Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

Review 9 min para ler 8 Comentários

Hands-on do Moto G7 Power: é bateria que você quer?

Todo ano, centenas de usuários aguardam pela renovação da linha Moto G, lançada originalmente em 2013, e que chegou em sua sétima geração. O Moto G7 Power é a novidade do ano da Motorola, além de ser a segunda variante dessa linha após o modelo mais básico, o Moto G7, e traz como diferencial bateria grande com carregamento rápido.

Lançamento e preço

O evento de lançamento dos novos Moto G7 aconteceu em São Paulo, no dia 7 de fevereiro. O aparelho chega ao mercado em uma única versão na cor azul índigo e custa R$ 1.399 no varejo físico e online, incluindo a loja da Motorola. Os preços dos demais modelos são:

  • Moto G7 Play: R$ 999
  • Moto G7 Power: R$ 1.399
  • Moto G7: R$ 1.599
  • Moto G7 Plus: R$ 1.899

Hands-on do Moto G7 Plus

O Moto G7 Plus é outro lançamento da Motorola para este ano. Nós testamos o aparelho previamente e compartilhamos nossas primeiras impressões com vocês no artigo abaixo. Então, se você ainda não foi conferir nosso hands-on do G7 Plus, por favor, acesse o texto:

Design

Em termos de design, o acabamento do Moto G7 Power lembra o Moto G6 misturado com a linha Moto E, com poucas diferenças. É possível notar, por exemplo, que a borda inferior frontal está menor, enquanto a tela traz o entalhe em formato retangular no topo, conferindo bordas menores a essa região.

O aproveitamento frontal não é totalmente simétrico, ou seja, o notch não faz com que todas as bordas tenham a mesma otimização e o mesmo tamanho, visto que na parte inferior sobrou espaço até para a Motorola colocar seu logotipo impresso. A boa notícia aqui é que o resultado desse visual é semelhante ao do Motorola One, embora o G7 Power tenha linhas mais ergonômicas e não tão retas.

motog7powerrt
Fora da caixa / © AndroidPIT

Ele é o que se pode chamar de gordinho. Ele é o mais grosso da linha, e ao invés de bordas terminando retas, ele é todo arredondado e é o maior de todos, para acomodar a maior tela e a maior bateria. As linhas curvas ao redor da moldura ajudam no manuseio, que é extremamente confortável.

Apesar do display avantajado, o Moto G7 Power é um dispositivo relativamente compacto. Em comparação com o Moto G7, por exemplo, nota-se que o Power é ligeiramente mais pesado devido a bateria maior, com 193 gramas. Mas isso não gera nenhum incômodo, o aparelho cabe bem na mão.

motog7powerrdc
Carregador, fone, cabo USB e antena DTV / © AndroidPIT

...

Na traseira, temos o acabamento em polímero de vidro, uma espécie de mistura de policarbonato com fibra de vidro. Aqui, a Motorola manteve o visual que chegou com a antiga série Moto G5, o qual une o sensor da câmera e o flash de LED em uma moldura circular. Aqui, estão na direção vertical, diferente da linha G e mais próxima da linha E.

Outra herança do Motorola One é o sensor biométrico integrado ao logotipo da empresa, abaixo da câmera traseira. O polímero de vidro faz com que o aparelho pareça ter acabamento em vidro, pois é brilhante e também traz o efeito visual aveludado. Ou seja, a Motorola piorou o acabamento em relação ao G7 e G7 Plus, mas não deixou que o aparelho tivesse cara de barato.

motog7powertgf
Visual externo / © AndrodiPIT

Tela

A tela do Moto G7 Power é grande, com 6,2 polegadas e isso é algo bastante positivo. O entalhe tenta promover algum tipo de otimização, como eu comentei acima, embora isso não seja muito eficiente. Porém, pela tela grande, ele fica mais discreto do que no modelo Play. O usuário terá, contudo, bastante espaço para reproduzir mídias e navegar pelo sistema. O display tem resolução HD+ (1520 x 720 pixels) e 271 pixels por polegada.

