Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.
5 curiosidades sobre o Zenfone 6 que talvez você não conheça
Asus Zenfone 6 (2019) Hardware Dicas e Curiosidades 5 min para ler 24 Comentários

5 curiosidades sobre o Zenfone 6 que talvez você não conheça

O Zenfone 6 foi lançado na semana passada, e suas peculiaridade de design são o que mais chamaram atenção. É fato que a Asus ousou bastante ao colocar uma câmera giratória no aparelho, junto a um processador Qualcomm topo de linha e uma bateria de 5.000 mAh.

Os maiores detalhes sobre ele você pode conferir nos artigos abaixo, mas apresentaremos aqui algumas informações extras sobre ele que podem te interessar:

A câmera aguenta o tranco

Uma das maiores dúvidas sobre o novo Zenfone 6 é sobre a resistência de uma câmera que pivota em seu eixo e fica exposta "fora" do smartphone para fazer fotos. Afinal, estamos falando de partes mecânicas, e isso em um aparelho que passa o dia inteiro com a gente pode ser um problema enorme.

zenfone 6 04
O mecanismo da câmera do Zenfone 6 / © Asus

De acordo com a Asus, a preocupação com isso é mínima. Embora seja sempre preciso tomar cuidado, como você cuidaria de qualquer aparelho caro que compra, a dobradiça da câmera tem alguns truques para segurar o tranco. Um deles é o sensor G, que detecta se o smartphone está caindo no chão e tenta devolver a câmera ao seu estado fechado o mais rápido possível.

O mecanismo também foi testado por 100 mil vezes o seu abre e fecha, em laboratório, sem quebrar. Mas, além disso, o executivo da marca, Marcel Campos, fez um vídeo em que seu filho testa a dobradiça de modo pouco ortodoxo, mostrando que ao menos alguma segurança é oferecida:

Esse mecanismo também pode ser mais "torturado" porque funciona de forma eletromagnética, com menos partes físicas se encostando. Assim, quando você gira à força o módulo, ele simplesmente força e ultrapassa o campo eletromagnético, e não lida com engrenagens que podem se quebrar.

O tal do metal líquido

Outro motivo para a resistência propagandeada é a construção do módulo da câmera, feita em um material chamado metal líquido (Liquidmetal). Esse é um material desenvolvido pelo Caltech, o Instituto de Tecnologia da Califórnia, e trata-se de uma liga metálica feita de metais como zircônio e titânio, sendo quatro vezes mais resistente do que aço inoxidável e ligas de titânio e alumínio. Já é usado em alguns relógios, por exemplo.

É um material de ótima condutividade elétrica, mas que atrapalha conexões e pode aquecer demais. Por coisas como essas e por ser um material caro, é usado apenas no módulo da câmera, mas já garante muita resistência à parte mais sensível do aparelho, uma vez que é mais flexível e aguenta mais choques.

Câmera giratória não é a primeira

Quando o Zenfone 6 foi revelado, muita gente comparou o mecanismo dele ao do Galaxy A80, que causou frisson ao chegar por aqui. Afinal, a Asus imitou o A80? Você pode, antes de tudo, conferir nosso artigo com curiosidades sobre o aparelho da Samsung:

Depois, pode perceber que, de acordo com nosso hands on do Zenfone 6, a Asus usou seu mecanismo giratório para apresentar um pouco mais do que apenas levar a câmera traseira para a frente do aparelho. Com ela, você pode controlar a angulação da câmera e tirar fotos de forma mais prática, fazer panoramas automáticos, sem mexer o aparelho, ou ainda gravar vídeos com acompanhamento de objeto.

Por que não tem tela AMOLED?

Outra dúvida de quem acompanha notícias de tecnologia está no fato de o Zenfone 6 ser um topo de linha mas, mais uma vez, insistir na tela LCD IPS, e não optar por uma AMOLED, que é considerada por muitos como um display superior e de melhor qualidade. 

androidpit asus zenfone 6 hero no camera
A tela do Zenfone 6 é IPS / © AndroidPIT

Em um vídeo em seu canal no YouTube, o executivo Marcel Campos explica a escolha do IPS por questões principais de custo, como já era esperado. Com valor de lançamento de 500 euros (aproximadamente R$ 2.300, sem impostos), esse smartphone não é tão caro pelo que oferece. Uma AMOLED sem notch poderia custar até três vezes mais.

São trocas feitas para oferecer outras características, e ainda assim a Asus informa que é uma tela com 600 nits, bem brilhante, traz DCI-P3 e também é mais indicada para fotos, um dos óbvios destaques do aparelho.

Ousadias, mas com conservadorismo

Apesar de trazer uma câmera muito louca, a Asus optou por não embarcar em tendências de atuais topos de linha, como carregamento sem fio e biometria abaixo da tela. No caso da biometria, a explicação dada por Marcel Campos em seu vídeo é que essa função ainda não é segura, informação corroborada por acontecimentos recentes.

sansungfingerprintgalaxy
Nada de biometria sob a tela para o Zenfone 6 / © Samsung

Para o caso do carregamento sem fio, é uma tecnologia que adiciona um milímetro ao aparelho, e que pode superaquecer se essa característica não for respeitada. Além disso, Campos justifica que ainda é uma tecnologia de carga lenta, e que serve apenas para satisfazer a ansiedade de quem tem receio de ficar sem bateria. E, por isso, o Zenfone 6 conta com uma bateria tão grande.

Bônus: quando chega no Brasil?

Aparentemente, entre agosto e setembro, como falamos aqui.

O que você acha do Zenfone 6? Teria um smartphone com câmera giratória?

24 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Mostrar todos os comentários