O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site.

9 min para ler 30 Compartilhado 170 Comentários

Smartphones superaquecem! Saiba por que isso acontece e como evitar

Smartphones vão aquecer a partir do momento em que você os liga; isso é inevitável. Mas o superaquecimento pode ser um problema sério no seu celular, danificando equipamentos e afetando o desempenho. O que faz com que um smartphone esquente, o que provoca o superaquecimento, e como isso pode ser evitado?

Por que os smartphones esquentam?

A resposta está em uma propriedade básica da física: movimento gera calor. A quantidade de calor que o smartphone produz é proporcional à quantidade de energia elétrica movendo-se através dele. Se você estiver jogando um jogo que exige muito das unidades de processamento do seu dispositivo, integradas em um esquema system-on-a-chip central (SoC, ou sistema-em-um-chip), tais unidades vão esquentar, uma vez que requerem mais energia para realizar as suas tarefas.

O fato de seu celular esquentar não é razão para se preocupar, eles são projetados para trabalhar dessa maneira. Mas se o aquecimento é excessivo, sim, você tem um motivo para preocupação.

AndroidPIT samsung S7 epic citadel 1278
Fazer as coisas com seu celular irá torná-lo quente, mas tudo bem / © ANDROIDPIT

Por que os smartphones superaquecem?

De um modo geral, componentes alinhados no esquema system-on-a-chip são extremamente bem otimizados, de modo que o superaquecimento raramente é um problema. Eles são especificamente concebidos para lidar com altas temperaturas. Quando o dispositivo se aproxima de uma temperatura potencialmente prejudicial, a velocidade do processador será reduzida, tornando o desempenho do dispositivo mais lentos, sendo este um dos sinais de superaquecimento; em circunstâncias mais graves, um aviso será exibido no aparelho, impedindo que você use o dispositivo até que ele esfrie.

Se o aparelho está tendo superaquecimento frequente, há uma série de razões que podem ser investigadas e resolvidas, principalmente em relação a uma sobrecarga do hardware. 'Forçar' o seu GPU por muito tempo é uma das maneiras mais rápidas de superaquecer o seu telefone (qualquer um que já testou um Gear VR sabe muito bem).

O mesmo pode acontecer com os aplicativos que exigem demais, mas o peso recairá sobre a CPU. Atividades multitarefa, recursos extras e funções (como widgets), bem como outros motivos diversos fazem o seu celular ter que verificar sua conectividade - seja Wi-Fi, Bluetooth, etc.- e tudo isso exige capacidade de processamento e mais eletricidade, que causam o aquecimento dos circuitos e da bateria .

AndroidPIT samsung gear vr daria 1
A maneira mais rápida de superaquecer um Galaxy / © AndroidPIT

Outros fatores que podem causar superaquecimento são externos: deixar seu smartphone sob luz solar direta, por exemplo, ou jogá-la no forno. Se você não abusa do seu celular e ainda assim o superaquecimento ocorre com frequência, pode ser o caso de mau funcionamento de hardware, e valeria a pena tentar descolar uma troca por outro dispositivo.

Não há melhor exemplo de hardware mal otimizado, levando a problemas de superaquecimento, do que o infame Snapdragon 810. Este foi o processador principal de 2015, e foi apresentado em praticamente todos os carros-chefe. Desde o início, rumores de problemas de superaquecimento circulavam, e, enquanto o desempenho variou de dispositivo para dispositivo, o chip certamente foi estrangulando suas velocidades de processamento muito frequentemente para evitar o problema, levando a um desempenho mais lento.

O superaquecimento parecia, em especial, atormentar dispositivos da Sony, levando a empresa a liberar vários patches de software para o Xperia Z3+ e até mesmo adicionando tubos de arrefecimento ao Xperia Z5, algo que a Samsung também fez com as seus recentes topos de linha, Galaxy S7 e S7 Edge.

test comparatif samsung galaxy s6 edge vs galaxy s7 edge watercooling image 00
O novo sistema de resfriamento do Galaxy S7 e S7 Edge / © AndroidPIT/Samsung

Agora, mesmo havendo verificações de segurança nos aparelhos, e considerando que a maioria dos telefones não sofrem de superaquecimento frequente, quando o problema acontece regularmente ou apenas um episódio extremo, tenha em mente que o calor pode danificar o dispositivo.

