Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

3 min para ler 85 Comentários

Não dá mais tempo: Android Oreo patina nos números de distribuição

Chegamos ao meio do segundo trimestre e mais uma vez o Google divulgou os números de penetração das diferentes versões da plataforma. Se por um lado versões mais antigas estão cada vez mais raras, o próprio Android Oreo não parece estar engrenando o suficiente para chegar a um bom número antes do lançamento final do Android P.

A versão oficial do Android P chega no terceiro trimestre, e provavelmente nesse evento saberemos finalmente o doce escolhido para compor o nome do sistema do robozinho. Entretanto, as coisas não estão indo nada bem com seu antecessor. De acordo com a tabela oficial do Google, o Oreo está presente 5,7% de todos os aparelhos que acessam a Play Store no mundo.

Pensando que o Android P deve sair por agosto, são menos de quatro meses para uma recuperação assombrosa do Oreo, mas pegando como comparação seu caminho até aqui (em Abril ele estava a 4,6%), é difícil imaginar que ele passe dos 15%, mesmo sabendo que muitas fabricantes estão lançando seus updates para o 8.0 ou 8.1. É lógico que as fabricantes podem (e com certeza vão) continuar fazendo updates para o Oreo após o lançamento do P, mas isso é preocupante.

AndroidPIT android p 1082
Android P vai tirar ainda mais espaço do Oreo / © AndroidPIT by Irina Efremova

Em um artigo que você pode ler no link abaixo, discorro sobre a possibilidade de o Google permitir que o Oreo fracasse para que o P tenha uma distribuição maior e mais rápida. Novas parcerias com a Qualcomm revelam coisas nesse caminho. Mas posso estar errada, e o Google pode estar se afundando cada vez mais na fragmentação de seu sistema.

Por outro lado, é bom ver que versões até o KitKat 4.4 representam algo em torno de 15% agora. O Lollipop 5.x preocupa ocupando ainda aproximadamente 22%, pouco atrás do Marshmallow que continua acima dos 25%, um quarto de todos os aparelhos Android no mundo. Por fim, o Nougat rouba a cena e cresce para 31%.

Mas por que o Nougat cresce? O maior motivo para isso pode estar na recusa das OEMs em trabalhar mais para trazer o Oreo juntamente com o Project Treble para seus aparelhos. Assim sendo, preferem embarcar o Nougat em seus aparelhos, um trabalho mais fácil. Porém, a Google não está mais permitindo que novos aparelhos sejam registrados com essa versão do sistema, e alguns futuros lançamentos certamente virão com o Oreo (ou, torçam, com o P).

Qual você acha que é a estratégia da Google para o Android P?

Fonte: Google

Os comentários favoritos dos leitores

85 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Quem dera se patinasse... ao menos todos sabemos que patinar no sentido prático da palavra, e algo rápido....
    Na verdade, citando alguns elementos do MUV da FÍSICA. O Android Oreo está se arrastando com um contra peso nas costas num terreno onde há bastante atrito...


  • Adquiri um Galaxy Tab novo que já vem com o atrasado Android 5.1. Agora que muitos apps não rodam em aparelhos com root destravado, não considero mais a opção de atualizar o Android sem ser via OTA. Qual o tempo vai ser permitido instalar / atualizar apps pela loja nesta versão do Android? Rodar apps instalados via apk é uma opção segura e funcional? Preciso de uma luz, porque tô considerando devolver o Galaxy e pegar um tablet fudidex da Multilaser ou Philco, porque estão na mesma faixa de preço do Galaxy, mas principalmente por virem com Android Nougat.

    CAV


    • Deixa eu adivinhar: Galaxy Tab A 7.0, né?
      Faltou pesquisar mais, hein?!

      Deveria ter guardado mais uma grana e cogitado ou o Galaxy Tab A 8.0 (2017; que vai receber o Oreo, e com sorte, o P também), ou o Galaxy Tab A 9.7 (que parou no Nougat) ou o Galaxy Tab A 10.1 (que vai receber o Oreo em breve).


