Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

7 min para ler 31 Comentários

Você conhece a historia do Android? Confira aqui toda sua trajetória

E pensar que, no próximo dia 24 de setembro, comemoraremos 10 anos do primeiro celular Android. Claro, no mundo tecnológico este é um período longo, mas além das melhorias exponenciais das características de hardware como a memória RAM e a CPU, que poderiam ser previsíveis, o Android revolucionou totalmente o conceito de telefone. Hoje, descobriremos juntos como ele se tornou o sistema operacional mais difundido no mundo.

Não digo que o Android tenha criado o primeiro smartphone. Talvez os BlackBerry possam ter esse título, devido à sua inovadora característica (no ano 2000) de ler emails, consultar os anexos e navegar pela internet. Naquela época, porém, cada celular dispunha de um sistema operacional próprio, fechado e avesso a evoluções.

blackberry 850
O BlackBerry 850, um dos primeiros modelos dos dispositivos BlackBerry / © Wikipedia

Evolução: esse foi o diferencial trazido por Andy Rubin, que em 2003 fundou, junto a outros grandes nomes, a Android Inc., uma sociedade para o desenvolvimento daquilo que ele próprio definiu como "dispositivos mais conscientes da posição e das preferências de seu proprietário".

Rubin e a sua startup puderam oferecer uma nova tipologia de sistema operacional móvel: Open Source (baseado no Kernel Linux), com uma interface simples, funcional e integrada a uma série de instrumentos, pensada para facilitar a vida dos outros desenvolvedores, mas sobretudo um sistema gratuito para todos que quisessem utilizá-lo.

Foi exatamente este último aspecto que convenceu Larry Page, fundador do Google, a aventurar-se nesse novo terreno, consciente de poder diversificar as estratégias da empresa, até então centradas sobretudo nos serviços de busca.

Em 2005 o Google comprou a Android Inc., e assim nasceu a Google Mobile Division. O mundo observou com ceticismo e curiosidade este acontecimento, que agora podemos definir como histórico. Como o Google poderia entrar em um mercado já bem consolidado nas mãos da Microsoft, com o seu Windows Mobile, e sobretudo dominado pela Apple e seu iPhone?

andy rubin larry page
À esquerda Andrew (Andy) Rubin e à direita Lawrence "Larry" Page / © Wikipedia

Dois anos depois, o Google dá novamente o que falar com uma incrível estratégia, oferecendo 10 milhões de dólares aos desenvolvedores que realizassem os melhores apps para Android partindo da primeira versão pública do Android SDK.

É neste ponto que se tornam claras as intenções do Google, que não quer realizar um “gPhone”, mas um dispositivo com um sistema flexível e adaptável, ideia muito distante daquela da Apple. Um ecossistema de software independente (o máximo possível) do hardware e aberto ao mundo dos desenvolvedores, sempre em conformidade com as intenções de Rubin.

Finalmente, em setembro de 2008, a enorme operadora americana T-Mobile anuncia o T-Mobile G1, o primeiro smartphone baseado no Android. Depois de mais ou menos um mês, o Google publica o código-fonte do Android 1.0 sob a licença Apache. Ele, portanto, se torna disponível a todos, e graças a esse fato podemos hoje flashear uma ROM customizada em nossos dispositivos Android.

O resto da história é mais conhecida, portanto não vou entediar ninguém com mais datas e acontecimentos. Minha intenção, em vez disso, é repercorrer a história das atualizações do Android. Cada nova versão representa um passo evolutivo substancial do que é hoje um dos pontos de referência para o mercado dos smartphones.

Caso ainda não saibam, cada versão ganha o nome de um doce, e a primeira letra desse nome deve seguir a ordem alfabética.

Android 1.5 – Cupcake (30 de abril de 2009)

cupcake
Nosso querido cupcake / © android.com
  • Melhoria da câmera;
  • Aumento da velocidade de localização do GPS;
  • Teclado virtual;
  • Carregamento automático dos vídeos no YouTube e Picasa.

