Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.
O que você achou dos preços da Xiaomi para o Brasil?
Xiaomi Enquete 2 min para ler 48 Comentários

O que você achou dos preços da Xiaomi para o Brasil?

Essa semana, a grande notícia no mercado mobile brasileiro foi a volta da Xiaomi em grande estilo. Quase tudo o que os usuários e fãs da marca esperavam, chegou: loja física, loja online oficial, venda para o varejo, produtos vestíveis e de smart home e uma linha bem interessante de smartphones.

Tudo perfeito, empolgação lá em cima, garantia e assistência técnica nacionais! Hora de deixar de lado a incerteza da importação, finalmente? Ainda não, pois há um obstáculo perceptível e incômodo no caminho: o preço dos produtos. Algo esperado, os custos que o Brasil implica para a comercialização de aparelhos eletrônicos não livra nem a gigante chinesa do custo benefício.

O baque veio antes mesmo de a Xiaomi chegar oficialmente. Um dos primeiros produtos a ser homologado pela Anatel e ter sua venda iniciada em parceiros varejistas, o Pocophone F1 da galera, que em sites de importação chega a custar R$ 1.400, chegou por R$ 3.099, mais do que o dobro.

MGL2324
Vai um Mi 9 a 4 mil reais, aí? / © AndroidPIT

O choque foi grande para alguns e esperado para outros. Afinal, muitos dos que acompanham o mundo da tecnologia sabem que no Brasil é comum que os preços cheguem mais elevados, e que o chamado "custo Brasil" recai sobre todos, seja chinês maroto ou não. Só importadores passam por cima disso.

Mas e você? O que achou de tudo isso?

O que você achou dos preços da Xiaomi para o Brasil?

Participe! Vote e deixe seu comentário abaixo!

Os comentários favoritos dos leitores

  • Cesar Razek FloripaAtivo há 3 semanas

    Novamente, muitos estão fazendo o cálculo como pessoa física que compra o smartphone de uma loja virtual, o exemplo é o Mi 9 que está saindo em média 400 dólares em lojas virtuais e sites de venda, a DL é pessoa jurídica e parceira da Xiaomi, portando vai adquirir os produtos direto da fábrica e não vai pagar em um Mi 9 o valor de 400 dólares.
    O vilão não é só os impostos é também o lucro, segundo entrevista a justificativa da DL pelo valor no caso dos smartphones como o do Mi 9 são os impostos, a adequação da MIUI para o gosto no brasileiro (modo escuro, reconhecimento facial e etc), homologação, distribuição e vendas.
    Mas vamos lá, 400 dólares mais 60% importação, mais 50 dólares de homologação pela Anatel, mais 40% dos outros impostos temos 850 dólares ou RS 3400,00, vai ficar apenas R$ 600,00 de lucro para DL e Xiaomi?
    Não acredito que um Mi 9 na fábrica sai mais que 250 dólares.
    Qual foi a matemática da Huawei para vender o P30 Pro por R$ 5.500,00 se ele é vendido na Europa por R$ 4.000,00, se seguirmos a matemática acima o P30 Pro deveria sair no Brasil por mais de R$ 8.000,00.

  • Doug385 há 3 semanas

    Lembrando que a alíquota de imposto alfandegário para pessoa jurídica não é de 60%, mas sim 20%.

48 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Mostrar todos os comentários