Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.
Preços oficiais do Pocophone F1 e Redmi Note 6 Pro no Brasil assustam
Xiaomi Pocophone F1 Xiaomi 4 min para ler 50 Comentários

Preços oficiais do Pocophone F1 e Redmi Note 6 Pro no Brasil assustam

Há cerca de um mês a mineira DL Eletrônicos anunciou que seria a representante oficial da Xiaomi no Brasil, e que levaria às lojas aparelhos internacionalmente aclamados como o PocoPhone F1 e o Redmi Note 6 Pro. Agora, os primeiros resultados desta parceria estão chegando às lojas, e com uma surpresa.

O site TudoCelular encontrou um anúncio da Ricardo Eletro, um dos varejistas mencionados pela DL como parceiros na distribuição dos produtos, anunciando a novidade. E em contato com uma das unidades da empresa, em Brasília, conseguiu preços: R$ 1.999 para o Redmi Note 6 Pro e R$ 3.099 para o Pocophone F1.

Porque tão caro?

Os preços assustam bastante. Afinal, o Pocophone F1 tem a fama de ser “baratinho”: o modelo com 6 GB de RAM e 64 GB de memória interna custa cerca de US$ 300 no exterior, e aqui no Brasil pode ser encontrado por cerca de R$ 1.700 em sites como o Mercado Livre. Por que a diferença?

Redmi Note 6 Pro 02
Redmi Note 6 Pro sai por R$ 1.999 no Brasil / © Xiaomi

Ela pode ser explicada em duas palavrinhas que já são conhecidas de quem acompanha o mercado de smartphones: “Custo Brasil”. Um erro muito comum ao calcular o preço de um smartphone no exterior é simplesmente fazer a conversão de dólares para reais pela taxa de câmbio do dia. Assim, chega-se à “conclusão” de que um Pocophone F1 “deveria custar” por volta de R$ 1.150.

Quem faz essa conta se esquece de calcular impostos, custos relacionados à operação, custos de certificação, seguro de cargas e muitos outros fatores que impactam, e muito, no preço final de um produto.

Vamos falar nos impostos: segundo o IBPT, Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação, incidem sobre um produto importado tributos como “II (Imposto de Importação), IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados), ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias), além de PIS e COFINS”.

Todos devem ser pagos pelo importador “no ato do desembaraço”, ou seja, assim que a carga é liberada pela fiscalização aduaneira. Pra piorar, alguns destes impostos são calculados de acordo com o “valor aduaneiro” do carregamento, que leva em conta o custo dos produtos, frete e também o seguro.

onplus 6 teardown 2
Assistência técnica em todo o Brasil é uma das vantagens em comprar a versão "oficial" de um smartphone / © iFixIt

Além disso, alguns tributos são calculados sobre outros. O ICMS, por exemplo, é calculado sobre o valor do produto já com o II e IPI. E a alíquota varia de acordo com o estado. De acordo com o Impostômetro, site mantido pela Associação Comercial de SP, os tributos podem representar até 68,76% do preço final de um smartphone importado.

E nem chegamos a falar de outros fatores: margem de lucro do fabricante/importador, margem de lucro dos lojistas, custo de certificação do produto na Anatel, marketing local, de manutenção de equipes de atendimento ao consumidor e suporte técnico, etc e tal.

Apesar do preço mais alto, comprar o produto oficial tem suas vantagens. Duas delas são a garantia do fabricante e assistência técnica em todo o Brasil: peças para um Pocophone e mão de obra qualificada para trabalhar no aparelho, não são exatamente fáceis de achar. Se você importar uma unidade e precisar de reparos, pode acabar com um “peso de papel” de R$ 1.700 nas mãos. 

Além disso, varejistas locais como a Ricardo Eletro e a Insinuante, duas das parceiras da DL, oferecem mais formas de pagamento com crediário a prazos mais longos e parcelas mensais menores. No final das contas, isso é benéfico para todos, inclusive os fãs, já que facilita a adoção do produto por um número cada vez maior de pessoas.

E você, o que acha do preço do Pocophone F1 e Redmi Note 6 Pro no Brasil? Conte pra nós usando os comentários abaixo.
 

