O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. OK
5 min para ler 107 Compartilhado 29 Comentários

Entenda como vai funcionar o bloqueio de celulares por meio da linha telefônica

Na última semana, a Anatel, Agência Nacional de Telecomunicações, anunciou que os usuários brasileiros poderão bloquear, em todo o país, celulares perdidos, extraviados ou roubados informando à operadora apenas o número da linha. No entanto, muitos ficaram com dúvidas de como o sistema funcionará. E nesse artigo, vamos tentar trazer as respostas. 

Para isso, conversamos com dois especialistas no assunto – Rafael Zanatta, pesquisador de Telecomunicações do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC) e Sérgio Kern, diretor do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil). Confira abaixo como o recurso de bloqueio irá funcionar:  

Operadoras assumem o processo de bloqueio e desbloqueio do celular. Com ou sem cartão SIM

Rafael Zanatta, do IDEC, explicou que o Cadastro Nacional de Estações Móveis Impedidas é operado por uma empresa privada, que gerencia os registros de extravio, roubo ou furto de aparelhos celulares. As operadoras fazem a comunicação com essa gestora do cadastro e podem ter acesso compartilhado a esse registro. 

Então, na prática, o que ocorre é que a prestadora (Oi, Vivo, TIM, Claro) assume a responsabilidade de identificação do aparelho e inclusão do IMEI (uma espécie de RG do telefone) no cadastro. Dessa forma, o bloqueio é feito nas redes das prestadoras, impedindo que o aparelho faça ou receba ligações de voz, dados e mensagens.

Ainda de acordo com o especialista, é possível bloquear o celular mesmo que o ladrão retire o SIM card do aparelho: "O IMEI é um registro de identificação do aparelho. Ele não se confunde com o cartão SIM, que é um dispositivo de conexão das redes móveis. É possível bloquear o celular com ou sem o cartão SIM. Dessa forma, o bloqueio do aparelho celular é feito nas redes das operadoras", afirmou. 

10143537793 04fd1b486e o
A Anatel quer diminuir o número de celulares roubados / © Portal Anatel

Para completar, os usuários que conseguirem recuperar seus smartphones também poderão desbloquear os aparelhos. De acordo com Zanatta, as operadoras podem incluir ou remover o número do aparelho no Cadastro Nacional de Estações Móveis Impedidas (CEMI). "O bloqueio não é definitivo, portanto, existem meios de desbloquear o aparelho. A operadora, no entanto, pode exigir documentos e provas da recuperação do aparelho".

Será possível desbloquear o celular junto às operadoras caso ele seja recuperado

Além disso, Zanatta confia também que o número de pessoas a bloquear um celular roubado aumentará, já que saber o número do IMEI deixou de ser um obstáculo: "o problema maior era a viabilidade de encontrar o IMEI. Poucas pessoas têm esse número anotado ou sabem como acessá-lo", declarou. "Muitos consumidores brasileiros também não têm o costume de guardar a nota fiscal do aparelho. Agora, com a notificação do número da linha, tudo fica mais fácil".

Já para Sérgio Kern, da SindiTele, o público tem, sim, usado o IMEI com mais frequencia para bloquear celulares roubados: "Temos mais de 6,5 milhões de aparelhos celulares bloqueados, sendo que mais de 1,3 milhão foram bloqueados somente em 2015. Assim, não entendemos que eram feitos poucos bloqueios antes da implementação dessas novas facilidades pelas operadoras de telefonia móvel." 

Acordo entre Anatel e operadoras possibilitou esse tipo de bloqueio

O início do bloqueio via linha telefônica é é resultado de uma nova política regulatória da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Até março deste ano, as operadoras promoviam o bloqueio de aparelhos celulares por meio do IMEI.

Agora, a Anatel criou novas regras em parceria com as operadoras que ficam responsáveis em identificar o IMEI por meio da linha telefônica. Elas também incluirão o aparelho no Cadastro Nacional de Estações Móveis Impedidas. 

