Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

Prós e contras de comprar um celular chinês com uma marca nacional

Prós e contras de comprar um celular chinês com uma marca nacional

Há um tempo, a brasileira Vi começou a importar legalmente os aparelhos da Meizu para o Brasil. Agora, a fabricante DL faz o mesmo com aparelhos da Xiaomi, com direito a homologação. Algumas lojas estão importando aparelhos também. Mas será que essa é uma boa ideia?

Importadores de plantão estão sempre prontos para dizer como suas compras foram as melhores possíveis. Com a estagnação do mercado de smartphones e as vantagens de aparelhos importados, está ficando cada vez mais difícil resistir a esses aparelhos. Mas quem não quer importar, não precisa necessariamente ficar sem.

Pró: homologação da Anatel

A notícia da semana é a homologação dos aparelhos Pocophone F1 e Redmi Note 6 Pro, ambos da Xiaomi, pela fabricante brasileira DL. Algumas lojas, como a MiStore Brasil, bem conhecida entre os fãs da Xiaomi, já importam de forma legalizada aparelhos da marca, então qual a diferença?

Com a homologação, que custa em média 100 mil reais para a importadora, o aparelho passa a ser oficialmente certificado no Brasil. Embora isso possa parecer pouca coisa, a homologação garante que o smartphone funcionará totalmente no Brasil, incluindo aí as bandas de 3G e 4G, e com todas as operadoras.

IMG 6252
Pocophone foi homologado na Anatel / © AndroidPIT

A Anatel também certifica que o produto homologado tem níveis de radiação dentro do padrão estipulado pelo governo, e que não irá prejudicar seus usuários. Apesar de o Pocophone, por exemplo, já contar com a certificação de órgãos competentes em outros países, o Brasil possui particularidades que precisam ser atestadas pela Anatel.

Você pode viver sem isso em seu aparelho? Certamente, mas para alguns essa é uma informação importante na hora da compra, e agora ela está disponível para dois aparelhos da Xiaomi, além dos smartphones vendidos pela Vi da marca Meizu.

Pró: garantia nacional

Esse é um dos maiores obstáculos para quem se sente inseguro com a importação. Muitas lojas online chinesas dão garantia nos produtos que vendem, mas caso você precise delas, pode ser complicado conseguí-las. Entre os usuários, há casos de pessoas que conseguiram facilmente, enquanto outras passaram meses até conseguir fazer valer seus direitos.

É claro que aqui no Brasil nem sempre é fácil conseguir acionar a garantia de um produto legalmente comprado no país, mas há sempre o amparo da Justiça do país para ajudar. Embora isso também não seja um fato 100% garantidor do direito, é possível dizer que sim, há mais segurança ao comprar um produto legalmente vendido no país.

AndroidPIT meizu pro 6 review 9
Aparelhos da Meizu são oficialmente importados / © AndroidPIT

Pró: sem surpresas no preço

É difícil ir contra o argumento de que aparelhos importados de lojas chinesas são mais baratos e têm melhor custo benefício do que qualquer um comprado no país, inclusive esses legalmente importados como fará a DL e como já faz a Vi e a MiStore Brasil.

Porém, é impossível negar de que essas compras são para pessoas com mais experiência e com mais sangue frio, pois são sempre uma caixinha de surpresas. Quem compra em sites chineses costuma contar com a não taxação do produto, para que ele custe o menos possível, mas sabemos que isso nem sempre acontece.

correios
Infelizmente, os Correios não ajudam / © Veja

Além disso, por causa de inconsistências da Receita Federal, os sites mais famosos e confiáveis estão passando a cobrar fretes caros e, em alguns casos, até seguro. Veja exemplos que tomamos dos maiores sites, no caso do Pocophone F1, modelo mais barato global, com envio para São Paulo:

  • AliExpress: R$ 1.127 + R$ 10 de frete + R$ 15 do manuseio dos Correios + 60% de impostos = R$ 1.844
  • DX.com: R$ 1.448 + frete grátis + R$ 15 do manuseio dos Correios + 60% de impostos = R$ 2.332
  • Gearbest: R$ 1.194 + R$ 293 frete + R$ 91 seguro + R$ 15 do manuseio dos Correios + 60% de impostos = R$ 2.485
  • Bangood: R$1.311 + R$ 226 frete + R$ 65 seguro + R$ 15 do manuseio dos Correios + 60% de impostos = R$ 2.539

Como podemos ver, caso o produto siga o caminho normal pela Receita Federal, ele fica com preço menos atraente do que o esperado. E sim, estamos toda hora recebendo ofertas, descontos e cupons para a compra dos aparelhos, mas se contarmos com o preço normal, não é uma vantagem tão grande.

