Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

Assim funciona o ALLO, o WhatsApp do Google

Assim funciona o ALLO, o WhatsApp do Google

O Allo, novo messenger criado pelo Google e apresentado no último Google I/O, foi hackeado antes de estar disponível no Google Play, graças a uma ação independente do desenvolvedor Quinny899, que também é membro do XDA Developers. Até o momento, o hack do app não é nada funcional, mas nos dá uma boa ideia de como será o programa. Testamos o mesmo e damos nossas primeiras impressões.

Interface simples

O Allo não tem muitas frescuras, sendo, basicamente, uma lista com todas as suas conversas. Para iniciar um bate-papo, você precisa apenas apertar o ícone de mensagem, que está no canto direito inferior da tela. Dessa forma, poderá escolher entre criar um chat em grupo com seu ícone e nome ou uma conversação privada com qualquer um de seus contatos. 

AndroidPIT allo app 3
Esta é a lista de conversas do Allo / © AndroidPIT

Há dois tipos de chats: os normais e os privados. Visualmente, cada um se diferencia pelo fundo de tela da conversação. Em chats normais, o fundo é branco, enquanto os chats privados trazem o fundo cinza e tem como marca d´água o mesmo logotipo da sessão de navegação anônima do Chrome

No menu da direita, temos algumas opções. A partir dele, podemos acessar o nosso perfil, as conversas arquivadas e os contatos bloqueados. Um pouco mais abaixo temos a opção de ajustes, onde é possível vincular uma conta a um número de telefone, assim como gerenciar o áudio e o comportamento das notificações

Chats fáceis e anexos rápidos 

Dentro de um chat, temos uma barra ao fundo da tela, onde podemos escrever uma nova mensagem, pois, quando tocamos sobre ela, um teclado surge. Na própria barra temos à esquerda um símbolo de "+" e à direita, um símbolo de anexar emojis e outro para enviar. 

Se o tocamos o símbolo "+" no fundo da tela, uma interface para anexar arquivos à conversação aparece. Até o momento, se vêem quatro ícones: teclado, câmera, galeria e contatos. É bem provável que, na versão final, mais ícones sejam adicionados, como um anexador de documentos ou geolocalização, como no WhatsApp. Mas a impressão que tive é que no Allo esse tipo de acesso tende a ser mais rápido. 

Allo UI 1
Chats em grupo / © ANDROIDPIT

Quando você escolhe um dos ícones (salvos no teclado), metade da tela se converte em uma interface para que seja inserida uma foto, que pode ser tirada com a câmera do telefone, escolhida na galeria ou a partir de um contato. Se metade da tela não for suficiente, você pode ampliá-la para cima e ter uma interface que pegue toda a tela do smartphone.

Quando escolhida a foto, é possível editá-las com desenhos feitos à mão livre e inserir um texto centrado na parte superior da imagem. 

Allo UI 2
Simples e intuitivo / © ANDROIDPIT

O Allo poderá acabar com o monopólio do WhatsApp?

O Allo tem alguns recursos muito bons, como a maneira de anexar arquivos ou tirar fotos - que me lembra muito o Snapchat - e é bem mais fluido que o WhatsApp. Outro ponto a favor será o fato do mensageiro utilizar o Google Assistant, o chatbot que ajudará o usuário a encontrar o que ele precisa em um instante. 

Mas, tendo em conta apenas as possíveis melhoras ou vantagens que o Allo tem frente ao WhatsApp, será muito difícil que o novo comunicador do Google lhe tire a liderança do mercado de messengers. É um verdadeiro desafio e mudar os hábitos dos usuários nunca foi fácil. Sobretudo porque a maioria das pessoas não pensa que tem um Android com aplicativos; elas pensam que tem um telefone com WhatsApp. Esse é o nível de enraizamento do app no cotidiano. 

Como ter o hack do Allo no seu smartphone

Para ter uma primeira impressão do Allo, é necessário ter um dispositivo com processador de 64-bits, que esteja rooteado com o Xposed e ter instalado o Titanium Backup.

O segundo passo é baixar alguns arquivos no site do GitHub com AlloAllo do desenvolvedor Quinny898. O primeiro é uma APK com um módulo do Xposed, que deveremos instalar, ativar o Xposed Installer e reiniciar o dispositivo. O segundo é um arquivo TiBkp, uma cópia de segurança do Titanium backup, com o aplicativo do Allo. Para restaurá-lo, entre no Titanium e o no menu e escolha "Importar cópia de segurança (.TiBkp)...'. Feito isso, busque o arquivo e importe-o.

Após essa etapa, você terá o Allo instalado no seu smartphone, mas não terá nenhum chat, já que ele não acessará sua lista de contatos e tampouco terá qualquer comunicação com o mundo exterior. Para simular algumas conversas, você terá de modificar a base de dados SQLite, que se encontra em data/data/com.google.android.apps.fireball/database e se chama fireball.db

Aqui, você tem as instruções do desenvolvedor para modificar a base de dados. Será necessário um aplicativo para poder editar o arquivo da base de dados. 

Você também pode baixar e substituir o arquivo por outro que eu mesmo preparei com algumas conversas. 

O que você achou destas primeiras impressões do Allo? Será que ele conseguirá desbancar o WhatsApp?

Artigos recomendados

Os comentários favoritos dos leitores

  • Pedro Remigio 04/06/2016

    Pra mim é desnecessário, whatsapp uso por todos usarem, mas meu preferido é o Telegram sem sombra de dúvidas. Creio que o ALLO não vão ganhar muito mercado, assim como o Hangouts,

  • Jabez Soares 03/06/2016

    Eu já tive a infelicidade de ver uma vendedora vendendo um celular para uma cliente...
    C _ O que vem nesse celular?
    V _ Ele tira foto, pega rádio e whatsapp.
    E as duas olhando para o celular...

    Isso me deu uma tristeza profunda.

76 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.