O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. OK
Opinião 243 Compartilhados 108 Comentários

Como é conviver com Android e iPhone o tempo todo

Lembro quando a Camila Rinaldi me convidou para fazer parte do AndroidPIT. Houve um momento em que era preciso preencher o perfil do fórum com algumas informações pessoais, como o smartphone de uso pessoal. Na ocasião, eu deixei no registro o Zenfone 5, que era o modelo que eu estava testando naquela ocasião. Pois bem, o tempo passou e eu desenvolvi uma relação muito interessante com vários leitores do site. Portanto, me vejo na obrigação de revelar um segredo para vocês: eu uso um iPhone. Mas eu sou um cara legal, ok?

Tudo começou tempos atrás

Já perdi a conta de quantas vezes me pararam para fazer a seguinte pergunta: se você escreve sobre Android, por que usa um iPhone? Também já não me recordo quantas vezes eu precisei responder: eu gosto de azul, mas nem por isso só ando vestido de azul, só falo com quem usa azul e odeio quem gosta de verde.

Meu primeiro iPhone, o 5S, foi adquirido antes de começar a escrever para o AndroidPIT. Contudo, fiz a mudança para o iPhone 6 durante o período em que eu já estava fixo como editor aqui no site. Minha simpatia com o smartphone da Apple nasceu depois de uma decepção que tive com uma fabricante bem conhecida por todos vocês, a Sony. 

hero xperia iphone
iPhone e Android estão sempre comigo / © AndroidPIT

Eu era um fã declarado da marca japonesa, daqueles que começou usando Ericsson e migrou para a geração Xperia. O Xperia ZQ não era o smartphone mais lindo em meados de 2013, mas, certamente, era um dos aparelhos mais caros que eu já tinha adquirido até então. A decepção veio poucos meses depois, quando a Sony trouxe o Xperia Z1 por um preço similar, mas com um design muito mais bonito.

Um dos motivos que me prendia a Sony era a beleza dos aparelhos da marca. No meu ponto de vista - uma vez que design é algo subjetivo - nenhum outro celular era mais bonito do que o meu ZQ. Resolvi me contentar com o ele e esperar por um possível Z2 para, quem sabe, daqui há um ano e meio. Mas, não foi isso que aconteceu e, em menos de seis meses após o Z1, o Xperia Z2 deu as caras.

Para mim era o fim. A Sony estava fazendo um jogo comigo. Não foi pelo Android, mas como eu não achava outros smartphones com o SO do Google da época bonitos - Galaxy S4 e LG G2 - resolvi analisar e partir para o iPhone 5S depois de alguns meses.

Era tudo meio estranho

Vocês devem imaginar como foi mudar de uma tela com cinco e tantas polegadas FullHD para um modelo com dimensões inferiores. O processamento era bom, embora o iOS soasse um tanto limitado. Era tudo meio estranho nos primeiros dias, mas, se teve algo que deu um empurrão foi o meu Macbook. Existia uma ligação forte entre o iPhone e o Mac. Ambos conversavam fluidamente e me ajudavam bastante nos trabalhos que eu fazia.

O iPhone 6 surgiu numa promoção da minha operadora - irresistível, diga-se de passagem. Não pensei duas vezes e o adquiri. Nessa época, as assessorias enviavam muitos smartphones com Android para testes. Passei meses convivendo com os dispositivos da linha Moto, como o Moto X Style, com Zenfones e com vários outros modelos.

iphone side xperia z3
Meu iPhone 6 e meu Xperia Z3+ / © AndroidPIT

O que aconteceu nesse período foi algo bem interessante. O iOS me ajudava a entender o Android e vice-versa. Meu senso crítico aumentou e, com o suporte dos demais editores do site, consegui expandir meus conhecimentos com o SO do Google para outro nível. Ao invés de julgar um ou outro sistema, eu conseguia analisá-los de forma imparcial. Afinal, eu convivia, dependia e precisava trabalhar com os dois o tempo todo.

Fiz as pazes com a Sony

Resolvi comprar um Android em 2016. Como eu já tinha uma história com a Sony, resolvi não arriscar e fiz as pazes com a fabricante do Playstation. O dispositivo escolhido foi o tão julgado Xperia Z3+, que também me foi oferecido através de uma promoção da minha operadora. Eu tinha conhecimento dos problemas de superaquecimento dele, mas isso é assunto para um outro artigo.

Com um novo Android na área, resolvi explorar algumas coisas que não eram possíveis no iPhone. Como não era permitido rootear um dispositivo emprestado pela assessoria, as primeiras semanas com o Z3+ funcionaram como uma espécie de laboratório. Fiz root, instalei ROMs e vasculhei o sistema de todas as formas.

iphone 6 xperia op
Apple e Sony foram minhas escolhas / © AndroidPIT

Como é conviver com Android e iPhone o tempo todo?

É tão simples quanto andar pra frente. O iPhone é o responsável por minha parte produtiva, por sincronizar meus e-mails e compromissos com o Macbook. Ele também controla alguns hábitos pessoais meus, como exercícios físicos. O Android é meu posto de trabalho, o dispositivo que fica com meu SIM card por mais tempo.

É bem verdade que a Apple impõe o uso de seus aplicativos nativos tanto no iPhone quanto no Macbook o que, segundo a marca, vale a pena em nome da integração perfeita. E é exatamente a comunicação multiplataforma que me chama atenção quando olho para os dois sistemas que utilizo.

