Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

4 min para ler 42 Comentários

POLED, AMOLED e OLED: qual a diferença entre essas tecnologias de telas?

Tela é sempre um assunto delicado, pois cada um tem seu gosto pessoal. Uns preferem uma IPS com cores mais realistas, outros gostam mais da AMOLED bem saturada que deixa as fotos lindas. Mas quando entramos mais nessa segunda tecnologia, podemos ficar confusos quando começam a surgir termos como OLED, POLED, P-AMOLED e outros. Vamos explicar agora quais as diferenças entre eles, confira!

Em alguns desses termos, a briga é mais focada em duas fabricantes, LG e Samsung. E não é difícil imaginar isso, pois quando pensamos em TV, as melhores marcas que vêm à nossa mente, ao menos no Brasil, são LG e Samsung. E já nesse ramo a tecnologia OLED da LG bate de frente com as QLED da Samsung, mas nos smartphones os caminhos são um pouco diferentes.

O que é o OLED?

A sigla OLED significa Organic Light-Emitting Diode (Diodos Orgânicos Emissores de Luz, em português), e são a evolução das telas LCD. Diferente do LED, o OLED não usa cristal líquido, e sim diodo orgânico. A camada ativa (onde se formam as imagens) desse tipo de tela conta com material orgânico (polímeros) e podem ser colocados tanto sobre superfícies duras como flexíveis.

telas smartphones
Um resumo das diferenças de telas / © AndroidPIT

Os diodos são distribuídos entre placas transparentes (vidro ou outro material) polarizadoras. Mas, diferente do LCD onde os cristais ficam opacos ou transparentes para barrar ou permitir luz nos pixels, no OLED os diodos emitem luz própria quando recebem energia. Isso não só economiza energia, pois no LCD o backlight precisa ficar sempre aceso, como traz os pretos mais profundos, já que cada diodo só se acende quando necessário.

E o AMOLED?

Pegue a mesma explicação sobre o OLED, e vamos botar um complemento. Há duas formas de mandar energia para os pixels: ou você manda energia para todos ao mesmo tempo ou para um de cada vez. Em telas de alta resolução como a de smartphones, a primeira opção (conhecida como matriz passiva) gasta muita energia e se desgasta muito rapidamente. Assim, a melhor solução está em matrizes ativas, que são uma camada fina de transistores que energiza cada pixel a uma voltagem correta.

Em inglês, essas são as Active Matrix, trazendo aí o AM para o OLED. Por isso, se você parar parar pensar, todas as telas OLED de smartphone são AMOLED. Mas então, por que apenas os displays da Samsung são chamados assim? Pura escolha de nomes.

E onde entra o P-OLED?

Ao menos, essa é a parte mais fácil de explicar. Como falei, são necessárias várias camadas para formar qualquer tela. No caso de uma AMOLED de smartphone temos, de baixo para cima, a camada de transistores em vidro (mais conhecida como TFT, quem diria!), as camadas de diodos, vidro encapsulado e o polarizador. Isso de forma resumida, pois existem outras camadas.

lg mobiltelefone G Flex medium03
LG G Flex foi um projeto lindo e mal aproveitado, um dos primeiros usos do P-OLED / © LG

O que importa é saber que, com vidro, não há muita liberdade de formatos, espessuras e resistência. Assim, para pode apresentar telas curvas ao mundo, trocaram o vidro por plástico, sendo esse último o que dá o P ao OLED. E sim, POLED, ou P-OLED, é o termo usado pela LG. Para o caso da Samsung, o termo é P-AMOLED (embora sejam a mesma coisa).

A LG foi uma das primeiras a usar o também conhecido como Plastic-OLED em seu LG G Flex, um smartphone curvo que se encaixava melhor no rosto. Eu particularmente gostava muito dele, até saiu uma segunda versão, mas por ter sido o primeiro experimento com a tecnologia, a qualidade geral da tela era bastante questionada.

Hoje, temos POLED na linha V da LG, e também na linha Galaxy S e Note, além de em muitos outros aparelhos.

Mas tem ou não diferença?

Na característica geral da tecnologia, P-OLED e P-AMOLED não têm diferenças. E do OLED para o POLED muda apenas o vidro para o plástico. Porém, é justo cada empresa chamar sua tela do jeito que quiser, e o fato de serem fabricadas por equipes diferentes acaba sim fazendo a diferença.

AndroidPIT Samsung Galaxy S9 0684
Galaxy S9 e suas cores saturadas na tela P-AMOLED / © AndroidPIT by Irina Efremova

Isso porque mudam coisas que parecem pequenas em uma primeira olhada, mas que no final agradam mais a gregos ou troianos. O material usado, o modo de fabricação, algumas camadas diferentes e, principalmente, a calibração final, fazem você gostar mais de uma ou de outra, sendo que uma pode ser ligeiramente puxada para o azul (como na Samsung), outras para o amarelo (caso das telas usadas nos Motorola) e por aí vai.

E você? Prefere o OLED da Samsung ou o da LG?

Os comentários favoritos dos leitores

  • AC&MM há 8 meses

    Agora eu entendi. Antes eu pensava que as telas AMOLED eram tecnologia da Samsung e as telas Burn-in eram tecnologia da LG.

  • Phelipe B. há 8 meses

    Na real?
    Resolução de tela é algo que está extrapolando a realidade. Qual a necessidade de ter uma tela 4k em um espaço tão pequeno?
    Só serve pra sugar desempenho e bateria!

  • Agnaldo há 8 meses

    "E você? Prefere o OLED da Samsung ou o da LG? "

    No que diz respeito na smartphone não sei nem que critério usar...são tantos

  • Agnaldo há 8 meses

    Eu ja sabia a diferença entre elas , mas uma coisa que não fazia ideia era que Amoled da Samsung era apenas uma escolha de nomenclatura.

    P.S a LG podia adotar o nome Burnoled

  • Henrique P. há 8 meses

    "E você? Prefere o OLED da Samsung ou o da LG?"

    Prefere uma Ferrari ou um Fusca detonado?

    Pode parecer pesado, mas é uma verdade, infelizmente.

42 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Mostrar todos os comentários

Artigos recomendados