Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

3 min para ler 58 Comentários

Você sabe o que é WhatsAppinite?

Lá vem os termos médicos inventados pela medicina para explicar alguma doença obscura. Temos hoje aqui a WhatsAppinite, que pelo nome já deve dar a você uma ideia do que pode ser isso. Nada em excesso é bom (apesar de muitas opiniões contrárias), e apesar de o smartphone e a internet serem ferramentas incríveis, o seu uso indiscriminado pode gerar problemas sociais e de saúde, psicológicos e físicos.

Apesar de termos produtos cada vez mais caprichados e apesar de a pesquisa sobre ergonomia de aparelhos móveis estar cada vez mais evoluída, não é natural para o ser humano segurar um pequeno retângulo nas mãos por tanto tempo, batendo freneticamente com seus dedões na superfície e olhando fixamente para esse objeto, quase sem piscar. 

Quase todo mundo que tem computador ou que trabalha com computador já ouviu falar de LER, a Lesão por Esforço Repetitivo, causada justamente quando repetimos movimentos por muito tempo. Geralmente acomete as mãos, os braços, pescoço, e pode levar a cirurgias complexas e delicadas, com recuperação lenta. Ou seja, é algo que ninguém quer. A WhatsAppinite seria um grau antes do que conhecemos por LER.

Sergio loves texting
Prefira escrever textos longos no computador / © ANDROIDPIT

Essa doença apareceu justamente por muitas crianças e adolescentes estarem indo ao médico reclamando de dores musculares nas mãos, mialgia, e ser detectado que utilizam o smartphone por mais tempo do que o ideal ao longo do dia. Só nós, brasileiros, passamos uma média de 3 horas e 14 minutos por dia usando o smartphone (segundo uma pesquisa realizada pela Millward Brown Brasil e NetQuest em 2016). E se essa é a média, significa que muito mais gente usa por mais tempo.

O termo WhatsAppinite surgiu em um artigo científico publicado em 2014 na revista The Lancet, e diversos médicos afirmam que essa é uma doença que é trampolim para outros problemas musculares mais sérios, como artrite, inflamação da articulação do polegar, e até tendinite, inflamação dos tendões do polegar. Com o tempo, a inflamação pode continuar a evoluir e pegar mãos e punhos também. 

E não precisa ser nada grave. Você mesmo já deve ter sentido aquela dorzinha nas dobras dos dedões depois de um dia de uso excessivo. Uma dor pequena, ligeiramente incômoda, mas que não chamou sua atenção. Com o tempo, ela pode ir piorando, e por isso você pode seguir algumas de nossas dicas (duvido que algum de vocês vá seguir) para evitar esse problema:

  • O básico: não passe tempo demais usando seu smartphone. Se acha que exagera, passe a cronometrar e coloque um cronograma
  • Caso seja necessário ficar digitando por mais de 45 minutos, interrompa esse tempo na metade e faça uma pausa de 15 minutos
  • Ter uma vida saudável e o corpo em dia ajuda a diminuir esses problemas
  • Exercícios localizados ajudam. Se sentir alguma dor, pare o uso do smartphone e mexa os punhos, puxe os dedões
  • Compressas de água gelada podem diminuir uma dor mais aguda
  • Em casos mais graves, fisioterapia será de grande ajuda
  • Troque a posição de uso, se possível
  • Use sempre as duas mãos para não sobrecarregar apenas um dedo

Fique de olho em outras partes do corpo também! Quando usamos o smartphone, abaixamos demais o pescoço, ficamos com dores nas costas e podemos sobrecarregar também os ombros. Por isso, o trabalho não é fácil: se você quer mesmo exagerar no uso do aparelho, é melhor cuidar bem mais do seu corpo!

Você já sentiu dores nas mãos por usar demais seu smartphone?

31 Compartilhado

Os comentários favoritos dos leitores

58 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Mostrar todos os comentários