Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

opinião 4 min para ler 155 Comentários

Eis por que você não precisa de um smartphone com bateria removível

Smartphones com uma bateria removível tornaram-se espécie em extinção nos últimos anos. Esta característica não parece ser uma prioridade entre as fabricantes já que estes aparelhos estão se tornando menos numerosos. E preciso dizer que esta tendência confirma a minha sensação de que ter um smartphone com bateria removível não é tão importante em 2017.

Este debate não é novo. Ouço regularmente as pessoas ao meu redor me perguntando sobre as razões para o abandono desse recurso nos novos smartphones. Isso acontece principalmente porque, no passado, as baterias removíveis eram a marca registrada dos smartphones Android. Aliás, este era um extre em relação ao iPhone. Então, por que essa mudança ao longo dos anos? 

Bom, porque você não precisa mais de uma bateria removível!

AndroidPIT iPhone 7 plus 1138
A Apple, com o iPhone, iniciou a tendência de bateria não-removível / © AndroidPIT

A tecnologia avançou

Várias razões explicam esta reviravolta. Uma das razões mais simples desta troca foi a evolução das baterias nos últimos anos. Os smartphones são agora capazes de oferecer mais em relação à tecnologia, especialmente em termos de opções de recarga. O carregamento rápido e o carregamento sem fio estão se tornado mais comuns.

As baterias externas melhoraram, se democratizaram e podem substituir a antiga necessidade dos compradores de smartphones com bateria removível. O consequência disso é que a bateria removível já não é mais necessária como era antes.

Se você deseja mais tempo de bateria, escolha uma bateria externa

Além disso, se a bateria do seu smartphone tende a perder a capacidade e autonomia com o tempo, hoje é mais vantajoso para os usuários mudar de smartphone do que apenas trocar a bateria. Normalmente, a bateria de um smartphone começa a dar problemas, em média, 24 meses após a compra, que é muitas vezes o ciclo de duração de um aparelho para a fabricante.

A perda de autonomia também é uma boa desculpa para comprar um novo smartphone. Certamente, este é um pensamento bem consumista e não necessariamente muito amigo da natureza, mas é frequentemente um dos pontos que faz alguém trocar de smartphone.

Novos critérios de compra

Outra razão importante para essa mudança de situação é que a demanda por baterias removíveis é bastante reduzida. Os usuários agora preferem comprar smartphones mais bonitos, com câmeras mais avançadas, cartão microSD, melhores processadores e assim por diante. Para preencher estes novos requisitos, as fabricantes estão, portanto, simplesmente adaptado-se, e foi através levou a abdicar da bateria removível.

Para fazer aparelhos mais elegantes e atraente, como observamos nos últimos anos, muitas vezes é necessário abrir mão da bateria removível. Isto dá aos fabricantes a oportunidade de usar materiais de alta qualidade e oferecer projetos mais sofisticados, algo que não se poderia fazer com uma bateria removível. 

Isso permite organizar os componentes internos da forma como a fabricante quiser. Além disso, torna mais fácil oferecer aparelhos com certificação de resistência à água.

AndroidPIT Samsung Galaxy S8plus 1966
Graças à bateria fixa, podemos ter hoje um smartphone como o Galaxy S8 / © AndroidPIT

A Apple iniciou essa tendência com o iPhone, a Samsung e outras empresas resolveram fazer o mesmo depois de alguns anos. E foi graças ao abandono da bateria removível no Galaxy S6 que a Samsung conseguiu colocar no mercado hoje um dos smartphones mais bem desenhados dos últimos anos, o Galaxy S8

Finalmente, o exemplo da LG também reflete perfeitamente a falta de interesse do usuário por baterias removíveis. Uma das únicas fabricantes que até pouco tempo parecia ser a resistência cedeu ao uso deste recurso em seus carros-chefe com o lançamento do LG G6. Em especial porque o LG G5, anunciado em 2016, não teve o sucesso esperado pela marca sul-coreana.

