Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

2 min para ler 59 Comentários

Enquete: a linha Moto G ainda é relevante?

Às vésperas do lançamento da série Moto G7, previsto para 7 de fevereiro, resolvemos levantar uma questão bastante importante entre nossos leitores: essa série de dispositivos, continua sendo relevante? Muitos acreditam que sim, enquanto outros acham que os modelos Moto G já passaram da hora. E você, o que acha?

A linha Moto G está entrando em seu sétimo ano de vida com pouco mais de vinte versões já lançadas, algumas sob o nome da Motorola e outras pela tutela da Lenovo. Tudo o que você pode imaginar de bom e ruim já aconteceu com a geração Moto G, com destaque a perda precoce de atualizações do sistema, que era marca registrada da série, e lançamentos de variantes em excesso, como em 2017, quando a série Moto G5 ganhou nada menos que seis versões.

É claro que a linha vem evoluindo e se adequando às necessidades dos usuários, ganhando novos rivais, como a série Galaxy J e modelos da Asus na mesma faixa de preço, por exemplo. Durante o período em que os usuários precisavam de um hardware justo por um preço modesto, o Moto G fez seu papel. Quando as exigências em câmeras de qualidade para selfies e mais ferramentas de customizações apareceram, lá estavam os aparelhos com inúmeros megapixels, capas coloridas e cores diferenciadas cumprindo seu papel. É claro que toda essa mudança agradou uns e desagradou outros e, claro, isso teve seu preço.

Menos querida que em anos anteriores, outra geração de Moto G's se aproxima. Junto ela virão novas exigências e demandas do mercado, como acabamentos mais agradáveis, tela com notch e outros recursos do momento. Será que nos renderemos novamente ao Moto G? Será mesmo que a série continua sendo relevante para nós e para o mercado? Diz aí:

A linha Moto G ainda é relevante?

 

59 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • sou da época do moto g1, era um aparelho que chamava para briga tops de linha da época, nunca mais foi a mesma. :(


    • Nunca foi.
      Você deve estar é doido.
      Aparelho com tela 4.5" HD, com snapdragon 400, 1GB de RAM, chamar para briga quem já tinha 2GB de RAM, tela 5" Full HD, e snapdragon 800, IP68 e câmeras bem melhores é complicado.


  • A linha Moto G só é relevante em alguns países, como o Brasil. Falta sim um Up na linha, ela a muitos anos vem pensando dentro da caixinha, trazendo características pouco diferenciadas. Mas não vejo mudanças, pelo menos não em curto prazo. Não há, para o grande público consumidor, outros aparelhos atrativos, capazes de atrair os "motolovers" consumidores que se acostumaram à marca. Asus, Xiaomi, e outros não decolaram no país, muito fruto da incompetência deles em divulgar, oferecer diferenciais de qualidade e preço e assim conquistar esse público. Resta apenas, como alternativa, alguns modelos da Samsung que no final, também são mais do mesmo.


  • Minha primeira experiência com a linha G, foi com o Moto G2, e na época pra min o celular era ótimo, mas em seguida troquei por um Moto Moto E2 em seguida um X2 que também me agradaram bastante, até o celulares começarem a desenvolver vários bugues estranhos que arrasou minha confiança na Motorola, mas msm assim continuei na marca e fui pra um modelo mais recente Moto E4 plus, e não tive nenhuma surpresa, em seguida peguei um G5 plus e um G5s plus, e agora estou com um G6, então pra min não tem segredo, estou satisfeito com a linha G, mas o custo benefício e a exigências como as atualizações não são mais as mesmas graças a Lenovo.


  • Tenho um moto G5 plus e amava até receber essa atualização para o Android 8.1, o qual acarretou diversos problemas, entre eles a bateria passou a esgotar rapidamente, o leitor de digitais responde qdo quer, a internet ficou lenta, tanto dados qto wi-fi. Depois de muita briga, consegui que a Motorola me fornecesse uma garantia especial para efetuar o reparo, uma vez que o mesmo já estava com a garantia vencida e todos os problemas foram causados pela atualização que os mesmos colocam sem fazer os devidos testes para ver se realmente está 100% apta... Foram 2 semanas na manutenção (e eles tinham garantido que ficaria pronto em 06 dias) e para minha surpresa o APARELHO VOLTOU COM OS MESMOS PROBLEMAS E ATE UM POUCO PIOR... Na minha opinião: MOTOROLA já foi uma das melhores marcas e hoje deixa, e muito, a desejar principalmente no que se refere a manutenção e trato com o cliente...


  • A Motorola de uma forma geral, não só com a linha G perdeu bastante espaço no mercado mundial. No Brasil eles ainda são muito relevantes... Ainda digo que mesmo com o avanço da ASUS e da Xiaomi (mesmo sem vender oficialmente aqui) Motorola e Samsung dificilmente perderão a relevância no mercado nacional.

    Mas eu diria que a Lenovo precisa fazer algo pra dar um "UP" na Motorola, eles precisam voltar aos holofotes de alguma forma... Não podemos perder a Motorola...


