Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

3 min para ler 23 Comentários

Entenda a diferença entre 4,5G e 4G+

Levou muitos anos até que o 4G pudesse sair das grandes cidades e se expandir pelo país. As tecnologias mais recentes do nosso LTE, o 4G+ e o 4,5G, são variações que captam melhores frequências e múltiplas faixas de rede. Conheça as diferenças de cada uma dessas conexões a seguir.

O mundo está se preparando para receber o 5G em plena atividade até 2020, com alguns celulares chegando com suporte a essa tecnologia já em 2018, como é o caso do Moto Z3 norte-americano. Muitos lançamentos programados para 2019 também já contam com essa tecnologia compatível. No Brasil, a situação deve ser diferente, visto que o 5G ficará para mais tarde enquanto o 4G avança e suas variações se tornem mais populares, caso do 4G+ e do 4,5G.

A primeira coisa que você deve saber é que para usar o 4G+ ou o 4,5G é necessário um smartphone compatível, da mesma forma como foi quando o 4G começou a chegar. As empresas lançavam modelos 3G e 4G separados e, no caso dessas frequências mais atuais, também é necessário um dispositivo compatível.

Nomenclaturas do 4G no Brasil

  • 4G: LTE (HSPA+ internacionalmente)
  • 4G+: LTE Advanced
  • 4,5G: LTE-Advanced-Pro

O que é 4G+

O 4G+ nada mais é do que um avanço do 4G que conhecemos, pois se conecta a mais de uma frequência ou faixa de espectro. Basicamente, o aparelho que é compatível com essa tecnologia consegue usar duas faixas de banda de acordo com a cobertura do local, ou seja, você não fica limitado a faixa de 700 MHz, podendo ser migrado automaticamente para as faixas 2.600 MHz ou 1.800 MHz.

Isso pode ser útil, por exemplo, para quem compra aparelhos que só funcionam em determinadas faixas do 4G, embora seja necessário consultar a disponibilidade de rede 4G+ em cada cidade e também o plano compatível (algumas operadoras oferecem o 4G+ em determinadas cidades e só em planos pós-pagos).

O LTE-Advanced também é capaz e migrar o usuário para múltiplas faixas 3G e 2G, além do 4G. Se a transmissão combinar não só duas faixas de frequência, mas três ao mesmo tempo, estamos falando do 4.5G:

O que é 4,5G

Mais restrita que o 4G, o 4,5G é uma versão melhorada do 4G+. Essa tecnologia permite que o celular consiga receber e enviar mais dados, utilizar mais antenas (até quatro simultaneamente) e atingir maiores velocidades de upload e download.

A agregação de mais antenas e um esquema de modulação mais amplo permitem que o 4,5G atinja velocidades até 10x mais rápidas que o 4G convencional. Apenas a Claro e a Vivo oferecem o 4,5G em pouco mais de 300 cidades no total, com velocidades que atingem no mínimo 250 Mbps.

fainalinfoapit4g copia

Para a Anatel, contudo, as nomenclaturas 4,5G e 4G+ não passam de estratégias de marketing das operadoras, visto que ambas as tecnologias não são formalmente reconhecidas pela União Internacional de Telecomunicações (UIT) ou por organismos internacionais de padronização, como ocorre com o Wi-Fi e sua rigorosa regulamentação pela Wi-Fi Alliance.

Esses nomes são usados pelas operadoras como forma de sinalizar para seus clientes "leigos" que está havendo alguma mudança em sua rede, melhorias, para que o mesmo possa ter acesso a novas velocidades.

A faixa de 1800 MHz onde são usados o 4,5G e o 4G+, por exemplo, antes eram majoritariamente usadas para o GSM, mas passaram por reformulações, o que inclui a criação de uma nova rede avançada que recicla a frequência antiga para servir um padrão mais rápido. Nenhuma rede ou estrutura é descartada no mundo das telecomunicações.

Você já usou o 4G+ ou o 4,5G?

23 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Mostrar todos os comentários

Artigos recomendados