Além disso, para escapar à taxação, muitos compradores se arriscam pedindo à loja para que coloquem no pacote um preço abaixo do verdadeiro para o produto. Isso realmente funciona em alguns casos, e muitas pessoas não são taxadas por causa disso. Mas, caso você faça isso e seu produto seja pego pela receita, a multa é de até 100% em cima do preço mais o frete.

Uma vez comprei um OnePlus 5T. Ele nunca chegou, pois ficou meses parado entre a China e os Correios e, quando chegou, fui multada pois o site havia mentido o preço, embora eu tivesse pedido para que isso não fosse feito. A multa veio tão grande que recusei a entrega e o produto voltou, e eu nunca encostei em um OP5T.

Captura de Tela 2018 08 13 as 14.16.29
Essa foi a taxa que queriam que eu pagasse pelo OP5T de R$ 2.100, bem acima dos 60% porque teve multa / © AndroidPIT (captura de tela)

Pró: compra e entrega programada, dentro do país

Muitas pessoas que compram em lojas chinesas estão preparadas para o fato de que podem dar sorte e seu produto chegar em 15 dias, como podem dar azar e seu produto ficar meses desaparecido entre a China e sua casa (no mar, talvez?). Nem todos podem lidar com essa montanha russa de emoções.

Às vezes o aparelho comprado é para presente, ou para substituir um que está quebrado, e nem sempre é possível esperar entre duas semanas e quatro meses. Por isso, aparelhos comprados por aqui podem ser uma boa para os que precisam de entrega programada, dentro do país.

Contra: preço/risco

Mesmo sendo uma caixinha de surpresas, mesmo com todos os riscos, é inegável que comprar de sites estrangeiros é uma grande oportunidade de pagar menos, bem menos. Se você der a sorte de não ser taxado e aproveitar um bom desconto, e se o seu produto chegar em um bom prazo, não há como usar qualquer uma das vantagens acima para te convencer.

É como o mercado de ações. Sem experiência, há grandes chances de você sofrer com erros. Com boa experiência você ainda pode ter tropeços, mas há menor probabilidade disso. 

deal 10
Na ponta do lápis, é difícil convencer / © AndroidPIT

É errado importar?

Não é. Você não precisa tostar a paciência dos amiguinhos mostrando toda a sua esperteza, pois é algo dentro da Lei. O que é errado é mentir no preço, e tentar de alguma forma burlar a fiscalização. Nesse caso, se você der o azar de ser multado ou nunca receber seu produto, não é justo reclamar. Mas importação é algo que muitos fazem, inclusive grandes empresas, e não há nada de mal nisso. Até mesmo essas lojas e fabricantes investem nisso.

Diferença do método da DL para o da Mi Store e Vi

Nenhuma da das três fabrica ou irá fabricar ou montar os produtos aqui, então não pode ser considerado indústria brasileira. Mas as três importam produtos de forma legalizada, oferecendo garantia e suporte nos produtos que vendem.

A diferença da DL para a Vi e Mi Store é que ela homologou os produtos que venderá aqui, e nada impede que a Mi Store, por exemplo, passe a vender esses produtos importados da DL. A vantagem da homologação está lá no primeiro item. Essa é a única diferença. Vale lembrar que recentemente a chegada da Huawei ao país aconteceria pelas mãos da Positivo, o que não irá mais acontecer. O processo seria diferente, envolvendo apenas a logística, mas novamente vemos o benefício que as nacionais podem trazer às chinesas.

Você tem interesse em comprar produtos importados por lojas e fabricantes no Brasil?

Artigos recomendados

Os comentários favoritos dos leitores

  • Phelipe B. há 9 meses

    Quando comprei meu Mi A2 iria trazer por sites chineses, mas a diferença do preço dele no Mercado Livre era de +/- R$150,00 (contando que eu pagaria todas as taxas devidas). Preferi comprar no ML e ter o produto em 7 dias do que tentar economizar em taxas e demorar mais de dois meses para receber o produto.
    Se a DL conseguir entregar preços tão competitivos quanto vendedores do ML, ela tem grandes chances de fazer sucesso entre os consumidores brasileiros.

