Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

5 min para ler 22 Comentários

Como uma atualização é preparada até chegar no seu Android?

Esse artigo é para você que quer saber como um smartphone é atualizado, o porquê da demora, e como um aparelho pode levar tanto tempo para receber uma nova versão do Android. E, se além disso, você não entende porque iOS tem atualizações mais rápidas, você está no lugar certo. A seguir eu explico como é o processo de atualização de um dispositivo móvel para uma nova versão do Android.

Não dá exatamente para decidir com muita antecedência se um smartphone Android será atualizado para a próxima versão. Alguns, geralmente os mais topo de linha, já contam com componentes, como processadores que sabidamente vão durar por mais tempo. Os menos premium, porém, ficam no limbo. Será que a próxima versão do Android que o Google soltar vai ter suporte a todos os componentes que usaram em sua fabricação? O Google não fornece o Android com antecedência para nenhum fabricante.

Do código aos componentes

No dia do Google I/O, o grande evento para desenvolvedores da gigante das buscas, você fica conhecendo sobre o novo Android ao mesmo tempo em que as fabricantes. Sim. É só a partir desse dia, que o Google libera a versão beta do novo Android para desenvolvedores e aparelhos Pixel, e só a partir daí que eles começam a trabalhar nele.

Já dá para saber algumas coisas antes, lógico, e os fabricantes de aparelhos se preparam para isso. Mas botar a mão no código que precisam para ter as atualizações para os clientes, só nesse dia, mesmo.

Depois disso, é preciso ver o código e ver quais aparelhos são compatíveis. O Google faz o que quer e pode mudar coisas no meio do caminho, fazendo algumas fabricantes quebrarem suas promessas com seus usuários. Por isso, muitas fabricantes não gostam de ficar informando quais aparelhos serão atualizados e quando. Porque depois não dá mais e quem fica queimado no mercado são eles. Alguém lembrou do episódio recente envolvendo Motorola?

AndroidPIT root flash recovery mode fastboot 1007 gears
O Android é debulhado pelas empresas / © AndroidPIT

Às vezes, o aparelho tem tudo que é necessário para receber uma atualização, mas alguma coisa "boba" como um protocolo Bluetooth ou um chip de som, algo assim, pode inviabilizar toda uma atualização. E nós nem ficamos sabendo. E para ter componentes que durem mais tempo nas atualizações, é preciso pagar por eles. Por isso, aparelhos de entrada e até mesmo alguns intermediários são os que mais sofrem com atualizações, porque tem componentes mais baratos. Não é necessariamente a empresa querendo sacanear com você, mas é claro que também rola uma obsolescência programada.

Isso porque, para cada aparelho, tem que fazer muita, muita coisa para ter uma atualização do Android. A empresa acaba preferindo que você compre um novo porque trabalhar na atualização de aparelhos mais baratos pode ser muito mais caro do que produzir um novo e empurrar para você numa compra.

Android m android lollipop teaser
© AndroidPIT

Interfaces customizadas

Mais um motivo pelo qual demora. Esse vocês conhecem bem. As personalizações, claro. Muita gente acha desnecessário a empresa colocar a sua cara no sistema Android, mas imagina se ele fosse puro em todas as marcas? Os diferenciais seriam poucos, e isso deixaria tudo mais chato.

Fora que o Android passado para as empresas é muito mais simples do que o que você conhece. Não é o Android que você vê nos aparelhos da Motorola, e também não é o que você vê nos Pixels. O Android é mais simples e vazio, e a empresa compra do Google partes extras que desejar.

E aí você já sabe. Customizar o Android é todo um processo enorme, que exige uma grande equipe. Não é só colocar uma carinha diferente, é inserir novas funções (algumas até melhores do que as que o Android oferece, ou que chegam bem antes de o Google oferecer, como no caso de dividir a tela em janelas), adaptar o sistema para os componentes do aparelho, colocar alguma função tradicional da marca, coisas assim.

androidpit ui comparison hero
Cada fabricante trabalha numa skin diferente / © AndroidPIT

Isso pode demorar algumas boas semanas, até meses. É só pensar: mesmo com uma equipe enorme, cada nova coisa implementada exige testes para ver se não trava aparelhos, se não estraga o uso de apps mais comuns, se não aparecem bugs. E se as pessoas se acostumam com esse recurso, são muitas coisas.