AndroidPIT lg g5 friends 0352
Mesmo a LG cedeu após o fracasso do LG G5 / © AndroidPIT

Uma opção irrelevante

No final, a falta de uma bateria removível não é uma característica relevante para o dia-a-dia. A perda deste recurso passou a oferecer funcionalidades adicionais e que hoje dão uma experiência melhor aos usuários, que já não são capazes de sacrificar tais benefícios em nome de uma bateria removível.

Fixa ou removível: qual bateria você prefere?

E aí, o seu smartphone tem uma bateria removível?

Os comentários favoritos dos leitores

  •   74
    Conta desativada 15/06/2017

    "Além disso, se a bateria do seu smartphone tende a perder a capacidade e autonomia com o tempo, hoje é mais vantajoso para os usuários mudar de smartphone do que apenas trocar a bateria"
    E eu faço o quê com o antigo? Jogo no lixo? A Terra é uma só, não dá para jogar 2 ou 3 bilhões de smartphones no lixo a cada 2 anos. Desculpe, mas esse argumento foi muito infeliz.
    Meu argumento para uma bateria removível não é a duração da carga, mas a vida útil da mesma. Se eu posso trocar a bateria dele, não preciso levar na assistência quando ela abrir o bico, basta comprar uma e trocar. Na assistência, além de ter que pagar a mão de obra, vou ficar sem o aparelho uns 10 a 20 dias e eles ainda vão dizer que o problema não é a bateria e sim a placa mãe que precisa ser trocada e custa 80% do preço do aparelho. Isso aconteceu comigo em um tablet, eu comprei a bateria e troquei, e por mágica, a placa voltou a funcionar.

  • Léo Walk 15/06/2017

    Aqui enquanto o Moto G4 Play me oferecer uma boa experiência de uso vou continuar com ele e se daqui há 2 anos a bateria começar a perder muito a autonomia compro outra!!! Vejo as baterias fixas como um tipo de bloqueio, fazendo as pessoas comprarem um novo smartphone em vez de continuar com o antigo mesmo sabendo que existem alguns modelos que mesmo a bateria sendo fixa, dá pra fazer a troca por uma nova levando numa assistência. O que no final das contas sai muito mais barato. Tanto a Samsung quanto a Apple e outras não vão querer as pessoas inserindo novas baterias pra continuar usando seus aparelhos. Essa é a lei imposta por eles que alguns defendem cegamente. Consumismo é a palavra principal dessas firmas!!!

  • David CD 15/06/2017

    Engraçado, toda vez que leio LG, lembro de levar o lixo pra fora, pro caminhão de lixo recolher.
    Mas mudando de assunto, e indo para o assunto do post, prefiro bateria removível, que nem meu smartphone, troquei três vezes a bateria, imagina se fosse lacrado, ficar sem o smartphone durante dias, complicado né. Agora entende porque lg me lembra de levar o lixo pra fora né kkkk

  • Ricardo Silva 16/06/2017

    Optei pelo moto G5 justamente pela bateria ser removivel.

  •   94
    Conta desativada 15/06/2017

    Prefiro a traseira do aparelho em alumínio Agnaldo!
    Vidro só na tela.

155 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Já disse e continuo a dizer a minha opinião, se eu escolho um aparelho bom que não me dê dor de cabeça e ainda mais ter que levar na assistência é celular com bateria removível, ai você compra um aparelho com bateria selada já sabendo que daqui 24 meses ele terá que ir para alguma assistência para apenas trocar a bateria pois você mesmo não consegue pelo fato de a tampa traseira ser colada( mundo capitalismo mesmo). e Fora que existem posto de coleta de baterias. Estou para escolher um aparelho intermediário com bateria removível, mas está cada vez mais difícil.


  • Excelente o seu comentário! Concordo plenamente! Não vou me submeter a isto! Vou levar um celular com menor capacidade interna para não levar algo q está indo contra tudo que vemos que está contra a natureza que Deus nos deu!