Facebook Twitter 357 Compartilhado

Os comentários favoritos dos leitores

  • Eduardo S. há 4 dias

    Aí se torna um tiro no pé. Um Zenfone 5Z está custando por volta de R$2.300. O Galaxy S9, atualmente, está na casa dos R$2.600. É possível encontrar o G7 ThinQ na casa de R$2.500. Todos melhores do que o Pocophone F1, que pode ser encontrado com vendedores no Mercado Livre (sem garantia) por R$1.700. Onde vale a pena uma parceria assim se o valor acaba sendo tão alto que supera os de celulares melhores?

  • Ênio há 4 dias

    Precisamos falar sobre uma figura de linguagem chamada Ironia.

  • Ian Carlos há 4 dias

    É engraçado ver vocês tentando justificar, o que não têm justificativa além de ser a empresa dando uma de espertinha. Só digo uma coisa, por um preço praticamente do dobro, é mais fácil comprar sem garantia que há 50% de chance de não dar problemas, se der problemas, só comprar outro, afinal ... Seria o dobro em 1. 🤷🏻‍♂️

  • Thiago Lee há 4 dias

    A verdade é que xiaomi só vende pelo valor baixo, se aumentar, vai bater de frente com outras marcas que não estão vendendo justamente por causa do valor. Tá caro e não recomendaria pra ninguém pagar 3k num pocophone, recomendaria um S9+ sem medo

50 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • O Fato é que: Celular Chines só vende quando o preço está baixo, ou quando a Importação não sofre tributos. Ai, é sempre aquele mesmo comentário patético de sempre. " Prefiro meu xiaomi que é isso que é aquilo e bla bla bla bla bla"....


    • Mas infelizmente tem que ser assim. A pouco tempo atrás não conhecia Xiaomi ou Huawei. Sempre tive Samsung comprado zero e com garantia. Eu particularmente gosto de celular tela grande. De tanto ouvir coisas boas sobre aparelhos xiaomi, resolvi arriscar e estou feliz da vida com ele não só porque foi bem mais barato. Comprei um Xiaomi com 128 giga com preço de um Samsung nacional de 32 giga. Não pensei 2 vezes. Você ainda tem essa opinião porque ainda não teve a oportunidade de comprar um chinês parrudo e testá-lo.


      • Ai que você se engana,Luciano Simas. Infelizmente ganhei uma praga dessas fabricadas pela xiaomi, e em menos de 01 ano o celular parecia que estava se decompondo, uma hora eram vários Bugs, outra hora a tela que simplesmente apagava do nada....Ter mais memória não é o caso, eu sobrevivo muito bem com 64. O maior problema, e que todo mundo está cansado de saber, é a pouca ou nenhuma durabilidade dos celulares chineses, fora a falta de garantia, falta de assistência técnica e etc....


  • Quem compra xiaomi compra porque é um bom custo benefício, pocofone tem um desempenho monstro mas no conjunto é fraco, câmera, tela, design.... justamente para ser mais barato. quem em sã consciência vai comprar isso tendo outros flagships melhores em tudo no mercado nacional, com preço mais baixo e com nome? surreal eles acharem que isso pode vingar, já estão fadados ao fracasso msm


  • Com esses preços fica difícil, vai ser a segunda tentativa da Xiaomi entrar no Brasil e pelo jeito eles vão acabar abandonando de novo, preços surreais, cê tá loco!


  • Não é custo Brasil, é erro Brasil. Um por que a DL deve comprar por preço proximo do que a xiaomi pratica, afinal o lucro dela é baixo, dois por que tem o custo de nacionalização alfandegária, três por causa dos impostos sobre a venda, mais precisamente icms, afinal o estado também quer a sua parte, e por fim, é a DL atuando apenas como intermediário, então ela quer ter o lucro dela, e a varejista vai querer seu lucro também. Isso tudo só poderia resultar em preço alto. A DL deveria atuar como VI atua vendendo Meizu, aí os preços seriam um pouco mais baixos.


  • Com esse preço nem precisa lançar...


  • 3 mil???

    se ta louco!!! poco na amazon a 1 mil 900 bolsonaristas!

    e vai ser por lá que eu vou pega o meu!


  • Já nasceu morto.
    "o Brasil é o país do futuro."


  • A DL vai queimar a Xiaomi no Brasil com esses preços. Provavelmente mais aparelhos da Mi virão pelas mãos da DL e o mito do custo/benefício vai cair por terra.


