Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

Meia-volta: smartphone Premium não é bem aquilo que você pensa que é!

Meia-volta: smartphone Premium não é bem aquilo que você pensa que é!

Premium, nunca se ouviu falar tanto nessa expressão como nos últimos anos. Mas afinal, o que torna um dispositivo Premium? Valor de mercado, segmento ou especificações técnicas? Continue lendo este artigo e descubra todos os detalhes sobre este segmento de luxo no Brasil.

Há alguns anos, o mercado de dispositivos móveis no Brasil se dividia em três segmentos básicos: entrada, intermediário e topo de linha. Entre os anos de 2013 e 2014 tivemos o "efeito Moto G", onde cada fabricante precisou rever sua estratégia de mercado para conseguir atingir nichos específicos de usuários.

Desde então, é comum ouvir falar em intermediário Premium – aquele dispositivo ótimo que custa até 1.500 reais. Ou também o carro-chefe - aquele que é o alvo da marca, mas não o seu artigo de luxo. Entretanto, o mercado continuou avaliando os smartphones dentro destas três categorias principais. 

Para quem não sabe, a análise de mercado feita por analistas de economia leva o preço do produto como o fator determinante para classificá-lo dentro de um segmento. Essa análise serve para os fabricantes de smartphones definirem suas estratégias de vendas. Contudo, para o fabricante, um produto premium pode ser aquele que é o mais caro dentro de seu portfólio, mas não necessariamente um dispositivo de luxo para o mercado. 

ABC dos segmentos de smartphones

  • Entrada: o modelo mais básico em hardware e com o preço mais baixo. Moto C Plus é um exemplo.
  • Intermediário: modelo com especificações melhoradas em comparação com o modelo de entrada do fabricante.
  • Intermediário avançado: este modelo pode ser uma alternativa ao topo de linha da marca, pode ser uma versão com aspectos semelhantes e com diferença de preço mínimo. Para muitas marcas, no entanto, o intermediário avançado pode ser o carro-chefe de seu portfólio, mesmo não sendo um topo de linha para o mercado. O Zenfone 4 é um exemplo.
  • Topo de linha: produto que oferece as melhores configurações e um preço mais elevado. Ele é uma alternativa ao intermediário avançado, mas não concorre com o intermediário comum. O Galaxy S8 é um exemplo.
  • Carro-chefe: é o produto em que a empresa investe todas as suas fichas, incluindo as de marketing. Entenda que carro-chefe não é exatamente uma posição para o mercado, mas sim um adjetivo usado para identificar o modelo que melhor representa a estratégia de um fabricante. O carro-chefe pode ser qualquer modelo da empresa. O OnePlus 5T e o Google Pixel 2 são exemplos.
  • Premium: o premium reúne o melhor de todas as linhas da empresa, e traz recursos únicos que são voltados para um nicho específico de usuários. Seu valor é o mais caro dentro de uma linha de smartphones, e sua posição está acima do topo de linha. O Xperia XZ Premium e o LG V30 são exemplos.

Assim, um dispositivo como o Zenfone 4, que possui configurações próximas as de um topo de linha, por exemplo, é classificado pelo mercado como um intermediário devido ao seu valor final. Entretanto, dentro da gama de produtos da Asus, o Zenfone 2 é o topo de linha da empresa e também seu carro-chefe.

AndroidPIT motorola moto x4 3401
Moto X4 está atrás do Z2 Play e do Z2 Force / © AndroidPIT

Os chamados intermediários Premium são colocados no mercado com boas especificações, design diferenciado e recursos extras, como exemplo temos o Moto X4 e o LG Q6+. No entanto, por mais que o fabricante coloque esses dispositivos como Premium ou intermediários Premium, o mercado mantém suas respectivas classificações como intermediários.

Afinal, o que é um smartphone Premium?

No Brasil, a categoria Premium foi criada recentemente pelos analistas de mercado, no entanto, ela não é exatamente da forma como alguns usuários pensam. Esses modelos precisam estar acima dos R$ 4.000,00 para serem considerados Premium e, além disso, é imprescindível que o dispositivo esteja acima do topo de linha da marca.

Os dispositivos verdadeiramente Premium são apresentados como objetos de luxo e desejo, possuem características que os diferenciam do high-end vigente e, em alguns casos, são colocados no mercado como produtos exclusivos ou de luxo. Atualmente, se encaixam nessa modalidade o iPhone X, o Note 8 e o Xperia XZ Premium.

samsung galaxy note 8 note 7 front
Linha Note é o segmento premium da Samsung / © AndroidPIT

Agora você deve estar se perguntando: faz sentido uma categoria de luxo no Brasil? Sim, faz todo o sentido e, por sinal, este segmento é uma das grandes apostas dos fabricantes devido à alta margem de lucro que pode ser praticada em cima desses produtos. Existem empresas que estão tirando o foco de linhas mais básicas e investindo apenas em modelos com padrões mais altos, como a Sony. Mas lembre-se, o produto premium é a "nata" da série, ou seja, só existe um por fabricante.

Para os fabricantes o segmento Premium é vantajoso por alguns aspectos, os principais são: o público que consome esse segmento não é afetado diretamente pela crise econômica do país, a produção é feita em baixa escala e, como já mencionado, as margens de lucro são maiores.

Portanto, caro leitor, não fique impressionado ao saber que o iPhone X ou o Note 8 bateram recordes de vendas em 2017. Afinal, no segmento Premium estão aquelas pessoas que sempre nos referimos com a frase: "tem quem compra".

O que você acha desta definição de Premium: marketing ou necessidade?

Artigos recomendados

Os comentários favoritos dos leitores

  • Denis 28/11/2017

    "O que você acha desta definição de Premium: marketing ou necessidade?" - Talvez um pouco dos dois. Mas há diferenças do que significa esse "Premium" para as fabricantes e para os consumidores. Para mim, ser Premium, é ter um conjunto de características diferenciadas e vantajosas que o diferencie dos demais, aliado a um bom preço ou algum fator agregado que o torne atrativo.

  • Wesley Goes 28/11/2017

    Excelente matéria muito bem explicada e realmente disse a verdade compra quem pode. Se eu tivesse dinheiro a linha note seria a minha principal.

  • Léo Walk 28/11/2017

    Até os de entrada também tem os seus dispositivos premium... 😂 😂 😂

  • Sidney 27/11/2017

    Engraçado que isso aconteceu com o mercado de ração para cães há muito tempo. Exatamente como foi relatado pelo Bruno para os smartphones. Se trocar o nome "smartphone" por "ração" voltaremos no tempo uns 15 a 20 anos e vamos ver a mesma reportagem.

  • Bruno Salutes
    • Mod
    28/11/2017

    X4 é intermediário, enquanto o Z2 Play é intermediário avançado. O topo da série é o Z2 Force. Se existisse um Z2 convencional, provavelmente o Force seria o Premium da série. Mas acredito que a Motorola não tem interesse de entrar nesse segmento.

127 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Mostrar todos os comentários
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.