Que danos podem ocorrer quando um aparelho superaquece? 

Bateria

Dentro dos smartphones modernos, você vai encontrar uma bateria de lítio-ion, mais um dos truques espertos que a tecnologia nos oferece. Uma bateria não recarregável permite apenas uma reação química, concebida para gerar eletricidade, para acontecer em uma direção: os elétrons deixam a bateria para viajar através de um circuito (o seu celular). As baterias recarregáveis, por sua vez, ​​permitem que esta reação ocorra nos dois sentidos, sendo que a bateria fornece e recebe carga, fazendo isto centenas de vezes.

ANDROIDPIT battery 1
Baterias de lítio-íon são inteligentes, mas têm desvantagens óbvias / © AndroidPIT

Baterias de lítio-íon são as melhores baterias recarregáveis ​​disponíveis no momento, mas ainda têm desvantagens. Há dois problemas principais. Um deles é que essas baterias se depreciam, mesmo quando não são usadas. Isso acontece de forma relativamente lenta, mas você tem sorte se conseguir dois ou três anos de uso da bateria em questão.

Em segundo lugar, são muito sensíveis ao calor. Qualquer coisa acima de cerca de 30 graus centígrados vai impactar negativamente uma bateria de lítio-íon, e esta temperatura acaba sendo atingida provavelmente toda vez que você carrega a bateria.

O principal impacto que o calor tem sobre a bateria é que acelera a sua degradação e reduz, portanto, mais rapidamente a sua capacidade, reduzindo assim sua vida útil.

AndroidPIT Smartphone Overheating 2592
Esta bateria foi bastante usada durante o carregamento pela nossa fotógrafa, Ira / © AndroidPIT

Um dos sintomas de superaquecimento mais dramáticos é a explosão de uma bateria de lítio-íon. Todos nós já lemos as histórias de terror na mídia a respeito, mas vale lembrar que as chances disso acontecer são mínimas. Para que isto aconteça, é necessário que haja uma "fuga térmica", um circuito de realimentação vicioso, onde o aumento da temperatura causa o aumento da velocidade de reação, que por sua vez aumenta ainda mais a temperatura, e assim por diante.

Para que isso ocorra, é preciso ou um dano interno, que normalmente é controlado por um disjuntor, ou condições externas extremas (como jogar seu celular no fogo, por exemplo). Para uma bateria explodir, você vai precisar esquentá-la acima de 200 graus Celsius. Quais as chances disso ocorrer? 

System-on-a-chip

Quando se trata do circuito sob o esquema SoC, a velocidade do processador será limitada para evitar o superaquecimento, o que torna seu dispositivo lento, às vezes tornando-o inutilizável. Se houver muito calor por muito tempo, pode haver dano físico ao chip. Novamente, como no caso da bateria, esta última possibilidade é bastante improvável, uma vez que existem medidas de segurança para evitar esse cenário. Mas, mesmo assim, o aquecimento excessivo pode ser preocupante - sem falar na chatice em ter que esperar o seu dispositivo 'esfriar'. Alguns celulares são mais propensos a superaquecimento (Sony Xperia Z3 +, eu estou falando de você), mas, de todo modo, é algo incomum.

Como evitar o superaquecimento

Bateria

A pior coisa que você pode fazer a uma bateria é a exposição ao calor quando totalmente carregada. Assim sendo, pode não ser uma boa ideia o carregamento a 100%, já que sua bateria vai ser verificada periodicamente e novamente carregada até 100 por cento, causando eventual estresse ao equipamento. A profundidade de descarga também afeta a vida da bateria, o que significa que é melhor não deixar a carga chegar a zero. Se você carregar de, digamos, 30 por cento até cerca de 80 por cento, você está tratando sua bateria bem, e possivelmente evitando o superaquecimento. Embora possa soar como algo inconveniente (e é), isto poderia mais do que dobrar a quantidade de ciclos de carga de uma bateria.

