Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

4 min para ler 107 Comentários

Se o seu intermediário pode fazer tudo, então vale a pena comprar um top de linha?

Chegamos ao maravilhoso ponto em que não é preciso gastar mais de dois mil reais para ter um smartphone que funcione. Sim, e apesar de você, leitor do AndroidPIT, ser uma pessoa que se preocupa com desempenho, design, qualidade de câmera e outros, saiba que a maioria das pessoas só quer um aparelho que funcione.

Foi-se o tempo em que ou você gastava uma fortuna, ou teria um aparelho que não presta, que mal e mal roda o WhatsApp e que vive te deixando na mão. Os intermediários de hoje, por pouco mais de mil reais, já fazem tudo o que um topo de linha faz, com praticamente a mesma qualidade de desempenho, câmera e, às vezes, até bateria melhor.

AndroidPIT lenovo moto g5 plus 0971
O que de essencial não tem como fazer em um Moto G5 Plus? / © AndroidPIT

Por menos de mil reais, você também já pode ter aparelhos decentes, perfeitos para, chuto eu, uns 85% da população, que precisa mesmo é de Facebook, WhatsApp, uma câmera razoável e a reprodução de uns joguinhos por mais de 15 horas por dia.

Os intermediários não têm nenhum destaque incrível, como câmera sobrenatural, hardware que roda todos os jogos, design feito em vidro resistente com titânio, som para animar toda uma festa ou tela que tem brilho ótimo até no sol do meio dia com definição para ver com boa dose de realidade em um óculos VR. Eles simplesmente funcionam bem.

E não precisamos ficar apenas nos aparelhos que vendem por aqui. Sabemos que aparelhos "xing ling" são hoje em dia uma minoria, e que os celulares dos países asiáticos também já atendem qualquer pessoa por menos de mil reais, uma vez que não são vendidos oficialmente por aqui e não sofrem com a alta tributação do país.

AndroidPIT samsung galaxy j7 0899
Galaxy J7: certeza que você conhece alguém que tem um / © AndroidPIT

Intermediários não estão na lista de "melhores" em quase nada, mas entram no top 5 de aparelhos com melhor custo benefício, e certamente na lista de melhores que o bolso de muitos podem pagar. Esses aparelhos tampouco são o alvo dos sites e canais de tecnologia, uma vez que os procurados e os que mais interessam em matéria de novas funções são os topos de linha.

"Esse aparelho funciona bem", "a bateria dele é razoável, dura umas 15 horas", "a câmera faz fotos boas", "o Bluetooth e o WiFi não têm reclamações, funcionam", "você consegue rodar apps de redes sociais e mensageiros sem problemas". São frases que podem ser ditas sobre intermediários, mas quanta audiência isso gera? Qual curiosidade atiça?

Mas, no final, o que vende é a linha Galaxy J, é o Zenfone 4 Max, é o Moto G, é o LG K alguma coisa. Ou, ainda, os que vendem são os aparelhos lançados meses atrás, já que agora não custam mais tão caro e estão a preços mais justos. Tudo o que eles mais precisam é estarem com uma versão razoavelmente recente do Android e rodarem os apps mais pedidos.

AndroidPIT iPhone 8 Plus vs Samsung Galaxy Note 8 3396
iPhone e Galaxy Note: excessivamente caros / © AndroidPIT

Por isso, é cada vez mais difícil justificar o gasto elevado nos smartphones mais comentados, nos mais caros, nos topos de linha. Há público para eles? Com certeza, são os chamados "power users", o "early adopters", os entusiastas de tecnologia. Muitos dos que lêem o AndroidPIT se encaixam nessas categorias. Mas não somos nem de longe a maioria.

E esse não é um artigo para reclamar, é um artigo que convida você a perceber e celebrar uma verdadeira revolução móvel! Sim, todo smartphone com acesso à Play Store pode ter os mesmos apps que qualquer outro aparelho, embora não rode muito bem alguns se for muito velho, ou não passe todos os jogos.

Os apps são as peças que permitem às pessoas trabalharem, fecharem negócios, se conectarem a entes queridos que estão longe, conhecer novas pessoas, aprender idiomas, assistir filmes, consumir e produzir conteúdo e conhecimento. Os celulares mais baratos rodam os apps mais populares, mesmo que não tão fluidos.

AndroidPIT on the phone 0442
Para mandar mensagens de áudio no WhatsApp, sua mãe não precisa de um S8 / © AndroidPIT

Um bom exemplo é um Galaxy J7 ou um Moto G5 Plus. Não são melhores em nada, mas cabem no bolso de muita gente. É o tipo de smartphone que meus pais usam, que seus pais usam. Com o uso certo, podem deixar pessoas felizes por alguns anos.

