O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. OK
6 min para ler 123 Compartilhado 24 Comentários

Saiba como funciona o scanner de íris do Galaxy Note 7

Para além da configuração poderosa e do belo design, talvez o grande destaque do recém-lançado Galaxy  Note 7 seja o seu scanner de íris, um novo recurso de segurança biométrico, em que o phablet é desbloqueado com um olhar. Mas você sabe como esse recurso funciona na prática?

O segredo dos seus olhos

O reconhecimento de íris é um método automatizado de identificação biométrica que utiliza o reconhecimento de um padrão matemático de imagens da íris de um indivíduo, a partir de um ou de ambos os olhos.
 
Para obter tais imagens, um dispositivo de autenticação escaneia a íris, que é o anel fino e colorido do olho e que abre e fecha a pupila, como um obturador de câmera, regulando assim a quantidade de luz que atinge a retina.

NOTEIRIS2
A iris regula a quantidade luz que atinge a retina, como se fosse o obturador de uma câmera / © Samsung

Cada indivíduo possui um padrão diferente da íris em cada olho, e se mantém inalterado ao longo da vida. Essa característica, combinada ao fato de que os padrões de uma íris são quase impossíveis de serem replicados, torna a leitura da mesma uma das mais seguras e confiáveis técnicas de autenticação biométricas disponíveis.

Como resultado, o escaneamento da íris vem sendo amplamente utilizado para controles de acesso, controle das fronteiras e segurança em aeroportos. E, desde  o ano passado, ele também passou a ser utilizado em smartphones, ainda que de forma tímida. 

NOTEIRIS3
O escaneamento da íris é um dos recursos de biometria mais confiáveis da atualidade / © Samsung

O Lumia 950 XL (lançado em outubro de 2015), por exemplo, trazia uma câmera espetacular, incluindo ainda um sensor que desbloqueava o telefone escaneando a íris. No entanto, ele não conseguia ser tão rápido quanto o Note 7, mas conseguia reconhecer a íris do usuário mesmo quando ele usava óculos de grau e até mesmo óculos de sol. 

Também em 2015, mas um pouco antes do Lumia 950 XL, a japonesa Fujitsu trazia o Arrows NX F-04G, com Android Lollipop e que foi o pioneiro em trazer um scanner de íris. No entanto, esse dispositivo nunca foi vendido para além do mercado nipônico. 

O scanner de retina do Galaxy Note 7

Uma vez que o usuário registra as informações da sua íris em um Galaxy Note 7, um código criptografado é armazenado em uma área segura do smartphone. Quando ele tenta acessar o aparelho - ou um aplicativo protegido - o LED infravermelho (IR) e a câmera da íris trabalham em conjunto para capturar o padrão da íris do indivíduo para o reconhecimento e armazenamento, digitalizando o padrão, e comparando-o com o código criptografado para garantir o acesso. 

Para não sacrificar o design do Note 7, a Samsung afirma que criou dois componentes para permitir o reconhecimento da íris. O primeiro é uma câmera dedicada para o reconhecimento da íris, que utiliza um filtro de imagem especial para receber e reconhecer as imagens refletidas da íris, com uma luz LED infravermelha (IR).
 
Essa luz infravermelha permite um melhor alcance para a leitura da íris. Além disso, diferente das imagens tradicionais visíveis (RGB) - que podem ser afetadas pela cor da íris ou luz ambiente - as imagens infravermelhas exibem padrões nítidos e têm baixo reflexo de luz.

NOTEIRIS4
O Galaxy Note 7 conta com dois sensores que recebem e reconhecem as imagens refletidas da íris / © Samsung

O segundo componente é uma tecnologia proprietária da Samsung, que faz uso da luz emitida pelo visor do Galaxy Note7, para que o scanner receba dados mesmo em ambientes pouco iluminados.

Dessa forma, a fabricante afirma que o trabalho conjunto desses componentes garante que a leitura da íris seja mais precisa e rápida do que os dispositivos lançados anteriormente pela concorrência.

Importante: a Samsung afirma que o LED infravermelho do Galaxy Note7 também é seguro para uso, sem risco à saúde por conta da sua tecnologia, tendo recebido o International Electrotechnical Commission (IEC) 62471 (fotoestabilidade biológica), considerado o mais alto nível de certificação do setor. Além disso, o dispositivo desliga automaticamente caso detecte que o olho humano está muito próximo ou exposto há muito tempo ao sensor de LED infravermelho. 

O Knox entra em ação

Vamos do começo: para quem não conhece, o Knox é um sistema de segurança para os dispositivos da Samsung, que protegeria desde o hardware até a camada de aplicação dos smartphones da marca. 

Isso funciona graças a um Container, que cria um espaço de execução e armazenamento seguro de dados. Em outras palavras, ele funciona dividindo o sistema operacional em dois ambientes distintos, como uma espécie de partição virtual no HD.

NOTEIRIS5
O Knox armazena as informações da íris de forma criptografada / © Samsung

E o que o escaneamento da íris no Galaxy Note 7 tem a ver com o Knox? Bom, a Samsung afirma que informações da íris são criptografadas e armazenadas com segurança - em nível de hardware - na plataforma em questão, da mesma forma que os dados das impressões digitais eram armazenados no passado. 

Além disso, a fabricante sul-coreana afirma que apenas uma pessoa pode registrar as informações da sua íris. Isso significa que, mesmo se o dispositivo for perdido ou roubado e alguém tiver acesso ao smartphone, as informações da íris do usuário não serão comprometidas ou utilizadas.

E o que o scanner de íris do Note 7 pode desbloquear além do próprio aparelho?

Além do desbloqueio do Galaxy Note 7 em si, o scanner de íris do phablet permite também manter a segurança de dados confidenciais no aparelho em locais específicos.

O principal deles é o Pasta Segura, uma pasta separada que permite aos usuários proteger e gerenciar aplicativos e arquivos particulares meio do reconhecimento de íris, (impressão digital e senhas tipo padrão ou PIN também pode ser usadas).

NOTEIRIS1
Com o scanner de íris você pode não apenas desbloquear o Note 7 como também conteúdos armazenados no phablet / © Samsung

De acordo com a Samsung, os usuários podem aproveitar o serviço para manter os dados privados e pessoais - como informações bancárias - completamente separados em seus smartphones. A partir dela, os pais também podem bloquear o acesso a jogos ou conteúdos específicos de seus filhos.
 
O escaneamento da íris também funciona no Samsung Pass, ferramenta que permite aos usuários acessar sites a partir do navegador proprietário da Samsung, usando os olhos como “login e senha”. 

E você apostará a segurança do seu smartphone no scanner de íris?

24 Comentários

Escreva um comentário:
Mostrar todos os comentários
123 Compartilhado

O AndroidPIT utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência no nosso site. Mais informações

Entendi