Com relação à qualidade da tela, o painel segue igual aos demais modelos da Motorola em termos de nitidez, contraste, cor e brilho. Não chega a ser nítido ou brilhante como o painel o Moto G7 Plus, mas é uma tela de respeito. A tela LCD grande não é um problema para o Moto G7 Power, diga-se de passagem, que conta com bateria gigante. É o Motorola para quem quer mídia.

motog7powertio
Só HD+...  / © AndroidPIT

Software

O Android Pie é o sistema de fábrica do Moto G7 Power, e segue a estratégia da Motorola de ser pouco alterado. A navegação por gestos está presente, bem como a nova central de atalhos rápidos, o tema escuro automático e outros recursos nativos desta versão. 

Algumas experiências da Motorola que ativam comandos através de gestos e movimentos seguem presentes dentro do aplicativo Moto, mas o Moto Voz não está incluído. As funções Moto estão em um app repaginado, com direito a desbloqueio facial, controle de mídia pelos botões de volume, editor de captura de tela, captura de tela com três dedos, navegação em um toque (melhor do que a do Pixel), lanterna rápida, câmera instantânea, modo de uma mão, pegar para silenciar e vire para Não Perturbe.

motog7poweropi
Sistema segue quase Stock / © AndroidPIT

É esperado o update para o Android Q, embora não haja data definida para isso. O Moto G7 Power é o único que conta com a função de TV Digital (DTV), algo que pode ser interessante para quem gosta de assistir a programação de canais abertos em qualquer lugar. O Google Lens também é outro recurso que está totalmente integrado ao sistema.

Performance

O Moto G7 Power é embalado pelo processador Snapdragon 632, com 3 GB de memória RAM (1 GB a mais que o Moto G7). O processador tem oito núcleos de 1,8 GHz e o armazenamento é de 32 GB. Esse chipset é relativamente novo e é conhecido por entregar uma boa performance aliada a economia de bateria.

O hardware do dispositivo, contudo, atenderá tranquilamente usuários que acessam redes sociais, editam fotos, consomem streaming e jogam títulos com requisitos gráficos médios. Vamos ver como ele se sai até o nosso review finalizado. Não é indicado para jogos pesados, mas será um ótimo reprodutor de vídeos.

motog7powerbh
Central Moto, sem Moto Voz / © AndroidPIT

Câmera

Pode-se dizer que a câmera não é o ponto forte do Moto G7 Power, mas o trabalho feito pelo dispositivo é bastante satisfatório. O sensor principal tem 12 MP e abertura de lente f/2.0, enquanto a câmera frontal é de 8 megapixels e tem abertura f/2.2.

O conjunto de lentes não conta com recursos incrementais, como estabilização óptica ou foco a laser, mas o software é rápido e tem recurso essenciais. É claro que não podemos apontar um diagnóstico exato sobre a qualidade da câmera somente pelo hands-on, mas a principio é possível dizer que o G7 Power atende razoavelmente bem quem usa o celular apenas para tirar selfies e fotos simples para uso em redes sociais.

Nós fizemos um teste básico com a câmera do Moto G7 Power, e ele está aqui:

motog7powertgb
Moto G7 Power e sua câmera solitária / © AndroidPIT

Bateria

Chegamos, enfim, ao ponto alto do Moto G7 Power: sua bateria. Com incríveis 5.000 mAh, o modelo chega para compor o pequeno hall de produtos com baterias de grande capacidade disponíveis no Brasil. Pode-se dizer que o G7 Power é um herdeiro do saudoso Moto Maxx no que diz respeito à proposta do aparelho, que é oferecer um hardware equilibrado com longa duração de bateria.

