Samsung e seus vacilos quanto ao quesito "atualização do Android"

  • Respostas:3
  • AbertoNão stickySem resposta
  • Posts no fórum: 78

07/01/2018, 17:10:48 via Web

A Samsung também deu vários tropeços quando o assunto é atualização do Android de seus aparelhos.
Aqui, falarei apenas dos casos mais graves.

Galaxy Note 3 Neo
image
Curiosamente não foi lançado muito tempo depois do Galaxy Note 3 original, embora chamar essa edição de "Neo" foi até uma propaganda enganosa, já que se tratava basicamente de uma edição de baixo custo do modelo original ("Lite" talvez fizesse mais sentido).

A Samsung vacilou, na verdade, com a variante SM-N7502 (que foi vendida no Brasil).

Todas as variantes saíram de fábrica com a TouchWiz 2.0 com o Android 4.3 Jelly Bean (a mesma versão embarcada de fábrica no Note 3 padrão). A questão é que a variante BR "morreu" aí mesmo (inclusive sem ter recebido muitas atualizações corretivas em seu ciclo de vida), enquanto as variantes estrangeiras chegaram a receber inclusive o Android 5.1.1 Lollipop.

Não se sabe dizer o que a Samsung tinha contra essa variante, mas provavelmente deve ter sido algum problema grave de hardware dela, que as variantes gringas não tinham.

Galaxy S3
image
Esse caso é clássico.

Ele até que recebeu várias atualizações majoritárias do Android em sua trajetória.

O problema é que a Samsung prometeu justamente uma atualização do Android que não conseguiria entregar pra ele: o Android KitKat.

A justificativa na época foram problemas com a memória RAM. Porém, essa justificativa acabou sendo bem controversa, e ainda gera comentários de indignação até hoje.

No final das contas, o Android KitKat ficou apenas para as edições Neo do aparelho. A 4.4.2 para o SM-I9301i e a 4.4.4 para o SM-I9300i (embora a TouchWiz tenha permanecido na versão 2.5 nos dois casos).

Galaxy K Zoom
image
Também conhecido como Galaxy S5 Zoom, é difícil dizer o porquê dele ter sido tão injustiçado durante o seu ciclo de vida.

Foi lançado com a TouchWiz 3.0 com o Android 4.4.2 KitKat (igual ao S5 padrão), mas algo deu errado para ele não ter recebido a TouchWiz 4.0 com o Android 5.0 Lollipop (que na época, rumores afirmavam que foi testado nele).

A câmera traseira pode ter sido a responsável por isso (embora seja apenas uma hipótese, uma vez que a Samsung não confirmou oficialmente os motivos do cancelamento da atualização), uma vez que houveram diversos relatos de defeitos (desde acúmulo de poeira nas lentes até falha na ativação da câmera), que aparentemente eram generalizados (ou seja, uma possível falha no projeto em si) e crônicos (mesmo se fosse consertado, o problema tornaria a se repetir pouco tempo depois).

Curiosamente ele tem especificações de hardware superiores ao Galaxy S5 Mini, mas o segundo acabou tendo bem mais sorte, recebendo a TouchWiz 4.0 com o Android 5.1.1 Lollipop e surpreendentemente também o Android 6.0.1 Marshmallow (tal como o S5 padrão).

Galaxy Grand Prime
image
Esse fez bastante sucesso por aqui.

Foi lançado com a TouchWiz 3.0 Lite junto com o Android 4.4.4 KitKat

O problema é que aparentemente a Samsung, por alguma razão, se enrolou com as dezenas de variantes lançadas dele, e acabou vacilando.

Começou com a atualização para a TouchWiz 4.0 com o Android 5.0.2 Lollipop, que nem todas as variantes do aparelho receberam (mesmo não havendo diferenças nas especificações de hardware entre as variantes lançadas).

