Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.
A Xiaomi pode ser uma pedra no sapato da Motorola no Brasil?
Aplicativos Opinião Xiaomi 4 min para ler 41 Comentários

A Xiaomi pode ser uma pedra no sapato da Motorola no Brasil?

Enquanto a Xiaomi não decide se virá ou não oficialmente ao Brasil, os fãs da marca seguem mobilizados nas redes sociais tentando entender o que a empresa está planejando para o seu suposto retorno triunfal. É claro que qualquer rumor sobre a chegada de uma nova marca estremece o mercado, principalmente quando sua estratégia de vendas é tradicionalmente agressiva com relação aos preços.

O retorno da Xiaomi está sendo marcado por muita especulação e pouca informação consistente. O porta-voz da marca para América Latina disse ao AndroidPIT que, em breve, os brasileiros terão uma novidade sobre a marca no país, sendo essa a última informação oficial conhecida sobre o retorno.

Num jogo de cartas marcadas, a Samsung já se antecipa à Huawei inundando o mercado com smartphones que tem configurações equilibradas e boas novidades, embora o custo/benefício desses produtos seja questionável no momento. O mesmo acontece com a Huawei na China, por exemplo, onde é conhecida por ser uma marca de qualidade e com preços mais elevados, diferente de outras mais acessíveis. A briga entre essas duas claramente se dará pela liderança do mercado local e global.

Fora isso, a pergunta que fica é: se a Xiaomi realmente vier, ela terá chances de ameaçar o reinado da Motorola? Provavelmente essa já deve ser uma preocupação interna da Motorola, e não apenas dela, mas também da Asus e de outras que seguem essa ideia do smartphone perfeito pelo melhor preço. O que está em jogo, basicamente, é o perfil do usuário que hoje usa Motorola e do consumidor brasileiro que atualmente tem um Xiaomi.

xiaomi mi 8 lite 02
Mi 8 lite é sucesso de vendas no Brasil / © AndroidPIT

A Xiaomi tem uma base maior de usuários no Brasil do que em 2015, quando estava vendendo oficialmente por aqui. Esse grupo de usuários cresceu devido a demanda por produtos com características melhores - que ela mesma não oferecia quando estava aqui - e, sobretudo, a preços mais acessíveis. Ainda que essa base seja grande, vale dizer que o grupo de "Mi fãs" de hoje não está completamente consolidado.

A explicação para isso é bastante simples: preço não fideliza usuários, apenas consumidores. Sim, existe uma grande diferença entre usuário e consumidor, e é exatamente dessa segunda ala que é formado o maior grupo de pessoas que aguardam pelo retorno da Mi ao Brasil. Estar aqui não é sinônimo de sucesso garantido para Xiaomi exatamente pelo fato da marca continuar sendo desconhecida por grande parte do público.

Preço não fideliza usuários, apenas consumidores.

Essa base de consumidores da Mi não irá sustentar a marca caso ela continue sendo uma opção mais viável através da importação do que com a venda local. A grande diferença entre a Mi e a Motorola está exatamente neste ponto, pois apenas uma conseguiu fidelizar usuários em longo prazo não apenas por preço, mas também pelas características de seus produtos e a relação que a marca conseguiu estabelecer com um grupo de usuários que não se identificavam com nenhuma outra fabricante.

Quando eu digo que preço não fideliza cliente, basta olhar para o caso da LG e você irá encontrar um exemplo claro de empresa que vendeu enquanto o preço era bom e, depois, começou a se tornar irrelevante para os usuários por não ter uma base sólida de clientes fidelizados. Foi exatamente nesse vácuo que a Motorola soube agir e, agora, será bastante difícil para a Xiaomi ter a mesma oportunidade num momento onde o consumidor anda mais exigente.

No final, devo dizer que grande parte das pessoas que acompanham o retorno da Xiaomi estão na expectativa do preço. Se o preço não for bom, a importação continuará valendo para essas pessoas. Elas ficam com quem tem o melhor preço, a melhor oferta e estejam onde estiver. Quando um usuário comenta que seu Mi 3455XCR é melhor que um Motorola em algum site de tecnologia, pode apostar que ele está mais feliz pelo investimento que fez do que com os valores da marca que está usando.