Nossa fotógrafa oficial, a Ira, tem conhecimento extenso dos perigos de se usar um smartphone que está totalmente carregado, mas ainda ligado a uma tomada. Ela teve que substituir cinco ou seis baterias em seu Galaxy S3 (praticamente uma vez por ano) e um dos aparelhos inchou como um balão, como você pode ver nas imagens abaixo - uma demonstração dos perigos que podem afligir uma bateria.

AndroidPIT Smartphone Overheating 2583
Problemas que podem ocorrer com a sua bateria / © AndroidPIT

System-on-a-chip

Para reduzir ou evitar o superaquecimento do circuito, evite exagerar quando estiver jogando um daqueles jogos ultra-exigentes ou assistindo vídeos por muito tempo, não abuse das atividades multitarefa em apps que requerem uma grande quantidade de processamento, tente evitar o uso de Bluetooth por períodos prolongados, e só use o Wi-Fi em conexões estáveis. Essencialmente, evite um grande número de processos que exigem demais do seu celular sempre que possível.

Usando um app: Coolify

O aplicativo Coolify serve para prevenir o superaquecimento do dispositivo, monitorando constantemente a temperatura global do aparelho e interferindo nos valores de sistema. É particularmente indicado durante a recarga ou quando usamos um aplicativo muito pesado. Muitos dispositivos ficam muito quentes durante um uso intenso da internet, e o Coolify faz o seu trabalho também nesses casos. Além de prevenir o superaquecimento, como “efeito colateral” ele prolonga a duração da bateria.

Coolify Install on Google Play

Como funciona

O Coolify não é um task killer, pois não tem influência sobre apps ou processos. Ele não “mata” aplicativos que rodam em segundo plano e não libera a memória. Então o que ele faz? Como diz o seu desenvolvedor, apenas 80 correções (“only 80 tweaks”) otimizam os valores de sistema, ligados por exemplo à bateria ou à máquina virtual do Android. Essa interação com os parâmetros de sistema requer obviamente permissões de root.

Se você utiliza uma ROM customizada, o serviço também pode funcionar (tudo dependerá de como ela foi desenvolvida). O Coolify é compatível com 80% das ROMs customizadas. Destaca-se o seu incrível trabalho “silencioso”, com consumo de RAM próximo ao zero. O usuário poderia se esquecer de que o serviço roda em segundo plano, se não fosse pelos seus benefícios.

A utilização é muito fácil, graças à interface simplificada. Basta clicar em “Turn On Normal Temp Protection” para iniciar o serviço: aparecerá o pedido de permissões de root e, depois de aceito, o processo tem início com o surgimento da tela principal. Nela, você encontrará a temperatura atual e também um gráfico em tempo real.

coolify teste bateria superaquecer
As duas telas principais do Coolify / © AndroidPIT

No menu, temos como acessar diversas seções do app. Entre elas:

  • Cooling: um registro com data e hora dos momentos em que o app “resfriou” o dispositivo;
  • Settings: encontraremos as opções para iniciar o serviço, visualizar a temperatura em Celsius ou Fahrenheit, ativar as notificações e registrar os Logs no dispositivo;
  • Background: para modificar a cor de fundo ou inserir uma imagem da galeria (último quadrado);
  • Upgrade: poderemos verificar as atualizações com um toque.

Conclusão

Se você não 'forçar a barra' com seu smartphone e evitar deixá-lo sob luz solar direta em pleno verão, não deverá ter maiores problemas. A maioria dos smartphones modernos são projetados para lidar com tudo, exceto atividades mais intensas e extenuantes, de modo que as chances de um colapso catastrófico no dispositivo são minúsculas. Se as temperaturas estão subindo demais por nenhuma razão imediatamente identificável, vale a pena tentar obter um aparelho substituto - nesse caso, o dispositivo provavelmente está defeituoso.