De acordo com Kern, da SindiTelebrrasil, para que a funcionalidade de bloqueio via linha telefônica pudesse funcionar, as operadoras de telefonia móvel investiram R$ 200 milhões para promover alterações nos sistemas de rede e atendimento ao cliente. 

infraestrutura de telecomunicacoes
Operadoras investiram R$ 200 milhões no novo sistema de bloqueio/ © Imprensa Anatel (Divulgação)

Será que teremos uma diminuição no roubo de celulares?

Para Rafael Zanatta, do IDEC, sim. O especialista afirma que existe uma perspectiva de diminuição a partir da estratégia da Anatel em aumentar os mecanismos de bloqueio de aparelho e conscientizar os consumidores sobre essas possibilidades "Isso pode tornar a venda de celulares roubados mais problemática e mais difícil, na medida em que um aparelho bloqueado não tem atratividade econômica. Quem compraria um aparelho que não faz ligações ou não funciona plenamente?", completa

Já para Sérgio Kern, a estratégia vai um pouco mais além: "É importante destacar também que o bloqueio por meio da linha telefônica é mais uma ferramenta para ajudar os órgãos de segurança no combate ao roubo e furto deste tipo de equipamento".

E a julgar pelo exemplo de outros países, a medida da Anatel pode dar certo. Segundo Zanatta, a Associação Australiana de Empresas de Telecomunicações (AMTA) alega que a política é bem sucedida no país. De acordo com dados da entidade, houve queda de 25% no número de roubos e furtos no país nos últimos quatro anos. "Na Austrália, um país de 23 milhões de habitantes, o número de celulares roubados é de 160.000 por ano.

O Brasil registrou aproximadamente 5 milhões em 2015. Mesmo considerando a proporção do país, temos um número muito elevado de roubos de aparelhos."

Na Austrália, o bloqueio do celular via linha telefônica permitiu uma queda de 25% no número de roubos nos últimas quatro anos

Você tem mais alguma dúvida sobre como irá funcionar o bloqueio via linha telefônica? Envie sua pergunta para gente.

107 Compartilhado

29 Comentários

Escreva um comentário:
  • E não esta funcionando, infelizmente... meu iPhone foi roubado, bloqueei o imei pela operadora vivo informando que não tenho mais a nota fiscal do aparelho que é muito antigo, a operadora disse que se eu o achasse poderia ir numa loja vivo com a caixa do aparelho que eu tenho e até pq pelo iCloud consigo provar que o celular é meu a anos e assim fazer o desbloqueio... e adivinhem? encontrei o celular e nenhuma loja vivo da minha cidade quer desbloquear. Somente com nota fiscal. Conclusão, confiei nessa lei e me dei mal, tenho aqui um iPhone que não funciona. Revolta, pq se eu fosse um bandido com certeza eu conseguiria fazer funcionar ilegalmente.

  • Ai vão e troca o IMEI e tudo resolvido... tinha que estudar fazer um sistema igual o Icloud, ou a pessoa registrar uma senha pessoal, e só com essa senha seria possível ter acesso a Hard Reset e Instalação de rom Modificada.

    • Mas o IMEI não tem nada a ver com o software. E sim com o hardware.
      O IMEI está associado a placa mãe do aparelho.
      Quando você leva o telefone com problema na assistência e trocam a placa mãe, geralmente eles colam um adesivo no telefone informando o IMEI novo.

  • Espero que realmente seja para simplificar e não para facilitar o desbloqueio de celulares roubados

  • É algo útil que tem de vingar, necessita vingar.

  • tomara que dê certo

  • Tudo q for feito pra dificultar a vida do ladrão é bem vindo. Porém, sei que logo logo darão um jeito de burlar isso aí. Se não for mudando o IMEI, será com o velho "jeitinho" de remover o aparelho do cadastro. Ou em último caso o aparelho vai pro "desmanche" nas mãos das assistências técnicas. O governo brasileiro tem que criar vergonha e combater a criminalidade, que é a raiz do problema, não as consequências dos atos criminosos. Isso é enxugar gelo e iludir a população, fingindo que está tomando alguma atitude.

