Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

3 min para ler 64 Comentários

Qual a diferença entre 4G, 4.5G, 4G+ e 5G?

São muitas as siglas que determinam a internet que utilizamos nos dispositivos móveis. Além do 2G, 3G e 4G, agora as operadoras vêm falando em 4G+, 4.5G, e por aí vai. Mas, na prática, qual a diferença entre cada uma dessas coberturas de internet?

Primeiramente, vale ressaltar que cada G representa uma nova geração de internet móvel disponível. Quanto maior o número, mais rápida e eficiente é a internet. Isso também está relacionado com a faixa de frequência pela qual o sinal é distribuído: o 2G é enviado por faixas distintas das do 3G, por exemplo.

E o que é LTE?

LTE, ou Long Term Evolution, é um padrão de redes de comunicação. Aqui no Brasil, LTE é a mesma coisa que 4G. A diferença se dá no exterior. Nos Estados Unidos, por exemplo, as redes HSPA+ é que são chamadas de 4G. Aqui, essas redes são conhecidas por 3G+. Em território norte-americano, o nosso 4G se chama 4G LTE. Por aqui, não vale a pena a confusão: 4G e LTE são sinônimos.

4G+ e 4.5G

Antes da chegada do 5G, algumas operadoras já vêm falando em redes melhores que o 4G. A Claro, por exemplo, anunciou o 4.5G, enquanto a Vivo tem vendido o 4G+. Afinal, o que essas redes têm de diferente do 4G comum?

O comercial 4G+ é sinônimo da tecnologia LTE Advanced. Essa tecnologia funciona da mesma forma que o 4G, mas com uma frequência a mais. O celular se conecta, ao mesmo tempo, em mais de uma faixa de espectro, aumentando a capacidade de transferência de dados entre o dispositivo e a antena da operadora. É como se caminhasse por duas estradas ao mesmo tempo: dá para levar mais informação em menos tempo.

19977728535 ef6e498f54 o
Haja antena para tanta conexão / © O2

Para isso funcionar, é preciso que o smartphone tenha suporte a essa tecnologia. Além disso, a própria operadora precisa habilitar a função: frequências livres não significam, necessariamente, que o 4G pule para o 4G+.

Se a transmissão combinar não só duas faixas de frequência, mas três ao mesmo tempo, estamos falando do 4.5G. É como se fosse um 4G+ melhorado, e faz referência à tecnologia LTE Advanced Pro.

Além de usar mais faixas, o 4.5G também utiliza 4 antenas de transmissão e 4 de recepção, tornando a capilaridade maior e, portanto, a velocidade mais rápida. Por enquanto, a cobertura de 4.5G é restrita a poucas cidades do Brasil.

E quando o 5G vai chegar?

Agora, a tecnologia 5G ainda está distante de se tornar realidade; as primeiras aplicações carregando suporte para o 5G devem chegar só em 2019. Mas, com tanta tecnologia e velocidade sendo moldada em cima do 4G, o 5G é tão necessário assim?

Para nossas vidas normais, ou seja, para o uso em celulares, a resposta é não. O 5G vai trazer mais velocidade e permitir mais dispositivos conectados, e é justamente esse o seu objetivo. A nova tecnologia deve vir para conectar cada vez mais aparelhos, como carros, câmeras e eletrodomésticos, mas não smartphones. O 5G está muito mais relacionado com a Internet das Coisas do que com os dados que utilizamos em nossos celulares.

E aí, ficou com alguma dúvida? Deixe nos comentários!

Os comentários favoritos dos leitores

  • Sidney há 6 meses

    Matéria legal. Ajudou a entender melhor. Tenho Claro e a sigla 4.5G apareceu de uma hora pra outra. Mas, para falar a verdade, não vi muita mudança depois que mudaram de 4G para essa. Mas tudo que vem para melhorar é bem vindo.

  • Agnaldo há 6 meses

    Ja tem 4G/+/.5 e já estão falando em 5G

    Enquanto isso aqui no interior das Minas Gerais só tem HSPA+...

  • Macgyver Freitas há 6 meses

    Matéria muito simplista, 4G+ ou 4.5G são apenas nomes para marketing, em termos técnicos existe apenas o 4G LTE, e existe alguns aprimoramentos, três aprimoramentos se destacam, Carrier aggregation que é oq a matéria citou de usar mais frequencias simultâneas, já tem aparelho suportando até 6, mas no Brasil no máximo vão ter 3 frequência, e sendo mais realista, se tiver sinal de duas ja ta de bom tamanho. 256-QAM que pode aumentar entre duas e três vezes a velocidade quando a qualidade de sinal está boa. E o último aprimoramento é o MIMO, que permite se conectar a mais de uma antena por vez. Para usar destes aprimoramentos tanto a operadora quanto o celular tem que suportar as tecnologias, pelo q vi as operadoras estão implementando, todos esses aprimoramentos. Do lado do celular, pra suportar o CA primeiro o aparelho tem q suportar as frequências presentes na sua cidade, 2600mhz, e 1800mhz, a maioria dos aparelhos já tem, 700mhz já é comum em aparelhos atuais, e em mais antigos tem q ver nas especificações, caso suporte duas ou mais e sua cidade tenha, tem q ver o suporte ao CA, presente em uma largura 2x10mhz, no Snapdragon 430 ou inferiores, e 2x20mhz em SD435 e superiores. O 256-QAM tem suporte do SD630 pra cima, e o MIMO apenas no SD835 ou superior

  • AC&MM há 6 meses

    Qual a diferença entre 4G, 4.5G, 4G+ e 5G?
    Nos outros países existe de verdade e aqui no Brasil é só um boato.

  • Otávio Augusto há 6 meses

    uso esse 4G+ da Claro no meu S7 e show

64 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Mostrar todos os comentários

Artigos recomendados