O Android, por sua vez, é um sistema econômico. Os aplicativos do Google são multiplataforma e geram uma interligação excelente. O problema do SO é que poucos aplicativos de terceiros, gratuitos ou pagos, conseguem expandir essas possibilidades. Basicamente, a suíte do próprio Google acaba sendo a melhor alternativa que você encontrará se quiser fazer uma ponte entre seu computador e um Android.

No Android só a suíte do Google promove integração entre tablet, computador e smartphone

Os apps nativos da Apple também são básicos, contudo, a variedade de soluções de terceiros que agregam qualidade e promovem uma integração entre aparelhos são maiores. Eu abandonei o e-mail padrão do Mac e do iPhone e passei a usar o Airmail, o Fantastical no lugar do calendário e assim por diante. Mais do que uma alternativa, eles levam a experiência de uso para um nível superior.

back side iphone xperia
O melhor dos dois mundos / © AndroidPIT

Muitos aplicativos funcionam melhor no iPhone, como o WhatsApp e o Facebook. Enquanto o Android oferece tudo o que eu preciso para ir além daquilo que o sistema permite. Sou fã de customizações, por exemplo, o que pode soar um pouco irônico quando se usa iOS, mas, é exatamente nessas horas que o Z3+ entra em ação.

Além dos temas da Sony - que são lindos - testo novos launchers, pacotes de ícones e sempre estou atrás de sites com papéis de parede para explorar a tela FullHD do aparelho. As customizações são possíveis no iOS - via Jailbreak também - mas elas acontecem numa outra proporção, o que inclui uma grande variedade de capinhas, acessórios e tudo mais. Até os smartwatches com Android podem ser conectados no iPhone, embora a experiência seja limitada.

BS
Bruno Salutes
Só conseguimos conviver com as diferenças quando deixamos o "fanboyzismo" de lado.
O que você acha?
510 participantes
50
50

De modo geral, consigo conviver com os dois sistemas tranquilamente, visto que ambos são diferentes em vários aspectos, mas, paradoxalmente, estão cada vez mais próximos. O que muda a partir dai é a nossa capacidade de encarar algumas diferenças com mais amplitude e sabedoria, deixando o "fanboyzismo" de lado.

O que me tirou do Android foi a busca pelo design perfeito num determinado momento. Poderia ter deixado o iPhone de lado assim que as empresas começaram a investir em opções mais bonitas, como o Galaxy S6. Também poderia ter recorrido a importação, mas, sinceramente, seguir convivendo com dois sistemas concorrentes foi a melhor escolha que fiz.

Se você tivesse de escolher um dos dois, qual escolheria? Qual motivo faria você abandonar o Android hoje?

Os comentários favoritos dos leitores

  • Steven Oliver há 3 meses

    Artigo sereno e perfeito. Eu sempre digo que o melhor smartphone (leia-se também OS) é aquele que lhe atende. No seu caso são os dois OS. No meu, o Android é o mais completo. E as brigas entre os fanboys lunáticos não levam a nada. Outro dia reclamei disso aqui, que a gente não pode falar bem de uma marca ou mal de outra que logo vem alguém correndo lhe carimbar de fanboy. Fui chamado de fanboy do WhatsApp porque falei que ele é mais popular que o Telegram, o que é muito irônico, pois acho que é um app cheio de falhas e problemas e sempre falo mal. Também me chamam de fanboy da Samsung sendo que passei 2015 descendo a lenha no Galaxy S6, que para mim está para smartphone como o Windows Vista está para sistema operacional. Mas a vida segue.

  • Marcos Gabriel há 3 meses

    só queria saber uma coisa, qual é a sua operadora? kkkk

  • ....._....._....._..... há 3 meses

    Excelente artigo Bruno Salutes. Não há necessidade de ficar nestas guerras sem sentido de qual é o melhor, ambos sistemas são excelentes e com certeza irá ajudar e suprir as necessidade de quem os adquiri-lo. Nos cabe usar com inteligencia o que a tecnologia nos propicia, não importa a marca ou origem.

  • Claudio O. há 3 meses

    Excelente matéria!
    Sempre usei aparelhos Android, mas porque não usar o iPhone?

  • Rosane O. há 3 meses

    Acho bonito como tudo com iOS "conversa". Também já achei os iPhones mais bonitos, agora nem tanto.
    Se o 7 for igual estão cogitando, vai ser um aparelho lindo.
    Mas, na minha opinião, o que mais estraga são os usuários. Se tem iPhone, vc é fodinha, o rei, o ricão, é o melhor aparelho que existe, se não tem vc é pobre. Esse status todo me dá um nojo tremendo, por isso criei aversão à maçã.
    Quem tem iPhone vive "preso" à uns poucos modelos lançados ano a ano, já quem usa android vai sempre ver aparelhos de várias marcas na hora de escolher um novo (bem, eu sou assim), pois o sistema é um só. E eu amo isso nele.
    Tem seus defeitos como todos, até o indefectível-deus-todo-poderoso iOS, mas nós, usuários do android, temos essa liberdade a mais (em quase tudo).

108 Comentários

Escreva um comentário:
Mostrar todos os comentários

O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. Mais informações

Entendi