E isso é bem bacana, não é? :)

E você? Concorda com essa ideia? Ainda consome topos de linha?

Os comentários favoritos dos leitores

  • Stella Dauer
    • Admin
    • Equipe
    29/11/2017

    Uooou, não democrático, distorções, convergência criminosa da mídia... Muito teoria da conspiração, não? Democrático é sim, porque sua opinião, mesmo que ofensiva a mim, é largamente permitida aqui.

    Não celebro a revolução apenas no Brasil, o artigo trata do mundo todo, seja o país mais ou menos evoluído. Há anos países africanos estão mudando sua economia graças aos celulares mais simples.

    E, apesar de concordar com você em alguns pontos que fala sobre a indústria, isso é o que temos para hoje, e acho que apenas ficar reclamando no site não é a solução. O que escrevo aqui é pura e simples tecnologia, não tratei do viés econômico ou político. Eu sou uma entusiasta de tecnologia, e é isso que celebro aqui.

    Pode até ser que escreva sobre o mercado e sua situação tarifária ou predatória em outra ocasião, mas não é esse o ponto aqui. Nem sempre esse deve ser o ponto.

    Agradeço sua opinião e peço que na próxima tente não inferir coisas as quais não pode provar.

  • Luiz Henrique 30/11/2017

    Sempre optei pela linha de intermediários pelo seu custo x benefício. Os de entrada têm pouco espaço, os tops de linha têm uma adição de preço que, para mim, não compensa o benefício. Além disso, por mais que hoje eu tenha condições de comprar um celular "melhor" não compensa o risco de ser furtado e perder todo o dinheiro "investido".

  •   62
    Conta desativada 29/11/2017

    Bom, vamos lá, na minha modéstia análise, acredito que qualquer modelo intermediário hoje, atende a maioria das necessidades das pessoas. Sempre fui e sou um usuário, cliente exigente, mas sei ser justo e crítico no ponto certo. Esse ano precisei aposentar meu velho de guerra, um Samsung Galaxy Y Duos que ia completar 5 anos de uso. Usava como quebra galho e passei a usá-lo como aparelho principal. Já estava bem defasado, e não baixava mais aplicativo. Pois bem, fiquei aguardando a compra de um novo modelo, na lista tinha iPhone SE, A5 2017, J5 Pro e J5 Prime. Optei pelo J5 Prime, por quê?

    O aparelho, mesmo sendo quad core, 1.4, 2 GB de RAM, câmeras razoavelmente boas, principalmente a traseira. Dá conta do recado e muito bem, roda jogos razoavelmente pesados, claro sem exagero e com sobra para o dia dia, meu uso normal, a bateria com 2400 mAh faz 2 a 4 dias de uso leve a moderado, sim, isso mesmo. Esse Exynos é bem econômico, e chega próximo a 40.000 pontos no Antutu, não sendo nenhum colosso em performance, mas muito competente em seu uso, ai pergunto, para que gastar mais?

    Analisei os prós e contras, inclusive, o 4G dele é tão bom quanto os outros, veio com Android 6 bem otimizado e receberá o 7, quem sabe ainda esse ano. Ou seja, há realmente necessidade de gastar R$2.000,00 ou mais, e encher a boca para falar que tem iPhone X, S8 e etc, se um J5 Prime, aparelho '' humilde '' perto dos outros que não deixa nada a desejar? Essa é a questão, paguei R$650,00 a vista e estou muito satisfeito. E aqueles preconceituosos que torciam o nariz quando comprei e mostrei a alguns amigos ainda falaram.'' O aparelho é bom mesmo e não trava. ''

    É aquela velha máxima que eu costumo dizer, não preciso de um Mercedes, para ser feliz, um bom Etios, Corolla, Versa, entre outros, dá e sobra. Nós como consumidores, clientes de fato, precisamos analisar, aquilo que realmente queremos e precisamos. Se você achar fraco o J5 Prime, escolha outro um pouco melhor, mas hoje em dia, aquele abismo entre modelos e até categorias, já não existe mais, pois ele tem tudo que um usuário precisa e realmente usa. quem faz uma análise criteriosa, não compra errado e nem rasga dinheiro.

  •   101
    Conta desativada 29/11/2017

    Se meu intermediário pode fazer tudo que uso diariamente, então não vale a pena ter um top.

  • Stella Dauer
    • Admin
    • Equipe
    30/11/2017

    O que eu acho é que a empresa coloca o preço que ela quiser. Vai da pessoa querer pagar ou não, é a lei da oferta e da procura. Tanto é que os intermediários estão aí fazendo sucesso, e os topos de linha já são para os que querem algo específico ou querem status, ostentar, essas coisas.