  • Todas as operadoras, tem um sistema que identifica o modelo, sistema operacional, IMEI e mais algumas coisas do aparelho. Eles mantem esses Informações, que podem ser geradas através de ligações, SMS, acesso a internet, etc.
    Elas efetuam uma consulta pelo IMEI, em um banco de dados compartilhado. Se o aparelho bloqueado fizer uma ligação, a operadora faz essa consulta ao banco e caso o IMEI esteja na blacklist, ela não permite que a ligação seja concluída, ou qualquer outra ação que a pessoa esteja fazendo pela rede da operadora.

    Caso o usuário já esteja usando outro dispositivo, provavelmente a operadora deve consultar pelo dia da perda ou roubo do aparelho, para poder bloquear o IMEI correto.

    E o cliente, não necessariamente, precisa ter um aparelho comprado na operadora pra poder efetuar o bloqueio.

    Mas acredito, que isso só bloqueie o acesso do aparelho a rede da operadora e não bloqueia o aparelho em si. Qualquer tipo de acesso feito pelo wifi, deve funcionar. Afinal quem usa os smartphones para fazer ligações?

  • A minha duvida é em relação a negociação de aparelhos usados, como fica? Será que o antigo dono terá que ligar para a operadora para desvincular o aparelho do número?

    • Não é um vínculo. Se não você não poderia comprar um aparelho em uma loja virtual e colocar o seu chip, sem antes ir na operadora. Ela apenas tem o registro das informações do aparelho, quando o cliente faz alguma consulta a rede dela.

      O problema é se a pessoa que te vendeu o aparelho agir de má fé e ligar pra operadora alegando que foi roubado e solicitar o bloqueio do IMEI.

      • Então Gustavo, essa ai que a questão.

      • Acredito que meio improvável a pessoa que vendeu um aparelho usado fazer isso mas não impossível.

        Porém também acho que isso poderá servir como uma proteção para essa pessoa que vendeu o smartphone usado, caso o comprador não pague tudo corretamente.

        Mas também temos o outro lado da situação, muitas pessoas mal usam o smartphone para fazer ligações e acessar dados móveis, usam apenas o Wifi, assim poderá usar o smartphone tranquilamente mesmo após o bloqueio.

  • Imagino que todas as operadoras já tenham os IMEI de seus clientes. Eu uso TIM e no portal de controle da TIM para usuários (Onde se vê saldo e gastos) eles já sabem qual é o meu aparelho e o IMEI dele e nunca precisei informar. E quando troquei de aparelho o portal se atualizou sozinho com o novo modelo e IMEI.

  • Ótima matéria! A tecnologia demorou, mas chegou!

  • Dizem que existe uma forma de burlar isso, existem "bancadas" profissionais capazes de registrar um novo imei para o aparelho, o que não é improvável, já que podemos alterar o mac adress de nossas placas de rede com simples comandos, alguém sabe algo a respeito??

  • Trabalhei na Claro há 4 anos. Naquela época já existia ferramenta de bloqueio de IMEI, mas esse IMEI só era bloqueado na rede da Claro. Uma ferramenta que bloqueie em todas as operadoras seria algo muito bom, uma vez que dificultaria a ação de repassar os aparelhos roubados.

  • Eu entendi, porém poderia ter sido explicado de forma mais simples. Muita gente não entendeu!
    Mas agradeço pela informação e pela matéria!

  • Essa possibilidade já deveria estar em funcionamento há muito tempo já que no momento da habilitação da linha junto à operadora o número IMEI pode ser informado, ou até mesmo capturado, pelo sistema da operadora.
    A tecnologia hoje permite isso.

    Demorou mas chegou.

Mostrar todos os comentários

O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. Mais informações

Entendi