  • É engraçado ver vocês tentando justificar, o que não têm justificativa além de ser a empresa dando uma de espertinha. Só digo uma coisa, por um preço praticamente do dobro, é mais fácil comprar sem garantia que há 50% de chance de não dar problemas, se der problemas, só comprar outro, afinal ... Seria o dobro em 1. 🤷🏻‍♂️


  • Se for pra vender por esse preço, prefiro que continue mesmo longe do Brasil. Que continuemos importando pelos sites confiáveis ou comprar um pouco mais caro pelo mercado livre, MAS mesmo assim bem abaixo do " custo Brasil". Se você não deixar cair no chão ou deixá-lo molhar, dificilmente vai precisar da garantia do aparelho. É um risco que vale a pena correr!


  • Eu imaginava que viria caro mas não nesse nível ridículo... Certeza que podia ser um pouco mais barato e dar lucro mas a ganância fala mais alto.
    Até porque quem vai comprar não somos nós que temos mais conhecimento do assunto e sim o povo leigo que ainda tem medo de comprar online e conhece muito pouco de tecnologia. Eles vão comprar um aparelho assim parcelado com juros que vão deixar ele ainda mais caro.

    E tem outro detalhe, vai vender bem porque sempre tem o brasileiro retardado que paga caro pra ostentar, e mesmo um Pocophone não sendo o aparelho mais premium do mundo está à frente dos Moto G e Galaxy J da grande maioria dos usuários então já viu né? Kkkkkkkkkkk


  • Basta chegar no Brasil que o propósito de qualquer coisa se deturpa. Se for pra vender, nada escapa a essa regra. País de bosta.


  • E lá se vai o Custo Benefício...


  • Se fosse comprar o PocoF1, ainda preferia importar, acho muito mais vantajoso.


  • Deveriamos boicotar todo minerio e alimento pro resto do mundo, o mundo todo acha que somos otários de carteirinha...garanto que a dor de barriga doe mais que a dor no bolso.


  • Melhor comprar na Amazon.com.br.
    Sem taxas e muito mais barato


  • Agora basta convencer as pessoas a pagarem mais caro num Pocophone em vez de um Galaxy s9 Plus.


  • Vou dizer o que vai acontecer.

    Os preços para esses aparelho em sites como Mercado Livre vai subir, porém continuar abaixo do preço de mercado e o consumidor mais esperto importará por conta própria.
    Como é uma marca de "entusiastas" a massa não vai aderir e quem já conhece não vai comprar pois é mais barato importar.
    Moral da história, não vai vingar.

    Espero de verdade que minha previsão seja furada.


  • Se for para pagar 3 mil em um poco, compro um Galaxy S9 ou se for para pagar 2 mil em um Redmi Note 6 pago em um Galaxy S8 ou Moto Z3 Play, Zenfone 5z etc


  • Caro! que absurdo esses preços abusivo.O Brasil ta uma vergonha so tem ladrao.


  • Que decepção. Por esses preços não consegue concorrer com os que já temos por aqui. 😔


  • Esses preços foram o "golpe de misericórdia" da DL. Já acabou com a negócio todo sem nem ter começado direito.


  • Resumindo, os preços ficaram inviáveis, não vai vender nada e a Xiaomi vai continuar longe do Brasil. Escrevo isso do meu redmi note 6 pro com 4 de ram e 64 de armazenamento que comprei na Av Paulista por 1.040,00 reais.


  • Matéria tendenciosa tendenciosa,
    , É de conhecimento de todos que todas as empresas veem o mercado brasileiro com alto potencial de exploração pois os brasileiros são acostumados a pagar caro por algo que é muito barato em outros lugares do mundo, a exemplo é ridículo eles eles fizeram o cálculo do valor desses smartphone baseado no valor de varejo lá, de longe esse não é o preço praticado da empresa xiaomi que produz para com seus revendedores. Se eu entendi bem as empresas brasileiras estão indo lá no exterior comprar esses smartphones a preço de consumidor final e depois fazem todo o cálculo em cima desse valor?


    • Rafael Rigues
      • Admin
      • Equipe
      há 4 dias Link para o comentário

      Oi Dione! Não fizemos nenhum cálculo de valor no artigo, exceto o exemplo "errado" de conversão direta do dólar. E sem saber exatamente o custo FOB (preço de fábrica, em grandes lotes) do produto e o regime de importação, coisas que são segredo de mercado, é quase impossível exatamente saber quanto do valor é imposto, quanto é custo e quanto é lucro.

