Nós usamos cookies em nossos sites. Informações sobre cookies e sobre como você pode se opor ao uso de cookies a qualquer momento, ou encerrar seu uso, podem ser encontradas em Política de Privacidade.

4 min para ler 66 Comentários

Você sabe, mas também não admite: passamos tempo demais com os smartphones

Admita: você usa sim o smartphone muito mais do que deveria. Muitas vezes, nem é consciente: quando vê, já está olhando pra ele e checando o email que tinha checado três minutos atrás – no final de semana. Apesar de esse tipo de vício atingir todas as idades, é certo que atinge mais os jovens. Eu já vinha querendo falar desse assunto faz tempo, e a Motorola acabou ajudando com alguns números.

Estive em um painel da marca em um evento, que falava justamente sobre o uso exagerado dos dispositivos móveis. Eles divulgaram um estudo global publicado pela empresa independente Ipsos, feito em parceria com a Dra. Nancy Etcoff, especialista renomada em Comportamento Mente-Cérebro e na Ciência da Felicidade pela Universidade de Harvard e psicóloga do Departamento de Psiquiatria do Hospital Geral de Massachusetts que fala sobre o uso do smartphone pela geração Z2, pessoas que estão entre 16 e 20 anos.

Ira Efremova Photography girl with phone in bed HD
Você pode estar exagerando no uso do seu smartphone / © AndroidPIT (foto por Ira Efremova)

O estudo foi feito em quatro países, entre eles o Brasil (além de EUA, França e Índia), e não tem como não se chocar ao ver que, de acordo com o estudo, 49% das pessoas consideram o smartphone seu melhor amigo. E mais, 33% dos participantes priorizam o smartphone em vez de passar mais tempo com pessoas importantes. Mais uma vez, metade das pessoas verifica o celular mais do que gostaria e 44% acha que se sente compelida a  a verificar o aparelho constantemente.Você não?

E 35% concorda que passa tempo demais utilizando o smartphone e acredita que estaria mais feliz se passasse menos tempo no celular. Dois terços (65%) admitem que entram em pânico quando acham que perderam o celular (aproximadamente três em cada quatro da geração Z e da geração do milênio), e três em cada dez (29%) concordam que, quando não estão usando o celular, "estão pensando em usá-lo ou planejando o próximo uso do dispositivo".

Para terminar logo os números e perceber que é preciso pensar em algo, 61% dos entrevistados concordam que querem aproveitar o aparelho ao máximo enquanto o utilizam e, ao mesmo tempo, querem aproveitar o melhor da vida quando não estão com ele, e 60% dos participantes afirmam que é importante ter uma vida separada do celular. 

Esse não é um estudo apenas para jovens, pois esse tipo de comportamento está em todo lugar. Duvida? Faça o teste que a Motorola indica e veja qual o seu índice de balanço entre a vida e o telefone. Clique aqui, faça o teste e depois coloque nos comentários qual o seu índice de 1 a 5.

Androidpit on the smartphone anna 6844 a
Não é para ser uma guerra, é para ser equilíbrio / © AndroidPIT

Não é parar de usar, é equilibrar

A solução nunca é algo 8 ou 80. Ficar de vez sem o smartphone é impensável nos dias de hoje. Útil não apenas para o trabalho, nosso aparelho móvel de cada dia nos conecta ao mundo e a pessoas que queremos próximas mas nem sempre temos. Nos diverte, entretém e ensina. Não seria inteligente e nem fácil simplesmente não usarmos mais uma ferramentas tão poderosa.

Para resolver muitos dos nossos problemas a solução está no meio. Não é ficar sem comer para emagrecer, é comer direito. Não é estudar 24 horas por dia para passar na prova, é estudar com planejamento e atenção. Com o celular é a mesma coisa: aproveite-o, mas não deixe de passar o tempo com pessoas reais, não fique com a cara na tela enquanto está no restaurante com seu par, e aproveite o tempo livre para ler, se divertir de outras maneiras, viver o mundo à sua volta.

É um pouco óbvio falar dessa maneira, todo mundo sabe disso. Eu sei bem disso. Mas não significa que vamos realmente usar bem essa informação. Muitas vezes, começamos a mudar tarde demais. Use esse alerta e o teste Phone-Life Balance da Motorola para pensar de verdade a respeito disso.

"Para a maioria dos usuários de smartphones, o comportamento problemático é uma resposta impensada, e os hábitos impróprios somente serão superados com ajuda", afirma Nancy. "Cutucadas comportamentais, controle ambiental e consciência são fatores que ajudarão, junto com os esforços daqueles que trabalham na indústria de smartphones. O extenso padrão social descoberto na pesquisa em múltiplos países destaca a necessidade de compreensão e de ações coletivas", completa a psicóloga.

E você? Que número tirou no teste?

86 Compartilhado

Os comentários favoritos dos leitores

  • Stella Dauer
    • Admin
    • Equipe
    há 2 meses

    Eu testo smartphones, por isso uso mais do que deveria. Uso demais WhatsApp, Telegram e jogos.

    Meu resultado no teste foi 4, achei que seria 5, ahahah

  • Diêgo Siqueira há 2 meses

    Assumo que vivo em um conflito eterno com a bateria do meu celular, ficar em 50% pra mim já é perigoso e ter aquele medo de ficar desconectado, mas quando necessito ficar offline também faço isso sem problema algum como no trabalho por exemplo, hora de coisa séria é coisa séria.

  • Deivis Schuman
    • Mod
    há 2 meses

    Nível 3 o meu!

  • Franco L. há 2 meses

    Mas é logico q eu admito eu sou viciado não maluco , porem cada um tem seu uso eu uso bastante o cel e o tablet por causa de minha faculdade e curso q o material é 100% digital via pdf entao obrigatoriamente eu fico o tempo todo de cara com o tablet e com o celular pra fazer pesquisa.. Agora no meu momento de lazer ai é diferente eu quase nao mexo no celular eu priorizo outras coisas como assistir um jogo , jogar algo no pc joga bola e por ai vai se nao fosse a facul e os cursos q faço eu nao usaria muito o aparelho nao

66 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Mostrar todos os comentários