14 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Eu só vejo vantagens nesse acordo. O monopolio Samsung e Motorola por aqui não acho boa coisa. Se as vendas forem boas por aqui tenho certeza que a Xiaomi vai por os pés por aqui oficialmente. Já to guardando meu limite no cartão, quem sabe compro meu primeiro chinês. rs.


  • Olha o absurdo...

    A homologação, que custa em média 100 mil reais para a importadora

    Quem paga isso no primeiro momento é a importadora, mas depois isso é pago pelas pessoas que compram os celulares.
    Um absurdo a homologação custar caro assim.


  • Vai ter que competir com os preços e vantagens melhores que do marketplace ML, Amazon e B2W.


  • Quando comprei meu Mi A2 iria trazer por sites chineses, mas a diferença do preço dele no Mercado Livre era de +/- R$150,00 (contando que eu pagaria todas as taxas devidas). Preferi comprar no ML e ter o produto em 7 dias do que tentar economizar em taxas e demorar mais de dois meses para receber o produto.
    Se a DL conseguir entregar preços tão competitivos quanto vendedores do ML, ela tem grandes chances de fazer sucesso entre os consumidores brasileiros.


  • Dependendo do preço vou preferir ficar com o mercado livre mesmo.


  • materia muito bem explicativa, vlw a leitura !


  • Não vejo muita vantagem de comprar por uma importadora. O valor do produto já será maior do que você mesmo importar. Outra questão é suporte e garantia, uma importadora não tem estrutura para dar suporte e manutenção de um produto que ela não fabrica. Muitas vezes isso acontece por meio de contratos estabelecidos com a fabricante ou por empresas terceiras. Mesmo que for com a fabricante é complicado, por que empresas chinesas não tem centros de reparo homologados aqui, então ou é troca de aparelho ou enviar para lá para reparar. Eu vejo assim, se trocar um aparelho por uma fabricante aqui já é difícil, imagina por uma importadora. Mas claro, isso todos estamos sujeitos em ambos os casos.

    A diversas coisas complicadas que vejo nisso. Isso nada mais é do que uma oportunidade de negócios que essas importadoras estão vendo agora por causa do aumento de importação de celulares. Isso é bom fiscalmente para o governo e comercialmente para as importadoras. No final, as coisas acabam se afunilando cada vez mais para podermos adquirir coisas com taxação menor.


  • Celular da BLU novo muito bom


  • Já importo a mais de 10 anos coisas que geralmente não encontro no mercado nacional ou pra economizar mesmo.
    Com exceção das encomendas feitas por volta das épocas festivas como fim de ano todas chegaram com bom prazo e sempre com taxas variadas e sem nunca ter sido multado. Também já recebi muita coisa sem taxa, o último exemplo foi um Mini PC que paguei 1300 e o vendedor declarou valor real no pacote.


  • Venho a pelo menos a pelo menos 8 anos importando muita coisa, e de diversos países. Foram poucos os problemas, apesar de muitas vezes a receita reter produtos por até 2 meses em fiscalização. Pra quem está acostumado, esquece...não tem volta. Acho que jamais vou comprar um novo tênis de corrida, um Smartphone ou um novo console em terras tupiniquins.
    Quem quiser entrar nesse mundo, sugiro começar com coisas pequenas, baratas e que não sejam essenciais, como teste e para pegar experiência.


  • Ainda prefiro a importação. Já comprei diversos produtos, como cartões de memória, cases, smartphones, e até agora, tudo ocorreu perfeitamente. Sempre recebi todos as mercadorias. A taxa ficava em torno de 10% do valor do produto (no caso de dispositivos) mais a taxa de 15 reais dos Correios. Nunca ficava muito caro.


  • Bom e explicativo post , importa quem quer , eu vou continuar :)


  • prefiro o ML, ainda continua sendo a forma mais segura e tranquila, sem contar que a mercadoria geralmente já está aqui no Brasil.


  • Acabou de sair uma entrevista com um cara da DL ele explica tudinho como vai funcionar

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.