E depois desses testes, chefes de equipe e até de outros departamentos precisam aprovar, e pode voltar tudo para o zero. No seu próprio trabalho devem rolar umas coisas assim, não? E tem vezes em que o bug está rolando e, apesar de testes e testes, não descobrem o que acontece, e isso leva mais tempo.

Outros detalhes

Todos esses testes precisam ser feitos em todos os aparelhos da empresa que vão receber ataulização. São telas de tecnologias e tamanhos diferentes, processadores diferentes, câmeras diferentes, versões de Bluetooth diferentes, placas de gráficos diferentes, microfones diferentes... alguns têm canetinha, outros têm botão pra tirar foto, alguns têm módulos... imagina a bagunça.

AndroidPIT Sony Xperia Z3 Android KitKat
© AndroidPIT

E imagina mais bagunça: cada país pode ter aparelhos com tipos de rede diferentes, interfaces de sistema diferentes, apps de terceiros diferentes... tudo, tudo isso precisa estar funcionando, e os desenvolvedores recebem aparelhos de todas as partes do mundo e precisam garantir que funcione tudo em todos eles. Olha a loucura.

Mas ainda não estamos nem na metade. Saiba que existe ainda certificações das operadoras de telefonia, por exemplo. Tem muita coisa legal pra você aprender e entrar numa discussão com inteligência. Mas o restante é tema para um próximo artigo (esse aí abaixo).

Você sabia que o processo de atualização é tão complexo assim? Já ficou esperando por algum update?

Os comentários favoritos dos leitores

  • Soterio Salles há 3 semanas

    Quer solução? É só fazer como a Xiaomi. Interface é uma coisa, versão do Android é outra. A MIUI é atualizada mas a versão do Android não... Assim aparelhos mais antigos ou de entrada ainda ganham funções novas e se mantém "úteis" por mais um tempo. Nos tops de linha dá pra atualizar versão do Android e da interface.
    Coloquem os usuários pra ser beta tester e disponibilize ROMs Beta em períodos mais curtos e estáveis mensais assim como MIUI, OxygenOS, NubiaUI e tantas outras interfaces chinesas.

    E pode ter certeza que isso não iria prejudicar a venda de novos aparelhos, ou a Xiaomi, Oneplus e outras chinesas estão indo mal das pernas com vendas de novos aparelhos?

    E tem mais. Cadê o tal do Projeto Treble? Não era pra agilizar updates do Android que ele foi criado?

22 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • pois é, até onde me lembro, duas vezes me frustrei e fiquei puto com a promessa de atualização que nunca chegaram mas que foi determinante para a escolha do meu smartphone, Galaxy S3 (prometido Kitkat) e Moto G4 Plus (prometido Oreo)


    • Sobre o galaxy S3 eu não sei de nada. Ja o Oreo para o moto g4/Plus esta em estado de teste atualmente. Você até pode atualizar para o beta do Oreo baixando o arquivo de atualização pelo fórum do xda em que o arquivo foi postado.

      CAV


  • Ia pedir pra desenhar mas é muita coisa ! 🤣 A gente costuma se ater só a processador e outras coisas básicas e tem um mundo de chips por trás que complicam a bagassa, parabéns pelo texto elucidativo.


  • E por falar em atualização ... segue o título da matéria publicada a pouco pelo Olhar Digital: Asus começa a liberar a atualização do ZenFone 5Z para Android 9 Pie (27/12/2018 - 16H30) .


  • Muito legal esse artigo!


  • Coitados dos que além da fabricante ainda tem que aguardar a atualização pela operadora (gadgets comprados em operadoras) , estes esquece , só colocando uma ROM retail.


  •   42
    Conta desativada há 3 semanas Link para o comentário

    Todo mundo sabe que fabricantes de sistemas pesados como Samsung e LG tendem a estender o prazo de atualizações dos seus dispositivos exatamente por causa da costumização de interfaces e a implantação de funcionalidades proprietárias, às vezes até atrasando ou cancelando a montagem do sistema. Sim, todo o processo de montagem de uma construção SDK focando na compatibilidade com o nível de API do Android - alpha, beta, final - leva meses para ser concluído e testado com êxito pelo Google e pelos seus usuários inscritos em um programa de desenvolvimento, sendo recebido por todas as fabricantes para costumizações internas, um fato que justifica a redução de tempo na entrega das atualizações com modificações. E ainda assim, o update com a interface atualizada chegará apenas aos dispositivos considerados lançamentos principais pela fabricante. Pelo menos, é o que parece.
    Desenvolvedores que trabalham com um portfólio pequeno de dispositivos oferecendo exatamente as mesmas funcionalidades no SO (Xiaomi com a sua MIUI - sim, mesmo com muitos lançamentos anuais -, MEIZU com a sua Flyme, OnePlus com a sua Oxygen, Apple com o seu iOS) tendem a atualizar mais rápido a sua linha inteira, visto que todas estão exatamente no mesmo andar de construção, entregando updates quase ao mesmo tempo para TODOS eles com uma pontualidade impressionante.