  • Essa matéria é uma tradução de um artigo em inglês, tremendamente infeliz, e que vai contra a conservação do planeta e de encontro aos interesses de possíveis anunciantes de smartphones no próprio site.
    Há 2 anos e meio, comprei um Moto G3, que foi um dos celulares que mais de deixou satisfeito até hoje. Na época, paguei quase R$1mil por ele. Há algumas semanas , percebi que a tela estava "saltada" no meio, e acabei chegando a conclusão que a bateria havia estufado dentro do aparelho. Como precisa praticamente desmontar o celular inteiro pra trocar a tela, resolvi comprar um "equivalente" mas com preço mais baixo: o Moto E4.
    Pra minha surpresa, a Motorola decaiu muito depois da aquisição pela Lenovo. Descobri que não podia ouvir música com o celular no bolso, por que o "maravilhoso" sensor de digital interferia na reprodução das músicas (mesmo desabilitando totalmente suas funções) , e quase entrei numa fria nas dunas da Lagoa da Conceição, por que descobri lá que, pra cortar custos, o celular não tinha bússola (!!!) e eu não conseguia saber em que direção estava andando no mapa.
    A única coisa boa do Moto E4 é a bateria ser removível, por que de resto é um lixo. Devolvi ele para a loja virtual que havia comprado, e levei o Moto G3 na autorizada e troquei a bateria por R$180 reais. Achei caro, mas depois de ver tutoriais de como trocar a bateria, achei q valia a pena pagar pra transferir o risco de quebrar a tela. A troca foi realizada na hora, e fiquei apenas 90 minutos sem o aparelho. Me senti extremamente satisfeito com a solução, pois não sou "gamer" e preciso de um hardware poderoso e atual. Ele roda android 6.0, o que pra mim basta, e sei que tem rooteando, dá pra instalar até o Oreo (o que não pretendo fazer tão cedo)
    A obsolescência programada é um fato, mas daqui pra frente, farei o possível pra contornar ela. Um celular novo não vai preencher o vazio que vc sente na sua vida. É só um objeto.


  • Já li muitas bobagens, mas, esse artigo, foi de longe um dos piores que eu já li. Primeiro, todos os argumentos são péssimos e sem fundamento. Depois, tem o fator primordial que é a escrita - lamentável e sofrível -
    Em relação às fixas ou removíveis, está muito claro que é puro consumismo em cima de um argumento falido e mentiroso. É melhor, mil vezes melhor, as baterias removíveis. As mesmas dão maior liberdade para troca e resolução de alguns problemas, dos quais as fixas nunca irão solucionar. Um exemplo, o modelo ASUS ZENFONE 2, é de longe o pior celular em relação à carga de bateria. Digo isso por (péssima) experiência própria. Um celular com grandes benefícios que apagam-se no prejuízo lamentável de bateria que se esvai em pouquíssimas horas. E digo pouquíssimas mesmo. Um celular novo como esse problema, o melhor é comprar uma bateria pra ficar como ¨estepe¨. Então não venham com essa pantomima de nos empurrar goela abaixo essa ideia fajuta.


  • Que artigo mal feito. Cheio de erros de digitação e com argumentos que não me convencem nem um pouco. Foi só pra cumprir meta na empresa. Péssimo.


  • O grande problema de uma bateria inacessível ao consumidor é o inevitável dia em que ela apresenta problema. Inevitável porque baterias sofrem desgaste e perda de eficiência com o tempo.

    Mesmo na hipótese de que uma falha crítica da bateria não ocorra, com o tempo, a perda de eficiência faz com que a peça não retenha mais a mesma quantidade de carga, ou que ela descarregue muito rápido durante o uso.

    Nesses casos, quem usa um aparelho com bateria fixa pode estar em má situação. Nesses produtos, as baterias tendem a vir presas no interior do dispositivo com colas de alta resistência e que, normalmente, só cedem se expostas a fontes de calor extremo.

    Mas o calor extremo é incrivelmente danoso para os outros componentes do seu aparelho. Além disso, o processo de abertura de um tablet, ou mesmo um MacBook ou ultrabook, é extremamente complexo e requer um bom conjunto de ferramentas, cuidado e conhecimentos razoáveis de eletrônica.