A Motorola aposta em até 55 horas de uso contínuo fora da tomada, pouco mais do que 2 dias, levando em consideração que essa estimativa é feita em laboratório. Porém, apostamos que essa autonomia deva ser de dois dias contínuos em uso moderado, ou seja, sem usar muito GPS, Bluetooth e ligações de video ou voz por Wi-Fi ou dados.

motog7powergbn
Bateria é o grande destaque  / © AndroidPIT

O mais interessante em torno da bateria do dispositivo é o carregamento TurboPower de 15W, capaz de carregar completamente o aparelho em pouco tempo. Em nosso espaço de tempo para esse hands on, deixamos um vídeo extenso sendo reproduzido no G7 Power, com brilho a 50% e som na metade por 4 horas, e a cada hora foi consumida uma média de 3% da bateria. Um número ótimo para vídeos.

Felizmente, a Motorola colocou uma porta USB-C no modelo para facilitar a conexão e tornar a transferência de dados e de energia mais rápida. Ah, e não custa lembrar que o carregador rápido vem na caixa do produto, e não é preciso comprá-lo separadamente (viu, Apple?).

Conclusão preliminar

Bateria. Essa deve ser a principal razão para que um usuário comum queira comprar o Moto G7 Power. A Motorola sabe disso e quer deixar bem claro para o consumidor. Os demais aspectos do hardware estão disponíveis no Moto G7, que traz acabamento melhorado e outros incrementos, apesar de o preço ser um pouco mais alto.

A TV digital é outro recurso exclusivo e que combina com um smartphone que tem boa bateria, visto que dá para fazer um pouco de tudo ao longo do dia e ainda sobrará bastante carga para ver programas de TV, jornais, séries, desenhos e novelas. Mais uma vez, digo que esse é um aparelho centrado em quem consome muita mídia, precisa de tela e bateria.

O Moto G7 Power é uma resposta da Motorola aos usuários que clamam por mais bateria há anos

É claro que o preço de lançamento não é convidativo, R$ 1.399, mas com ofertas e reajustes do mercado nos próximos meses tudo ficará melhor, sabemos sempre disso. O Moto G7 Power entrega um sistema mais simples que seus concorrentes, como a série Galaxy J, da Samsung, e está mais para um rival do Zenfone Max Pro M1, que também tem software pouco alterado, especificações semelhantes e bateria com boa capacidade.

Já o Motorola One, por sua vez, ganha no software genuíno, mas fica para trás em processador e no trabalho das câmeras, algo em que o G7 Power se destaca um pouco mais. Em todo caso, sendo um herdeiro da primeira geração do Moto G Play (que vinha com bateria maior) ou do Moto Maxx, o G7 Power é um lançamento bem-vindo no mercado nacional, e deve ser o aparelho mais popular da Motorola esse ano.

E você, o que achou do Moto G7 Power?

8 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Ao que tudo indica, é o membro da família que tem tudo para desbancar os outros.
    Tem desempenho parecido com os outros, mas tem a vantagem da bateria, que é o item que interessa a muita gente.

    Seria interessante se futuramente a edição com 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento (lançada na Índia) chegasse pra cá. Não é impossível, sabendo que algo similar aconteceu com o Moto G6.


  • Se tivesse tela Full HD seria prefeito. Existe concorrente como o J7 Prime 2 com tela Full HD e TV Digital HD com preço 400 reais mais barato. Este perde para o G7 Power em em autonomia de bateria e tamanho da tela.


  • Em performance "O Moto G7 Power é embalado pelo processador Snapdragon 632, com 3 GB de memória RAM (1 GB a mais que o Moto G7)" acho que quis dizer G7 Play... e não o g7 normal


  • meu sonho é ver um top de linha um dia com essa bateria, mesmo que ele fique um pouco mais espeço.


  • O jeito é esperar baixar um pouco o preço ao longo dos meses. Nenhum aparelho vale o que se pede no lançamento. De toda essa nova família moto G, esse foi o que mais me chamou a atenção.


  • A bateria sim, é a que se quer, mas o processador, não é o quero.


  • Muito caro pelo pouco que oferece , um gadget intermediário de baixa gama com boa bateria , no thanks.