Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.
Google suspende relações com a Huawei e seu acesso ao Android
Hardware Aplicativos Huawei 5 min para ler 43 Comentários

Google suspende relações com a Huawei e seu acesso ao Android

A Alphabet Inc., empresa mãe do Google, encerrou todas as relações comerciais com a empresa chinesa Huawei com efeito imediato, segundo a agência de notícias Reuters. A decisão afeta todo o hardware e software da Huawei. O segundo maior fabricante de smartphones do mundo perde o acesso imediato a todas as atualizações do sistema operacional Android. No entanto, o acesso aos componentes do sistema operacional que estão sob licenças de código-fonte aberto não é afetado.

Como resultado desta decisão, os smartphones da Huawei vendidos fora da China também perderão acesso a outros aplicativos e serviços do Google, como Play Store, Gmail, Maps e os Google Mobile Services. De acordo com a fonte da Reuters, ainda existem discussões internas sobre exatamente quais serviços são afetados por este bloco.

Mesmo que a Huawei ainda possa acessar os componentes do Android disponíveis sob uma licença Open Source (conhecidos como AOSP - Android Open Source Project), o Google provavelmente interromperá todo o suporte e qualquer cooperação adicional com o fabricante chinês. Não houve comentários feitos até agora pela Huawei ou pelo Departamento de Comércio dos EUA.

O motivo para a decisão é um decreto emitido pelo presidente dos EUA, Donald Trump. Ele não só impede que empresas dos EUA comprem hardware para expansão da rede 5G de empresas como a Huawei, mas em princípio proíbe todas as relações comerciais com a empresa.

AndroidPIT huawei p30 pro back2
Aparelhos como o Huawei P30 Pro, recém-lançado no Brasil, não são afetados. / © AndroidPIT

O governo dos EUA acusa a fabricante de smartphones e equipamentos de telefonia móvel de fazer espionagem para o governo chinês. A Huawei rejeita estas acusações rigorosamente. Mais recentemente, a empresa disse que o CEO Ren Zhengfei dissolveria a Huawei se o governo chinês exigisse que ela espionasse em seu nome.

Em março, o chefe da divisão de smartphones da Huawei, Richard Yu, deixou claro que tinha seu próprio sistema operacional em reserva. “Se surgir alguma situação em que outros sistemas operacionais (como o Android) não possam mais ser usados, estaremos preparados”. Agora, a Huawei pode realmente ter que usar seu próprio sistema operacional.

Huawei responde à proibição

Entramos em contato com a Huawei para uma declaração oficial e recebemos a seguinte resposta, originalmente emitida em alemão e traduzida por nossa equipe:

"A Huawei fez contribuições significativas para o desenvolvimento e o crescimento do Android em todo o mundo. Como um dos principais parceiros globais do Android, trabalhamos de perto com a plataforma de código aberto para desenvolver um ecossistema que beneficie usuários e o setor.

A Huawei continuará a fornecer atualizações de segurança e serviços para todos os smartphones e tablets Huawei e Honor existentes. Isso se aplica a dispositivos vendidos e em estoque em todo o mundo.

Continuaremos a trabalhar no desenvolvimento de um ecossistema de software seguro e sustentável para fornecer a melhor experiência de usuário possível em todo o mundo".

Google faz uma declaração

Enquanto isso, o Google deixou claro via Twitter que essa restrição não afeta os dispositivos Huawei já existentes (como os P30 Pro e P30 Lite, recém-lançados no Brasil). A Play Store e o Google Play Play Protect continuarão a funcionar nesses smartphones.

"Respondendo às perguntas dos usuários da Huawei sobre nossas medidas para cumprir as recentes decisões do governo dos EUA: garantimos que, embora estejamos cumprindo todos os requisitos do governo dos EUA, serviços como o Google Play e Google Play Protect continuarão funcionando em seus aparelhos Huawei já existentes"

Não é só o Google

Ontem à noite, a notícia de que o Google havia encerrado as relações comerciais com a Huawei causou um tumulto. Agora se sabe que outras grandes empresas norte-americanas também planejam cortar os laços com o fabricante chinês.

Diz-se que fabricantes de chips como Intel, Qualcomm, Xilinx e Broadcom já informaram internamente aos seus funcionários que não fornecerão à Huawei por enquanto, segundo fontes nas empresa. Isso marginaliza ainda mais o maior fornecedor de hardware de rede do mundo e o segundo maior fabricante de smartphones depois de ter sido colocado na lista negra pela administração Trump na sexta-feira.

A Qualcomm fornece à Huawei processadores e modems para seus smartphones, enquanto a Intel é seu principal fornecedor de chips para servidores. A Xilinx vende chips reprogramáveis e componentes de rede ​​e a Broadcom é fornecedora componentes para switches de rede. Muitos destes componentes também são importantes para a expansão das redes 5G. Representantes destes fabricantes, no entanto, até agora rejeitaram uma declaração.

Isso não só perturba os negócios dos gigantes americanos de chips, mas também atrasa a introdução da rede de comunicações móveis 5G em todo o mundo, inclusive na China. O movimento provavelmente terá sérias consequências não apenas para a própria Huawei, mas também para a indústria global de semicondutores, que depende da segunda maior economia do mundo.