    Creio que o consumidor possa ajudar a regular o mercado. Se comprarem menos iPhones, não tem como uma empresa sustentar a linha de produção desse produto. Por isso, espero contribuir com um artigo assim, mostrando que não precisa pegar o mais caro, um intermediário já faz muito bem o trabalho.

    Quando as pessoas perceberem que não precisa fazer o iPhone ou o S8 em 24x pra ter um ótimo desempenho pra tudo o que ela precisa, o preço tende a cair. O próprio S8 já caiu bastante e vi o S8+ por 2200 na BF. Acho que devemos ajudar a regular, porque as empresas não vão fazer isso por vontade própria. Já o governo, poderíamos agir de forma semelhante, mas aí é outro papo.

107 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Faz um tempinho que o artigo foi postado, mas continua bem atual. Eu estava em um dilema recentemente entre comprar um intermediário ou um topo de linha do ano passado, quando me deparei com esse post. Analisei minhas condições e também necessidades, e preciso dizer que ambos são fatores que variam muito de pessoa pra pessoa. Concluí que vale mais a pena eu comprar um topo de linha do ano passado (S8+, sendo que recentemente foi lançado o S9, então o preço decaiu bastante) do que um intermediário novo (cujo preço nem diferencia tanto) que em dois anos o desempenho vai estar ruim e que logo eu me encontraria pesquisando um novo celular, sendo que investindo em um topo de linha, eu teria o melhor das configurações atuais e, portanto, minhas necessidades seriam supridas por três ou quatro anos tranquilos... entende? Eu sei que o ponto do artigo é outro, mas creio que se encaixa um pouco. A questão é saber pesquisar e ter paciência. Se você quer comprar um S9 futuramente, espere o preço abaixar e o seguinte ser lançado, mas se tem pressa e nem tanto dinheiro no bolso, compre um intermediário. Pelo menos é esta minha visão atualmente.


  • Concordo em grande parte, se antes comprar um intermediário era sinal de aparelho aquém das expectativas, agora tem por exemplo a opção de um Zenfone 3, que é oq recomendei pra minha mãe comprar, 1200 em 10x, boa camera, 4gb/64gb de RAM/ROM, Android 8 já confirmado. Faz tudo que um top faz, e faz bem. Top de linha hoje é para entusiastas, mas nem de longe é uma necessidade.


  • Eu acho engraçado quando esse é o tema. Eu sou simplesmente viciado em tecnologia e faço DE TUDO NO MEU CELULAR. Instalo launchers para testar, pacotes de icones, jogos pesados como Mortal kombat X e Real Racing 3, instalo apps que rodam em segundo plano para customização, e meu moto G5s aguenta! Ai fico vendo gente comprando celular de 3000 reais para cima para ficar jogando Candy Crush. Minha amiga fez isso comprando o iPhone 7, e ainda vem falar comigo que quer o 7 Plus porque não gosta de celular pequeno e quer uma bateria maior. Da vontade de tacar o iPhone dela dentro do vaso de raiva de ouvir uma coisa dessas! KKKKKKKKKKK (E ela ainda acha que comprando um iPhone vai conseguir uma bateria boa...)


  • Acho que tem que realmente analisar a necessidade de cada um. Tem gente que realmente precisa de aparelhos que entreguem uma boa performance, tem gente que necessita se exibir na frente dos amigos. Eu não vejo necessidade nenhuma de comprar de um aparelho de mais R$1.000,00 para ficar em redes sociais e alguns jogos, eu uso o Moto G5 normal e ele me atende completamente. Claro que dá vontade de ter um topo de linha, mas eu sei que seria desperdício nas minhas mãos, além do medo de ser assaltado a qualquer momento. Respondendo a pergunta, o meu intermediário pode fazer tudo que eu preciso e eu não acho que valha a pena comprar um topo de linha. Excelente matéria!


  • Já falei algumas vezes aqui , e repito, intermediário no Brasil não compensa, eles chegam próximos ao valor de um top do ano passado, e com certeza terá mais longevidade que um intermediário da vida.


  • 99% das fotos de família que temos hoje são geradas usando um smartphone... Eu me preocupo com isso... Por isso câmera pra mim é fundamental


  • Câmera... Tire uma foto noturna com um S7 EDGE, e tire uma com um intermediário...depois me fale.


  •   86
    Conta desativada 01/12/2017 Link para o comentário

    Para o meu uso diário eu sinceramente estaria bem servido com um intermediário, mas prefiro que sobre processamento em um aparelho, do que falte quando precisar. Além disso tops de linha tem uma vida mais longeva que intermediários e aparelhos de entrada....