Android 1.6 – Donut (15 de setembro de 2009)

donut1
Android Donut / © AndroidPIT (captura de tela)
  • Box de busca veloz e busca por voz;
  • Indicador do uso da bateria;
  • Reagrupamento da câmera e da galeria, além de novos modos de foto;
  • Função text-to-speech multilíngue.

Android 2.0 – Eclair (26 de outubro de 2009)

eclair
Android Eclair / © AndroidPIT (captura de tela)
  • Contas múltiplas per email e sincronização dos contatos;
  • Suporte a Bluetooth 2.1;
  • Nova interface de usuário do browser e suporte para HTML5;
  • Novas funções para o calendário.

Android 2.2 – Froyo (20 de maio de 2010)

froyo
Android Froyo / © AndroidPIT (captura de tela)
  • Suporte para criar hotspots (compartilhamento de conexão via WiFi);
  • Adobe Flash 10.1;
  • Teclado multilíngue;
  • Integração de um “widget guia” que ajuda a conhecer as funções do Android.

Android 2.3 – Gingerbread (6 de dezembro de 2010)

gingerbread
Android Gingerbread / © AndroidPIT (captura de tela)
  • Interface reformulada para maior simplicidade e velocidade;
  • Novo teclado para digitação rápida;
  • Seleção de texto e funções copia/cola;
  • Integração de chamadas pela internet.

Android 3.0 – Honeycomb (23 de fevereiro de 2011)

honeycomb
Android Honeycomb / © AndroidPIT (captura de tela)
  • Versão para tablet, interface otimizada para telas maiores;
  • Melhoria do multitasking, do gerenciamento das notificações, da personalização da homescreen e dos widgets;
  • Acrescentado o tethering através do Bluetooth;
  • Suporte integrado para transferir facilmente arquivos multimídia para o PC.

Android 4.0 – Ice Cream Sandwich (19 de outubro de 2011)

icecream
Ice Cream Sandwich / © AndroidPIT (captura de tela)
  • Nova fonte (Roboto);
  • Possibilidade de desbloqueio com o sorriso;
  • Acrescentada funções como gerenciamento dos cartões, dos favoritos e da captura de tela;
  • Acrescentado o swipe para esconder notificações, fechar páginas da web, etc;
  • Suporte a Wi-Fi Direct,  Bluetooth HDP e Android Beam.

Android 4.1 – Jelly Bean (27 de junho de 2012)

AndroidPIT Sony Xperia L Jelly Bean teaser
Android HJelly Bean / © AndroidPIT
  • Mais veloz, mais fluido e mais reativo aos inputs;
  • Widgets redimensionáveis;
  • Google Now, ditado vocal offline;
  • Melhorado o Android Beam;
  • Melhorias nas atualizações de apps.

Android 4.4 – KitKat (31 de outubro de 2013)

androidpit android kitkat
Android KitKat / © ANDROIDPIT
  • Suporte para Bluetooth MAP;
  • Novo framework para as transições na interface de usuário;
  • Suporte para a impressão sem fio;
  • Otimização da memória e da touchscreen para um multitasking mais veloz.

Android 5.0 – Lollipop (25 de junho de 2014)

lollipop
Android Lollipop/ © AndroidPIT (captura de tela)
  • Suporte para processadores de 64 bits;
  • Introdução do Material Design (nova diretriz de design do Android);
  • Substituição da máquina virtual Dalvik por ART;
  • Notificações na tela de bloqueio;
  • Introdução de recurso multiusuário para smartphones;
  • Modo de economia de bateria.

Android 6.0 - Marshmallow (29 de setembro de 2015)

mm
Android Marshmallow / © AndroidPIT (captura de tela)
  • Atalho para câmera no botão de energia;
  • Não perturbe "até o próximo alarme";
  • Novos emojis;
  • Otimização da gaveta de apps;
  • Acesso ao Google Now a partir da tela de bloqueio;
  • Now on Tap;
  • Personalização das Configurações rápidas;
  • Controle de permissões de aplicativos;
  • Melhor gerenciamento de energia - Doze Mode;
  • Gerenciador de RAM.