    Quando você expõe qualquer eletrônico à água a primeira coisa que você deve fazer é cortar a fonte de eletricidade desse dispositivo. No caso de aparelhos móveis, como celulares e notebooks, essa fonte é a bateria.

    Em modelos com bateria colada no interior, torna-se impossível realizar o procedimento. No fim das contas, com energia circulando, os danos da água podem aumentar consideravelmente, causando curtos que podem acabar com o dispositivo.

    A melhor solução para acabar com o calor extremo de um celular é remover sua bateria por alguns minutos. Se a bateria é fixa, essa solução torna-se inviável ao usuário.

    Em alguns casos, o forte calor de um celular é causado por problemas de hardware que não são eliminados simplesmente desligando o dispositivo. Com a bateria fixa, o calor pode continuar forte por muito tempo com o aparelho desligado

    Uma solução muito pratica para um travamento sério de qualquer aparelho é interromper seu abastecimento de energia. Se o Android travou, ou o Windows entrou em uma tela azul, tirar a bateria desliga o dispositivo automaticamente e permite que o usuário ligue-o novamente.

    Obviamente, com baterias fixas, isso se torna impossível. Em muitos casos, a única forma de retomar controle do dispositivo é fazendo com que a bateria chegue a zero, forçando o desligamento.
    Conclusão: bateria fixa só é bom pro fabricante!


  • Eis que em verdade vos digo: Se o seu smartphone travar e vc quiser tirar a bateria ou superaquecer. Sente e chore. Isso não passa de desculpa para obrigar as pessoas a comprarem aparelhos novos todos os anos por causa de problemas...


  • Não é ofensa (mas sim uma constatação), tudo que está escrito nesse artigo é pura balela. Não é possível que a pessoa que escreveu isso more neste planeta, já que mostra um total desconhecimento da realidade. Bateria "não removível" não existe no mundo dos smartphones e cia. TODAS as baterias são unidades removíveis.. a diferença é que o procedimento para tal se tornou praticamente inalcançável para o usuário final. Traduzindo: é só uma desculpa esfarrapada para o surgimento das "assistências técnicas" que são, em 95% dos casos, "trocadores de bateria autorizados". Simplesmente escolheram desrespeitar a vontade do consumidor (que é SIM poder escolher aquilo que ele quer, e a bateria é um dos casos) e provocar um efeito compulsivo nos consumidores, que muitas vezes se vêem obrigados a trocar de equipamento, na maioria dos casos, porque a porr... da bateria estragou (bastava substituir a bateria). Isso gera uma onda de eletrônicos descartáveis (esmagadora maioria em ótimo estado de funcionamento, bastando trocar a bateria) e de consumo compulsivo e doentio por parte dos consumidores finais. Enfim... esse simples gesto de tornar a bateria um item "selado" do alcançe do usuário final, criou toda essa merda que vemos hoje em dia, uma geração de gente doente e depressiva, que não mais valoriza aquilo que compra (logo descarta, vivem uma vida absurdamente descartável).


  • Tenho preferência pelas baterias removíveis, pois não posso trocar de smartphone 📱 anualmente, quando for necessário substituir é só comprar uma nova sem ter que gastar 💸 com assistência técnica e ter de passar dias sem o aparelho.


  • Tá pra nascer a pessoa que vai me convencer do contrário, de que o maior motivo no mundo pra acabar com as baterias removíveis é um só: lucro indevido


  • Vou fugir um pouco do assunto mas eu acho que é interessante, eu acho que os smartphone com bateria fixa daria uma grande oportunidade para os fabricantes criarem mais um sistema anti roubo, quando um ladrão rouba um celular a primeira coisa que fazem é desligar o mesmo para que não seja rastreado. Se a bateria é removível, a primeira coisa que fazem é tirar a bateria para desligar e não ser rastreado. Porque não se fabrica um smartphone em que não se consiga desligar sem digitar uma senha ou usar um leitor de digital. Também que precise de alguma chave especial para que seja trocado o simcard, fica aqui a minha sugestão, e que ANDRÓIDPIT possa fazer com que essa ideia chegue até os fabricantes.