  • Como é bom comprar um smart top por menos de 2 mil reais...obrigado Oneplus.
    Chupem Samsung,Lg, Sony, Apple, etc...
    😉


    •   86
      Conta desativada 01/12/2017 Link para o comentário

      E olha que para o padrão de importação de tops de linha, a Oneplus ainda é um pouco caro. Mas se comprar com as opções que temos aqui, é imbatível....


  • Só importar, terá um TOP com preco de intermediario...kkk


  • Maravilha eu falando de mim, só não uso um top de linha por causa do meu trabalho,q é muito perigoso pois só trabalho em altura, mais não despenso um celular rápido e com câmera boa pq uso muito no meu trabalho,pô inguanto estou gostando do meu moto X4!!!👍👍👍


  • Bom, todo mundo já falou diversos pontos de vista e eu acrescentar o meu não faria diferença porque diversas pessoas já o fizeram. Entretanto gostaria de comentar o 4° parágrafo, que comenta sobre a alta tributação. Isso é um fato, mas será que é só alta tributação que tá deixando os valores absurdos dos aparelhos? Será que é difícil falar que de fato há uma política de as empresas colocarem valores extremamente alto no Brasil? A apple foi mais cara de pau ainda e colocou um preço escroto no mundo inteiro, mas, é claro, vamos jogar a culpa exclusivamente num inimigo comum que é o fisco.

    Longe de parecer esquerdista mimizento, mas eu fico com a sensação que mesmo que se um dia a gente consiga colocar um sistema anarcocapitalista no Brasil, vão colocar os preços altos e vão falar que é consequência de um período longo de governo cobrador de imposto e os trouxas vão engolir.


    • Stella Dauer
      • Admin
      • Equipe
      30/11/2017 Link para o comentário

      O que eu acho é que a empresa coloca o preço que ela quiser. Vai da pessoa querer pagar ou não, é a lei da oferta e da procura. Tanto é que os intermediários estão aí fazendo sucesso, e os topos de linha já são para os que querem algo específico ou querem status, ostentar, essas coisas.

      Creio que o consumidor possa ajudar a regular o mercado. Se comprarem menos iPhones, não tem como uma empresa sustentar a linha de produção desse produto. Por isso, espero contribuir com um artigo assim, mostrando que não precisa pegar o mais caro, um intermediário já faz muito bem o trabalho.

      Quando as pessoas perceberem que não precisa fazer o iPhone ou o S8 em 24x pra ter um ótimo desempenho pra tudo o que ela precisa, o preço tende a cair. O próprio S8 já caiu bastante e vi o S8+ por 2200 na BF. Acho que devemos ajudar a regular, porque as empresas não vão fazer isso por vontade própria. Já o governo, poderíamos agir de forma semelhante, mas aí é outro papo.


      • Voce tá certa Stella e é ate bom materias como essa porque a principio as pessoas so vao ter olhos pros tops pq são os mais falados, o resto uma porcaria, vao gastar baita grana e nao irao usar nem 10% dos recursos do aparelho. Os usuarios e/ou consumidores precisam desse leque de informações.

        E penso e ate ajo assim... Eu compro onde eu alcanço, se eu gastei mais no S7 por exemplo é pq comprei pra ficar uns bons anos com ele. Não sou de ficar comprando aparelho todo ano até pq acompanhar o ritmo de mercado dos mobiles é loucura! Haja grana... rsrsrs


      • Não não. O cara compra um premium de quase 5 mil reais porque ele não quer passar raiva mesmo. Kkk


      • Stela, mas a longo prazo??? Por exemplo, eu comprar um S8 hoje (Ou qualquer top de linha) é garantia que ele ficará atual por mais tempo em relação a software e hardware??
        Por exemplo: a vida útil de um J5 pro é o mesmo do S8?


  • Desde que o usuário defina bem oque quer fazer no smartphone, muita gente compra carroça e quer apostar corrida com ferrari, e quando perde reclama da marca ou modelo. Fora isso acredito que os tops de linha de hoje só quem realmente quer ter nas mãos o ultimo modelo da marca x ou y vai comprar, os intermediários e até alguns de entrada mais básicos andam servindo muito bem pro dia-a-dia.


  • Sempre optei pela linha de intermediários pelo seu custo x benefício. Os de entrada têm pouco espaço, os tops de linha têm uma adição de preço que, para mim, não compensa o benefício. Além disso, por mais que hoje eu tenha condições de comprar um celular "melhor" não compensa o risco de ser furtado e perder todo o dinheiro "investido".

Mostrar todos os comentários

Artigos recomendados