Quais as suas experiências com superaquecimento de smartphones? Seu celular já deu dor de cabeça por causa desse problema? Deixe-nos saber nos comentários!

30 Compartilhado

Os comentários favoritos dos leitores

  • Diêgo Siqueira há 3 meses

    Já vi em alguns sites de tecnologia que isso ocorre em particular com o Note 4 devido ao processador do aparelho, mas confesso que isso é bem chato ter uma fogueira em suas mãos.

  • Matheus L. 20/set/2016

    pode falar, o artigo foi criado mais p divulgação do "app milagroso", né?

  • Nanderson Tavares Ormindo há 3 meses

    Quem costuma levar o aparelho para o banheiro, quando vai tomar banho quente?

    Muita gente faz isso, eu também já fiz, e na maioria das vezes só por costume de está próximo ao smart o tempo todo. E pra quem não sabe, quando levamos o cell pro banheiro e tomamos banho quente ainda que ele não fique dentro do box (lógico), o vapor de água quente liberado pelo chuveiro "para os aparelhos que NÃO possuem certificado de resistência a água", absorvem esse vapor, e transfoma-o em água dentro do aparelho, e com isso começa a oxidar vários componentes na placa, pela condutividade elétrica da água, e logicamente os componentes trabalharem com eletricidade.

    Você de início pode não perceber nenhuma alteração em seu aparelho, mas com o tempo você pode danificar parcialmente ou totalmente a placa de seu aparelho, causando perda total do mesmo.

    E um dos sintomas principais de oxidação e curto por presença de liquidos na placa é o superaquecimento da placa ou da bateria.

  • Diêgo Siqueira há 3 meses

    Não sei se ocorre com todos o usuários mas meu Galaxy Note 4 super aquece ao extremo, não consigo utilizar ele sem capa protetora de tão quente que fica , além do carregamento Turbo Power que eleva o aparelho a uma temperatura altíssima.

  • Franco L. há 3 meses

    Ja passou da hora de criarem algo realmente efetivo pra segurar esse aquecimento dos aparelhos , os aparelhos da sony todos q peguei na hora de jogar so dava com uma capinha grossa pq com capa fina ou sem capa chegava a queima a mao aquelas merda , o moto G 1 tbm quando eu jogava por um tempo esquentava abeça , ja o j3 e j5 q tenho estao de boa o iphone SE esquenta pra cacete tbm

170 Comentários

Escreva um comentário:

  • Alguém tá tendo esse problema com o moto G5s plus?


  • Artigo bem esclarecedor, mas não dá para passar em branco:

    "...Para reduzir ou evitar o superaquecimento do circuito, evite exagerar quando estiver jogando um daqueles jogos ultra-exigentes ou assistindo vídeos por muito tempo, não abuse das atividades multitarefa em apps que requerem uma grande quantidade de processamento, tente evitar o uso de Bluetooth por períodos prolongados, e só use o Wi-Fi em conexões estáveis. Essencialmente, evite um grande número de processos que exigem demais do seu celular sempre que possível..."

    Assim... para que vou gastar $$$ em um aparelho de alto valor agregado se tiver que maneirar no seu uso?


    • N0625Yvia, concordo com você em partes. Não precisa maneirar no uso, mas acho que devemos levar em consideração que tudo tem seu desgaste, seja orgânico ou máquina, e se forçarmos demais só vamos estar aumentando esse desgaste. Não acho que você deva maneirar, mas leve a segunda dica que você citou do artigo como referência, evitar deixar vários processos em segundo plano quando for abrir uma tarefa mais pesada(como emular jogos de ps2 ou PC), isso vai poupar mais RAM, processador e ao mesmo tempo melhorar a fluidez da tarefa que estiver executando. Não adianta ter muita memória RAM, um processador bom e deixar inúmeros processos em segundo plano.