    • Aconteceu isso comigo, me roubaram um S4, minha "amiga" ligou no telefone e o meliante tirou a bateria. Depois comprei um Moto X Play com bateria interna, logo pensei, agora o possível ladrão não tem a chance de retirar a bateria, mas esqueci que a Motobosta não implementou a funcão mais importante, não deixar que o celular desligue pelo botão sem que antes possa digitar uma senha... O Moto X Play parou de carregar com 1 ano de uso, assim que expirou a garantia... Agora estou procurando outro pra comprar, mas penso que vai ter que ser um barato, porque cansei de jogar dinheiro fora... Comprei este o S4 pelo conjunto, depoios o Moto X Play pelo desempenho + boa câmera, agora penso somente em comprar algo com bateria removível, um processador mediano, 2 gb de Ram e 32 gbyte de memória, ou seja, na média entre 500 a 800 reais. Já que o mercado quer que sejamos consumistas, vou consumir apenas o necessário, nada de ficar jogando dinheiro fora comprando smartphones caros. Agora bateu uma saudade do primeiro smartphone um Xperia SP, que durou 2 anos na minha mão, vendi para um primo que ficou com ele mais 2 anos e agora está com a mãe dele...kkk Ele era mediano pra época, mas a sua bateria removível até hoje aguenta 1 dia inteiro, isso não é historia de pescador... saudade...rs


      • Concordo com você, tive um xperia sp, durou muito depois, vendi para um familiar, e agora estou com o xperia z2 tem mais de 02 anos, tá bom até agora, só preciso trocar a película, porque trincou depois de inúmeras quedas, muito resistente por sinal.


  • Não entendi o stress.... dá um pouco mais de trabalho mas é possível trocar uma bateria fixa.


  • muito infeliz esse analise. a questão é a implantação de uma obrigação consumista, nem tanto ambiental mas é mais exploratória mesmo, hoje os smartphones estão ficando cada ano mais caros, alguns chegam a valores 3x mais que notebooks alguns fica em pé de igualdade com ultrabooks. O ritmo que se impõem o o comercio de tecnologia, principalmente os smartphones e altamente rentável para as empresas e muito prejudicial aos consumidores. produtos produzidos sem esmero, apresentando uma alta taxa de defeitos e imperfeições de fabrica, seja no projeto, no hardware ou software, produtos com baixa resistência ao uso constante, apresentando alguma falha mesmo antes do fim da garantia. resumindo tecnologia de ponta com baixa qualidade.


  • Fácil para fins comerciais, obrigam o usuário a comprar outro smartphone, daí surgem os carregadores portáteis e sai todo mundo na rua com um pendurado no smartphone porque a bateria está viciada e falta de condições para comprar outro aparelho ou levar na assistência para trocar a bateria.


  • Outra vantagem da bateria fixa é poder colocar app pra rastrear o celular e não preocupar em não poder localizar-lo pq o ladrão removel a bateria.

    Celular bateria removível mesmo que app rastreador bloquei o uso dos botões para impedir do celular ser desligado, e só remover a bateria e xau gps.


    • Isso é fantasia, pelo menos aqui no Brasil os casos de recuperação do aparelho são ínfimos comparados aos números de roubos. E a questão de deletar o conteúdo ou inutilizar nunca vi funcionando de verdade. Ou seja, essa sua tese de defesa para bateria não removível é mais uma que não serve e não funciona para nada.


  • Não concordo com esse pensamento de jogar o aparelho fora e comprar outro só por conta da bateria que está ruim. Eu comprei uma bateria, quando a outra não prestava mais. Ainda estou com o mesmo aparelho. Não vamos foder com o planeta. Precisamos da natureza para vivermos.

Mostrar todos os comentários