A questão é que nessa situação houve uma variante onde a Samsung até desenvolveu a atualização (a SM-G530H), mas nem todos os países receberam. E teve casos onde a atualização até chegou naquele país, mas nem todas as operadoras se interessaram em entregá-la.

O Brasil se enquadrou no segundo caso, onde apenas a TIM entregou a atualização (embora apenas em um única banda de base, a VCU, deixando a VJU sem a atualização, embora esta felizmente havia a possibilidade de instalar manualmente compilações gringas). A Vivo e a Claro não fizeram isso nem nessa variante, nem em outra (a SM-G530MU, esta aliás que não recebeu em nenhum outro lugar, também).

Pra piorar, a Samsung tomou mais duas decisões controversas com relação ao Galaxy Grand Prime:

► Ainda falando do SM-G530, ela resolve lançar, em Julho de 2015 nos Estados Unidos, três novas variantes, que já vinham com o Android Lollipop de fábrica (a versão 5.0.2 em uma, e a 5.1.1 nas outras duas). Mas a questão mesmo era com a TouchWiz: ao invés da versão 4.0, ela já colocou a versão 5.0 (a mesma que veio com o Galaxy S6) nessas variantes.

► Em Agosto de 2015, na surdina, a Samsung para de produzir o SM-G530, e imediatamente introduz no mercado o SM-G531, que na prática, era o mesmo Galaxy Grand Prime de antes, mas com três diferenças: o processador (antes um Qualcomm MSM8916 Snapdragon 410 de 1.2 GHz, passou a ser um Marvell ARMADA PXA1908, de 1.3 GHz), a versão do Android (5.1.1 Lollipop, embora a TouchWiz ainda fosse a 4.0), e a ausência do Screen Mirroring. Não eram diferenças que um consumidor leigo iria notar, e a Samsung (provavelmente de forma proposital) só facilitou as coisas tomando uma atitude que considero sacana: a tela de boot era a mesma do modelo anterior (embora oficialmente o SM-G531 tenha sido lançado como Galaxy Grand Prime Value Edition). Isso confundiu muita gente que tinha o modelo de 2014 que ainda estava no Android KitKat, que simplesmente não entendeu a jogada da empresa sul-coreana (embora a estratégia, para uma pessoa mais atenta, fosse bem clara), e se queixava do seu aparelho estar defasado e de outros já estarem atualizados.

Ou seja, uma lambança total.

Galaxy A3 2015
image
Um aparelho da série Galaxy A geralmente recebe duas atualizações majoritárias do Android.

Com o Galaxy A3 2015 aparentemente não seria diferente.

Ele recebeu a TouchWiz 4.0 com o Android 5.0.2 Lollipop, e até estava na lista de elegíveis para receber o Android 6.0.1 Marshmallow.

Mas na prática, por alguma lambança da Samsung, apenas as variantes SM-A300FU e SM-A300Y foram contempladas.

O restante, simplesmente "morreu" no Android 5.0.2 Lollipop.

Não há uma justificativa oficial para essa decisão.

Engraçado é que não há diferenças nas especificações de hardware entre as variantes lançadas, o que torna a decisão ainda mais controversa.

Lamentável essa situação ter simplesmente passado batido.

Galaxy J3 2016
image
Assim como o Galaxy Grand Prime, muita gente quebrou a cabeça para entender porque tinha Galaxy J3 com Android mais recente por aí (e se queixando do seu J3 ainda estar com Android desatualizado, claro!).

É o seguinte: o modelo internacional (do qual a nossa variante se enquadra) chegou no mercado com o chipset Spreadtrum SC9830, câmera traseira de 8 Megapixels, câmera frontal de 5 Megapixels, 8 GB de armazenamento interno e TouchWiz 5.0 com o Android 5.1.1 Lollipop. Provavelmente por conta do processador escolhido, o Android 6.0.1 Marshmallow possivelmente nunca esteve nos planos da Samsung para esse modelo.