      • Opa. Então, foi mal. Foi o calor da indignação. Da segunda dica em diante é totalmente plausível. Agora, tipo... os fabricantes também pedem para arrumar problemas. Conforme eles vão turbinando os aparelhos, mais finos eles vão ficando. Parabéns ao engenheiro cretino que achou bonito smartphone com espessura nanométrica. Literalmente "inventou moda". Bateria inchada e superaquecimento deram S2.


  • excelente conteúdo,muito útil..


  • Muito bom o artigo, mas esqueceram de mencionar no mesmo o fator brilho, que superaquece o aparelho todo(processador, bateria, display etc), lembre-se a luz azul gera energia em forma de calor, esse foi um elefante na sala que você não mencionou Camila, e na minha opinião um dos maiores perigos(ainda mais quando se utiliza o brilho no máximo). Eu nem consigo utilizar smartphone com brilho no ultimo nível, meus olhos chegam a arder(seja pela luz azul ou pelo calor que ela gera).


    • Verdade brother Link, fisicamente sim, e logicamente notamos o calor liberado pelo brilho da tela quando estamos usando o aparelho, mas existe um fator que não podemos ignorar, é que as fabricantes ao construir o aparelho eles fazem um chasi, que funciona como um dissipador, na maioria dos casos o material usado é o antimônio, porque alumínio conduz muito calor e o antimônio isola esse calor. Esse chasi se você observar ele separa a placa do aparelho da frontal (display/touch), para que o calor do display não interfira termicamente na placa, e nem a eletricidade estática da placa interfira no funcionamento do display e do touch.

      Então essa sua abordagem é sim um fator que deveria ser citado, porque o calor emitido pelo brilho do display pode danificar o próprio display, e na maioria das vezes causando o famoso efeito "burn in" que é irreversível na maioria dos casos e também o "ghost touch", problema que também na maioria dos casos não tem solução até a troca da frontal do aparelho.


  • Pura física...
    Eu já reparei no meu G4 (SD808, desde esta época a LG já vendia top com processador do ano anterior) que quando a carga chega a 90% o carregador fica mais "lerdo", ele diminui a intensidade da carga enviada.


    • Exatamente brother Eduardo, a bateria funciona como um pneu, se você injeta uma de pressão de ar estável para o interior dele , enquanto possuem bastante espaço para o ar ocupar, ele encherá mais rápido por não haver pressão expulsando o ar para fora do pneu, quando o pneu está cheio, enquanto a pressão do ar injetado for maior que a pressão que está sendo expulsa do pneu, ele continuará enchendo, mas de forma bem mais lenta, até que as pressões se igualem e pare de encher.

      E em relação carregamento das baterias, funcionam exatamente dessa forma, mas ao invés de ar, o elemento utilizado é corrente elétrica à partir do comportamento de cada carregador, capacidade da bateria e limites de correntes coordenados pelo setor responsável de entrada e saída de corrente elétrica de cada aparelho.


  • Também acho que o artigo foi criado para o app, mas como não posso afirmar, só deixo meus parabéns a equipe e digo que posts assim eu aprovo facilmente independente do porquê foram feitos, pois agregam bastante conteúdo.


  • Só passei aqui para dizer que estou apaixonado pela Camila. É sério. HUAHUAH. <3


  • Pessoal vcs que são mais ninjas nos smarts, me respondam se possível: Fora a degradação da bateria, quebra da tela/display, desgaste dos botões físicos, que outros problemas podem acontecer a um smartphone (no meu caso o J7 METAL) e como posso evita-los.

    Tomando todos os cuidados possíveis qual a vida útil de um celular em anos em questão dele estragar pelo desgaste natural?


  • SMARTPHONES SUPERAQUECEM!
    SAIBA COMO EVITAR?
    Vá morar na Região Ártica que a temperatura média do mês mais quente é inferior a 10 ℃.

Mostrar todos os comentários

O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. Mais informações