      Ainda assim o Custo Brasil é pra lá de real, e afeta não só a indústria de smartphones. Basicamente todo o segmento de eletrônicos passa pelo mesmo problema.

      A "sabedoria popular" na indústria diz que se você quer competir em preço, precisa produzir aqui. Pra produzir aqui, precisa ter garantia de um volume de vendas que justifique o investimento. O que é muito difícil para uma empresa pequena (a DL), representando uma marca desconhecida do grande público (Xiaomi).

      A nós só resta esperar que com um volume maior de vendas, esses preços possam baixar algum dia. Quem sabe.


  • Como costumo comentar, o Custo Brasil inviabiliza os produtos que estão a venda de forma oficial . Depois tem pessoas que ainda perguntam: "Por que comprar no Exterior" ? Em alguns modelos, é mais barato ir ao Exterior, comprar o Celular, e não pagar impostos na volta, pois de acordo com a Legislação tupiniquim, podemos comprar no Exterior 1 Celular e 1 câmera fotográfica .
    Não sou contra pagarmos impostos . Apenas eu gostaria que os impostos fossem justos para quem precisa comprar algum produto (seja ele importado ou não) .
    Dói saber que (por exemplo) pagamos o valor de 2 celulares e levamos apenas 1 para casa . É justo o nosso "Des-governo" faturar mais do que o fabricante e o Lojista ?
    Também sempre existe a opção de comprar o nosso novo celular no país vizinho (sim, existem várias marcas e modelos por lá) .
    E viva-se com um barulho destes .


  • E a espera acabou ta aqui mais um player a disponibilizar seus produtos no BRhueeeeeeeeeeeeeeeeeeeee que a unica coisa que funciona direito e lubridiar o povo.


  • É rir pra não chorar.


  • Aí se torna um tiro no pé. Um Zenfone 5Z está custando por volta de R$2.300. O Galaxy S9, atualmente, está na casa dos R$2.600. É possível encontrar o G7 ThinQ na casa de R$2.500. Todos melhores do que o Pocophone F1, que pode ser encontrado com vendedores no Mercado Livre (sem garantia) por R$1.700. Onde vale a pena uma parceria assim se o valor acaba sendo tão alto que supera os de celulares melhores?


  • A velha história de sempre. O custo benefício vantajoso no exterior, sempre se transforma em CUSTO BRASIL quando o produto chega a terras tupiniquins. ATÉ QUANDO???


  • Não sei qual o desespero, basta ir no Mercado Livre e comprar pelo preço barato.


  • Ridículo


  • Com processador SD845, dá pra comprar um Galaxy S9 por um valor menor que este. E o Pofone F1 nem chega aos pés do S9 em qualidade de tudo! Importados no Brasil não compensam. A Huawei vem aí e não esperem preços agradáveis! Você que gosta de Pocofone, melhor continuar importando direto da China. Eu prefiro comprar aparelhos made in Brazil mesmo.


  • As pessoas estão acostumadas a comprar de fora e não pagar os impostos corretamente, só de imposto, 1 deles, dá quase 780 reais, ai tu coloca o resto dos impostos + 30-60 dias de espera, dependendo da movimentação, dá uns 2.4/2.5k. Se os impostos fossem cobrados normalmente, teríamos algo tão caro quanto os que serão vendidos aqui. Mesmo assim seria uma economia boa. Eu acho que estão caros nesse valor, 3k num pocophone, prefiro pegar o S9+ que é premium. Imagina o Mi8 sendo vendido aqui, 4k.


  • Mais de 3 mil num aparelho todo de plástico? PNC deles!
    Pra piorar, aquele vendedor maroto do Ricardo Eletro ainda vai tentar te empurrar uma garantia estendida.


  • Pra mim, além de todo o "custo brasil" ainda há o "adicional abusivo pra brasileiro otario pagar". Já vi os cálculos dos carros fabricados e vendidos aqui, tirando impostos e tudo, ainda cobravam mais caro q nossos vizinhos Argentina e Chile, ou seja, adicional abusivo pra BR otario


  • quase 1500$ em impostos tá Loko....


  • Cissa magazine me ajudaaa!
    O Pocophone ta por R$1.580,00 lá.


  • Um preço tão elevado num smartphone não tem nada de benéfico, por mais que os fabricantes tentem nos convencer do contrário.