá o Pie).
        O único que funcionou bem foi o J6, que infelizmente não teve a sorte do Moto G7 Power de ter recebido uma variante mais potente aqui no Brasil.

Mostrar todos os comentários