Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

A Xiaomi não para: fabricante chinesa anuncia Redmi 6 e 6A

A Xiaomi não para: fabricante chinesa anuncia Redmi 6 e 6A

E a Xiaomi não para mesmo, até parece uma máquina de fabricar smartphones. Depois de já termos acompanhado o lançamento do Pocophone F1 na semana passada, a fabricante chinesa anuncia mais dois novos smartphones. Estamos falando do Redmi 6 e Redmi 6A, que chegam ao mercado nessa e na próxima semana, respectivamente.

O Redmi 6 conta com duas versões, e vem equipado com processador Helio P22 (ué, não é um 625?), 3 GB de memória RAM, 32 GB de armazenamento e tela de 5,45 polegadas com resolução HD+ de 1440 x 720 pixels. A outra versão possui o mesmo processador e tem 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento.

Para fotografias, o Redmi 6 vem com duas câmeras traseiras, sendo uma de 12 MP e a outra de 5 MP. Já para selfies, o smartphone conta com apenas uma câmera de 5 MP, e somente as câmeras traseiras são acompanhadas de flash. Para fazer funcionar tudo isso, temos uma bateria de 3.000 mAh.

Já o Redmi 6A tem configurações um pouco mais modestas. O smartphone traz um processador Helio A22, 2 GB de memória RAM, armazenamento interno de 16 GB e tela de 5,45 polegadas com resolução HD+ de 1440 x 720 pixels. Na parte das câmeras, temos apenas duas, onde a traseira possui 13 MP e a frontal tem 5 MP. Nesse modelo também só a câmera traseira possui flash. A sua bateria é de 3.000 mAh.

Xiaomi Redmi 6 08
Xiaomi Redmi 6 / © xiaomi.com

O Redmi 6 chega ao mercado amanhã, dia 6 de setembro, e vai custar US$ 127 (aproximadamente R$ 525 sem taxas ou impostos) o modelo com 3 GB de RAM e 32 GB de armazenamento. Já o modelo de 4 GB de RAM e 64 de espaço sai por US$ 160 (aproximadamente R$ 660 sem taxas ou impostos). Por fim, o Redmi 6A chegará dia 10 de setembro custando US$ 83 (aproximadamente R$ 345 sem taxas ou impostos).

A Xiaomi parece que pegou mesmo gosto por lançar smartphones, pois cada vez mais podemos ver seus aparelhos sendo lançados em um curto espaço de tempo. Resta saber se essa estratégia adotada pela empresa será benéfica ou não.

E você, o que achou dos Redmi 6 e Redmi 6A?

Artigos recomendados

21 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • E.... Se precisar da assistência... Faz como?


  • curioso, porém ainda prefiro o redmi note 5 pro.


  • Ansioso


  • Seria muito bom se a Xiaomi retornasse ao Brasil, pois sua saída pegou muito mal e seus produtos tem boa qualidade. Afinal, o mercado brasileiro não pode ser desprezado.

    A Samsung reina absoluta por aqui, é importante ter empresas fortes, que apresentam um bom custo benefício, quem sabe um dia, Hugo Barra na época prometeu muita coisa e não cumpriu, sendo um péssimo executivo. Vendas apenas no site, ajudou a naufragar a empresa.

    Um Redmi 6 hoje, faria bastante barulho por aqui, precisamos de alternativas, chega de Moto G da vida, linha J sempre a mesma coisa e cara ainda por cima.


    • Eles testaram o que sempre usaram na Índia e dava certo, na China tbm.

      Acho que faltou era criar não só o rebuliço com os Youtubers mas principalmente criar quiosques em diversas cidades em shoppings do País para que os usuários pudessem comprar.

      Era barato pois nmsaia direto do galpão e não de um ponto de venda que cobra 30% da margem de lucro p vender.

      O maior erro na vdd foi não trazer diversos modelos mais parrudos e ter feito testes antes pois a B2W deu muita mancada no e-commerce que ferrou o botão de compra.

      P fechar mais ainda, estávamos com mudanças significativas nos incentivos fiscais do governo para smartphones de até 1500 reais. Onde tiraram logo que ela chegou, e isso atingiu e muito o faturamento deles. Problemas com a alfândega (pois as primeiras remessas iam ser importadas e os outros seriam produzidos aqui). As baterias não passaram na aprovação brasileira.

      Foram erros deles + os problemas gigantescos aqui c a nossa velha burocracia


  • Enquanto ela mantiver o suporte para todos eles tá bom...


  • Não entendo esse pessoal,qual o problema da empresa querer virar Samsung,se é ela a líder do ramo! Errado seria querer virar Sony ou LG,comprem o que for melhor pra vcs!


  • A xiaomi tem vários aparelhos que repetem a mesmas especificações. Tá querendo mesmo virar a Samsung na Ásia e no mundo pelo jeito.


  • Para o segmento de acesso, está de bom tamanho.


  • ué, mas ela já tinha anunciado esses telefones antes, vi a um tempo atrás na gearbest por R$650,00


    • O preço tá meio salgado, pois já vi aparelho da fabricante com melhores especificações e mais barato.


      • Câmera eles estão começando a lançar com melhorias. Sem dizer que nosso real tá valendo nada, dólar nas alturas


    • Anunciado, mas agora tá livre p ser vendido efetivamente no país.

      Sei que talvez ela inicia as vendas na Índia tbm.

      Mas esses são os mercado chinês e n compensa o gente, tendo visto tbm q direto no atualizam. A Xiaomi cria modelos com mediatek principalmente por ser uma regra do governo chinês de incentivo às fabricantes chinesas


  • Pior q padaria.
    No mínimo 3 formadas por dia!


  • E assim uma empresa boa começa virar a Samsung. #ComeçoDoFim #MeJulguem


  • Pelas specs são gadgets de entrada a preço honesto , atendem o dia a dia para mensageiros sociais e fotos medianas em ambientes claros , o que 90% dos usuários necessitam.


  •   41
    Conta desativada há 11 meses Link para o comentário

    Para quase 3 bilhões de pessoas no oriente, faz sentido a MI lanćar essa quantidade apavorante de dispositivos.

Mostrar todos os comentários
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.