      • Se eles não custassem 1000 temers a mais hahaha

        CAV


      • Eu já tinha achado um grande erro a Samsung Brasil lançar um tablet de Março de 2016 em Setembro de 2017.
        O correto era ela lançar um sucessor do Galaxy Tab E 7.0.

        Mas tablet barato é tablet gambiarra, não adianta.
        Tablet bom, pra durar mesmo, requer um investimento maior.

        E o Tab A 8.0 (2017) só está 500 Reais mais caro que o Tab A 7.0.


  • Fragmentado ou não, que diferença faz? Nenhuma. Debate inútil.


  • A maneira como o Android é desenvolvido e distribuído jamais permitirá que a versão mais recente do SO seja a mais utilizada.


  • A culpa é das fabricantes, que demoram mais de 1 ano para atualizar os aparelhos. Quando recebe uma atualização do Android, ja tem outra "saindo do forno", e ai, mais 1 ano pra atualizar.


  • Precisamos muito da existência de um 3º sistema operacional! Mas se a Microsoft não conseguiu, quem conseguirá? 😭


  • Não culpo somente a mãe Google, operadoras de telefonia também tem uma parcela da culpa.


  • As fabricantes estão cagando pros consumidores. Elas se importam mesmo é com a venda de novos aparelhos. Assim, não atualizar um aparelho já comprado, força a todos a comprarem o novo aparelho atualizado.
    Isso pode ser um tiro no pé, já que a cada ano um novo modelo sai mais caro.
    Por exemplo: quem possui um Moto G5... Se atualizar antes de vender um Moto G6, porque comprar um G6 se o 5 já atualizou? Então, lançam o Moto G6 atualizado e somente tempos depois atualizariam o Moto G5.
    Isso se chama mercadologia...
    O problema é que o pessoal tá caindo na real que um aparelho novo, com poucas mudanças, não vale a pena.
    A grosso modo, as fabricantes querem mesmo é que os clientes se fodam... Só querem tacar aparelhos novos na nossa cara. Vide a bizarrice de lançar 2 Moto G classe 5 com um curto intervalo de tempo no ano passado.


  • Esse cenário nunca vai mudar, sempre vai ser assim.
    Pra isso realmente mudar o Google teria que peitar as fabricantes e ela própria atualizar todos os aparelhos. Agora vcs acham mesmo que o Google iria peitar a Samsung por exemplo?
    Outra coisa: Cada interface de cada fabricante, tem seu próprio kernel, sendo assim as atualizações não são iguais. Dito isso não tem como o Google enviar diretamente uma atualização para o Smartphone, o que o Google faz é enviar para as fabricantes, e ela vai trabalhar pra implementar a atualização em sua própria interface!
    Pra finalizar eu torno a repetir novamente: Não tem como comparar atualização do Android com atualização do IOS. No Android é muito mais complexo devido a sua fragmentação!


    • Discordo do seu comentário.
      Manda a Samsung embarcar o Tizen e abandonar o Android.
      Os Nexus atualizam tanto quanto os iPhones.

      As fabricantes estão defecando para seus consumidores, se quer o Android atualizado, compre um top de linha novo. É uma vergonha e isso queima o Android.


    • Medo de arriscar. Se a google obrigar que a fabricante use o android puro para atualizações mais rápidas ou contrato de atualizações por pelo menos 3 anos... samsung, sony e lg não concordarem e apenas a motorola com parceria, vc vai comprar qual smartphone? os apps q mandam no mercado e todos eles estão na loja da google.

      CAV


      • É complicado pensar nesse cenário, porque existe uma relação de interdependência entre a Google e as suas parceiras, que não vai ser desfeita tão facilmente.
        As empresas que atualmente usam o Android não tem um plano B consistente pro caso de quererem peitar a Google (só se sabe que a Samsung tem o Tizen, e a Huawei tem um projeto guardado, mas nenhum dos dois mostrou ter alguma força até o momento).
        E a Google sabe que só tem a perder se as empresas parceiras se incomodarem com a pressão dela.


    • Oi felizmente vc está correto no pensamento! Para que o Google peitasse os fabricantes, todas teriam que ter o sistema puro! Só assim para a Google impor as atualizações!

      CAV

Mostrar todos os comentários

Artigos recomendados