7439985942 a670496f75 o
Os produtos da Huawei são essenciais na implantação de redes 5G em todo o mundo / © O2

Quanto tempo as reservas da Huawei duram?

Em preparação para a atual suspensão das relações comerciais, estima-se que a Huawei venha estocando chips e outros componentes importantes desde meados de 2018, ao mesmo tempo em que projeta seus próprios chips como alternativas. No entanto, esse estoque deve durar no máximo três meses. A liderança da Huawei, no entanto, assume que isso será suficiente para retomar as relações comerciais com os EUA nas áreas necessárias.

Qual será a solução para essa guerra comercial? Compartilhe sua opinião nos comentários.
 

Fonte: Reuters

Os comentários favoritos dos leitores

  • Rafael Rigues há 3 semanas

    Antônio, como diz o texto, os aparelhos atuais (incluindo o P30 Lite e Pro) não serão afetados, e continuam com acesso aos serviços da Google e atualizações de segurança. Imagino que, se essa situação não for resolvida, a Huawei vá criar um "derivado" do Android baseado no código Open Source, assim como a Amazon faz com seu "Fire OS".

43 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Espero, sinceramente, que a Huawei consiga criar um sistema operacional funcional, com seus próprios aplicativos e que agrade muito. Quem sabe vemos aí uma mudança no cenários dos OS para além do IOS e do Android? Se eles conseguirem sucesso com seus próprios componentes, acredito que ia dar uma movimentada nesse mercado e trazer mais opções ao usuário.


  • Pelos comentários parece que ainda não perceberam que também os fornecedores de hardware estão a cortar com a Huawei, a marca já era.
    Vai ser um sucesso o P40, processador Kirin, memória sei lá qual, sistema operativo???, e uma loja qualquer...
    Além disso todos devem saber que a Google não tem autorização para operar com a sua Playstore na China, por isso até deve ter tido um certo prazer em obedecer ao Trump.


  • É complicado essa situação e mais cedo ou mais tarde isso ocorreria. Já que o Big G é proibido na China, então, ocorre a suspensão de continuação de distribuição do Android para a Huawei.


    • na vdd, a Google vai perder demais se isso for mantido, ela só fez isso pq o trump basicamente mandou, a Google é parceira da Huawei há mto tempo.


  • Bem , quem.com fogo fere , com fogo será ferido , os chineses bloquearam a Google tanto buscador assim como os Gapps em seu território e ninguém ficou de mimimi , deixa eles experimentarem um pouco do próprio veneno , não tem bonzinho ou malvado nesta estória , somente jogo de interesses.


  • A China nem tem acesso ao Google.....não vai dar em nada....


  • Esse sistema seria uma ótima "Sailfish OS" da Jolla.


  • Será o "começo do fim" do Android? A Huawei é uma das maiores fornecedores de Android do mundo. Sem ela o mercado do robozinho vai diminuir muito! Uma pena, mas se a empresa realmente está envolvida com espionagem, deve ser apurada e punida.


    • Duvido muito!
      Quando a Nokia resolveu não usar Android ela ainda era uma mais marcas mais fortes e presentes no mercado.
      Nem preciso dizer o que aconteceu com ela ... 🙄


      • Mas no caso a Nokia tinha sido comprada pela Microsoft que quis utilizar o falecido sistema Windows mobile que era um fracasso, a situação foi outra. Não é pq a Microsoft tomou decisões erradas com seu sistema operacional próprio que todas as empresas venham a fazer o msm, torcemos para que o OS que a Huawei tem no bolso, que já tá sendo desenvolvido há no mínimo 6 anos, esteja preparado para entrar no mercado mobile brigando com o Android e com o IOS. Pode ser interessante acabar com esse duopólio.


      • Cara, o problema não é o sistema operacional ser bom. O Windows Phone era bom. O grande problema é ter aplicações. Se não houver um grande número de empresas desenvolvendo aplicações, o dista operacional morre.
        Aconteceu com o Windows Phone, com o WebOs da Palm (para mim, na época o WebOs era melhor que o IOS e o Android) e vários outro que não conheço e alguns que não lembro mais o nome.

        CAV


      • Do mesmo modo que a China proíbe o Google, esse sistema também pode ser proibido...


  • Como ficará a situação no Brasil? Huawei começando as operações aqui ao mesmo tempo que temos um governo vassalo dos EUA.


  • As próprias empresas de tecnologia americanas parceiras da Huawei estão ferradas... como fica toda a produção dos componentes? vai vender pra quem agora os que já estavam sob encomenda? E os projetos que já estavam em andamento? Acabar com todos os acordos com a segunda maior fabricante de smartphones do mundo é um tiro no pé dos EUA, fora o atraso na implementação do 5G.


  • Se há um lado interessante é notar como os sistemas operacionais são de importância estratégica. Acho possível que os chineses voltem com a proposta de um novo OS para celulares, provavelmente open source, para tentar obter uma fatia do mercado global em longo prazo.

Mostrar todos os comentários