Android 7.0 - Nougat (22 de agosto de 2016)

AndroidPIT Android Nougat 9734
Android Nougat / © AndroidPIT
  • Encriptação nativa;
  • Fim da tela de otimização de apps;
  • Novos emojis;
  • Gráficos e tempo de execução;
  • Controlar o nível de importância das notificações manualmente;
  • Modo de Realidade Virtual;
  • Capacidade de alterar o tamanho da interface e da fonte;
  • Smartphones encriptados funcionarão mesmo após reiniciar inesperadamente;
  • Integração do "Mono Play” para os deficientes auditivos;
  • Responder mensagens pela barra de notificações;
  • Menu hambúrguer entre as configurações do sistema.

Android 8.0 - Oreo (21 de Agosto de 2017)

Oreo
Android Oreo / © AndroidPIT (captura de tela)
  • Mudanças na UI;
  • Canais de Notificação;
  • Novos Emojis;
  • Ícones Adaptativos;
  • Wi-Fi Aware;
  • Audio API para Pro Audio;
  • Efeitos e transições de áudio;
  • Project Treble;
  • Google Play Protect;
  • Otimizações de performance da bateria;
  • Play Console;
  • Picture-in-picture;
  • Seleção inteligente de texto.

Android 9.0 - Pie (6 de Agosto de 2018)

Android P WhiteBackground 1
Android Pie / © Google
  • Mudanças na interface;
  • Suporte ao notch;
  • Notificações melhoradas;
  • Multi-câmera;
  • Novos emojis;
  • App Actions;
  • Bateria adaptativa;
  • Slices;
  • Permissões mais diversificadas;
  • Google Lens;
  • Brilho adaptativo;
  • Dashboard;
  • Gestos;
  • Wind Down;
  • Não perturbe;
  • Bloqueio da câmera em segundo plano;
  • Atualizações de aplicativos;
  • JobScheduler;
  • GPS mais preciso;
  • Tema escuro;
  • HDR VP9 Profile 2;
  • ImageDecor.

Que o Android fica melhor a cada nova versão lançada, isso é evidente. Entretanto, há quem ainda prefira outras versões anteriores do SO do Google. Independentemente de qual a versão favorita para cada um, a verdade é que o Android veio para ficar como sistema operacional para plataforma móvel.

Você já conhecia a história do Android? Qual a melhor versão do Android na sua opinião?

98 Compartilhado

31 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Estreei no FroYo! E apesar de estar surfando na Oxygen (8) hoje, as versões que me marcaram foram Gingerbread e KitKat. ♥️

    Ps: odeio, sempre odiei e pra sempre vou odiar o Material Design. 😭


  • Se for pensar, quanto as versões do Android, dá até para tentar fazer uma analogia com o Windows:

    ► O Android 0.5 "lembra" o Windows 3.x, que era arcaico em diversos aspectos, mas criou a base para que as versões superiores pudessem evoluir;

    ► O Android 0.9 "lembra" o Windows 95, porque a estrutura que perdurou até o Android 2.3.7 (embora seja possível afirmar que ainda há resquícios nas versões atuais) veio dele;

    ► O Android 1.x lembra o Windows 98, já que foi aprimorando o que a versão 0.9 apresentou;

    ► (Pode ser meio exagerado, mas) o Android 2.0 lembra o Windows ME, não pelos seus problemas, mas porque foi uma ruptura entre a versão 1.x e as versões seguintes (vale destacar que só 1 aparelho veio com essa versão: O Motorola Droid - aqui conhecido por Millestone);

    ► Os Androids 2.1 e 2.2 lembram o Windows 2000;