  • Moto G6 Plus foi uma excelente compra porque esperei o momento certo de comprar. Essa ainda é a linha que entende melhor as necessidades dos brasileiros. A TV de alta definição me quebrou um galhão na copa da Russia e de vez em quando uso. Melhor que a linha "J" da Samsung e do qu o equivalente em preço da Asus.

    CAV


  • Foi pra China perdeu relevância a Motorola terá que se reinventar reimaginar


  • Tudo passa, e da mesma forma, o MOTO G passou. Faltam configurações atrativas. Aliás, as fabricantes que vendem oficialmente no Brasil já deviam oferecer pelo menos um snapdragon 660 por um preço compatível. Se xiaomi pode vender por 900 reais ou um pouco mais, aqui no Brasil poderia custar na faixa de 1400 tranquilamente.


  • Não, o moto g deixou de ser um aparelho atrativo no preço pra ser um aparelho do tipo "mais do mesmo" com mudanças insignificantes. Sinceramente gostaria muito se fosse um aparelho totalmente de plástico mas com inovação no preço e no Interior do aparelho. Mudanças exteriores não fazem sentido e muito menos quatro modelos de um mesmo aparelho. Isso realmente não faz sentido.


  • Depende do ponto de vista...antes de descobrir o Zenfone 4 , o Moto G5/G6 e suas variantes eram minhas primeiras opções, mesmo com o desrespeito com a linha E...porém após pesquisar, analisar as configurações,preços e afins cheguei a conclusão de que o Zenfone 4 seria mais interessante do que qualquer outro aparelho da Motorola...fora o suporte de pouco tempo que a Moto-Sung dá a seus aparelhos, segundo li em comentários, notícias e afins divulgadas em sites nacionais e estrangeiros...portanto...achei bonito o G6 Plus porém a configuração que vi não atendia a minha proposta (um parente meu tem um aparelho)...e vários familiares ficaram impressionados com o meu aparelho...por enquanto pra Motorola é um adeus...o dia que voltar a ser o que era ...quem sabe volto...mas até lá vou de Asus, Xiaomi, Huawei ou outra...Off.: Não tenho fidelidade comercial com ninguém...como dizia meus saudosos pais: "Se a marca é boa e está feliz, por que vai mudar ?(...)"


  • Notch... exigência do mercado? 😂


  • Gostaria que a Linha G fosse tratada da mesma forma que na primeira geração, com atualizações garantidas e realmente fazia toda diferença


  • Sempre teve relevância, porém foi retirado o custo benefício dele.
    Eu não vejo dificuldade em colocar uma media de R$ 800,00 num aparelho com pelo menos 2GB, 32gb e tv digital.
    Lembro do Moto G2 que tive, o melhor da categoria na época.


  • hoje nem a linha G Play tem aquele status de aparelho bom e barato, quero ver com o lançamento do G7 Play que pelo jeito vai ser mais caro que o G6 Play, mas por algumas noticias que andaram vazando acho que dessa vez ele ficaria bem ao estilo que eu gostaria bom e realmente compacto só não sei o preço, mas em outros lugares falam que vai ter aquela tela desnecessariamente grande de 6.2" no aparelho mais simples da linha e com menos bateria é sacanagem e diria que seria burrice...


  • Como intermediário, funciona bem. Mas, hoje, o aparelho que ocupa o lugar do antigo Moto G, em termos de custo X beneficio é o Moto E 5. A linha E virou a nova linha G. Enquanto isso, a linha G virou a nova linha X.


  • Bem, os números apontam que a Motorola chega cada vez mais perto da líder Samsung, em número de vendas no Brasil. Considerando o principal produto da marca a linha G, se isso não for considerado relevante... Não sei o que seria.
    O pessoal pegou um Hate pela marca que chegou a um nível inexplicável. Claro que teve seus deslizes, como aparelhos extremamente bugados, como Moto G4 Plus, infelizmente também deixou de ser referência global em atualização. Também vamos voltar a atenção nos preços surreais que ela vem cobrando nos lançamentos.
    Porém, alguns meses depois eles se tornam ótimas opções dentro do mercado de NACIONAIS, junto com a linha Zenfone, chegam a serem os melhores custo benefício NACIONAL (lembrem-se, sua avó, tia, e as massas não querem saber de importar um Xiaomi )
    Mesmo após tantas resenhas negativas acerca da Motorola/Lenovo, resolvi dar uma chance a marca, adquirindo um Moto X4 por um bom preço em uma promoção. E estou extremamente satisfeito. Amigos e parentes que possuem Moto G5, G6 e afins, nunca reclamaram dos aparelhos, muito pelo contrário. Por essa razão não entendo o porquê dessa cisma com a Motorola, Se praticamente todas as marcas do Brasil agem parecido. Realmente não entendo.

    CAV


    • Precisam de um bode expiatório para justificar a mediocridade do nosso mercado de dispositivos móveis.
      E como criticar LG, Sony e Asus é "bater em cachorro morto"...


  • Tenho um G1 funcionando muito bem com minha mãe, um G3 turbo que uso de Waze e Spotify e pra uso pessoal um G6 ... Acho que é e continuará sendo relevante.

Mostrar todos os comentários