O problema é que, assim como o Galaxy Grand Prime, a Samsung, na surdina, trouxe um modelo diferente do mesmo J3 nos Estados Unidos, com praticamente uma variante pra cada operadora local (e, dependendo da operadora, até o nome do aparelho mudava).

Esse veio com chipset Exynos 3475 Quad Core, câmera traseira de 5 Megapixels, câmera frontal de 2 Megapixels, 16 GB de armazenamento interno e... TouchWiz 6.0 com o Android 6.0.1 Marshmallow de fábrica (pra piorar, atualizável para a Samsung Experience 8.5 e Android 7.1.1 Nougat).

E tem ainda o Galaxy J3 2016 da Coréia do Sul, que é bem parecido com o nosso em especificações. Contudo, o processador também é diferente. E a versão do Android? 6.0.1 Marshmallow, também (embora esse tenha "morrido" aí mesmo).

Galaxy Tab E 9.6
image
Outro caso da Samsung sacaneando com o público internacional e beneficiando os norte-americanos e canadenses, e que também faz muita gente quebrar a cabeça para entender porque a versão do Android é diferente.

Enquanto o modelo internacional (que, como de costume, foi o que veio pra cá) vem com processador Spreadtrum SC8830, 8 GB de armazenamento interno, bateria de 5000 mAh e TouchWiz 3.5 com o Android 4.4.4 KitKat, eis que três meses depois, a Samsung lança nos Estados Unidos uma nova edição do Galaxy Tab E 9.6, que vem com processador Qualcomm Snapdragon 410, 16 GB de memória interna, bateria de 7300 mAh ( ! ) e... TouchWiz 5.0 com o Android 5.1.1 Lollipop de fábrica, sendo que esse recebeu atualização para o Android 6.0.1 Marshmallow e ainda Android 7.1.1 Nougat.

Galaxy S5 New Edition
image
Nesse caso, mais uma vez os canadenses levaram a melhor.
Enquanto o SM-G903W já conta com o Android 7.1.1 Nougat com a Samsung Experience 8.1 (quem diria?!), o restante (que inclui o nosso SM-G903M) "morreu" na TouchWiz 6.0 e Android 6.0.1 Marshmallow.
Engraçado que o SM-G903W em nada se difere do nosso SM-G903M, exceto pelo fato de ser Single SIM.

O que vocês acham de tudo isso?

— alterado em 08/06/2018, 04:52:34

Responder
  • Posts no fórum: 42

08/01/2018, 17:13:25 via Web

A realidade é que o suporte do Android pra quaisquer marca é muito curta (18 meses) e sobre quais modelos receber, ai varia em termos de mercado qual modelo vale a pena investir... Nao é justo mas pelo Android ser um SO de codigo aberto em que cada marca faz sua customização (que requer trabalho pra fabricante) eles colocam isso na balança na hora de quem vai receber.

Imagine os Tops que vc compra esse ano um sabendo que ano que vem lançarão outro, e quando lançarem tem mais 8 meses restantes de suporte a updates.

Assista esses videos que explica e pode ate responder essa sua indignação do pq esses aparelhos nao receberem updates: https://www.youtube.com/playlist?list=PLmjEpaXWfKWYvw02k2dGTTUaXErILLvEE

Responder
  • Posts no fórum: 78

08/01/2018, 17:34:57 via Web

Acho que você não entendeu bem o propósito dessa postagem.
Ou a postagem em si.

Eu, em nenhum momento, questionei o tempo de suporte dos aparelhos quanto a atualizações do Android, muito menos como as fabricantes decidem qual aparelho receberá, ou não.
E os fatos mencionados pouco ou nada tem a ver com isso.

Responder
Conta desativada
  • Posts no fórum: 240

20/03/2018, 02:50:50 via App

Concordo brother CAV, deveria fazer um da Motorola/Lenovo também!

Não diga nada sem Moto G!

Responder

Artigos recomendados