    ► O Android 2.3 lembra o Windows XP por vários aspectos:
    1) Manteve o que tinha de bom das versões anteriores, mas conseguiu melhorar bastante a experiência de uso;
    2) A Google insistiu bastante nele, já que teve 7 sub-versões, já que nenhuma outra versão chegou a tanto;
    3) O povo demorou a "largar o osso" . Passou-se tantos anos depois de seu lançamento e ainda tem gente usando essa versão (o fato de muitos aparelhos da Samsung, Motorola e LG terem sido o pontapé inicial de muita gente no SO da Google e vários deles ainda terem feito bastante sucesso colaborou para essa situação), mesmo que os Google Apps já tenham tido o suporte encerrado (embora boa parte deles ainda funciona, mesmo que de forma precária), bem como o de diversos outros aplicativos.

    ►O Android 3.x é tipo o que foi o Windows Vista, tanto pela rejeição, quanto pela importância que teve para o surgimento da próxima versão;

    ►O Android 4.x é meio o Windows 7, já que aperfeiçoou a versão 3.x e ainda proporcionou uma identidade e experiência próprias, que se mostrou bem positivo para o ambiente em si;

    ► O Android 5.x lembra mais ou menos o Windows 8, já que tentou propôr uma nova experiência, mas acabou sendo bem problemática e controversa;

    ► Os Android 6.x e 7.x lembram mais ou menos o Windows 8.1 (e os seus updates incrementais), pois tentou estabilizar o que de melhor teve na versão anterior, mas ainda procurou incrementar algumas funcionalidades.

    ► Do Android 8.x em diante, é meio que o Windows 10 (e as suas diversas atualizações minoritárias), pois mantém todo um ambiente conseguido nas versões anteriores, e ainda procura propor algumas boas novidades (relevantes ou não), mesmo que pontuais, seja no design, seja nas funcionalidades (aprimoramento das existentes ou criação de novas).


  • Já usei as versões do Android 2.3/4.0/4.1/4.2/4.3/4.4/5.0/5.1/6.0
    A melhor de todas foi a Kit Ket!!


  • KitKat foi a mais revolucionária, sem dúvidas

    CAV


    • Não existe exatamente um consenso quanto a isso.
      Alguns vão dizer que foi o Ice Cream Sandwich (o que particularmente acredito que faça mais sentido, por ter rompido com a experiência de uso do Gingerbread, que ainda tinha muito resquício da versão 0.9).
      Outros vão dizer que foi o Lollipop (pelas mudanças visuais e tudo mais, onde muito ainda persiste nas versões atuais).

      Eu particularmente discordo de você, porque o KitKat ainda tinha muito do Ice Cream Sandwich nele, com basicamente algumas mudanças herdadas ou não do Jelly Bean, e melhorias de estabilidade (este, sim, que acabou fazendo sucesso).
      E o que ajudou o KitKat foi o mesmo que ajudou o Gingerbread: a boa adoção por parte das OEMs, seja atualizando um aparelho antigo, ou lançando um aparelho novo com ela.


  • faltou colocar no tópico do Nougat o recurso da tela dividida


  • quando comecei no mundo Android primeira versão que usei foi a 2. 1 eclair..... a partir daí usei todas as versões do Android contando também com a honeycomb


  • Eu que não conhecia a história do Android, amei a matéria! Parabéns ao editor.
    Venho do KitKat para cá, mas não sei se meu aparelho vai receber mais atualização.


  • Adorei a matéria, bem informativo, eu sendo curioso consegui matar bastante, sou bem novo e não tive todas as versões mas acho muito legal essa evolução, importantíssimo para todos nós hoje em dia...


  • que matéria show, só não tive a primeira versão mas da segunda pra frente eu tive todas as versões do android e é muito legal ter participado dessa evolução!

    CAV


    • Aqui no Brasil, praticamente o Android começou na versão 1.5, mesmo (com o HTC Magic, embora o primeiro aparelho lançado aqui foi o Samsung Galaxy - GT-I7500, em Setembro de 2009, já com o Android 1.6 Donut).
      A versão 1.0 foi exclusiva do HTC Dream, aparelho não lançado no Brasil (e que ainda recebeu a versão 1.1).