E você, se considera um Mi fã? Acha que a Xiaomi vai conseguir fidelizar usuários no Brasil?

Os comentários favoritos dos leitores

  • Vinicius Da Silveira há 1 mês

    Na verdade não é bem assim. Os produtos que xiaomi entregam não são apenas baratos. Muita gente é apaixonada pela MIUI e pelo acabamento Premium que ela usa nos smartphones. A xiaomi, diferente da Motorola e LG, é conhecida por fazer celulares bem feitos, com uma ínfima porcentagem de aparelhos que de fato deram algum tipo de problema, diferente dos celulares da Moto By lenovo que sempre tiveram problemas crônicos na bateria/tela/software e os da LG que também tem vários problemas, que eu prefiro não mencionar pro meu comentário não virar um livro. Com relação a fidelidade, o pessoal só compra Motorola hoje em dia por puro comodismo, e por não ter algo tão bom e pelo mesmo preço, ou preço menor, nas lojas. E as pessoas já estão se tocando que a Motorola ultimamente só tem lançado aparelhos com hardware velho, como O Moto G7, lançado agora, que saiu com um processador de intermediário de 2017. Então Sim, a Xiaomi é uma ameaça para Motorola, Asus, LG, e até mesmo para a Samsung.

41 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • E os TABLETs?!? Quem surgirá para desbancar as carroças da Samsung e os produtos DL e Multilaser de péssima qualidade? Não é uma grande mercado... mas a Samsung consegue se virar bem nele. Reina absoluta no Brasil. E por falar nela, a linha M, se cair no varejo para algo em torno de 750-900 reais... será difícil de ser batida. A linha E da Motorola (caso continue existindo) terá que apresentar processadores bem melhores.


  • olha, eu revendo capinhas e películas na cidade onde moro (interior de Rondônia) e uma coisa eu digo: a base de usuários aqui é ENORME. Em diversos modelos Xiaomi, então a marca não está tão desconhecida assim. Vejo cada vez mais pessoas aderindo a produtos por indicação ou uso do mesmo. Isso acontecendo no interior, onde tudo chega "atrasado". Agora imagina em cidades maiores. Não acredito nesse negócio de que as pessoas não conhecem a marca mais, porque conhecem sim e não só conhecem, usam também.


  • Apesar de gostar da MIUI bem mais do que as outras interfaces de smartphones, o maior motivo para eu gostar de utilizar Xiaomi é realmente a questão custo x beneficio, o fato de ter aparelhos bem construidos, com bom desempenho e em um preço bem acessivel é que me tira de outras empresas, essa diferença de preço e caracteristicas que existe entre um Redmi Note 7 e um Moto G7 me fez pensar que não é apenas taxa do mercado nacional que são aplicadas sobre o produto, mas sim estrategias de venda que visam lucrar mais com hardware e menos com software, isso talvez é o que mais interfere no preço dos dispositivos de marcas como apple e samsung, a xiaomi tem uma base muito grande de usuarios na china e da pra perceber facilmente que seu lucro está diretamente relacionado a sua loja local, eles ganham mais por cima dos apps vendidos lá do que vendendo os smartphones, esse tipo de estratégia é melhor para o consumidor, mas não é funcional para a marca aqui no ocidente onde temos a Play Store, por isso creio que a melhor estratégia de venda para a marca é continuar atingindo o ocidente por meio de importação e terceiros e conforme a base de usuarios da miui aumenta eles trazem os aparelhos mais famosos para vender por aqui, como o MI 8 Lite ou Redmi Note 7


  • Saiu uma nota que o redmi 7 e o note 7 estão em processo de homologação pela anatel. Nenum dos dous tem a banda 28 de 700 MHz.


  • Enquanto na China Europa e USA os consumidores compram celulares de diversas marcas e modelos pra todos os gostos e bolsos aos montes, vendidos em qualquer boteco de esquina e prateleira, aqui o pessoal da Nutela e leite de Pera ta preocupado com briguinhas, birrinhas e richinhas.