    Sabendo disso, se o problema não é a grande seleção de aparelhos por classes de desempenho e produtividade, definindo assim a polêmica fragmentação, e se as fabricantes tradicionais, como a Samsung com a sua extensa linha Galaxy, utilizam o mesmo código-fonte de uma interface de software em toda a sua linha de dispositivos, qual é o problema por trás de entregas de updates para um topo de linha em um mês e para um intermediário ao prazo de um ano?


  • Quer solução? É só fazer como a Xiaomi. Interface é uma coisa, versão do Android é outra. A MIUI é atualizada mas a versão do Android não... Assim aparelhos mais antigos ou de entrada ainda ganham funções novas e se mantém "úteis" por mais um tempo. Nos tops de linha dá pra atualizar versão do Android e da interface.
    Coloquem os usuários pra ser beta tester e disponibilize ROMs Beta em períodos mais curtos e estáveis mensais assim como MIUI, OxygenOS, NubiaUI e tantas outras interfaces chinesas.

    E pode ter certeza que isso não iria prejudicar a venda de novos aparelhos, ou a Xiaomi, Oneplus e outras chinesas estão indo mal das pernas com vendas de novos aparelhos?

    E tem mais. Cadê o tal do Projeto Treble? Não era pra agilizar updates do Android que ele foi criado?


    • Você está certo! A Huawei, Xiaomi e One Plus vem atualizando seus aparelhos (pelo menos o topo e intermediários) com uma velocidade bem razoável. One Plus 6T já veio de fábrica, o 6 já há meses... Acho que é mais uma questão da política da fabricante do que qualquer outra coisa. Eu acredito que a Samsung tem uma equipe de desenvolvimento enxuta, muitos modelos...E não pretende mudar isso pela questão de custos, assim trabalha por períodos, e corre sempre atrasada (ao terminar toda a linha, o google já terá lançado nova versão), e tem tudo pra continuar assim.


      • Sim, são políticas de atualização diferentes. As chinesas com essa idéia garantem também outro fator, o que o feedback dos usuários seja ouvido, afinal se tem alguém fora da equipe de desenvolvimento testando vão ter bastante feedback.
        A OxygenOS é um dos, senão o melhor exemplo de como uma bom feedback funciona.


  • Enquanto as fabricantes continuarem baixando as calças para a Google, o mundo Android sempre será assim...a Google é dona do OS, mas precisa de Samsung, Huawei, Motorola, etc. para seu sistema ser utilizado por 85% dos smartphones do mundo. Tem que equilibrar essa balança para evoluir...


    • Eu não acho que as fabricantes "baixem as calças" pra Google. Elas se quiserem, podem botar qualquer outro sistema operacional nos seus dispositivos, agora, se quiserem o SO mais utilizado precisam se adequar...


  • No Android há "obsolescência programada" pela falta de atualizações (quase todos aplicativos rodam apesar da fragmentação), já no iOS há de fato obsolescência programada por atualizações, experiência própria.


  • A maioria pode considerar chato, sem graça e até incompleto, mas eu realmente não vejo solução para o dilema personalização x fragmentação. Eu entendo que aqueles que preferem uma interface de algum dos fabricantes, tem de se acostumar a receber uma nova versão do Android com pelo menos 6 meses de atraso, isso se tratando dos topos de linha.
    Eu já prefiro um sistema "chato", previsível, com atualização anual no mesmo dia do lançamento, e com correções de segurança todos os meses, por isso sai da Motorola e fui para a linha da Google há alguns anos, e não me arrependi nem um pouco.
    E pensem um pouco, seu windows é chato?? A microsoft encontrou sua solução, fica a cargo de toda a alteração de software e novas versões, independente do fabricante OEM, desde que os drivers sejam compatíveis.


  •   42
    Conta desativada há 3 semanas Link para o comentário

    ...

Mostrar todos os comentários