  • Espero que para o futuro, o Android melhore alguns itens como uma interface mais padronizada com mais funções, tenha atualizações por pelo menos 3 anos e continue sendo um sistema atrativo, mas organizado. Chega de comprar um aparelho, esperar por uma atualização como a versão 7 ou 8, que muitas pessoas não tem e a 9 já lançado. Acho isso péssimo para o usuário, que deveria ser mais respeitado, afinal, paga-se um valor considerável para ter um aparelho Android, sendo que esses por menores devem ser resolvidos de uma vez por todas.

    Gosto do sistema, mas por causa desses problemas e de opções no mercado no mundo Android, decidi que meu próximo aparelho, depois de longos 7 anos no sistema, será um Apple, não por gostar da referida maçã, longe disso, mas não sou obrigado a comprar aparelhos gigantes sem grandes novidades. É preciso ter opções nesse mercado e só a Apple tem, no caso o iPhone SE, o qual irei comprar em breve, atende aos meus requisitos, esse foi um dos motivos também de não comprar mais nenhum Samsung, a mesmice de sempre, sem trazer nenhum benefício ao seu cliente.

    Fica a menção a Sony pelo Xperia XZ2 Compact mas o preço na casa dos R$3.000,00, embora eu possa pagar, mas minha lucidez não permite fazer esse desaforo todo. Já cansei de enviar feedbacks as empresas, mas, elas não pensam no consumidor, ou você se adapta a esse mercado ou muda de marca ou de sistema. Não irei abandonar o Android, pois tenho um J1 Mini, o qual me serve para o uso simples no dia dia, mas peca na ausência de potência e 4G, que sinto falta. No mais, torço, para que o Google olhe mais o que o usuário deseja, pois nada é perfeito, inexiste empresa perfeita, sempre comento isso, mas temos que olhar o que nos atende. Nunca pensei em comprar um iPhone, como também tive o Lumia 730 e foi um excelente aparelho, mas pecava nos aplicativos, enfim, uma escolha mais sensata é o ideal.


    • Também adoro o Android, mas as empresas não pensam em todo o seguimento de consumidores! Por exemplo, não gosto de aparelho grande e é basicamente a única opção que se encontra no mercado. Você não tem para onde correr.
      Tive o iPhone 4 a qual gostei muito no geral, exceto duração de bateria (que com pouco mais de 1 ano de uso começou a decair demais) e a conexão bluetooh (que só fui descobrir tempos depois que só serve de iOS para iOS - não sei se isso mudou nos aparelhos mais recentes).
      Estou muito reticente em ter que trocar meu atual aparelho por outro que seja grande demais e fico assim na dúvida. Outro iPhone? Talvez. Sinceramente não é minha vontade, mas ... está difícil !!


  • Interessante que todos os 170 comentários postados antes da atualização da matéria em 12/08/2018 foram deletados.
    Mas é bom ver que uma sugestão que eu dei sobre a atualização deste artigo (escrito originalmente pelo editor Mattia Mercato, do AndroidPIT Italia) finalmente foi atendida.


  • Segundo o texto: "Em 2005 o Google comprou a Android Inc., e assim nasceu a Google Mobile Division. O mundo observou com ceticismo e curiosidade este acontecimento, que agora podemos definir como histórico. Como o Google poderia entrar em um mercado já bem consolidado nas mãos da Microsoft, com o seu Windows Mobile, e sobretudo dominado pela Apple e seu iPhone?" --- Vale ressaltar que em 2005 a Apple talvez apenas sonhasse em dominar o mercado mobile, pois o primeiro iPhone foi lançado em 2007. E o Windows Mobile (em 2005) apenas "corria por fora" em um mercado que tinha tinha Symbian, BlackBerry, e Palm dando as cartas.


  • Usei do 4.0.1 até aqui.. rs


  • Usei todas as versões

Mostrar todos os comentários

Recommended articles