  • Não aguento mais ouvir falar de Xiaomi... Mi... mimimi


  • Eu acho essa análise parcialmente correta. Discordo que a base da Xiaomi por aqui é formada em sua maioria por consumidores que buscam o preço mais baixo...Boa parte deles adoram o sistema proprietário, a construção e claro, o bom preço quando importado de forma direta.
    Se conseguir trazer uma linha com várias opções e com preço mais agressivo, vai sim incomodar muito a Samsung, Asus e Motorola, o que será bem interessante em sacudir um pouco o mercado nacional.


  • Como consumidor ficaria extremamente feliz pela chegada em peso das chinesas, não apenas xiaomi, mas também pela Huawei e pela Oppo, essa inundação no mercado indiano mostrou do que essas marcas são capazes, afinal o Samsung m10 ou m20 custa muito menos lá na índia para competir com as chinesas... Enfim que venha xiaomi e outras, quero variedade e preço justo pelos produtos que compro


    • Se for parar para pensar, a série M da samsung chegou a um preço razoavel aqui no brasil, ainda não está a nivel competivo as importações, mas para aparelhos nacionais apresentam um bom custo


  • Duvido muito que a Xiaomi venha para o Brasil para brigar de frente com a Samsung e Motorola... se vier e trazer um ou dois modelos de entrada, igual a última vez, vai fracassar miseravelmente e sair do mercado com o rabo entre as pernas (de novo). E os poucos fanboys da marca (pois a Xiaomi não é conhecida por 90% dos brasileiros), vão continuar importando da China sem garantia, esperando 60 dias e torcendo para não serem sobretaxados na alfandega.


  • Eu particularmente adoraria ter um mi mas optei pelo moto g por causa do custo benefício LG tô fora Samsung muita porcaria adicionada Apas que ninguém usa então que venha a mi para o Brasil quem sabe eu troque de celular.


  • Concordo com o Bruno, eu mesmo comprei um Xiaomi Mi A2 pelo preço, se aumentar com certeza não compro.
    Já a Motorola essa não é mais a mesma, agora é Lenovo, tem gente que esquece isso. Bons tempos foram na época da Google.


    • A Motorola de hj, aqui no Brasil (pq no resto do mundo é irrelevante em venda de smartphones), vive ainda da fama do passado. As pessoas internalizaram a ideia de que Moto G é smartphone bom e barato - tem tempo que deixou de ser verdade.


      • exatamente, mas creio que na primeira vinda ao brasil tiveram uma estrategia errada de vendas, na época do Redmi 2 não era comum a compra de smartphones via internet, a necessidade do publico era ter um smartphone, não importando realmente a marca que estava a venda, como a samsung e motorola eram as empresas com mais modelos de dispositivos para varios tipos de renda acabaram virando as empresas que mais fizeram a diferença no mundo android, sendo na maioria das vezes os iphones os unicos smartphones premium que realmente tinham grande diferenças dos outros smartphones, hoje isso é totalmente diferente e talvez essa mesma estrategia pode dar certo


  • Não importa qualquer empresa que vier ao Brasil vai ter que bater de frente com o custo Brasil x Impostos Abusivos = Preços 5x mais que o valor real do produto!


  • Acredito que dessa vez a Mi vem com diferencial pois continuar com a mesma tática que falhou da última vez é burrice.
    E se ela vier com o diferencial no preço, é tudo que ela precisa para galgar nova posição no mercado nacional.


  • Se depender de mim já estou fazendo, propaganda gratuita para xiaomi, aqui em casa já são 4 xiaomi um note 7 dois pocophone e um mi a2 na família já São vários e no trabalho e amigos já convenci mas de 20 a compra xiaomi e todos estão muito satisfeito com os smartphone da chinesa xiaomi!


  • Faz muitos anos que estou observando a Xiaomi e ela tem tudo para fazer sucesso se investirem no Android one já estou interessado no Xiaomi Mi A2.

Mostrar todos os comentários